Atalho: 64X6R7N
Gostou do artigo? Compartilhe!

Catarata. Saiba mais sobre esta condição.

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é catarata1?

A catarata1 é uma patologia2 dos olhos3 que consiste em uma opacidade progressiva do cristalino4, que pode tornar-se total. O cristalino4 é uma lente biológica que capta os estímulos luminosos do ambiente e os projeta sobre a retina5. Para uma boa visão6, é essencial que o cristalino4 seja transparente. Clinicamente, a catarata1 se expressa por um crescente embaçamento da visão6 que pode chegar à cegueira total.

Quais as causas da catarata1?

A catarata1 é uma ocorrência própria da idade avançada, devido ao envelhecimento do cristalino4, mas pode também ocorrer em pessoas jovens ou crianças, como resultado da hereditariedade7 ou de fatores congênitos8 ou traumáticos, diabetes9, uveítes10 e uso de alguns medicamentos.

É raro chegar-se aos 80 anos sem que a catarata1 se manifeste. A catarata1 de qualquer das etiologias possíveis pode ser bilateral e total, provocando a cegueira.

Quais os sintomas11 da catarata1?

A opacificação do cristalino4 progride lentamente, de modo que a pessoa afetada pode não perceber de início a redução da visão6. Aos poucos, a turvação da visão6 vai aumentando e as imagens vão se tornando distorcidas e borradas. Primeiramente ocorre maior dificuldade para enxergar à noite, ou a pessoa passa a ter necessidade de luzes mais fortes para ler. É comum também que haja aumento da sensibilidade à luz e a percepção de uma aura em volta de focos de luz. As cores parecem mais desbotadas. Raramente pode ocorrer visão6 dupla, quando se tenta enxergar apenas com um olho12.

Qual é o tratamento da catarata1?

Embora a catarata1 seja um problema de consequências sérias, o seu tratamento é relativamente simples. Consiste basicamente numa cirurgia que substitui o cristalino4 por uma lente artificial intraocular. A técnica cirúrgica mais atual, chamada de facoemulsificação, consiste na microfragmentação do cristalino4 e aspiração do seu núcleo e posterior implante13 de uma lente intraocular. Essa técnica permite incisões14 muito pequenas, o que possibilita que a cirurgia seja feita com anestesia15 tópica. Dentro de 24horas, tão logo seja retirado o curativo, o paciente já volta a enxergar de uma forma bem próxima à esperada, a qual costuma ocorrer ao fim de cerca de 30 dias.

O tratamento da catarata1 em pessoas idosas apresenta bons resultados, mesmo que a cirurgia venha a ser feita em um estágio adiantado da doença. Já nas crianças, os resultados dependem da precocidade do tratamento. A cirurgia da catarata1 pode permitir também corrigir distúrbios refratários16 como a miopia17, a hipermetropia18, o astigmatismo19 e a presbiopia20. Como em todo procedimento médico podem ocorrer complicações, mesmo que a cirurgia tenha sido corretamente executada.

ABCMED, 2011. Catarata. Saiba mais sobre esta condição.. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-dos-olhos/241945/catarata-saiba-mais-sobre-esta-condicao.htm>. Acesso em: 12 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
2 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
3 Olhos:
4 Cristalino: 1. Lente gelatinosa, elástica e convergente que focaliza a luz que entra no olho, formando imagens na retina. A distância focal do cristalino é modificada pelo movimento dos músculos ciliares, permitindo ajustar a visão para objetos próximos ou distantes. Isso se chama de acomodação do olho à distância do objeto. 2. Diz-se do grupo de cristais cujos eixos cristalográficos são iguais nas suas relações angulares gerais constantes 3. Diz-se de rocha constituída quase que totalmente por cristais ou fragmentos de cristais 4. Diz-se do que permite que passem os raios de luz e em consequência que se veja através dele; transparente. 5. Límpido, claro como o cristal.
5 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
6 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
7 Hereditariedade: Conjunto de eventos biológicos responsáveis pela transmissão de uma herança a seus descendentes através de seus genes. Existem dois tipos de hereditariedade: especifica e individual. A hereditariedade especifica é responsavel pela transmissão de agentes genéticos que determinam a herança de características comuns a uma determinada espécie. A hereditariedade individual designa o conjunto de agentes genéticos que atuam sobre os traços e características próprios do indivíduo que o tornam um ser diferente de todos os outros.
8 Congênitos: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
9 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
10 Uveítes: São inflamações intraoculares que comprometem total ou parcialmente a íris, o corpo ciliar e a coroide (o conjunto dos três forma a úvea), com envolvimento frequente do vítreo, retina e vasos sanguíneos.
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
13 Implante: 1. Em cirurgia e odontologia é o material retirado do próprio indivíduo, de outrem ou artificialmente elaborado que é inserido ou enxertado em uma estrutura orgânica, de modo a fazer parte integrante dela. 2. Na medicina, é qualquer material natural ou artificial inserido ou enxertado no organismo. 3. Em patologia, é uma célula ou fragmento de tecido, especialmente de tumores, que migra para outro local do organismo, com subsequente crescimento.
14 Incisões: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
15 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
16 Refratários: 1. Que resiste à ação física ou química. 2. Que resiste às leis ou a princípios de autoridade. 3. No sentido figurado, que não se ressente de ataques ou ações exteriores; insensível, indiferente, resistente. 4. Imune a certas doenças.
17 Miopia: Incapacidade para ver de forma clara objetos que se encontram distantes do olho.Origina-se de uma alteração dos meios de refração do olho, alteração esta que pode ser corrigida com o uso de lentes especiais, e mais recentemente com o uso de cirurgia a laser.
18 Hipermetropia: Transtorno ocular em que existe uma dificuldade para ver objetos de perto. Origina-se de uma alteração dos meios de refração do olho, alteração esta que pode ser corrigida com o uso de lentes especiais e, mais recentemente, com o uso de cirurgia a laser.
19 Astigmatismo: Defeito de curvatura nas superfícies de refração do olho que produz transtornos de acuidade visual.
20 Presbiopia: Alteração da visão associada ao envelhecimento. Neste distúrbio existe uma maior rigidez do cristalino (órgão do olho que é responsável pela acomodação visual, ou seja, a propriedade que nos permite enxergar objetos próximos e distantes), que produz dificuldade para ver objetos próximos.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Oftalmologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.