Gostou do artigo? Compartilhe!

Principais transtornos mentais (ou doenças mentais)

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são doenças mentais?

As doenças mentais, às vezes impropriamente chamadas de doenças psiquiátricas, são condições alteradas de saúde1 que envolvem mudanças nas emoções, pensamentos ou comportamentos, ou uma combinação dessas coisas. As doenças mentais estão associadas à angústia e/ou problemas de funcionamento em atividades sociais, de trabalho ou familiares.

Segundo a Organização Mundial de Saúde1 (OMS), 23 milhões de brasileiros (12% da população) apresentam sintomas2 de transtornos mentais, sendo que, de acordo com as pesquisas, cerca de 5% dos cidadãos brasileiros sofrem com transtornos mentais graves e persistentes.

Quais são as causas das doenças mentais?

Acredita-se que as doenças mentais, em geral, sejam causadas pela combinação de fatores genéticos e ambientais. A doença mental é mais comum em pessoas cujos parentes de sangue3 também têm alguma doença mental. Certos genes podem aumentar o risco de desenvolvê-las e situações da vida podem funcionar como gatilho, desencadeando algum problema. Exposições a estressores4 ambientais, condições inflamatórias, toxinas5, álcool ou drogas podem também estar associados.

Outra causa possível envolve os neurotransmissores, substâncias químicas cerebrais que transportam sinais6 entre diversas partes do cérebro7 e do corpo. Quando esses produtos químicos estão alterados, a função dos receptores nervosos e dos sistemas nervosos muda, levando a distúrbios mentais.

Certos fatores podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver uma doença mental, incluindo uma história de doença mental em um parente de sangue3, situações estressantes da vida, uma condição médica crônica, como diabetes8, por exemplo, danos cerebrais como resultado de uma lesão9 grave, experiências traumáticas, uso de álcool ou drogas psicoativas, uma história de abuso ou negligência10 na infância, ter poucos amigos ou poucos relacionamentos saudáveis, uma doença mental anterior, etc.

Saiba mais sobre "Transtorno bipolar do humor", "Depressões", "Ansiedade normal e patológica" e "Saúde1 mental".

Quais são as principais doenças mentais?

» Ansiedade

Os transtornos de ansiedade são muito comuns. Eles são caracterizados por uma sensação de desconforto, tensão, medo ou maus pressentimentos, que são muito desagradáveis e que parecem prenunciar a antecipação de um perigo real ou apenas suposto. As formas mais comuns assumidas pela ansiedade patológica são a ansiedade generalizada, a síndrome11 do pânico e as fobias12. Geralmente, elas representam um risco maior de desenvolver depressão ou vícios por álcool ou outras drogas.

» Depressão

A depressão é caracterizada por tristeza; perda de interesse ou incapacidade de sentir prazer; sentimento de culpa ou baixa autoestima; sono ou apetite perturbados; cansaço; e falta de concentração. Pessoas com depressão também podem ter várias queixas físicas sem causa física aparente. Em sua forma mais severa, a depressão pode levar ao suicídio. Existem tratamentos eficazes para a depressão, por isso as pessoas deprimidas devem recorrer logo ao psiquiatra. Os casos leves podem ser tratados pelos psicólogos, com psicoterapia, mas os casos mais graves necessitam medicamentos.

» Transtorno Bipolar

Esse transtorno afeta cerca de 45 milhões de pessoas em todo o mundo (dados de estudo publicado pelo The Lancet). Normalmente, consiste em episódios maníacos e depressivos separados por períodos de humor normal ou relativamente normal. Pessoas que têm ataques maníacos, mas não apresentam episódios depressivos, também são classificadas como portadoras de transtorno bipolar. Episódios maníacos envolvem humor elevado ou irritável, atividade excessiva, fala rápida, autoestima inflada e diminuição da necessidade de sono. Hoje em dia existem tratamentos eficazes para a fase aguda do transtorno bipolar e para a prevenção de recaídas. São os medicamentos chamados estabilizadores do humor.

» Esquizofrenia13 e outras psicoses

A esquizofrenia13 é um transtorno mental grave que afeta cerca de 20 milhões de pessoas em todo o mundo. A esquizofrenia13, como as demais psicoses, são caracterizadas por distorções no pensamento, percepção, emoções, linguagem, senso de identidade e comportamento. As experiências psicóticas comuns incluem alucinações14 (ouvir, ver ou sentir coisas que não existem) e delírios (falsas crenças fixas que são mantidas mesmo quando há evidências em contrário). A esquizofrenia13 geralmente começa no final da adolescência ou no início da idade adulta. Com tratamento adequado e apoio social, as pessoas afetadas podem levar uma vida integrada na sociedade.

