Gostou do artigo? Compartilhe!

Principais doenças dos idosos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são pessoas idosas?

As pessoas idosas são aquelas que atingiram a idade avançada ou maturidade, geralmente considerada a partir dos 60 anos de idade. Na maioria das sociedades, essa fase é marcada por mudanças físicas, emocionais e sociais, bem como recebe algumas regras especiais.

As doenças das pessoas idosas podem variar amplamente e muitas vezes exigirão atenção médica especializada. A fisiologia1 e o adoecer das pessoas idosas, tal como das crianças, difere bastante do que se observa no adulto médio e por isso os idosos carecem de atenção especial e especializada.

Algumas das principais mudanças fisiológicas2 que ocorrem nos idosos incluem:

  1. Declínio da função imune, o que pode levar a um aumento do risco de doenças infecciosas.
  2. Declínio da função renal3 e maior probabilidade de insuficiência renal4.
  3. Alterações no sistema nervoso5, com diminuição da capacidade de reação e da habilidade de processar informações rapidamente, além de afetação da memória e do humor.
  4. Alterações na estrutura óssea, com perda de massa óssea e aumento do risco de fraturas.
  5. Alteração cardiovascular, com diminuição da capacidade do coração6 para bombear sangue7 e uma diminuição na elasticidade8 das artérias9, o que pode levar a problemas como hipertensão arterial10 e doença arterial coronariana.

Além dessas, há também diminuição da massa muscular e alterações da pele11 e da visão12.

Todas essas alterações fisiológicas2 são influenciadas por fatores genéticos, pelo estilo de vida e pelo ambiente das pessoas. Cada pessoa envelhece de maneira única: algumas pessoas podem envelhecer mais rapidamente, enquanto outras podem manter-se vigorosas e hígidas por muitos anos.

Saiba mais sobre "O processo de envelhecimento", "O que é Gerontologia13 e Geriatria" e "Principais síndromes geriátricas".

Quais são as principais doenças dos idosos?

Praticamente todas as doenças podem afetar as pessoas em qualquer idade, mas algumas doenças são marcadamente predominantes nos idosos e só ocorrem mais raramente em pessoas de menor idade. Assim, pode-se dizer que certas doenças são “típicas” dos idosos. São elas:

Doenças cardiovasculares14

As doenças cardiovasculares14 mais comuns nos idosos são:

  • A arteriosclerose15, uma forma de endurecimento e estreitamento das artérias9.
  • A angina16 do peito17, caracterizada por uma forte dor no peito17 sempre que se exige mais do coração6 em esforços físicos, emoções fortes ou baixas temperaturas.
  • Infarto do miocárdio18, no qual o fluxo de sangue7 no músculo cardíaco19 é interrompido por um período prolongado, danificando-o ou causando a morte do tecido20.
  • Insuficiência cardíaca21, em que o coração6 não consegue bombear o sangue7 de maneira suficiente para o organismo.
  • Arritmias22, em que o coração6 sai de seu ritmo normal de batimentos e a pessoa passa a ter a sensação de batimentos cardíacos mais fortes e acelerados.
  • Cardiomiopatia, uma condição em que o músculo cardíaco19 fica inchado e inflamado, tornando-se enfraquecido.
  • Doença arterial periférica, uma condição em que as artérias9 que levam sangue7 para os membros inferiores ficam estreitadas e endurecidas, dificultando a chegada de sangue7 até essas regiões periféricas.
  • Endocardite23, uma infecção24 por bactéria25, fungo26 ou vírus27 do músculo interno que reveste o coração6 (endocárdio28).

Diabetes29

O diabetes tipo 230 é comum em idosos e quando não controlado pode levar a complicações como cegueira, amputação31 de membros e doenças cardíacas. Ele é caracterizado pelo excesso crônico32 de açúcar33 no sangue7, devido a um fenômeno chamado resistência à insulina34, que representa uma dificuldade da glicose35 de penetrar nas células36, acumulando-se no sangue7.

Demência37

A demência37 é uma condição que incide em muitos, mas não em todos os idosos. Ela afeta várias funções cerebrais. A demência37 não é uma doença específica, mas um termo que se refere a um conjunto de doenças e sintomas38 que interferem negativamente no raciocínio, na linguagem e na memória, tornando-os deficitários. Ela implica na perda ou redução progressiva das capacidades cognitivas de forma parcial ou completa, a ponto de provocar uma perda de autonomia do indivíduo.

As demências mais típicas e importantes são as degenerativas39, próprias de pessoas idosas. A doença de Alzheimer40 é a forma mais comum de demência37 em idosos.

Câncer41

O câncer41 é uma das doenças que pode afetar pessoas de todas as idades, mas é mais comum em idosos. Ele acontece quando as células36 de um órgão ou tecido20 começam a se dividir e multiplicar desordenadamente, formando um tumor42. Essas células36 anômalas podem se espalhar pelo organismo e se multiplicarem em outros locais que não aqueles onde originalmente começaram a aparecer. Os tipos mais comuns de câncer41 em idosos incluem o câncer41 de pulmão43, de próstata44 e de mama45.

Doenças respiratórias

As doenças respiratórias afetam primariamente os pulmões46. As principais doenças respiratórias dos idosos são:

  • A asma47, uma doença inflamatória das vias respiratórias.
  • A bronquite crônica, uma infecção24 ou inflamação48 dos brônquios49.
  • A DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), que se refere a um conjunto de doenças pulmonares obstrutivas crônicas.
  • A pneumonia50, uma infecção24 dos pulmões46.
  • O enfisema51 pulmonar, uma doença crônica que se caracteriza por uma destruição dos alvéolos52 e diminuição da capacidade de troca de gases, causando falta de ar e fadiga53. Muito comum em fumantes.

