Gostou do artigo? Compartilhe!

Geriatria - De quem ela cuida?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é geriatria?

Geriatria (do grego: geron = velho + iatros = aquele que cura), ou medicina geriátrica, é uma especialidade médica focada na prestação de cuidados à saúde1 de pessoas idosas. Tem como objetivo promover a saúde1 prevenindo, diagnosticando e tratando doenças em idosos.

Não há um limite etário definido para que os pacientes possam estar sob os cuidados de um médico especializado no atendimento de idosos (geriatra). Essa decisão é guiada pelas necessidades individuais do paciente e pelas estruturas de cuidado disponíveis para ele. Do ponto de vista sociológico, contudo, costuma-se referir como idosas as pessoas com mais de 65 anos. No entanto, os cuidados da geriatria podem ser dispensados àqueles que estão gerenciando várias condições crônicas ou enfrentando complicações significativas relacionadas a elas, sem consideração de uma idade limite.

Deve-se fazer uma distinção entre Geriatria e Gerontologia2. Esta última é um estudo multidisciplinar dos processos normais de envelhecimento, independentemente de lesões3, doenças e riscos ambientais ou comportamentais. A Geriatria pode, apropriadamente, ser chamada de Gerontologia2 médica. Isto é, ela lida com os aspectos médicos da Gerontologia2 e abrange desde a promoção de um envelhecer saudável até o tratamento e a reabilitação do idoso. O médico que pratica a Geriatria como especialidade é dito geriatra.

Leia sobre "Dores nas pernas", "Fratura4 do colo do fêmur5" e "Osteoporose6".

Por que a geriatria?

Cada vez aumenta mais o número de pessoas idosas na sociedade e é crescente o número de clientes idosos que os médicos de toda especialidade recebem para consulta. A Geriatria se justifica por que o organismo das pessoas idosas tem especificidades que o diferenciam das pessoas adultas comuns, seja na sua fisiologia7, na susceptibilidade8 às doenças ou no modo de reagir a elas e aos tratamentos.

Os geriatras, em geral, conhecem melhor que os outros médicos em que consistem essas peculiaridades. Eles lidam não só com as enfermidades comuns às pessoas de idade avançada, mas também com outros problemas de causas múltiplas, como tonturas9, incontinência urinária10, tendência a quedas, etc. Além disso, eles prestam cuidados paliativos11 aos pacientes portadores de doenças sem possibilidade de cura.

Quais são as características clínicas das doenças geriátricas?

Tal como acontece com as crianças na Pediatria, os idosos têm uma fisiologia7, uma clínica, uma resposta terapêutica12 e uma reação à doença diferentes das pessoas adultas comuns. Embora muitas doenças dos idosos também possam ocorrer no adulto mais jovem e inclusive em crianças, elas têm especificidades de grande significado clínico nos idosos. Também as reações às medicações são particulares e de grande significância.

De um modo geral, como consequência do envelhecimento costuma-se dizer que a Geriatria pode ser caracterizada pela presença dos 5 Is seguintes:

  1. Instabilidade postural
  2. Independência do idoso
  3. Imobilidade
  4. Incontinência urinária
  5. Iatrogenia

A instabilidade afeta grandemente a independência do idoso e é responsável por quedas que podem produzir ferimentos, fraturas e mesmo morte.

A independência do idoso fica comprometida também pelas suas insuficiências cognitivas, afetando suas atividades do dia a dia. Muitas vezes se expressam como demências, depressões, delirium13 e outras doenças psiquiátricas.

A imobilidade é qualquer limitação de movimentos, habitualmente progressiva. Uma síndrome14 crônica de imobilidade pode surgir em virtude de úlceras15 de pressão, contraturas e dores crônicas.

A incontinência urinária10 se dá quando há perda involuntária16 de urina17 e é mais comum nas mulheres que nos homens.

A iatrogenia é caracterizada pela reação a qualquer tratamento médico inadequado por desconhecimento das peculiaridades do idoso.

Quais são as principais doenças que afetam os idosos?

Nem todas as doenças dos idosos são tratadas pelo geriatra, porque muitas delas requerem a intervenção de especialistas, mas devem receber a assistência do geriatra em aspectos atinentes à sua especialização. As doenças crônicas que mais afetam os idosos são:

