Gostou do artigo? Compartilhe!

Doenças da língua

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são doenças da língua1?

A língua1 é um órgão muito importante do corpo humano2. É com a participação dela que é possível falar, alimentar e sentir os diversos sabores das comidas. A língua1 contém de 2000 a 8000 papilas gustativas3, distribuídas em sua superfície. São essas papilas que emprestam a ela seu aspecto rugoso. Dependendo de sua função, as papilas gustativas3 são moldadas de forma diferente e localizadas em diferentes áreas da língua1.

A língua1 é sujeita a alterações autóctones ou a outras que podem ser manifestação secundária de doenças ou de problemas sistêmicos4, alguns deles bastante sérios. Ela pode apresentar alterações de coloração, volume, forma ou aspecto. São essas alterações que constituem as chamadas doenças da língua1.

Algumas delas apresentam sintomas5 ou incômodos, como a dor, por exemplo, e outras são assintomáticas e só mostram sinais6 que têm que ser reconhecidos visualmente.

Quais são as causas das doenças da língua1?

Grande número de fatores pode levar a alterações na língua1. Identificá-los exatamente é o primeiro passo para tratá-los. As doenças da língua1 podem ser causadas por infecções7 bacterianas ou fúngicas8; por deficiências nutricionais, incluindo anemia9; traumas, como uma lesão10 ou mordida; alterações hormonais e outras condições médicas, como câncer11, distúrbios autoimunes12 e danos nos nervos que inervam a língua1.

Leia sobre "Como prevenir o câncer11", "Maneiras de lidar com o estresse" e "Limitar consumo de álcool reduz o risco de câncer11".

Quais são as características clínicas comuns das doenças da língua1?

A maioria dos problemas de língua1 não são sérios, mas suas alterações também podem ocorrer como manifestações secundárias a alguma condição subjacente que requeira tratamento médico. Os sinais6 ou sintomas5 mais comuns que uma pessoa pode experimentar relacionados à língua1 incluem:

  • uma perda parcial ou completa da capacidade de sentir todos os sabores (azedos, salgados, amargos ou doces) ou sabores específicos;
  • dificuldade de movimentar a língua1;
  • inchaço13 da língua1;
  • mudança da cor normal da língua1 (manchas brancas, pretas ou marrons; língua1 rosada brilhante; língua1 pálida ou enegrecida);
  • dor em toda a língua1 ou em pontos específicos dela;
  • mudança no tamanho da língua1, como no caso de inchaço13 ou numa tumoração, por exemplo;
  • e uma sensação de queimação em toda a língua1 ou em certos pontos dela.

Quais são as principais doenças da língua1?

As principais e mais frequentes alterações da língua1 são:

Aftas

As aftas são pequenas feridas redondas que aparecem nos tecidos moles da boca14, incluindo a língua1. Elas geralmente são pontos amarelados e se parecem um pouco com uma espinha na boca14. São pontos dolorosos, sobretudo quando tocados pelo alimento ou outro estímulo qualquer.

Na maioria das vezes, as lesões15 têm menos de um centímetro de diâmetro e aparecem sozinhas, mas podem se apresentar como um aglomerado de feridas menores. Normalmente, não requerem tratamento e desaparecem sozinhas em cerca de uma semana.

Candidíase16 oral

A candidíase16 oral é uma infecção17 causada por fungos que pode afetar também a língua1 e que pode se caracterizar por pequenas saliências e manchas brancas na superfície da língua1. É rara em adultos saudáveis, mas muito comum em recém-nascidos (sapinhos) e adultos com outras condições médicas, incluindo diabetes18, câncer11 e sistema imunológico19 fragilizado.

O fungo20 Candida albicans ocorre naturalmente na boca14, mas quando se torna muito abundante pode causar os sintomas5 de aftas. Geralmente apresenta-se também como manchas brancas em outros lugares da boca14 e pode ser facilmente tratado com o uso de medicamentos simples.

Língua1 geográfica

A chamada língua1 geográfica é uma condição inflamatória, mas inofensiva, que afeta a superfície da língua1 e geralmente não apresenta sintomas5. Em casos raros, pode haver ligeira dor ou queimação na língua1 e ela pode tornar-se mais sensível a alimentos condimentados.

A língua1 geográfica apresenta manchas vermelhas na superfície, com bordas levemente elevadas, dando à língua1 uma aparência de mapa geográfico. Ela também é conhecida como glossite21 migratória benigna, porque as lesões15 cicatrizam em uma área e migram para uma parte diferente da língua1.

Pode estar relacionada, por exemplo, à psoríase22, dermatite23 atópica, alterações genéticas ou hormonais, alergias e deficiências nutricionais.

Língua1 peluda preta

A língua1 peluda preta é uma condição em que as células24 mortas se acumulam na superfície da língua1 criando uma aparência escura e peluda. Em geral, é resultado de má higiene oral e desaparece se uma higiene correta voltar a ser feita.

Glossite21

A glossite21 é uma inflamação25 ou infecção17 na língua1 que resulta em uma língua1 inchada, inflamada e/ou descolorida. A glossite21 pode ser causada por vários fatores. A principal causa pode ser um distúrbio primário, que acarreta mudanças na coloração da língua1, inchaço13 e perda das papilas gustativas3, fazendo com que a língua1 adquira um aspecto liso.

