Gostou do artigo? Compartilhe!

Trombose pulmonar - conceito, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento, prevenção

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é trombose1 pulmonar?

A trombose1 pulmonar, também chamada embolia2 pulmonar, ocorre quando um coágulo3 de sangue4 se solta de seu sítio original e se aloja em uma artéria5 do pulmão6, bloqueando o fluxo sanguíneo para uma área desse órgão. Mais comumente, os coágulos sanguíneos começam nas pernas, sobem pelo lado direito do coração7 e chegam aos pulmões8.

Quais são as causas e fatores de risco da trombose1 pulmonar?

A embolia2 pulmonar geralmente ocorre quando um ou vários coágulos de sangue4 oriundos de outro local ficam retidos em artérias9 dos pulmões8, causando o bloqueio delas. Ocasionalmente, os bloqueios nos vasos sanguíneos10 são causados por outras substâncias que não os coágulos sanguíneos, como gordura11 da medula12 de um osso longo quebrado, partes de um tumor13 ou bolhas de ar.

Embora qualquer pessoa possa desenvolver coágulos sanguíneos e subsequente embolia2 pulmonar, a pessoa corre um risco maior se algum membro da família já teve coágulos de sangue4 venoso ou embolia2 pulmonar no passado, ou se tem alguma condição médica como doença cardíaca, câncer14, cirurgia recente, transtornos que afetam a coagulação15 e, atualmente, Covid-19.

Contribuem, ainda, períodos de inatividade, como repouso na cama ou ficar sentado por muito tempo. Outros fatores de risco são fumar, estar acima do peso ideal, fazer uso de estrogênio suplementar das pílulas anticoncepcionais ou da reposição hormonal.

Veja sobre "Sete sinais16 e sintomas17 que não devem ser ignorados", "Colesterol18 Alto", "Heparina: o que é e para que serve" e "Obesidade19".

Qual é o substrato fisiológico20 da trombose1 pulmonar?

Em muitos casos, vários coágulos estão envolvidos na trombose1 pulmonar. As partes do pulmão6 servidas por cada artéria5 bloqueada deixam de receber sangue4 e podem “morrer”, o que é conhecido como infarto21 pulmonar. A troca gasosa observada nos pulmões8 fica então prejudicada.

Esses coágulos sanguíneos na maioria dos casos vêm das veias22 profundas das pernas. Se a pessoa tem trombose1 pulmonar, o lado direito do coração7 tem de fazer maior esforço para fazer o sangue4 circular, aumentando a pressão pulmonar.

Quais são as características clínicas da trombose1 pulmonar?

A trombose1 pulmonar é tipicamente de início súbito e pode incluir um ou mais dos seguintes sintomas17 chave:

Os casos mais graves podem incluir sinais16 como:
  • cianose25
  • colapso26
  • instabilidade circulatória devido à diminuição do fluxo sanguíneo pelos pulmões8 e para o lado esquerdo do coração7
Embora a trombose1 pulmonar possa se manifestar com síncope27, menos de 1% dos casos de síncope27 são decorrentes de trombose1 pulmonar.

Como o médico diagnostica a trombose1 pulmonar?

Para chegar a um diagnóstico28, o médico examinará a história do paciente e considerará se é provável uma trombose1 pulmonar. No exame físico, o médico poderá notar um atrito pleural audível na área afetada do pulmão6. Um derrame29 pleural às vezes está presente, detectável pela diminuição do som de percussão30, sons respiratórios audíveis e ressonância vocal.

A tensão no ventrículo direito pode ser detectada como uma elevação paraesternal esquerda, um componente pulmonar alto da segunda bulha cardíaca e/ou pressão venosa jugular elevada. Pode haver febre31 baixa, principalmente se houver hemorragia32 pulmonar ou infarto21 associado.

Se o médico suspeitar de trombose1 pulmonar, ele provavelmente solicitará alguns dos seguintes exames: radiografia de tórax33, eletrocardiograma34, ressonância magnética35, tomografia computadorizada36, angiografia37 pulmonar, ultrassom duplex venoso e venografia. O teste do dímero-D é um exame de sangue4 que pode diagnosticar trombose1 e pode também descartar novos testes se produzir um resultado negativo.

Como prevenir a trombose1 pulmonar?

As pessoas que têm risco de sofrer trombose1 pulmonar devem fazer prevenção de coágulos nas veias22 profundas, pois isso ajudará a evitar uma embolia2 pulmonar.