  • Doenças cardiovasculares18: estão no topo da lista e representam a principal causa de morte dos idosos. Entre elas contam-se a hipertensão arterial19 sistêmica, o infarto do miocárdio20, a angina21 de peito22 e os acidentes vasculares23 cerebrais.
  • Diabetes mellitus24: com as mudanças que ocorrem no corpo, o organismo passa a não processar tão bem a glicose25, o que contribui para o descontrole do diabetes mellitus24 clássico e para o surgimento do diabetes tipo 226. Disso decorrem as principais complicações do diabetes27, afetando os rins28, o coração29 e a visão30.
  • Osteoporose6: atinge mais as mulheres que os homens e sofre uma acentuação brusca na pós-menopausa31 em razão das alterações hormonais. As dores prolongadas são um problema sério, e os ossos se tornam mais fragilizados e mais susceptíveis às fraturas.
  • Catarata32: afeta o cristalino do olho33, o qual, com o passar do tempo, fica menos transparente e ocasiona uma sensação de opacidade da visão30.
  • Depressão: é um problema recorrente nos idosos e, às vezes, um transtorno de difícil identificação.
  • Infecções34 urinárias: são predominantes nas mulheres, embora o crescimento da próstata35 nos homens as faça também muito comuns neles.
  • Mal de Parkinson: é uma condição degenerativa36 e progressiva que afeta partes cerebrais comprometendo os movimentos, provocando tremores, lentidões, rigidez involuntária16 dos músculos37 e desequilíbrios. Pode afetar também aspectos mentais produzindo um estado demencial.
  • Doença de Alzheimer38: forma de demência39 que avança de forma progressiva, global e irreversível, afetando sobretudo a memória, embora outras funções cognitivas também sejam comprometidas.
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC): doença crônica e progressiva que acomete os pulmões40 e destrói e/ou danifica os alvéolos41, prejudicando as trocas gasosas que ocorrem neles. Embora possa ter outras causas, a DPOC é predominante nos fumantes.
  • Câncer42: pode acontecer também em pessoas jovens, mas é predominante nos idosos. Nas mulheres, o câncer42 mais frequente é o câncer42 de mama43 e, nos homens, o câncer42 de próstata35.

Ainda outros fatores ligados ao envelhecimento são frequentes. Os idosos também são mais propensos a sofrerem infecções34 respiratórias que podem evoluir para quadros de pneumonias graves.

Veja também sobre "O envelhecimento da pele44", "Envelhecimento precoce" e "Envelhecimento cerebral normal ou patológico".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Revista Médica de Minas Gerais – Volume 20.1 e da SBGG – Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

ABCMED, 2022. Geriatria - De quem ela cuida?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-do-idoso/1428780/geriatria+de+quem+ela+cuida.htm>. Acesso em: 29 jan. 2023.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Gerontologia: A Gerontologia é a ciência que estuda de maneira multi e interdisciplinar o processo de envelhecimento em suas dimensões biológica, psicológica e social.
3 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
4 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
5 Colo do Fêmur: Porção comprimida do osso da coxa entre cabeça do fêmur e trocanter.
6 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
7 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
8 Susceptibilidade: 1. Ato, característica ou condição do que é suscetível. 2. Capacidade de receber as impressões que põem em exercício as ações orgânicas; sensibilidade. 3. Disposição ou tendência para se ofender e se ressentir com (algo, geralmente sem importância); delicadeza, melindre. 4. Em física, é o coeficiente de proporcionalidade entre o campo magnético aplicado a um material e a sua magnetização.
9 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
10 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
11 Paliativos: 1. Que ou o que tem a qualidade de acalmar, de abrandar temporariamente um mal (diz-se de medicamento ou tratamento); anódino. 2. Que serve para atenuar um mal ou protelar uma crise (diz-se de meio, iniciativa etc.).
12 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
13 Delirium: Alteração aguda da consciência ou da lucidez mental, provocado por uma causa orgânica. O delirium tem causa orgânica e cessa se a causa orgânica cessar. Ele pode acontecer nos traumas cranianos, nas infecções etc. Os exemplos mais típicos são o delirium do alcoólatra crônico e o delirium febril.
14 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
15 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
16 Involuntária: 1.    Que se realiza sem intervenção da vontade ou que foge ao controle desta, automática, inconsciente, espontânea. 2.    Que se encontra em uma dada situação sem o desejar, forçada, obrigada.
17 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
18 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
19 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
20 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
21 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
22 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
23 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
24 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
25 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
26 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
27 Complicações do diabetes: São os efeitos prejudiciais do diabetes no organismo, tais como: danos aos olhos, coração, vasos sangüíneos, sistema nervoso, dentes e gengivas, pés, pele e rins. Os estudos mostram que aqueles que mantêm os níveis de glicose do sangue, a pressão arterial e o colesterol próximos aos níveis normais podem ajudar a impedir ou postergar estes problemas.
28 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
29 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
30 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
31 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
32 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
33 Cristalino do Olho: Estrutura transparente e biconvexa do OLHO. Encontra-se dentro de uma cápsula, atrás da ÍRIS e à frente do humor vítreo (CORPO VÍTREO). Está levemente superposta na margem pelos processos ciliares. A adaptação do CORPO CILIAR é crucial para a ACOMODAÇÃO OCULAR.
34 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
35 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
36 Degenerativa: Relativa a ou que provoca degeneração.
37 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
38 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
39 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
40 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
41 Alvéolos: Pequenas bolsas poliédricas localizadas ao longo das paredes dos sacos alveolares, ductos alveolares e bronquíolos terminais. A troca gasosa entre o ar alveolar e o sangue capilar pulmonar ocorre através das suas paredes. DF
42 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
43 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
44 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Geriatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.