Atalho: 68X4BWE
Gostou do artigo? Compartilhe!

Doença ou Mal de Parkinson. Você conhece?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é doença ou mal de Parkinson?

A doença ou mal de Parkinson é uma condição neurológica descrita por James Parkinson, em 1817, que se caracteriza por uma desordem lentamente progressiva dos movimentos. Ela se deve a uma disfunção dos neurônios1 secretores de dopamina2 nos gânglios3 nervosos da base, os quais atuam na transmissão dos comandos conscientes do córtex para os músculos4. Na produção da doença estão envolvidas, além dessas, outras estruturas dependentes da serotonina, noradrenalina5 e acetilcolina6.

É uma doença que acomete cerca de 1% dos indivíduos acima de 65 anos de idade e que se inicia geralmente após os 50 anos. Embora muito mais raramente, ela também pode acometer pessoas mais jovens.

Quais as causas da doença ou mal de Parkinson?

A doença de Parkinson7 geralmente é uma doença degenerativa8 primária do sistema nervoso central9, de causa idiopática10, em que ocorre a morte dos neurônios1 da substância negra (substancia nigra) da base de cérebro11, produtores de dopamina2.

A doença parece estar ligada a defeitos de enzimas envolvidas na degradação de certas proteínas12 nervosas. Mas essa mesma condição pode ser produzida secundariamente por alguns medicamentos, intoxicações cerebrais, traumatismos cranianos repetitivos ou encefalites13. Nesses casos, em geral, ela tem menos intensidade.

Quais os sintomas14 principais da doença ou mal de Parkinson?

Classicamente, detectam-se três sinais15:

  • Tremor de repouso.
  • Bradicinesia16.
  • Rigidez muscular.

Alguns outros sintomas14 podem ocorrer, como acatisia17, micrografia18, expressão em máscara, instabilidade postural, alterações na marcha e postura encurvada para frente. Esses sintomas14 em geral começam nas extremidades superiores e são normalmente unilaterais, devido à assimetria da degeneração19 inicial no cérebro11.

Lentamente, vai se instalando nas mãos20 um tremor involuntário, a mímica facial se torna inexpressiva, os movimentos se lentificam, o olhar se torna fixo, há uma diminuição do piscar os olhos21, a voz se torna monótona e os movimentos de deglutição22 da saliva ficam mais escassos. A marcha fica cada vez mais difícil e de passos menores, com o tronco inclinado para frente, braços encolhidos e pés arrastados.

Como o médico faz o diagnóstico23 da doença ou mal de Parkinson?

Em princípio, o diagnóstico23 é feito pelos sintomas14 clínicos e por testes musculares e de reflexos. A tomografia computadorizada24, o eletroencefalograma25 e a análise do líquido cefalorraquidiano26 geralmente são normais. Alguns exames complementares como os SPECTs e PETs podem ajudar a avaliar o metabolismo27 dos neurônios1.

Os sintomas14 cognitivos28 como os distúrbios emocionais, cognitivos28 e psicossociais, com destaque para as depressões, ansiedade, déficits cognitivos28 e olfativos e, em particular, para a demência29, devem também ser levados em conta. O reconhecimento e o tratamento precoce desses sintomas14 são fatores cruciais para uma melhor abordagem clínica dos pacientes.

Como se trata a doença ou mal de Parkinson?

A doença de Parkinson7 não tem uma cura radical, mas tem controle que pode ser muito eficiente.

Em primeiro lugar, é muito importante não se entregar à doença e manter-se o mais ativo possível, pois os problemas físicos são em grande parte resultado da imobilidade física. Um tratamento bem conduzido e eficaz pode garantir ao paciente uma sobrevida30 igual a que ele teria sem a doença e com qualidade de vida razoável.

Os tratamentos de controle são extremamente variados, na dependência da fase da doença em que o paciente esteja e da grande variabilidade clínica da própria doença. Geralmente eles demandam o trabalho de uma equipe constituída por, no mínimo, um médico neurologista31, um fisioterapeuta e um psicólogo. Os tratamentos medicamentosos visam barrar as perdas ou fazer a reposição da dopamina2 cerebral, bem como diminuir as ações colinérgicas32. O fisioterapeuta atuará nos problemas de movimentos e em outros específicos, como a respiração, a deglutição22, etc. O psicólogo cuidará dos problemas emocionais decorrentes da condição de cada paciente (depressões, ansiedades, déficits cognitivos28, etc.).

As intervenções de um psiquiatra e um fonoaudiólogo podem também ser necessárias.

Em casos especiais, a juízo médico, a cirurgia pode ser indicada, mas seus resultados são ainda imprecisos.

