Gostou do artigo? Compartilhe!

Uma visão geral de alguns transtornos alimentares

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são transtornos alimentares?

Transtornos Alimentares são perturbações do comportamento alimentar considerado normal. Num sentido amplo, as alterações do comportamento alimentar podem ser voluntárias e transitórias, como as dietas, por exemplo. Num sentido mais estrito, elas são vistas como doenças físicas ou psíquicas. Na verdade, não se pode chamar as primeiras dessas alterações de “perturbações”, mas há uma confusa transição entre as duas. O que começa por ser uma decisão voluntária pode tornar-se uma compulsão invencível, como acontece na anorexia1 mental.

Por outro lado, o que é o "normal" quanto à alimentação é uma questão complexa. A função biológica da alimentação é garantir o suprimento de nutrientes necessários tanto em quantidade quanto em qualidade para garantir o funcionamento da máquina orgânica e suas atividades. No entanto, esse não é o único fator que determina essa função nos humanos. Ela é influenciada por uma grande variedade de outros fatores, tanto patológicos quanto sadios.

Uma pessoa pode ter seu comportamento alimentar transitoriamente alterado porque encontra-se com o apetite diminuído ou aumentado em razão de alguma doença, ou mesmo tê-lo alterado de maneira mais duradoura ou permanente como acontece na hiperfagia2 patológica ou na anorexia1 mental. Mas a alimentação também sofre poderosas influências de hábitos familiares, de padrões psicossociais e culturais e de princípios religiosos. Na atualidade, a procura do “corpo perfeito” é um poderoso motivo para alteração dos hábitos alimentares, sobretudo no sentido de emagrecer ou permanecer magra, principalmente nas mulheres jovens.

O ato de alimentar-se é ainda influenciado pelo paladar3, pela aparência dos alimentos, pela existência ou não de companhia ao comer, pelos costumes locais, pelo que se comemora ou não, por motivos de etiqueta, etc. Comer não é só uma questão de aplacar a fome, mas uma questão que envolve hábitos, crenças, valores e estética.

Leia sobre "Anorexia nervosa4", "Diferenças entre fome e vontade de comer", "Motivos da perda de peso" e "Índice de Massa Corporal5".

Quais são as causas dos transtornos alimentares?

Dois dos mais marcantes e conhecidos transtornos devidos a doenças são a anorexia nervosa4 ou mental e a bulimia6. Outros distúrbios menos comuns também podem estar presentes: compulsão alimentar; hiperfagia2; ortorexia nervosa; alotriofagia; transtorno da compulsão alimentar periódica e vigorexia. Veja mais sobre cada um a seguir:

Anorexia1

A anorexia1 mental é um tipo de desordem alimentar de natureza psicológica que afeta principalmente mulheres jovens e que implica numa severa restrição de alimentos com a justificativa irracional de emagrecer, mesmo numa pessoa já anormalmente magra, podendo levar à perda da resistência óssea e da força muscular, à inanição e à morte. Às vezes se associam outras providências com a mesma finalidade irrazoável: provocar vômitos7, exagerar em exercícios, tomar pílulas para reduzir o apetite e usar diuréticos8, laxantes9 ou enemas10.

Bulimia6

A bulimia6 nervosa é caracterizada por episódios recorrentes de compulsão alimentar (ingestão de grande quantidade de alimentos em curto período de tempo), seguidos de um sentimento de falta de controle sobre este comportamento alimentar. A pessoa que tem bulimia6 não quer comer para engordar, ela apenas não consegue controlar o seu impulso para comer. Os bulímicos geralmente não são obesos, pois usam artifícios para eliminar o excesso ingerido e não ganhar peso, como indução de vômitos7, uso de laxantes9 para causar diarreias, uso de diuréticos8 para eliminar maior quantidade de urina11, prática de exercícios de maneira exagerada, etc.

Compulsão alimentar

A compulsão alimentar pode ser vista em pessoas que perderam o controle sobre o consumo de alimentos e em consequência comem em demasia. Muitos desses pacientes têm sobrepeso12 ou obesidade13 e são pessoas com maiores riscos de apresentar doenças cardiovasculares14 e pressão arterial15 elevada.

