AbcMed

Últimos artigos

Saúde da Criança
Saúde da Mulher
Saúde do Homem

Mais acessados

Coagulograma - como é o exame?

Coagulograma - como é o exame?

O coagulograma, também chamado de prova de coagulação1, é um conjunto de exames usado para avaliar se a coagulação1 do paciente está ou não dentro dos parâmetros normais e se o tempo de coagulação1 é ou não ideal.
1 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
- 29/06/2017
Bloqueio de ramo - definição, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e possíveis complicações

Bloqueio de ramo - definição, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e possíveis complicações

Bloqueio de ramo, ou bloqueio cardíaco1, é uma anomalia do sistema de condução elétrica cardíaca que impede parcial ou totalmente a condução de estímulos nervosos no coração2 e pode afetar separadamente o ramo direito ou esquerdo desse sistema, assim como suas respectivas fibras.
1 Bloqueio cardíaco: Transtorno da condução do impulso elétrico no tecido cardíaco especializado, manifestado por uma diminuição variável da freqüência dos batimentos cardíacos.
2 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
- 24/04/2017
Aborto: o que é? Como é feito? Quais são os riscos? Como age a "pílula do dia seguinte"?

Aborto: o que é? Como é feito? Quais são os riscos? Como age a "pílula do dia seguinte"?

Aborto é a interrupção precoce da gravidez1, espontânea ou provocada, com a remoção ou expulsão de um embrião (antes de oito ou nove semanas de gestação) ou feto2 (depois de oito ou nove semanas de gestação), resultando na morte do concepto ou sendo causada por ela. Isso faz cessar toda atividade biológica própria da gestação.
1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
- 14/06/2013
Colostomia: porque é feita, como é realizada, quais os cuidados que devem existir para evitar complicações

Colostomia: porque é feita, como é realizada, quais os cuidados que devem existir para evitar complicações

Colostomia1 é um procedimento cirúrgico que consiste em fazer-se uma abertura na parede abdominal2 (estoma3), temporária ou permanente, e ligar nela uma terminação do intestino, pela qual as fezes e gases passam a ser eliminados. A este estoma3 acopla-se uma bolsa adesiva, coletora dos produtos intestinais.
1 Colostomia: Procedimento cirúrgico que consiste em seccionar uma extremidade do intestino grosso e expô-lo através de uma abertura na parede abdominal anterior, pela qual será eliminado o material fecal. É utilizada em diferentes doenças que afetam o trânsito intestinal normal, podendo ser transitória (quando em uma segunda cirurgia o trânsito intestinal é restabelecido) ou definitiva.
2 Parede Abdominal: Margem externa do ABDOME que se estende da cavidade torácica osteocartilaginosa até a PELVE. Embora sua maior parte seja muscular, a parede abdominal consiste em pelo menos sete camadas Músculos Abdominais;
3 Estoma: 1. Na anatomia geral, é um orifício ou poro diminuto. 2. Em cirurgia, é uma abertura feita na parede abdominal por meio de colostomia, ileostomia, etc., ou seja, abertura entre duas porções do intestino em uma anastomose.
- 13/05/2013
Intubação endotraqueal: o que é? Quando é feita? Como é realizada? Quais são as possíveis complicações?

Intubação endotraqueal: o que é? Quando é feita? Como é realizada? Quais são as possíveis complicações?

Intubação endotraqueal ou entubação endotraqueal (os prefixos latinos “en” e “in” se equivalem na acepção de "movimento para dentro") é um procedimento pelo qual o médico introduz um tubo na traqueia1 do paciente, através da boca2 ou do nariz3, para mantê-lo respirando quando alguma condição impede sua respiração espontânea.
1 Traqueia: Conduto músculo-membranoso com cerca de 22 centímetros no homem e de 18 centímetros na mulher. Da traqueia distingue-se uma parte que faz continuação direta à laringe (porção cervical) e uma parte que está situada no tórax (porção torácica). Possui anéis cartilaginosos em número variável de 12 a 16, unidos entre si por tecido fibroso. Destina-se à passagem do ar. A traqueia é revestida com epitélio ciliar que auxilia a filtração do ar inalado.
2 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
3 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
- 06/05/2014
Glicemia média estimada (Hemoglobina glicosilada)

Glicemia média estimada (Hemoglobina glicosilada)

Além dos tradicionais exames da glicemia de jejum1, glicemia pós-prandial2 e teste de tolerância à glicose3 para o controle de açúcar4 no sangue5, pode-se ter dados sobre a glicemia6 média estimada nos últimos dois ou três meses, através da hemoglobina glicosilada7 (ou hemoglobina glicada8 ou, ainda, hemoglobina9 A1C10, a principal fração de hemoglobina glicosilada7).
1 Glicemia de jejum: Teste que checa os níveis de glicose após um período de jejum de 8 a 12 horas (frequentemente dura uma noite). Este teste é usado para diagnosticar o pré-diabetes e o diabetes. Também pode ser usado para monitorar pessoas com diabetes.
2 Glicemia pós-prandial: Teste de glicose feito entre 1 a 2 horas após refeição.
3 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
4 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
5 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
6 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
7 Hemoglobina glicosilada: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
8 Hemoglobina glicada: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
9 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
10 A1C: O exame da Hemoglobina Glicada (A1C) ou Hemoglobina Glicosilada é um teste laboratorial de grande importância na avaliação do controle do diabetes. Ele mostra o comportamento da glicemia em um período anterior ao teste de 60 a 90 dias, possibilitando verificar se o controle glicêmico foi efetivo neste período. Isso ocorre porque durante os últimos 90 dias a hemoglobina vai incorporando glicose em função da concentração que existe no sangue. Caso as taxas de glicose apresentem níveis elevados no período, haverá um aumento da hemoglobina glicada. O valor de A1C mantido abaixo de 7% promove proteção contra o surgimento e a progressão das complicações microvasculares do diabetes (retinopatia, nefropatia e neuropatia).
- 07/10/2016
Doppler: como é este exame? Para que serve?

Doppler: como é este exame? Para que serve?

O doppler é uma das modalidades da ultrassonografia1. A ultrassonografia1 é um método de produzir em tempo real imagens em movimento das estruturas e órgãos do corpo, graças ao efeito Doppler, descoberto em 1852 pelo físico austríaco Johann Christian Andreas Doppler.
1 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
- 22/11/2012

Gravidez
Hipertensão
Diabetes
Obesidade
Colesterol
Tireoide

Elogios, críticas ou sugestões
Seu nome:
Seu email:
Mensagem:

  • Entrar
  • Assinar