AbcMed

Saúde da Criança
Saúde da Mulher
Saúde do Homem

Mais acessados

Cicatriz cirúrgica vazando líquido? Pode ser um seroma. Você sabe o que é?

Cicatriz cirúrgica vazando líquido? Pode ser um seroma. Você sabe o que é?

O seroma pode acontecer em qualquer cirurgia. É a complicação pós-cirúrgica que consiste no acúmulo excessivo de líquido próximo à cicatriz1 cirúrgica causando inflamação2. Ocorre após alguns dias da cirurgia e pode demorar semanas para desaparecer totalmente. É o extravasamento de um líquido semelhante ao plasma3, que se acumula abaixo da pele4, na região da cicatriz1 cirúrgica.
1 Cicatriz: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
2 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
3 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
- 28/05/2013
Tenho um carocinho que mexe embaixo da pele: pode ser íngua? O que fazer?

Tenho um carocinho que mexe embaixo da pele: pode ser íngua? O que fazer?

Ínguas são aumentos de um ou mais gânglios linfáticos1 ou linfonodos2, também chamadas de adenopatias3. Elas se manifestam através de um ou mais carocinhos móveis sob a pele4 e que podem ou não ser dolorosas. Na maioria das vezes, as ínguas são consequência de uma inflamação5 leve e passageira, mas também podem ser causadas por fatores como o câncer6 ou doenças autoimunes7.
1 Gânglios linfáticos: Estrutura pertencente ao sistema linfático, localizada amplamente em diferentes regiões superficiais e profundas do organismo, cuja função consiste na filtração da linfa, maturação e ativação dos linfócitos, que são elementos importantes da defesa imunológica do organismo.
2 Linfonodos: Gânglios ou nodos linfáticos.
3 Adenopatias: Aumento anormal dos gânglios linfáticos. Pode ser acompanhado de dor, aumento da consistência, aderência a planos profundos, etc. É frequente em diversas situações, como infecções, inflamações, neoplasias, etc.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
7 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
- 13/06/2017
Câncer - informações importantes

Câncer - informações importantes

A maioria das células1 do corpo tem funções específicas e expectativa fixa de vida. A morte celular faz parte de um fenômeno natural e benéfico chamado apoptose2. Uma célula3 recebe instruções para morrer de modo que o corpo possa substitui-la por uma nova, que funcione melhor. As células1 cancerosas carecem dos componentes que as instruem a parar de se dividir e morrer.
1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Apoptose: Morte celular não seguida de autólise, também conhecida como “morte celular programada“.
3 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
- 07/06/2019
Teratoma: conceito, causas, sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, prevenção e possíveis complicações

Teratoma: conceito, causas, sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, prevenção e possíveis complicações

O teratoma (do grego: teratoma = tumor1 monstruoso) é um tipo de tumor1 derivado de células germinais2 pluripotentes e constituído dos mais diferentes tipos de tecidos oriundos de uma ou mais das três camadas de células germinais2.
1 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
2 Células germinais: São as células responsáveis pela reprodução sexuada e contêm metade do número total de cromossomos de uma espécie. Os espermatozoides (homem) e os ovócitos (mulher) são células germinativas.
- 30/06/2015
Queilite: o que é? Quais as causas? O que podemos fazer?

Queilite: o que é? Quais as causas? O que podemos fazer?

As quelites (ou queilites) são processos inflamatórios dos lábios provocados por diversos fatores. Estão excluídos da designação de queilite aqueles processos que são concomitantes e devidos a condições sistêmicas como, por exemplo, líquen plano, lúpus1 eritematoso2, pênfigos e sífilis3. As quelites podem se apresentar como descamação4, erosão ou inchaço5 nos lábios.
1 Lúpus: 1. É uma inflamação crônica da pele, caracterizada por ulcerações ou manchas, conforme o tipo específico. 2. Doença autoimune rara, mais frequente nas mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. Nesta patologia, a defesa imunológica do indivíduo se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Essas múltiplas formas de manifestação clínica, às vezes, podem confundir e retardar o diagnóstico. Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especializados no assunto.
2 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
3 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
4 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
5 Inchaço: Inchação, edema.
- 17/06/2015
Doença de Whipple

Doença de Whipple

A doença de Whipple é uma rara infecção1 bacteriana sistêmica, causada pela bactéria2 Tropheryma whipplei, que afeta sobretudo o sistema digestivo3 e as articulações4.
1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
3 Sistema digestivo: O sistema digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
4 Articulações:
- 06/06/2019
Laparotomia: o que é? Como é feita? Quais são as indicações? E as complicações possíveis?

Laparotomia: o que é? Como é feita? Quais são as indicações? E as complicações possíveis?

A laparotomia1 (do grego: láparos = abdômen; tomos = corte) é a abertura cirúrgica da cavidade abdominal2 para fins diagnósticos e/ou terapêuticos. Em termos populares, é a cirurgia “de barriga aberta”. Ela não é uma prática recente, remontando à antiguidade, mas teve grande expansão no século XX.
1 Laparotomia: Incisão cirúrgica da parede abdominal utilizada com fins exploratórios ou terapêuticos.
2 Cavidade Abdominal: Região do abdome que se estende do DIAFRAGMA torácico até o plano da abertura superior da pelve (passagem pélvica). A cavidade abdominal contém o PERiTÔNIO e as VÍSCERAS abdominais, assim como, o espaço extraperitoneal que inclui o ESPAÇO RETROPERITONEAL.
- 11/07/2014
Aborto: o que é? Como é feito? Quais são os riscos? Como age a "pílula do dia seguinte"?

Aborto: o que é? Como é feito? Quais são os riscos? Como age a "pílula do dia seguinte"?

Aborto é a interrupção precoce da gravidez1, espontânea ou provocada, com a remoção ou expulsão de um embrião (antes de oito ou nove semanas de gestação) ou feto2 (depois de oito ou nove semanas de gestação), resultando na morte do concepto ou sendo causada por ela. Isso faz cessar toda atividade biológica própria da gestação.
1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
- 14/06/2013
Elogios, críticas ou sugestões
Seu nome:
Seu email:
Mensagem:
Hipertensão
Diabetes
Obesidade
Colesterol
Tireoide
  • Entrar
  • Assinar