Gostou do artigo? Compartilhe!

O envelhecimento saudável. Envelheça com saúde...

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O envelhecimento é um processo inexorável de queda das capacidades físicas e mentais que afeta todas as pessoas, mas o retardamento desse processo e o consequente aumento do tempo médio de vida constitui uma das mais espetaculares mudanças sociais dos últimos tempos. Nesse processo, além do desgaste natural do organismo também incidem fatores ambientais e socioculturais e o alongamento dele se deve a melhorias das condições higiênicas e sanitárias, à aquisição de hábitos mais saudáveis de vida e aos avanços da medicina na prevenção e tratamento das doenças.

Um número sempre crescente de pessoas atinge idade mais avançada e o número de idosos na população aumenta igualmente. Estima-se que em 2060 um quarto dos brasileiros terá mais de 60 anos (hoje são cerca de 7%). A expectativa de vida1 que no início do século passado era de 50 anos, passou atualmente para 74 anos e meio. Com isso, fazem-se mais necessários os cuidados para que essas pessoas possam usufruir de uma boa qualidade de vida. Uma série de dicas pode ajudar para que isso aconteça:

Uma vida sadia prepara um envelhecimento sadio

A preparação de um envelhecimento sadio deve começar muitos anos antes, através da adoção de um modo saudável de viver. Na velhice, o indivíduo não só colherá os frutos benéficos dessa atitude como terá formado hábitos positivos a que dará seguimento. Faz parte dessa vida saudável uma atitude otimista diante da vida; a evitação do estresse; uma dieta alimentar adequada; o não consumo excessivo de bebida alcoólica; a abstinência de fumo; a prática regular de atividades físicas evitando o sedentarismo2, mas também os esforços físicos excessivos, de forma repetitiva.

Cuidados com a prevenção de doenças

Com o envelhecimento, certas doenças tornam-se mais incidentes3 e a prevenção delas faz-se necessária. Os diversos tipos de câncer4, a falência de órgãos, a pressão alta, o diabetes mellitus5, as carências alimentares, as infecções6, as demências e a osteoporose7 rondam perigosamente os idosos e se essas condições não puderem ser evitadas devem pelo menos ser detectadas precocemente. Os exames preventivos para detectar os cânceres mais comuns (próstata8, mama9, aparelho digestivo10, pulmão11) devem ser feitos regularmente, pelo menos uma vez por ano ou quando solicitados por um médico: toque retal, mamografia12, colonoscopia13, endoscopia14 digestiva alta, radiografias de tórax15 etc. A pressão arterial16 deve ser periodicamente medida; um exame de sangue17 indicará o nível de glicemia18 (açúcar19 no sangue17); um complemento vitamínico deve ser usado assiduamente; o idoso não deve descuidar-se das vacinas contra a gripe20 e a pneumonia21, aplicadas anualmente; uma densitometria22 óssea deve ser feita periodicamente para avaliar a condição óssea.

Cuidados com as medicações

Quase sempre o idoso estará tomando vários remédios. Alguns cuidados são necessários com eles. Não os deixe ao alcance das crianças. Sobretudo se são coloridos, pois podem ser confundidos com balas. Observe rigorosamente os horários de tomá-los. Alguns remédios devem ser tomados em horários especiais, como antes ou depois das refeições ou pela manhã ou à noite, respeitando o ritmo circadiano23. Relate ao seu médico qualquer efeito colateral24 que as medicações causem em você.

Cuidados com os acidentes

Os cuidados com os acidentes são tarefas da vida toda, mas são essencialmente importantes para os idosos porque eles já têm uma menor força muscular, um menor senso de equilíbrio, uma fragilidade óssea maior e uma menor capacidade de recuperação. As quedas são de especial importância! Por isso, os idosos não devem andar por terrenos acidentados nem saltar obstáculos de difícil transposição. Dentro de casa, devem ter cuidados com objetos espalhados pelo chão: tapetes, sapatos, fios, brinquedos, etc. Os calçados devem ter solado de borracha e amortecedores para os pés. Tênis é uma boa opção. Sempre que possível, esteja acompanhado por outra pessoa. Uma bengala, quando adequadamente usada, além de um importante auxílio pode conferir ao idoso um garboso ar de senioridade25 e elegância.

Cuidados com a pele26

Um boné evitará pegar sol na cabeça27, geralmente já careca ou com cabeleira rarefeita. O protetor solar deve ser de número elevado e usado diariamente. A pele26 do idoso costuma ser mais fina e sensível, para protegê-la os idosos devem passar hidratante após o banho e evitar lesões28, quando possível.

Tratamentos corriqueiros, mas importantes

Praticamente todos os idosos precisarão de óculos, a partir de certa idade. Grande número deles precisará operar cataratas. Os que quase não saem de casa devem cuidar de tomar alguns minutos de sol, todos os dias, porque isso os ajudará a fortalecer seus ossos. Devido às maiores dificuldades de digerir e absorver alimentos, os idosos devem evitar as alimentações fartas e “pesadas”, sobretudo à noite.