As medidas preventivas mais importantes são:

  • Tomar anticoagulantes38 antes e depois de uma cirurgia, bem como durante internações hospitalares prolongadas, se houver problemas como ataque cardíaco, derrame29 ou complicações de câncer14, sempre sob orientação médica.
  • Usar meias de compressão elástica.
  • Elevar as pernas quando possível, inclusive durante o sono, levantando os pés a uma altura de 10 a 15 centímetros da cama.
  • Fazer atividade física sob orientação de um profissional.
  • Mover-se o mais rápido possível após uma cirurgia.

Quais são as complicações possíveis com a trombose1 pulmonar?

A embolia2 pulmonar de vulto pode ser fatal. Cerca de um terço das pessoas com embolia2 pulmonar não diagnosticada e não tratada não sobrevive. Quando a condição é diagnosticada e tratada prontamente, entretanto, esse número cai drasticamente.

Se a pessoa tem embolia2 pulmonar, o coração7 precisa trabalhar mais para ejetar o sangue4 através dos vasos, o que aumenta a pressão pulmonar e, por fim, enfraquece o coração7. Em alguns casos raros, pequenos êmbolos ocorrem com frequência e se desenvolvem com o tempo, resultando em hipertensão39 pulmonar crônica, também conhecida como hipertensão39 pulmonar tromboembólica crônica.

Leia mais sobre "Dor no peito23: é sempre um sinal40 de alerta?", "Doença pulmonar obstrutiva crônica" e "Complicações da trombose venosa profunda41".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites do NHS – National Health Service (UK) e da Mayo Clinic.

ABCMED, 2021. Trombose pulmonar - conceito, causas, sintomas, diagnóstico, tratamento, prevenção. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1392210/trombose-pulmonar-conceito-causas-sintomas-diagnostico-tratamento-prevencao.htm>. Acesso em: 9 dez. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
2 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
3 Coágulo: 1. Em fisiologia, é uma massa semissólida de sangue ou de linfa. 2. Substância ou produto que promove a coagulação do leite.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
6 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
7 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
8 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
9 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
10 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
11 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
12 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
13 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
14 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
15 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
16 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
19 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
20 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
21 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
22 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
23 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
24 Hemoptise: Eliminação de sangue vivo, vermelho rutilante, procedente das vias aéreas juntamente com a tosse. Pode ser manifestação de um tumor de pulmão, bronquite necrotizante ou tuberculose pulmonar.
25 Cianose: Coloração azulada da pele e mucosas. Pode significar uma falta de oxigenação nos tecidos.
26 Colapso: 1. Em patologia, é um estado semelhante ao choque, caracterizado por prostração extrema, grande perda de líquido, acompanhado geralmente de insuficiência cardíaca. 2. Em medicina, é o achatamento conjunto das paredes de uma estrutura. 3. No sentido figurado, é uma diminuição súbita de eficiência, de poder. Derrocada, desmoronamento, ruína. 4. Em botânica, é a perda da turgescência de tecido vegetal.
27 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
28 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
29 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
30 Percussão: 1. Choque produzido pelo encontro de dois corpos; golpe, pancada. 2. Choque que produz o cão da arma quando o gatilho é acionado. 3. Em medicina, no exame físico, consiste em provocar certos sons em uma área do corpo por meio de pequenos golpes com instrumento próprio ou com os dedos. A sua finalidade é a de reconhecer o estado de partes subjacentes à área examinada. 4. Na música, é a arte ou técnica de bater em ou fazer vibrar instrumentos musicais que produzem sons quando percutidos.
31 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
32 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
33 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
34 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
35 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
36 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
37 Angiografia: Método diagnóstico que, através do uso de uma substância de contraste, permite observar a morfologia dos vasos sangüíneos. O contraste é injetado dentro do vaso sangüíneo e o trajeto deste é acompanhado através de radiografias seriadas da área a ser estudada.
38 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
39 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
40 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
41 Trombose Venosa Profunda: Caracteriza-se pela formação de coágulos no interior das veias profundas da perna. O que mais chama a atenção é o edema (inchaço) e a dor, normalmente restritos a uma só perna. O edema pode se localizar apenas na panturrilha e pé ou estar mais exuberante na coxa, indicando que o trombo se localiza nas veias profundas dessa região ou mais acima da virilha. Uma de suas principais conseqüências a curto prazo é a embolia pulmonar, que pode deixar seqüelas ou mesmo levar à morte. Fatores individuais de risco são: varizes de membros inferiores, idade maior que 40 anos, obesidade, trombose prévia, uso de anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal, entre outras.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pneumologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.