Atalho: 5YLEQ5O
Gostou do artigo? Compartilhe!

Quais são as complicações da trombose venosa profunda?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Quais são as complicações da trombose venosa profunda1 (TVP)?

Embolia2 pulmonar

A embolia2 pulmonar é a obstrução das artérias3 dos pulmões4 por coágulos provenientes das veias5 com trombose6 venosa. Há dificuldade de oxigenação do sangue7 com graves alterações do funcionamento do organismo por falta de oxigênio. Quando não tratada corretamente pode estar associada à mortalidade8 em 30% dos casos. O diagnóstico9 e tratamento precoces e corretos diminuem esta probabilidade para cerca de 5%.

Síndrome10 pós-trombótica11

É uma complicação que acontece a médio e a longo prazos nas pernas de quem teve TVP. Há uma destruição das válvulas existentes nas veias5, as quais são responsáveis por direcionar o sangue7 para o coração12, causando uma inversão do fluxo e um retardo do retorno venoso13. Estas alterações podem ocorrer em veias5 profundas ou superficiais, levando ao escurecimento da pele14 no local ou a feridas de difícil cicatrização, conhecidas como úlcera15 de estase16 ou úlcera15 varicosa.

A perna fica inchada, dolorida no final do dia, com sensação de peso e dor.

Phlegmasia Dolens

É um quadro grave que acontece quando há uma trombose6 grave e maciça das veias5 do membro. A perna fica inchada e pálida, com uma coloração azulada. É um quadro mais encontrado em pacientes com câncer17 que apresentam TVP.

Até 50% dos pacientes que tiveram TVP podem apresentar algum nível de complicação pós-trombótica11.

Há risco de recorrência18 em quem já teve TVP?

O risco de recorrência18 é muito frequente em quem já teve trombose6.

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas em parte dos sites da Healthline, do National Health Service do Reino Unido e da Mayo Clinic.

ABCMED, 2011. Quais são as complicações da trombose venosa profunda?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/219445/quais-sao-as-complicacoes-da-trombose-venosa-profunda.htm>. Acesso em: 17 set. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Trombose Venosa Profunda: Caracteriza-se pela formação de coágulos no interior das veias profundas da perna. O que mais chama a atenção é o edema (inchaço) e a dor, normalmente restritos a uma só perna. O edema pode se localizar apenas na panturrilha e pé ou estar mais exuberante na coxa, indicando que o trombo se localiza nas veias profundas dessa região ou mais acima da virilha. Uma de suas principais conseqüências a curto prazo é a embolia pulmonar, que pode deixar seqüelas ou mesmo levar à morte. Fatores individuais de risco são: varizes de membros inferiores, idade maior que 40 anos, obesidade, trombose prévia, uso de anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal, entre outras.
2 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
3 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
4 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
5 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
6 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
7 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
8 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
9 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
10 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
11 Trombótica: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
12 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
13 Retorno venoso: Quantidade de sangue que chega ao coração por minuto. Somos capazes de manter o débito cardíaco se, proporcionalmente, tivermos retorno venoso adequado. Ele só é possível devido à contração dos músculos esqueléticos que ajudam a comprimir as veias impulsionando o sangue e devido às válvulas existentes nas paredes das veias que impedem o refluxo do sangue. Outro mecanismo que favorece o retorno venoso é a respiração. Durante a inspiração, pela contração da musculatura inspiratória, faz-se um “vácuo” dentro da cavidade torácica, favorecendo o retorno venoso.
14 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
15 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
16 Estase: 1. Estagnação do sangue ou da linfa. 2. Incapacidade de agir; estado de impotência.
17 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
18 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Angiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

21/10/2014 - Comentário feito por Fatima
Somente depois da segunda trombose descobri que...
Somente depois da segunda trombose descobri que tenho a Síndrome do Anticorpo Antifosfolipide - SAF. Infelizmente muitos médicos ficam presos ao diagnóstico da Pílula+cigarros e deixam de fazer exames para ver se a pessoa tem essa síndrome. Já tive minha terceira trombose mesmo tomando varfarina. É uma doença que me deixou bastante debilitada pois minha perna esquerda vive inchada e não melhora com as meias!

28/12/2013 - Comentário feito por tatiana
Re: Quais são as complicações da trombose venosa profunda?
esta trombose foi a 1 que eu tive e ainda estou me recuperando e gostaria de saber se é normal a perna continuar inchada se ela vai voltar ao normal.