Hiperfagia2

A hiperfagia2 é uma necessidade emocional de se alimentar em excesso. Deriva de um transtorno mental em que o paciente sofreu algum trauma em algum momento da vida. Entre eles estão: perda de uma pessoa querida ou de bens materiais e acidentes. A diferença com o transtorno anterior é que enquanto a hiperfagia2 é egossintônica (em conformidade com a vontade), a compulsão alimentar é egodistônica (contrária à vontade).

Ortorexia nervosa

A ortorexia nervosa é uma preocupação excessiva e exagerada (obsessão) por “alimentos saudáveis e nutritivos”. A pessoa que sofre de ortorexia exclui da sua alimentação tudo aquilo que ela pensa conter químicas, agrotóxicos ou aditivos. A parte preocupante nisso é que o paciente fica irremediavelmente preso nesse cenário, sem capacidade de alterá-lo, deixando de comer se não pode evitar os alimentos que ele julga prejudiciais. Por não ser uma alteração muito conhecida, as pessoas podem ser portadoras da ortorexia sem saber.

Alotriofagia

Na alotriofagia (ou pica, como também é conhecida) a pessoa consome substâncias não nutritivas, como tijolo, batom, carvão, etc. O desejo por esses elementos é classificado como ‘transtorno mental’. A alotriofagia transitória é comum em grávidas e crianças.

Transtorno da compulsão alimentar periódica

O transtorno da compulsão alimentar periódica significa que o paciente consome alimentos em grandes quantidades em um tempo demarcado. Por exemplo, a cada duas horas. Estima-se que entre 27 e 47% das pessoas que fazem cirurgia bariátrica16 tenham esse transtorno. O que o diferencia da bulimia6 nervosa é que nele não há utilização dos métodos compensatórios, como uso de laxantes9 ou diuréticos8, indução aos vômitos7, etc.

Vigorexia

A vigorexia é, num certo sentido, um transtorno inverso da anorexia nervosa4. Faz com que o paciente tenha uma distorção de sua imagem em que ele costuma se enxergar mais fraco do que realmente está. O paciente, por isso, tem a compulsão pelo aumento de massa gordurosa e muscular, por meio da alimentação. Comum nas pessoas do sexo masculino, a vigorexia também é conhecida pela concomitância de exercícios físicos intensos.

Veja também sobre "Termogênicos: prós e contras para a saúde17", "Perigo dos remédios para emagrecer" e "Gordura abdominal18: como perder a barriga".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo ClinicNational Association of Anorexia Nervosa and Associated Disorders (ANAD) e American Psychiatric Association.

ABCMED, 2020. Uma visão geral de alguns transtornos alimentares. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/psicologia-e-psiquiatria/1380833/uma-visao-geral-de-alguns-transtornos-alimentares.htm>. Acesso em: 29 nov. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
2 Hiperfagia: Aumento anormal do apetite ou ingestão excessiva de alimentos, geralmente associada a lesão do hipotálamo.
3 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
4 Anorexia nervosa: Distúrbio alimentar caracterizado por uma alteração da imagem corporal associado à anorexia.
5 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
6 Bulimia: Ingestão compulsiva de alimentos, em geral seguida de indução do vômito ou uso abusivo de laxantes. Trata-se de uma doença psiquiátrica, que faz parte dos chamados Transtornos Alimentares, juntamente com a Anorexia Nervosa, à qual pode estar associada.
7 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
8 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
9 Laxantes: Medicamentos que tratam da constipação intestinal; purgantes, purgativos, solutivos.
10 Enemas: Introdução de substâncias líquidas ou semilíquidas através do esfíncter anal, com o objetivo de induzir a defecação ou administrar medicamentos.
11 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
12 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
13 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
14 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
15 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
16 Cirurgia Bariátrica:
17 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
18 Gordura Abdominal: Tecido gorduroso da região do ABDOME. Dela fazem parte as GORDURAS SUBCUTÂNEAS ABDOMINAL e a INTRA-ABDOMINAL
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Psiquiatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.