Pode ocorrer também devido a infecções7 bacterianas ou virais, irritação mecânica ou ferimentos provocados por queimaduras, produção de pouca saliva, exposição ao tabaco, álcool, ácido, pasta de dentes, refrescantes bucais e alimentos apimentados, entre outras causas. Problemas sistêmicos4 também podem causar glossite21, como anemia ferropriva26, anemia perniciosa27, aftas, sífilis28, deficiência de vitamina29 B, etc.

glossite21 causa uma série de mudanças na aparência da língua1, além de causar dores e incômodos.

Síndrome30 da boca14 ardente

A síndrome30 da boca14 ardente é uma condição que deixa a língua1 com sensação de queimação, sem que haja alterações clínicas visíveis. Nessa síndrome30 costuma haver dor, boca14 seca e gosto metálico ou amargo na boca14. Essa síndrome30 é mais comum em mulheres entre 40 e 60 anos, mas pode acontecer em qualquer pessoa em qualquer idade.

Câncer11 de língua1

Os sintomas5 do câncer11 da língua1 incluem dor, dificuldade em movimentar a língua1 e manchas anormais. Ocorre com mais frequência em homens com mais de 40 anos, na parte visível ou não visível da língua1 e é cinco vezes mais provável de ocorrer em fumantes do que em não fumantes.

Em geral, as lesões15 cancerosas ocasionam dificuldade em engolir, sensação de nó na garganta31, dor de ouvido e sangram facilmente.

Traumas de língua1

Os traumas na língua1 podem ocorrer quando a pessoa morde a língua1 enquanto come ou durante uma convulsão32 ou uma queda, queima a língua1 com comida quente ou por acidentes. Normalmente, as lesões15 na língua1 sangram muito, mas o sangramento costuma ser autolimitado e raramente precisa de uma intervenção médica.

Uma boa solução para um corte ou uma queimadura é chupar gelo ou picolé.

Neuralgia33

A neuralgia33 é uma dor súbita no nervo que pode acontecer em qualquer parte do corpo, inclusive na língua1. A neuralgia33 do glossofaríngeo é um tipo de neuralgia33 que causa dor nos nervos da boca14, incluindo a língua1. A dor pode durar segundos ou minutos e geralmente diminui por conta própria.

Como tratamento, podem ser usados medicamentos anticonvulsivantes ou antidepressivos. Se não houver resposta adequada, o médico pode recomendar uma cirurgia para remover a pressão do nervo ou para seccionar o nervo.

 

Muitas outras condições mais raras podem ocasionar mudanças de aparência da língua1 como, por exemplo, anomalias vasculares34 congênitas35, infecções7, estresse, papilites, líquen plano, deficiência de vitamina29 B12, anemias, fadiga36, distúrbios autoimunes12 e alergias.

Veja também sobre "Boca14 seca ou xerostomia37", "Candidíase16 oral do bebê" e "Língua1 saburrosa".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo Clinic e da Cleveland Clinic.

ABCMED, 2022. Doenças da língua. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1418805/doencas+da+lingua.htm>. Acesso em: 26 jun. 2022.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Língua:
2 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
3 Papilas Gustativas: Pequenos órgãos sensoriais que contêm células receptoras gustatórias, células basais e células de sustentação. Em humanos, as papilas gustativas estão localizadas no epitélio da língua, palato e faringe. São inervadas pelo NERVO DA CORDA DO TÍMPANO (um ramo do nervo facial) e pelo NERVO GLOSSOFARÍNGEO.
4 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
7 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
8 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
9 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
10 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
12 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
13 Inchaço: Inchação, edema.
14 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
15 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
16 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
17 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
18 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
19 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
20 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
21 Glossite: Inflamação da mucosa que reveste a língua, produzida por infecção viral, radiação, carências nutricionais, etc.
22 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
23 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
24 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
25 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
26 Anemia Ferropriva: Anemia por deficiência de ferro. É o tipo mais comum de anemia. Há redução da quantidade total de ferro corporal até a exaustão das reservas de ferro. O fornecimento de ferro é insuficiente para atingir as necessidades de diferentes tecidos, incluindo as necessidades para a formação de hemoglobina e dos glóbulos vermelhos.
27 Anemia Perniciosa: Doença causada pela incapacidade do organismo absorver a vitamina B12. Mais corretamente, ela se refere a uma doença autoimune que resulta na perda da função das células gástricas parietais, que secretam ácido clorídrico para acidificar o estômago e o fator intrínseco gástrico que facilita a absorção da vitamina B12.
28 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
29 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
30 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
31 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
32 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
33 Neuralgia: Dor aguda produzida pela irritação de um nervo. Caracteriza-se por ser muito intensa, em queimação, pulsátil ou semelhante a uma descarga elétrica. Suas causas mais freqüentes são infecção, lesão metabólica ou tóxica do nervo comprometido.
34 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
35 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
36 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
37 Xerostomia: Ressecamento da boca provocado em geral pela secreção insuficiente de saliva pelas glândulas salivares. É ocasionado como efeito colateral de algumas drogas (anticolinérgicos) ou por diversos transtornos locais ou gerais.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.