Atalho: 6VZ2YUU
Gostou do artigo? Compartilhe!

Hemoptise ou expectoração com sangue

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é hemoptise1?

Chama-se hemoptise1 à expectoração2 com sangue3, proveniente da árvore respiratória, que acontece durante a tosse. A hemoptise1 pode ser consequente a várias doenças pulmonares ou cardíacas, algumas simples, outras graves.

Fala-se de escarro hemoptoico quando o sangramento é pequeno, misturado com escarro, ou de hemoptise1 maciça quando o sangramento é maior, embora não haja consenso quanto a quantificá-los. Em geral, no primeiro caso o sangue3 expelido é mais escuro e no segundo caso mais vivo e rutilante.

Quais são as causas da hemoptise1?

O pulmão4 é a fonte do sangramento. A hemoptise1 pode ser causada por bronquites (agudas ou crônicas), pneumonias, tuberculose5, tumores pulmonares, hipertensão6 venocapilar pulmonar, estenose7 mitral grave, embolismo8 pulmonar, bronquiectasia9, síndromes de hemorragia10 alveolar, diátese hemorrágica11, etc. Outras vezes as hemoptises podem ser desencadeadas pelo uso de anticoagulante12. Em crianças é frequente a associação da hemoptise1 com a aspiração de corpos estranhos. Há também uma hemoptise1 dita idiopática13, em que nenhuma causa consegue ser identificada.

Como se apresenta a hemoptise1?

Escarro com sangue3, durante a tosse.

Como o médico diagnostica a hemoptise1?

Uma cuidadosa história clínica deve ser tomada dos pacientes e pode ajudar numa diferenciação inicial entre duas condições às vezes muito parecidas, a hemoptise1 e a hematêmese14 (sangue3 vertido pela boca15, proveniente do sistema gastrointestinal). A radiografia do tórax16 frequentemente ajuda no diagnóstico17 etiológico18, mas ela deve ser complementada pela fibrobroncoscopia e pela tomografia de tórax16 de alta resolução (TCAR). A broncoscopia19 pode ajudar nessa diferenciação e é o exame mais indicado para identificar a zona hemorrágica11. O indicador radioativo20 pode mostrar uma embolia21 pulmonar. A tomografia computadorizada22 pode acusar fontes de sangramento parenquimatoso23.

Como o médico trata a hemoptise1?

A maior parte dos pacientes apresenta resolução espontânea. Aqueles que necessitam de tratamento devem ser diferenciados de acordo com a causa. Algumas vezes as pessoas com hemoptise1 precisam ser internadas para investigações e tratamentos.

Medicações antitussígenas não devem ser utilizadas, porque podem inibir a tosse, que é um meio de eliminação de secreções ou de corpos estranhos que estejam obstruindo as vias respiratórias. A inalação propiciada por um vaporizador, bem como a fisioterapia24 respiratória auxiliam na expulsão de coágulos sanguíneos. Coágulos de maior dimensão podem ser removidos com a ajuda de um broncoscópio25. As hemorragias26 de vasos mais calibrosos podem exigir intervenções médicas mais incisivas, como embolização27 da artéria28 brônquica. Muitas vezes pode ser necessário a realização de uma broncoscopia19 ou de um procedimento cirúrgico para estancar a hemorragia10.

Como evolui a hemoptise1?

A hemoptise1 grave é uma emergência29 médica. O perigo está na asfixia30 por sangramento na árvore brônquica31.

 

 

ABCMED, 2013. Hemoptise ou expectoração com sangue. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/343139/hemoptise-ou-expectoracao-com-sangue.htm>. Acesso em: 23 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Hemoptise: Eliminação de sangue vivo, vermelho rutilante, procedente das vias aéreas juntamente com a tosse. Pode ser manifestação de um tumor de pulmão, bronquite necrotizante ou tuberculose pulmonar.
2 Expectoração: Ato ou efeito de expectorar. Em patologia, é a expulsão, por meio da tosse, de secreções provenientes da traqueia, brônquios e pulmões; escarro.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
5 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
6 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
7 Estenose: Estreitamento patológico de um conduto, canal ou orifício.
8 Embolismo: É o mesmo que embolia, mas é um termo menos usado. Significa obstrução de um vaso, frequentemente uma artéria, pela migração de um corpo estranho (chamado de êmbolo) levado pela corrente sanguínea.
9 Bronquiectasia: Sinônimo de “dilatação dos brônquios”. Há uma dilatação anormal e permanente dos brônquios cartilaginosos de médio calibre, da quinta à décima divisão brônquica. A dilatação está associada a uma destruição inflamatória dos tecidos musculares e elásticos das paredes brônquicas.
10 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
11 Hemorrágica: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
12 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
13 Idiopática: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
14 Hematêmese: Eliminação de sangue proveniente do tubo digestivo, através de vômito.
15 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
16 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
17 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
18 Etiológico: Relativo à etiologia; que investiga a causa e origem de algo.
19 Broncoscopia: Método de diagnóstico que permite observar através dos brônquios utilizando um dispositivo óptico (fibroendoscópio), obter biópsias e realizar culturas de secreções.
20 Radioativo: Que irradia ou emite radiação, que contém radioatividade.
21 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
22 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
23 Parenquimatoso: Relativo a parênquima. Parênquima, na anatomia geral, é uma célula específica de uma glândula ou de um órgão, contida no tecido conjuntivo. Na anatomia botânica, é um tecido vegetal fundamental, que constitui a maior parte da massa dos vegetais, formado por células poliédricas, quase isodiamétricas e com paredes não lignificadas, a partir das quais os outros tecidos se desenvolvem. Já na anatomia zoológica, é uma substância celular mole que preenche o espaço entre os órgãos.
24 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
25 Broncoscópio: Instrumento dotado de iluminação empregado para inspecionar o interior da árvore traqueobrônquica, usualmente para diagnóstico, coleta de material para culturas, biópsias e remoção de corpos estranhos.
26 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
27 Embolização: Técnica que consiste em injetar, em uma artéria, material capaz de obstrui-la completamente.
28 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
29 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
30 Asfixia: 1. Dificuldade ou impossibilidade de respirar, que pode levar à anóxia. Ela pode ser causada por estrangulamento, afogamento, inalação de gases tóxicos, obstruções mecânicas ou infecciosas das vias aéreas superiores, etc. 2. No sentido figurado, significa sujeição à tirania; opressão e/ou cobrança de posições morais ou sociais que dão origem à privação de certas liberdades.
31 Árvore brônquica: A árvore brônquica é formada pelos brônquios, bronquíolos, ductos alveolares, sacos alveolares e alvéolos, e é responsável por levar o ar aspirado pelas fossas nasais até o pulmão.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pneumologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

21/11/2013 - Comentário feito por ROSI
Re: Hemoptise ou expectoração com sangue
BOA TARDE! EU ESCARRO COM SANGUE SÓ UM POREM..EU NÃO TENHO TOSSE!! hoje foi o primeiro dia mas não muito sangue vou observar! atenciosamente.

  • Entrar
  • Assinar