Atalho: 6WQUCMD
Gostou do artigo? Compartilhe!

Micose de unha ou onicomicose: o que é? Quais as causas? Como é o diagnóstico? E o tratamento?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são micoses de unha ou onicomicoses?

As onicomicoses são infecções1 fúngicas2 das unhas3. As unhas3 dos pés são afetadas mais comumente que as das mãos4, pois oferecem um ambiente mais propício ao desenvolvimento dos fungos (umidade, escuro e aquecimento) encontrados dentro dos calçados. Além disso, a queratina (material de que a unha é composta), "alimento" dos fungos, é mais abundante nas unhas3 dos pés que nas das mãos4. As onicomicoses representam tanto um problema de saúde5 quanto um problema estético e, sob ambas as vertentes, requerem pronta solução. Frequentemente, as onicomicoses estão associadas às dermatomicoses6.

Quais são as causas das onicomicoses?

As onicomicoses são causadas por fungos contraídos do solo, de animais ou de outras pessoas, por meio de instrumentos contaminados de cortar e embelezar as unhas3, como, por exemplo, alicates e tesouras. As pessoas com imunodeficiências, diabetes mellitus7, psoríase8, etc. estão mais predispostas às micoses de unhas3 que as outras.

Quais são os principais sinais9 e sintomas10 das onicomicoses?

As manifestações clínicas das onimicoses são muito variadas:

  • Espessamento e descolamento das unhas3.
  • Manchas brancas.
  • Deformação e mesmo destruição das unhas3.
  • Ao mesmo tempo as unhas3 mudam de cor e se tornam quebradiças ou muito endurecidas e podem se descolar da pele11 dos dedos.

As onicomicoses parecem mais frequentes nas mulheres idosas e nos homens jovens. Raramente afetam as crianças.

Como o médico diagnostica as onicomicoses?

Num primeiro momento, o diagnóstico12 das micoses de unhas3 pode ser feito pela observação das lesões13 ungueais14 e, posteriormente, o tipo dela pode ser confirmado pelo exame direto do fungo15, por meio de raspagem da unha e cultura deste raspado em meios de cultura apropriados. A biópsia16 pode demonstrar se o fungo15 é realmente invasivo ou apenas comensal17. O diagnóstico12 diferencial das onicomicoses deve ser feito com a psoríase8, o líquen plano e a paquioníquia18 congênita19 (desordem genética da formação da queratina) e demais infecções1 ungueais14.

Como o médico trata as onicomicoses?

Hoje em dia têm aparecido fármacos que tornam mais fácil e rápido um tratamento, em comparação ao que era muito difícil e demorado antigamente. Alguns autores antigos chegaram mesmo a considerar as onicomicoses como incuráveis. O tratamento das micoses de unha depende da extensão das mesmas. Geralmente são utilizados medicamentos tópicos (de uso local), sob a forma de cremes, soluções ou esmaltes. Somente nos casos mais sérios o tratamento por via oral é prescrita. A melhora é demorada (pode levar de meses até um ano!) porque depende do crescimento e substituição da unha, o que acontece muito lentamente. O tratamento deve ser mantido durante todo este tempo e a boa higiene das unhas3 é fundamental durante todo o processo.

Como evoluem as onicomicoses?

As onicomicoses podem ser completamente curadas com medicamentos e recursos adequados. Se não tratadas, elas constituem uma porta de entrada para múltiplos micro-organismos que podem ocasionar infecções1 graves.

Depois do tratamento, a unha continua a crescer normalmente dando lugar a uma nova unha saudável.

Como prevenir as onicomicoses?

  • Mantenha hábitos de higiene rigorosos nas mãos4 e nos pés.
  • Evite andar descalço em pisos molhados.
  • Mantenha sob vigilância a pele11 ou pelo de seu animal de estimação, porque eles podem ser uma fonte de contaminação.
  • Evite mexer com a terra sem usar luvas.
  • Use sempre seu próprio material de manicure.
  • Na medida do possível, procure usar calçados largos e bem ventilados.
  • Caso você use vestiários de academias para tomar banho, use sempre um chinelo, evitando pisar diretamente no chão.
  • Prefira as meias de algodão às de tecido20 sintético.
ABCMED, 2013. Micose de unha ou onicomicose: o que é? Quais as causas? Como é o diagnóstico? E o tratamento?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/345684/micose-de-unha-ou-onicomicose-o-que-e-quais-as-causas-como-e-o-diagnostico-e-o-tratamento.htm>. Acesso em: 7 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
3 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
4 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Dermatomicoses: Doença de pele com dermatite localizada, infectocontagiosa, de caráter crônico, causada pela invasão da pele e pelos por fungos, conhecidos como dermatófitos. Ela é caracterizada por descamação e perda de pelos. Também conhecida por “tinha“, dermatofitose ou tricofitose.
7 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
8 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
13 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
14 Ungueais: Relativo ou pertencente à unha, garra ou casco, ou que a eles se assemelha.
15 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
16 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
17 Comensal: 1. Diz-se de ou cada um dos que comem juntos. 2. Diz-se de ou indivíduo que habitualmente frequenta e come em casa de outrem. 3. No sentido figurado, em uso pejorativo, diz-se de ou indivíduo que vive à custa alheia; parasita. 4. Em ecologia, é aquilo ou aquele que vive em comensalismo (diz-se de organismo), ou seja, em relação ecológica interespecífica na qual duas espécies de animais se encontram associadas com benefício para uma delas mas sem prejuízo para a outra; inquilinismo.
18 Paquioníquia: Desordem genética da pele causada por uma mutação em qualquer um dos quatro genes conhecidos como responsáveis pela formação da queratina: K6a, K6b, K16 ou K17. É uma condição rara.
19 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
20 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

03/04/2013 - Comentário feito por Daniel
Re: Micose de unha ou onicomicose: o que é? Quais as causas? Como é o diagnóstico? E o tratamento?
Tive uma unha do pé retirada aos 14 anos por estar encravada, ela nasceu toda deformada, alguns médicos diagnosticaram micose outros disseram ser uma deformação, o fato é que ninguém conseguiu resolver o problema, já cheguei a fazer cirurgia de correção do leito unguial, e a unha nasceu exatamente igual a antes, gostaria de uma indicação de algum especialista no assunto da região de Campinas que possa me ajudar, tenho 33 anos e tenho vergonha de andar de chinelos devido a isso.

  • Entrar
  • Assinar