Atalho: 65QV0NF
Gostou do artigo? Compartilhe!

Bronquite. Tem jeito de evitar?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é?

Bronquite é a inflamação1 dos brônquios2 que conduzem o ar da traqueia3 aos alvéolos pulmonares4, e vice-versa, dificultando dessa forma a respiração.

Quais são as causas da bronquite?

A inflamação1 dos brônquios2 pode ser causada por uma infecção5 ou por fatores irritativos, tóxicos ou alergênicos. As bronquites infecciosas podem ser agudas ou crônicas, podem ser causadas por vírus6 ou bactérias e ocorrem principalmente no inverno. Geralmente elas são consequências de sinusite7 crônica, bronquiectasias ou alergias. As bronquites irritativas, não infecciosas, podem ser causadas por vários agentes químicos ou mecânicos como, por exemplo, poeiras, vapores, poluição, etc.

Quais são os sintomas8 e como se faz o diagnóstico9 da bronquite?

Os sintomas8 iniciais se parecem com um resfriado comum (ou a bronquite se segue a ele): dificuldades de respiração e chiados relacionados com a obstrução das vias aéreas, febre10, tosse, corrimento nasal, calafrios11, expectoração12, dores da musculatura intercostal13 do peito14 ou das costas15 e inflamação1 na garganta16.

O diagnóstico9 da bronquite é feito basicamente pela história clínica, a qual ajuda a definir se a doença é aguda ou crônica. Ao exame do tórax17, o médico notará alterações na ausculta18 (roncos e sibilos), mas também poderá solicitar exames complementares como radiografias, exames do escarro, análises do sangue19 ou uma espirometria20 para medir a capacidade pulmonar. A radiografia do tórax17 ajuda a monitorar o desenvolvimento da bronquite e sua possível evolução para uma pneumonia21.

Qual o tratamento da bronquite?

Os broncodilatadores22 ajudam a facilitar a passagem do ar pelos brônquios2 e pela traqueia3. Podem ser usados sob a forma de comprimidos, xaropes, nebulizações e sprays (bombinhas). Os corticoides, ao diminuírem as reações inflamatórias, ajudam a controlar outros sintomas8.

Os antibióticos devem ser usados nos casos em que haja infecção5 bacteriana; eles não têm efeito nas infecções23 virais. Devem sempre ser prescritos por um médico e usados da maneira como foram aconselhados.

Medicações mucolíticas e fluidificantes diminuem a viscosidade24 do catarro e com isso descongestionam as vias respiratórias e melhoram a respiração. Além isso, devem ser mantidos cuidados gerais como repouso, hidratação e nutrição25 adequada.

Se o paciente for tabagista, o cigarro deve ser proibido. Deixar de fumar não faz a doença regredir, mas retarda ou detém o seu avanço.

As terapias de reabilitação respiratória ensinam os pacientes a respirar melhor. A oxigenoterapia pode melhorar os sintomas8 e aumentar a expectativa de vida26.

Como prevenir a bronquite?

A principal medida preventiva é deixar de fumar, se for o caso. Como isso é muito difícil, o paciente deve ser ajudado com tratamentos específicos.

A vacinação anual contra a gripe27 (influenza28) e o pneumococo é uma providência necessária uma vez que ambos pioram a bronquite.

ABCMED, 2011. Bronquite. Tem jeito de evitar?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/244180/bronquite-tem-jeito-de-evitar.htm>. Acesso em: 20 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
2 Brônquios: A maior passagem que leva ar aos pulmões originando-se na bifurcação terminal da traquéia. Sinônimos: Bronquíolos
3 Traqueia: Conduto músculo-membranoso com cerca de 22 centímetros no homem e de 18 centímetros na mulher. Da traqueia distingue-se uma parte que faz continuação direta à laringe (porção cervical) e uma parte que está situada no tórax (porção torácica). Possui anéis cartilaginosos em número variável de 12 a 16, unidos entre si por tecido fibroso. Destina-se à passagem do ar. A traqueia é revestida com epitélio ciliar que auxilia a filtração do ar inalado.
4 Alvéolos Pulmonares: Pequenas bolsas poliédricas localizadas ao longo das paredes dos sacos alveolares, ductos alveolares e bronquíolos terminais. A troca gasosa entre o ar alveolar e o sangue capilar pulmonar ocorre através das suas paredes. DF
5 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
7 Sinusite: Infecção aguda ou crônica dos seios paranasais. Podem complicar o curso normal de um resfriado comum, acompanhando-se de febre e dor retro-ocular.
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
10 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
11 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
12 Expectoração: Ato ou efeito de expectorar. Em patologia, é a expulsão, por meio da tosse, de secreções provenientes da traqueia, brônquios e pulmões; escarro.
13 Intercostal: Localizado entre as costelas.
14 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
15 Costas:
16 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
17 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
18 Ausculta: Ato de escutar os ruídos internos do organismo, para controlar o funcionamento de um órgão ou perceber uma anomalia; auscultação.
19 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
20 Espirometria: Exame que permite aferir o fluxo de ar nas vias aéreas ou brônquios, comparando os resultados com os obtidos por pessoas saudáveis com a mesma idade e altura. Serve para a investigação de sintomas respiratórios; diagnóstico e avaliação de asma, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) ou bronquite causada pelo cigarro; incapacidade funcional; avaliação pós-operatória e avaliação e diagnóstico de doenças respiratórias relacionadas ao trabalho. O exame têm duração média de 30 minutos.
21 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
22 Broncodilatadores: São substâncias farmacologicamente ativas que promovem a dilatação dos brônquios.
23 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
24 Viscosidade: 1. Atributo ou condição do que é viscoso; viscidez. 2. Resistência que um fluido oferece ao escoamento e que se deve ao movimento relativo entre suas partes; atrito interno de um fluido.
25 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
26 Expectativa de vida: A expectativa de vida ao nascer é o número de anos que se calcula que um recém-nascido pode viver caso as taxas de mortalidade registradas da população residente, no ano de seu nascimento, permaneçam as mesmas ao longo de sua vida.
27 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
28 Influenza: Doença infecciosa, aguda, de origem viral que acomete o trato respiratório, ocorrendo em epidemias ou pandemias e frequentemente se complicando pela associação com outras infecções bacterianas.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pneumologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

27/10/2011 - Comentário feito por Cirene
Re: Bronquite. Tem jeito de evitar?
Eu quero respirar. Tem horas que eu fico em desespero....

  • Entrar
  • Assinar