Gostou do artigo? Compartilhe!

Micoses da pele e de seus anexos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são micoses da pele1 e de seus anexos2?

As micoses superficiais da pele1 e de seus anexos2 são infecções3 que podem atingir a pele1, as unhas4 e os cabelos. Os tipos principais de micoses superficiais da pele1 e seus anexos2 são:

  1. Pitiríase Versicolor, também conhecida como micose5 de praia ou pano branco;
  2. Tineas, popularmente conhecidas como impinge ou impingem;
  3. Candidíase6, que pode afetar mucosas7 internas como vagina8, boca9, esôfago10, etc.;
  4. Onicomicoses ou micoses que afetam as unhas4.

Quais são as causas das principais micoses da pele1 e de seus anexos2?

A Pitiríase Versicolor é causada por fungos do gênero Malassezia; a Tinea geralmente é causada pelo fungo11 Trichophyton ou Microsporum; a Candidíase6 é a infecção12 causada pelo fungo11 Candida albicans e as Onicomicoses são causadas por fungos contraídos do solo ou de instrumentos contaminados, que se alimentam da queratina, proteína que forma a maior parte das unhas4.

Quais são as características clínicas das micoses da pele1 e de seus anexos2?

As micoses superficiais da pele1 e seus anexos2 são particularmente frequentes nos trópicos, onde existem condições ideais de calor e umidade, necessárias para o desenvolvimento dos fungos.

1. Pitiríase Versicolor

A Pitiríase Versicolor é doença muito comum, especialmente entre jovens, de evolução crônica e recorrente. Indivíduos de pele1 oleosa são mais susceptíveis de desenvolverem esse tipo de micose5, que se apresenta clinicamente como manchas brancas, descamativas, que podem estar agrupadas ou isoladas.

Normalmente surgem na parte superior dos braços, tronco, pescoço13 e rosto. Ocasionalmente, podem se apresentar como manchas escuras ou avermelhadas, daí o nome versicolor.

2. Tineas

As Tineas são doenças causadas por um grupo de fungos que se nutre da queratina da pele1, pelos e unhas4. Esses fungos podem ser encontrados em animais, no solo e nos homens. Manifestam-se como manchas vermelhas de superfície escamosa14, de bordas bem delimitadas, que crescem de dentro para fora, apresentando pequenas bolhas e crostas. O principal sintoma15 é a coceira.

Existem dois tipos clínicos de tineas:

  • 2a. Tinea capitis16, que acomete o couro cabeludo e os cabelos, provocando descamação17 e alopecia18 em placa19. Geralmente afeta crianças entre 2 e 10 anos. O quadro clínico inicial é caracterizado por quebra de cabelos e alopecia18 parcial, em placas20. No caso de inflamação21, pode haver a presença de pústulas22 e supurações.
  • 2b. Tinea corporis, uma infecção12 superficial da pele1, com acometimento preferencial da face23, do tronco e dos membros de pessoas adultas. Mais rara em crianças.

3. Candidíase6

A Candidíase6 pode comprometer isoladamente ou conjuntamente a pele1, as mucosas7 e as unhas4. O Candida albicans é um fungo11 oportunista, que aproveita de situações como baixa da imunidade24 do hospedeiro, uso prolongado de antibióticos, diabetes25 e situação de umidade e calor para se desenvolver.

Pode se manifestar de diversas formas, como placas20 esbranquiçadas na mucosa26 oral, comum em recém-nascidos, os chamados “sapinhos”; lesões27 fissuradas no canto da boca9, mais comum nos idosos; placas20 vermelhas e fissuras28 localizadas nas dobras naturais de pele1 (inframamária, axilar e inguinal), ou envolver a região genital feminina (vaginite29) ou masculina (balanite), provocando coceira, manchas vermelhas e secreção vaginal esbranquiçada.

4. Onicomicoses

As Onicomicoses são as principais causas de alterações ungueais30 vistas no consultório de dermatologia. Acomete tanto as unhas4 dos pés quanto as das mãos31. São raras na infância, com predomínio no adulto maior de 55 anos. Seu aparecimento é bem típico, com descolamento da unha do leito ungueal32 e espessamento, podendo também haver mudança na coloração e na forma das unhas4 acometidas.

Leia sobre "Micetoma", "Blastomicose", "Esporotricose" e "Histoplasmose".

Como o médico diagnostica as micoses da pele1 e de seus anexos2?

O diagnóstico33 laboratorial das micoses da pele1 e seus anexos2 consiste no exame micológico direto, na cultura em meio próprio e exame do material em microscópio, depois de preparação adequada. Na prática rotineira, o exame micológico direto é suficiente para a confirmação diagnóstica. Os resultados das culturas podem levar dias a semanas para ficarem prontos. Grande parte dos dermatologistas está preparada para realizar esses procedimentos diagnósticos em seus consultórios.

Alguns diagnósticos diferenciais devem ser avaliados: o diferencial da Tinea capitis16 precisa ser feito com a dermatite seborreica34, tricotilomania, alopecia areata35, foliculite e impetigo36. A Tinea cruris deve ser diferenciada dos intertrigos, dermatites de contato e lesões27 causadas por certas espécies de Candida.

Como o médico trata as micoses da pele1 e de seus anexos2?