ABCMED, 2011. Doença ou Mal de Parkinson. Você conhece?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/252200/doenca-ou-mal-de-parkinson-voce-conhece.htm>. Acesso em: 16 jul. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO. Sinônimos: Células Nervosas
2 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
3 Gânglios: 1. Na anatomia geral, são corpos arredondados de tamanho e estrutura variáveis; nodos, nódulos. 2. Em patologia, são pequenos tumores císticos localizados em uma bainha tendinosa ou em uma cápsula articular, especialmente nas mãos, punhos e pés.
4 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
5 Noradrenalina: Mediador químico do grupo das catecolaminas, liberado pelas fibras nervosas simpáticas, precursor da adrenalina na parte interna das cápsulas das glândulas suprarrenais.
6 Acetilcolina: A acetilcolina é um neurotransmissor do sistema colinérgico amplamente distribuído no sistema nervoso autônomo.
7 Doença de Parkinson: Doença degenerativa que afeta uma região específica do cérebro (gânglios da base), e caracteriza-se por tremores em repouso, rigidez ao realizar movimentos, falta de expressão facial e, em casos avançados, demência. Os sintomas podem ser aliviados por medicamentos adequados, mas ainda não se conhece, até o momento, uma cura definitiva.
8 Degenerativa: Relativa a ou que provoca degeneração.
9 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
10 Idiopática: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
11 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
12 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
13 Encefalites: Inflamação do tecido encefálico produzida por uma infecção viral, bacteriana ou micótica (fungos).
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
16 Bradicinesia: Dificuldade de iniciar os movimentos, lentidão nos movimentos e dificuldade de realizar os movimentos com fluência. É o sintoma mais proeminente na doença de Parkinson e que leva à incapacidade de realização das atividades diárias.
17 Acatisia: Síndrome caracterizada por sentimentos de inquietação interna que se manifesta por incapacidade de se manter quieta. É frequentemente causada por medicamentos neurolépticos.
18 Micrografia: A escrita tende a ser com letras em tamanho pequeno, redução do tamanho da letra.
19 Degeneração: 1. Ato ou efeito de degenerar (-se). 2. Perda ou alteração (no ser vivo) das qualidades de sua espécie; abastardamento. 3. Mudança para um estado pior; decaimento, declínio. 4. No sentido figurado, é o estado de depravação. 5. Degenerescência.
20 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
21 Olhos:
22 Deglutição: Passagem dos alimentos desde a boca até o esôfago; ação ou efeito de deglutir; engolir. É um mecanismo em parte voluntário e em parte automático (reflexo) que envolve a musculatura faríngea e o esfíncter esofágico superior.
23 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
24 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
25 Eletroencefalograma: Registro da atividade elétrica cerebral mediante a utilização de eletrodos cutâneos que recebem e amplificam os potenciais gerados em cada região encefálica.
26 Líquido cefalorraquidiano: Líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como líquor ou fluido cérebro espinhal, é definido como um fluido corporal estéril, incolor, encontrado no espaço subaracnoideo no cérebro e na medula espinhal (entre as meninges aracnoide e pia-máter). Caracteriza-se por ser uma solução salina pura, com baixo teor de proteínas e células, atuando como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal. Possui também a função de fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos do mesmo. É sintetizado pelos plexos coroidais, epitélio ventricular e espaço subaracnoideo em uma taxa de aproximadamente 20 mL/hora. Em recém-nascidos, este líquido é encontrado em um volume que varia entre 10 a 60 mL, enquanto que no adulto fica entre 100 a 150 mL.
27 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
28 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
29 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
30 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
31 Neurologista: Médico especializado em problemas do sistema nervoso.
32 Colinérgicas: 1. Relativo a ou semelhante à acetilcolina, especialmente quanto à ação fisiológica. 2. Diz-se das sinapses ou das fibras nervosas que liberam ou são ativadas pela acetilcolina.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

06/01/2012 - Comentário feito por MARCIA
Re: Doença ou Mal de Parkinson. Você conhece?
Aislan gostaria imensamente de entrar em contato com voce pois meu pai sofre muito com essa doença,e voce comentou que o seu sogro faz tratamento com o medico que voces levaram e esta reagindo bem. Por favor me mande informações, meu pai esta cada dia pior. obrigda

29/12/2011 - Comentário feito por Francicleide
Re: Doença ou Mal de Parkinson. Você conhece?
Sim.Tenho 48 anos e sou portadora dessa doença há 4 anos.Procuro fazer atividades como pintar panos de prato,fazer bijuterias,palavras cruzadas e leitura.Procuro ser independe,pois acho que não devemos nos render a doença e nem nos esconder.

28/12/2011 - Comentário feito por Maria
Re: Doença ou Mal de Parkinson. Você conhece?
Sim. Meu marido tem essa doença terrível. Já quase não consegue andar e cai muito, o que lhe provoca muitos ferimentos. Tem dificuldade de engolir, engasgando com líquidos e alimentos sólidos ou não. Não consegue ficar sentado quieto, balança o corpo constantemente, faz trejeitos com os músculos do pescoço e rosto, fala com dificuldade. É muito triste ver uma pessoa querida sofrer essa doença tão cruel e, apesar dos remédios, ver que ela progride a cada dia.

22/12/2011 - Comentário feito por francisca
Re: Doença ou Mal de Parkinson. Você conhece?
sim, minha monografia foi desenvolvida com o tema "O mal de Parkinson no jovem adulto", achei com poucas informações.

22/12/2011 - Comentário feito por Nilzete
Re: Doença ou Mal de Parkinson. Você conhece?
Sim, eu conheço.Meu pai é portador dessa doença a uns 6 anos. Faz uso dos medicamentos, fisioterapia...tudo que é possível, mas a doença é muito cruel. Ele já quase não consegue andar mais, e a inexpressividade facial é visível e terrível para nós que convivemos com ele. Vamos ver onde isso vai dar...

22/12/2011 - Comentário feito por lourdes
Re: Doença ou Mal de Parkinson. Você conhece?
Muito bem explicado.Eu conheci pessoas com Parkinson,mas não sabia muito bem como é gerado a doença.Eu tomo anti-depressivos á + ou - 40 anos,e sou sedentária.Tenho pavor de sair para caminhar.Preciso fazer alguma coisa.

21/12/2011 - Comentário feito por AISLAN
Re: Doença ou Mal de Parkinson. Você conhece?
Sim conheço e tem casos na minha familia, minha avó materna e meu sogro, casos diferentes e ao mesmo tempo tao parcidos, meu sogro chegou a ver coisas por conta dos remedios, mas fomos a outro medico que mudou a medicação e hoje quase nao percebe-se que ele tem parkinson....

  • Entrar
  • Assinar