Doenças osteoarticulares

As doenças osteoarticulares, como a artrite54 e a osteoporose55, são comuns em idosos e podem levar à dor, perda de mobilidade e a uma maior susceptibilidades às fraturas.

Doenças do trato urinário56

As infecções57 do trato urinário56 são bastante comuns em idosos, principalmente em mulheres, e podem levar à incontinência urinária58 e a complicações graves, se não forem tratadas adequadamente.

Doenças oculares

As doenças oculares como a miopia59, a catarata60 e a degeneração61 da retina62 são comuns em idosos, fazendo com que tenham que usar óculos, passar por cirurgias ou se submeterem a tratamentos endo-oculares.

Doenças da pele11

As doenças da pele11, como o eczema63 e o herpes-zóster, são comuns em idosos. A pele11 do idoso se torna muito fina, em razão da perda de tecido subcutâneo64, podendo “rasgar” com facilidade.

Doença de Parkinson65

A doença de Parkinson65 é uma condição degenerativa66 neurológica que afeta a movimentação e pode levar a tremores, rigidez muscular, dificuldade em andar e resultar em um quadro demencial.

Insuficiência renal4

A insuficiência renal4 é uma condição em que os rins67 não conseguem filtrar adequadamente os resíduos do sangue7. Isso pode levar a complicações graves como o aumento da pressão arterial68 e a anemia69.

 

Outras doenças que podem afetar os idosos incluem:

  • Doenças da tireoide70
  • Doenças hepáticas71
  • Doenças inflamatórias intestinais
  • Doenças do sono

É importante que os idosos tenham acesso a cuidados de saúde72 de qualidade e tratamento adequado para gerenciar suas doenças e condições de saúde72.

Leia sobre "Envelhecimento cerebral normal ou patológico", "Geriatria - De quem ela cuida" e "Envelhecimento saudável".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente do site do Ministério da Saúde.

ABCMED, 2023. Principais doenças dos idosos. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1431410/principais-doencas-dos-idosos.htm>. Acesso em: 28 mai. 2023.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
2 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
3 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
4 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
5 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
6 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
7 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
8 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
9 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
10 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
13 Gerontologia: A Gerontologia é a ciência que estuda de maneira multi e interdisciplinar o processo de envelhecimento em suas dimensões biológica, psicológica e social.
14 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
15 Arteriosclerose: Doença degenerativa da artéria devido à destruição das fibras musculares lisas e das fibras elásticas que a constituem, levando a um endurecimento da parede arterial, geralmente produzido por hipertensão arterial de longa duração ou pelo envelhecimento.
16 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
17 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
18 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
19 Músculo Cardíaco: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo.
20 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
21 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
22 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
23 Endocardite: Inflamação aguda ou crônica do endocárdio. Ela pode estar preferencialmente localizada nas válvulas cardíacas (endocardite valvular) ou nas paredes cardíacas (endocardite parietal). Pode ter causa infecciosa ou não infecciosa.
24 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
25 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
26 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
27 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
28 Endocárdio: Camada mais interna do coração. É formada de células endoteliais.
29 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
30 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
31 Amputação: 1. Em cirurgia, é a remoção cirúrgica de um membro ou segmento de membro, de parte saliente (por exemplo, da mama) ou do reto e/ou ânus. 2. Em odontologia, é a remoção cirúrgica da raiz de um dente ou da polpa. 3. No sentido figurado, significa diminuição, restrição, corte.
32 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
33 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
34 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
35 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
36 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
37 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
38 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
39 Degenerativas: Relativas a ou que provocam degeneração.
40 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
41 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
42 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
43 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
44 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
45 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
46 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
47 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
48 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
49 Brônquios: A maior passagem que leva ar aos pulmões originando-se na bifurcação terminal da traquéia. Sinônimos: Bronquíolos
50 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
51 Enfisema: Doença respiratória caracterizada por destruição das paredes que separam um alvéolo de outro, com conseqüente perda da retração pulmonar normal. É produzida pelo hábito de fumar e, em algumas pessoas, pela deficiência de uma proteína chamada Antitripsina.
52 Alvéolos: Pequenas bolsas poliédricas localizadas ao longo das paredes dos sacos alveolares, ductos alveolares e bronquíolos terminais. A troca gasosa entre o ar alveolar e o sangue capilar pulmonar ocorre através das suas paredes. DF
53 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
54 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
55 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
56 Trato Urinário:
57 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
58 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
59 Miopia: Incapacidade para ver de forma clara objetos que se encontram distantes do olho.Origina-se de uma alteração dos meios de refração do olho, alteração esta que pode ser corrigida com o uso de lentes especiais, e mais recentemente com o uso de cirurgia a laser.
60 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
61 Degeneração: 1. Ato ou efeito de degenerar (-se). 2. Perda ou alteração (no ser vivo) das qualidades de sua espécie; abastardamento. 3. Mudança para um estado pior; decaimento, declínio. 4. No sentido figurado, é o estado de depravação. 5. Degenerescência.
62 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
63 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
64 Tecido Subcutâneo: Tecido conectivo frouxo (localizado sob a DERME), que liga a PELE fracamente aos tecidos subjacentes. Pode conter uma camada (pad) de ADIPÓCITOS, que varia em número e tamanho, conforme a área do corpo e o estado nutricional, respectivamente.
65 Doença de Parkinson: Doença degenerativa que afeta uma região específica do cérebro (gânglios da base), e caracteriza-se por tremores em repouso, rigidez ao realizar movimentos, falta de expressão facial e, em casos avançados, demência. Os sintomas podem ser aliviados por medicamentos adequados, mas ainda não se conhece, até o momento, uma cura definitiva.
66 Degenerativa: Relativa a ou que provoca degeneração.
67 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
68 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
69 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
70 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
71 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
72 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.