14/05/2013 - Comentário feito por simone
Re: Quais são as complicações da trombose venosa profunda?
e tambem perdi 2 dedos do pe e coisa do mundo e que tomar tramal direto na veia por que a dor e muito forte o que ruim paresse que ficamos muito gorda eu tomo muito remedio e sinto muita dor de cabeça eu procuro fazer de tudo para nao ter que volta para o hospital o medico me disse que eu corro o risco de volta denovo ai so deus na miha vida mas estou com muito medo. descu/pe o desabafo e se acontesse isto e o medico dis se for nao volta mais e muito triste isto mais ainda bem que esta na miha vida e agradeço muito por deus esta na miha vida e por deus seixa criar meus filhos.

14/05/2013 - Comentário feito por simone
Re: Quais são as complicações da trombose venosa profunda?
tenho 36 anos e tenho trombose venosa fiquei enternada por 2 meses tive 2 parada cardiaca enfizema pulmonar e agora as minhas pernas vivem enxadas e doem muito eu acho que isso nao e normal eu nao sei lidar com isso.

04/09/2012 - Comentário feito por nathalia
Re: Quais são as complicações da trombose venosa profunda?
quero saber se pelo fato de ja ter tido trombose me empediria de fazer atividade fizica

02/08/2011 - Comentário feito por Magda
Re: Quais são as complicações da trombose venosa profunda?
em agosto de 2010 também tive trombose venosa profuna, pós cirurgia plástica estava com 27 dias de cirurgia quando se formou o trombo em minha perna esquerda, fiquei 5 dias internada fiz tratamento com anticoagulantes.Graças a Deus tive profissionais compatentes que cuidaram de mim, senti a morte bem perto de mim tive problemas psicológicos, nada que a mão de Deus que foi sobre minha vida e me devolveu tudo...obrigado meu Deus!

10/06/2011 - Comentário feito por marcileia
Re: Quais são as complicações da trombose venosa profunda?
No mês de agosto de 2010 tive trombose venosa na cabeça uma coisa muito rara como diz os médico e quando cheguei com convusão e sem sentido no hospital me diagnósticaram como AVC, só depois de passar por 3 hospitais que me avaliaram direito e viram que era trombose venosa.Fiquei 16 enternadas tendo convusão direto e 4 dias em coma, hoje estou bem fazendo tratamento para não voltar e o pior ou melhor e que eu não poderia engravidar de maneira nenhuma pois tive esse problema, mas para Deus nada é impossivel estou grávida de 6 meses e fazendo tratamento de alto risco de gravidez

09/06/2011 - Comentário feito por Lucia
Re: Quais são as complicações da trombose venosa profunda?
Eu sou biomédica, tenho uma saude impecável e tive a TVP, em 2008, porém estava nos USA, fui tratada pelo Dr. Richard Van Allan no Cedars Sinai. Tive tratamento adequado com a remoção total do trombo. Ele salvou minha vida; minha perna; resgatando minha saude fisiologica e emocional. Não tenho nenhuma sequela. Não corro risco de reinscidencia, porque no meu caso o trombo foi um acidente. Fiz tratamento com anticoagulante por 6 meses, eqnto media o tempo de protrombina 3 vezes por semana para manter o nivel de coagulação entre 1,8 e 2,5 - acima disso ou abaixo havia riscos diversos. Hoje tenho uma vida normal, com atividade fisica e pernas saudaveis.

09/06/2011 - Comentário feito por Taiza
Re: Quais são as complicações da trombose venosa profunda?
Eu tive uma TVP nas ilíacas dos dois membros inferiores até a altura da cintura, em Março de 2010. Fiquei internda 33 dias após alta, fiquei em casa cerca 2 meses e meio sem poder andar, com os membros elevados e uso contínuo de meia elástic de compressão. Ainda encontro em tratamento com angeologista/cirurgião vascular e hematologista, utilizando meia de compressão todos os dias, varfarina sódica, medicamento para circulação com heparina, faço exames frequentes de TAP/INR além de realizar dopler para acompanhar a evolução do quadro estou fazendo mapeamento genético para uma comprovação mais específica se realmente houve pré-disposição genética ou fora apenas devido ao uso de anticoncepcional. Segundo o médico que acompanha meu caso eu poderia mudar a data do meu nascimento porque nasci de novo. Eu agradeço a Deus pelo milagre da vida e por ter colocados pessoas capacitadas para cuidar de mim.

  • Entrar
  • Assinar