Gostou do artigo? Compartilhe!

Fungos: como são? Eles podem causar doenças? Como evitá-las?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Generalidades sobre os fungos

Os fungos são organismos eucariotas (constituídos por células1 dotadas de núcleo), microscópicos2 ou não, que não se reúnem para formar tecidos verdadeiros. Incluem as leveduras, os bolores e os mofos, bem como os cogumelos. Constituem um reino de seres separados das plantas, animais e bactérias. As paredes celulares dos fungos contêm quitina, ao invés da celulose das células1 vegetais. Tampouco têm clorofila e por isso não produzem seu próprio alimento, sendo obrigados a absorvê-lo do ambiente. Os fungos se nutrem de matéria orgânica viva ou morta que digerem através de exoenzimas que secretam. Estudos genéticos mostram que eles estão biologicamente mais próximos dos animais do que das plantas. Grande parte dos fungos é simbionte ou parasita3 de plantas, insetos, animais ou outros fungos. Os fungos podem se tornar visíveis quando formam cogumelos ou bolores. Desempenham um papel essencial na decomposição da matéria orgânica, muitos têm importantes papeis sendo utilizados como alimentos, como agentes na fabricação do pão e de vários outros produtos alimentares (vinho, cerveja, molhos, etc.), como agentes biológicos no controle de pragas agrícolas, como enzimas, antibióticos, vitaminas, como drogas anticancerígenas e redutoras do colesterol4, etc. Outros são comestíveis, embora haja algumas espécies que são venenosas para os humanos, com toxicidade5 que pode ir desde problemas digestivos ligeiros até a morte. Alguns fungos aderidos a plantas têm efeitos psicotrópicos6 e alucinógenos e são utilizados em rituais religiosos. Outros são patogênicos para animais e plantas e causam grandes perdas nas colheitas, devido às doenças ou à deterioração de alimentos que causam. Diante de um fungo7 cujo efeito não se conhece, melhor evitá-lo.

Os fungos têm uma distribuição mundial muito ampla e podem desenvolver-se em ambientes extremos como desertos, áreas com elevadas concentrações de sais ou de radiações ionizantes, em sedimentos da profundeza dos mares e até mesmo no ambiente espacial.

Doenças causadas pelos fungos no homem

Os fungos podem causar infecções8 no homem, chamadas micoses, e podem também causar doenças em outros animais, nas plantas e nas bactérias.

Entre as doenças humanas, destacam-se: As frieiras, que surgem nas regiões úmidas do corpo, como as virilhas e entre os dedos dos pés e mãos9. Elas se manifestam como fissuras10, descamações ou feridas. A impingem é uma micose11 que ataca a pele12 e se caracteriza por formar lesões13 arredondadas com bordas vermelhas. As unhas14 também são suscetíveis a infecções8 por fungos. Essas micoses se apresentam como manchas brancas e podem deformar as unhas14 (onicomicoses). Existe um tipo de micose11 chamada pano branco, que forma manchas claras principalmente na região do tronco, rosto, pescoço15 e braços. A candidíase16 (micose11 causada pelo fungo7 Candida albicans) causa muita coceira e vermelhidão na área afetada. O sapinho, que comumente ocorre nas mucosas17 dos bebês18, também é causado por fungos. Os fungos podem também atacar órgãos internos dos seres humanos, como os pulmões19, por exemplo, onde causam a histoplasmose.

Como tratar as doenças causadas por fungos?

Existem várias medicações antifúngicas e antimicóticas sob diversas formas farmacêuticas de apresentação. Todas as micoses humanas quando adequadamente tratadas têm cura.

Como prevenir as doenças causadas por fungos?

  • Ter bons hábitos de higiene.
  • Enxugar bem o corpo após o banho, principalmente nas regiões de dobras.
  • Usar roupas frescas e limpas, sobretudo nas regiões de temperaturas altas.
  • Não andar descalço em locais úmidos.
  • Não compartilhar instrumentos usados para fazer as unhas14 em salões de beleza.
  • Evitar contato com pessoas que estejam com doenças causadas por fungos. 
ABCMED, 2014. Fungos: como são? Eles podem causar doenças? Como evitá-las?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/526509/fungos-como-sao-eles-podem-causar-doencas-como-evita-las.htm>. Acesso em: 19 ago. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Microscópicos: 1. Relativo à microscopia ou a microscópio. 2. Que se realiza com o auxílio do microscópio. 3. Visível somente por meio do microscópio. 4. Muito pequeno, minúsculo.
3 Parasita: Organismo uni ou multicelular que vive às custas de outro, denominado hospedeiro. A presença de parasitos em um hospedeiro pode produzir diferentes doenças dependendo do tipo de afecção produzida, do estado geral de saúde do hospedeiro, de mecanismos imunológicos envolvidos, etc. São exemplos de parasitas: a sarna, os piolhos, os áscaris (lombrigas), as tênias (solitárias), etc.
4 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
5 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
6 Psicotrópicos: Que ou o que atua quimicamente sobre o psiquismo, a atividade mental, o comportamento, a percepção, etc. (diz-se de medicamento, droga, substância, etc.). Alguns psicotrópicos têm efeito sedativo, calmante ou antidepressivo; outros, especialmente se usados indevidamente, podem causar perturbações psíquicas.
7 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
8 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
9 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
10 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
11 Micose: Infecção produzida por fungos. Pode ser superficial, quando afeta apenas pele, mucosas e seus anexos, ou profunda, quando acomete órgãos profundos como pulmões, intestinos, etc.
12 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
13 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
14 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
15 Pescoço:
16 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
17 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
18 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
19 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Infectologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

26/07/2017 - Comentário feito por lorena
obrigados me ajudou muito
obrigados me ajudou muito

13/08/2016 - Comentário feito por Tais
Amei mto bomo saudavel como NUNCA!!!!
Amei mto bomo saudavel como NUNCA!!!!

21/07/2015 - Comentário feito por leane
muito legal
amei
muito legal
amei

08/07/2015 - Comentário feito por duda
muito legal
muito legal

19/06/2015 - Comentário feito por isabelle
eu amei estas reportagem
eu amei estas reportagem

06/10/2014 - Comentário feito por nicolly
nossa que legal mais eu quero mais por favor p...
nossa que legal mais eu quero mais por favor por que to estudando

  • Entrar
  • Assinar