» Demências

Em todo o mundo, aproximadamente 50 milhões de pessoas sofrem de demência15. A demência15 é causada por uma variedade de doenças e lesões16 que afetam o cérebro7, como a doença de Alzheimer17 ou o derrame18 cerebral, por exemplo. A demência15 é de natureza crônica ou progressiva, em que há deterioração das funções cognitivas além do que se poderia esperar do envelhecimento normal. Afeta a memória, pensamento, orientação, compreensão, cálculo19, capacidade de aprendizagem, linguagem e julgamento. Isso muitas vezes é acompanhado por deterioração no controle emocional, comportamento social ou motivação. Embora a demência15 não seja curável, muitos tratamentos visam especialmente aliviar ou melhorar alguns sintomas2.

» Transtornos do desenvolvimento

Transtorno do desenvolvimento é um termo genérico que abrange a deficiência intelectual e o autismo. Os transtornos do desenvolvimento geralmente têm início na infância e persistem na idade adulta. Eles seguem um curso contínuo, em vez dos períodos de remissões e recaídas. A inteligência inferior é caracterizada pelo comprometimento das habilidades em várias áreas de desenvolvimento e diminui a capacidade de adaptação às demandas diárias da vida. Os sintomas2 do espectro autista incluem prejuízos ao comportamento social, à comunicação e à linguagem, além de uma gama restrita de interesses e atividades que são exclusivas do indivíduo, que não guardam relação com a realidade. Pessoas com esses transtornos ocasionalmente apresentam também algum grau de deficiência intelectual.

» Transtornos alimentares

A anorexia20 nervosa ou mental e a bulimia21 são os dois transtornos alimentares mais graves. A anorexia nervosa22 é caracterizada pela recusa à alimentação, que quase sempre leva a uma magreza extrema, com distorção da imagem corporal e medo de engordar ou, estranhamente, crença de estar acima do peso ideal. Já a bulimia21 consiste em comer grandes quantidades de comida e, em seguida, tentar eliminar as calorias23 de formas prejudiciais, como pela indução do vômito24, uso de laxantes25, exercício físico muito intenso ou jejum prolongado. Os distúrbios alimentares são mais comuns em jovens e têm sido cada vez mais frequentes. Apesar da anorexia20 e bulimia21 serem os transtornos alimentares mais conhecidos, existem outros problemas relacionados à alimentação, como a ortorexia, que é a preocupação excessiva por comer alimentos saudáveis. O tratamento ideal deve envolver o psiquiatra, o psicológico e o nutricionista26.

» Estresse pós-traumático

O estresse pós-traumático é a ansiedade que surge após a pessoa ter sido exposta a alguma situação traumática. A pessoa afetada revive persistentemente o ocorrido com recordações ou sonhos angustiantes e apresenta continuadamente intensa ansiedade e sofrimento psicológico. O tratamento deve ser feito com psicoterapia, embora, em alguns casos, possa também ser necessário recorrer a algum antidepressivo ou ansiolítico, para aliviar os sintomas2.

» Transtorno obsessivo-compulsivo

Também conhecido como TOC, este transtorno provoca pensamentos obsessivos e compulsivos que prejudicam a atividade diária da pessoa, como exagero em limpeza, obsessão por lavar as mãos27, necessidade de simetria ou impulsividade por acumular objetos, por exemplo. O tratamento para transtorno obsessivo-compulsivo deve ser orientado pelo psiquiatra, com a ingestão de remédios antidepressivos, sendo também recomendado fazer psicoterapia.

Leia também sobre "Demência15", "Transtornos dissociativos", "Isolamento social" e "Suicídio na adolescência".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da WHO – World Health Organization e Mayo Clinic.

ABCMED, 2021. Principais transtornos mentais (ou doenças mentais). Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/psicologia-e-psiquiatria/1389950/principais-transtornos-mentais-ou-doencas-mentais.htm>. Acesso em: 1 ago. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Estressores: Que ou o que provoca ou conduz ao estresse.
5 Toxinas: Substâncias tóxicas, especialmente uma proteína, produzidas durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capazes de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
6 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
7 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
8 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
9 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Negligência: Falta de cuidado; incúria. Falta de apuro, de atenção; desleixo, desmazelo. Falta de interesse, de motivação; indiferença, preguiça. Inobservância e descuido na execução de ato.
11 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
12 Fobias: Medo exagerado, falta de tolerância, aversão.
13 Esquizofrenia: Doença mental do grupo das Psicoses, caracterizada por alterações emocionais, de conduta e intelectuais, caracterizadas por uma relação pobre com o meio social, desorganização do pensamento, alucinações auditivas, etc.
14 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
15 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
16 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
17 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
18 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
19 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
20 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
21 Bulimia: Ingestão compulsiva de alimentos, em geral seguida de indução do vômito ou uso abusivo de laxantes. Trata-se de uma doença psiquiátrica, que faz parte dos chamados Transtornos Alimentares, juntamente com a Anorexia Nervosa, à qual pode estar associada.
22 Anorexia nervosa: Distúrbio alimentar caracterizado por uma alteração da imagem corporal associado à anorexia.
23 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
24 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
25 Laxantes: Medicamentos que tratam da constipação intestinal; purgantes, purgativos, solutivos.
26 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
27 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Psiquiatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.