O tratamento da Pitiríase versicolor pode ser feito com medicamentos antifúngicos tópicos ou orais. Nas Tineas podem ser utilizados tanto antifúngicos locais como orais. No tratamento da Candidíase6 pode-se usar antifúngicos tópicos e sistêmicos37, mas sempre devem ser levados em conta também os fatores predisponentes, que precisam ser corrigidos. O tratamento das Onicomicoses pode feito com medicamentos locais ou orais, mas é sempre difícil e muito prolongado.

Como prevenir as micoses superficiais da pele1 e de seus anexos2?

Há várias maneiras de tentar prevenir as micoses superficiais da pele1 e seus anexos2:

  • usar o próprio material ao ir à manicure;
  • secar-se bem após o banho, principalmente nas dobras da pele1, como axilas, virilhas e dedos dos pés;
  • evitar andar descalço em locais úmidos, principalmente locais públicos;
  • não compartilhar toalhas, roupas, escovas de cabelo38, etc.;
  • não usar calçados muito fechados por longos períodos;
  • evitar roupas feitas com tecidos sintéticos que não absorvem o suor, prejudicando a transpiração39 da pele1.
Veja também sobre "Frieira ou Pé de atleta", "Mancha e coceira na virilha - pode ser Tinea cruris" e "Dermatite40 atópica".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites do National Institutes of Health (USA), da Mayo Clinic e da Sociedade Brasileira de Dermatolotia.

ABCMED, 2021. Micoses da pele e de seus anexos. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/1401550/micoses+da+pele+e+de+seus+anexos.htm>. Acesso em: 9 dez. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Anexos: 1. Que se anexa ou anexou, apenso. 2. Contíguo, adjacente, correlacionado. 3. Coisa ou parte que está ligada a outra considerada como principal. 4. Em anatomia geral, parte acessória de um órgão ou de uma estrutura principal. 5. Em informática, arquivo anexado a uma mensagem eletrônica.
3 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
5 Micose: Infecção produzida por fungos. Pode ser superficial, quando afeta apenas pele, mucosas e seus anexos, ou profunda, quando acomete órgãos profundos como pulmões, intestinos, etc.
6 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
7 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
8 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
9 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
10 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
11 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
12 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
13 Pescoço:
14 Escamosa: Cheia ou coberta de escamas, ou seja, de pequenas lâminas epidérmicas que se desprendem espontaneamente da pele.
15 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Tinea capitis: Também conhecida como tinha da cabeça, Tinea tonsurans ou Querión de Celso é uma infecção fúngica cutânea dos cabelos e dos pelos da cabeça causada pelos fungos dermatófitos Trichophyton, Microsporum ou Favus. Ela é mais frequente em crianças, principalmente nos meninos entre 3 e 7 anos de idaide.
17 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
18 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
19 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
20 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
21 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
22 Pústulas: Elevações da pele contendo pus, de até um centímetro de diâmetro.
23 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
24 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
25 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
26 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
27 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
28 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
29 Vaginite: Inflamação da mucosa que recobre a vagina. Em geral é devido a uma infecção bacteriana ou micótica. Manifesta-se por ardor, dor espontânea ou durante o coito (dispareunia) e secreção mucosa ou purulenta pela mesma.
30 Ungueais: Relativo ou pertencente à unha, garra ou casco, ou que a eles se assemelha.
31 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
32 Ungueal: Relativo ou pertencente à unha, garra ou casco, ou que a eles se assemelha.
33 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
34 Dermatite seborreica: Caracterizada por descamação da pele e do couro cabeludo. A forma que acomete couro cabeludo é a mais comum e conhecida popularmente por caspa. É uma doença inflamatória, não contagiosa, possui caráter crônico e recorrente. O fungo Pityrosporum ovale pode ser considerado um possível causador da dermatite seborreica. As manifestações clínicas mais comuns são descamação, vermelhidão e aspereza local. As escamas podem ser secas ou gordurosas, finas ou espessas, geralmente acinzentadas ou amareladas, quase sempre aderentes, podendo ser acompanhadas ou não de coceira.
35 Alopecia areata: Doença de causa desconhecida, que atinge igualmente homens e mulheres, caracterizando-se pela queda repentina dos pêlos nas áreas afetadas, sem alteração da superfície cutânea. Entre as possíveis causas estão uma predisposição genética que seria estimulada por fatores como o estresse emocional e fenômenos autoimunes. É uma perda de cabelo localizada em áreas bem delimitadas, arredondadas ou ovais, do couro cabeludo ou de outras partes do corpo. Pode surgir em qualquer idade, embora 60% dos seus portadores tenham menos de 20 anos.
36 Impetigo: Infecção da pele e mucosas, produzida por uma bactéria chamada Estreptococo, e caracterizada pela presença de lesões avermelhadas, com formação posterior de bolhas que contém pus e que, ao romper-se, deixam uma crosta cor de mel. Pode ser transmitida por contato entre as pessoas, como em creches.
37 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
38 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
39 Transpiração: 1. Ato ou efeito de transpirar. 2. Em fisiologia, é a eliminação do suor pelas glândulas sudoríparas da pele; sudação. Ou o fluido segregado pelas glândulas sudoríparas; suor. 3. Em botânica, é a perda de água por evaporação que ocorre na superfície de uma planta, principalmente através dos estômatos, mas também pelas lenticelas e, diretamente, pelas células epidérmicas.
40 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.