As “doenças” próprias do envelhecimento

As mulheres sofrerão os sintomas29 próprios da menopausa30 (ondas de calor pelo corpo, ressecamento vaginal, mudanças de humor, alterações do desejo sexual, etc.). Muitos homens terão uma hipertrofia31 prostática benigna e os sintomas29 correspondentes (maior frequência e urgência32 para urinar, jato urinário mais fraco, etc.), bem como diminuição ou abolição da potência sexual. Normalmente, certo grau de osteoporose7 afetará a ambos, mais acentuadamente as mulheres. Os dentes estarão mais fracos e mais sujeitos a cáries33 e fraturas. Geralmente a pele26 estará mais fina, ressecada e manchada e sujeita a se romper com mais facilidade. O cabelo34 estará mais ralo e alguns homens estarão carecas. As massas musculares perdem fibras e os músculos35 ficam mais flácidos. A memória sofre algumas lacunas e mesmo quem se gabava da excelência dela tem de se contentar com um desempenho mais sofrível. Exercícios físicos (ginástica, hidroginástica, caminhadas, natação, etc.) e atividades mentais (ler, escrever, jogar xadrez, etc.) são úteis para essas eventualidades, melhorando a capacidade cardiovascular e de memória, a imunidade36 e a massa muscular, além de evitar o depósito de gorduras e de ajudar no metabolismo37 ósseo.

Alterações psicológicas próprias dos idosos

Com dificuldades de se adaptar a situações novas, o idoso normalmente é avesso às mudanças, desde as mais simples, como trocar a posição dos móveis dentro de casa, por exemplo, até alterar o estilo de vida. As dificuldades com a memória os levam a se referirem mais a assuntos antigos do que aos recentes. A expectativa mais curta de vida faz com que se ocupem mais do presente que do futuro. Além disso, é frequente que sofram ansiedades, depressões e, eventualmente, demências

ABCMED, 2013. O envelhecimento saudável. Envelheça com saúde.... Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-do-idoso/377190/o-envelhecimento-saudavel-envelheca-com-saude.htm>. Acesso em: 22 out. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Expectativa de vida: A expectativa de vida ao nascer é o número de anos que se calcula que um recém-nascido pode viver caso as taxas de mortalidade registradas da população residente, no ano de seu nascimento, permaneçam as mesmas ao longo de sua vida.
2 Sedentarismo: Qualidade de quem ou do que é sedentário, ou de quem tem vida e/ou hábitos sedentários. Sedentário é aquele que se exercita pouco, que não se movimenta muito.
3 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
4 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
5 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
6 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
8 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
9 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
10 Aparelho digestivo: O aparelho digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
11 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
12 Mamografia: Estudo radiológico que utiliza uma técnica especial para avaliar o tecido mamário. Permite diagnosticar tumores benignos e malignos em fase inicial na mama. É um exame que deve ser realizado por mulheres, como prevenção ao câncer.
13 Colonoscopia: Estudo endoscópico do intestino grosso, no qual o colonoscópio é introduzido pelo ânus. A colonoscopia permite o estudo de todo o intestino grosso e porção distal do intestino delgado. É um exame realizado na investigação de sangramentos retais, pesquisa de diarreias, alterações do hábito intestinal, dores abdominais e na detecção e remoção de neoplasias.
14 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
15 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
16 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
17 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
18 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
19 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
20 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
21 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
22 Densitometria: Medição de densidade óptica em chapas fotográficas.
23 Ritmo circadiano: Também conhecido como ciclo circadiano, o ritmo circadiano representa o período de um dia (24 horas) no qual se completam as atividades do ciclo biológico dos seres vivos. Uma das funções deste sistema é o ajuste do relógio biológico, controlando o sono e o apetite. Através de um marca-passo interno que se encontra no cérebro, o ritmo circadiano regula tanto os ritmos materiais quanto os psicológicos, o que pode influenciar em atividade como: digestão em vigília, renovação de células e controle de temperatura corporal.
24 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
25 Senioridade: 1. Estado, característica ou qualidade de sênior. 2. Conjunto de conhecimentos e experiência adquiridos durante o exercício da atividade profissional, que capacita alguém para exercer cargos ou funções de fundamental importância em uma organização. 3. Maturidade.
26 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
27 Cabeça:
28 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
29 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
30 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
31 Hipertrofia: 1. Desenvolvimento ou crescimento excessivo de um órgão ou de parte dele devido a um aumento do tamanho de suas células constituintes. 2. Desenvolvimento ou crescimento excessivo, em tamanho ou em complexidade (de alguma coisa). 3. Em medicina, é aumento do tamanho (mas não da quantidade) de células que compõem um tecido. Pode ser acompanhada pelo aumento do tamanho do órgão do qual faz parte.
32 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
33 Cáries: Destruição do esmalte dental produzida pela proliferação de bactérias na cavidade oral.
34 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
35 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
36 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
37 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Geriatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.