Gostou do artigo? Compartilhe!

Envelhecimento precoce

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é envelhecimento precoce? 

A eterna juventude, se fosse possível, provavelmente seria um objetivo universalmente perseguido. Como isso não é possível, o objetivo efetivamente perseguido tem sido o de retardar ao máximo os sinais1 de envelhecimento. À medida que a idade avança, as pessoas aceitam alguns desses pequenos sinais1, especialmente se forem paralelos ao envelhecimento cronológico. No entanto, para algumas pessoas, esses sinais1, sobretudo os que aparecem na pele2, são mais pronunciados e chegam mais cedo que o habitual.

O envelhecimento fisiológico3 decorre do desgaste natural do organismo e manifesta seus sinais1 principalmente (mas não só) na pele2, com a aceleração da formação de flacidez, rugas e manchas. Chama-se envelhecimento prematuro ao envelhecimento antinatural, que se dá antes do que seria esperado. 

Saiba mais sobre "Envelhecimento saudável", "Cuidados com a pele2", "Rugas" e "Manchas escuras na pele2".

Quais são as causas do envelhecimento precoce? 

O envelhecimento precoce pode ser devido a hábitos de vida, condições médicas e fatores do ambiente, como poluição, má alimentação, fumo, sedentarismo4, estresse, uso excessivo da mímica facial, privação de sono e, principalmente, exposição solar sem proteção. Mas o envelhecimento precoce pode também ser motivado patologicamente.

A síndrome5 de Werner, por exemplo, é um raro distúrbio autossômico6 recessivo, causado por uma mutação7 heterozigótica, o que significa que a pessoa precisa herdar um gene mutante de cada um dos pais. Espera-se que um em cada 4 filhos tenham o distúrbio e outros possam ser portadores sadios do gene. Outra condição patológica, também rara, é a síndrome5 de Hutchinson-Gilford, que pode ser autossômica8 recessiva ou autossômica8 dominante. Transtornos autossômicos dominantes são transmitidos por um dos pais a até 1 em 2 filhos. 

Quais são as principais características clínicas do envelhecimento precoce? 

Os sinais1 de envelhecimento prematuro são bastante visíveis na pele2 e podem ser muito perturbadores, se são inesperados. É importante que os dermatologistas identifiquem esses sinais1 e orientem seus clientes no tratamento dessa forma de envelhecimento da pele2. Quando essas pistas visíveis aparecem no início dos anos da década dos 20 ou 30, desencadeia os primeiros alarmes de que o envelhecimento prematuro está ocorrendo. Esses sinais1 a serem observados são:

  1. Aparecimento de hiperpigmentação na face9 ou membros na década dos 20 anos, geralmente causada pelos raios ultravioletas.
  2. Aparecimento de linhas finas, especialmente ao redor dos olhos10, testa e às vezes dos lábios.
  3. A desidratação11, que se manifesta na pele2, que aparece visivelmente ressecada. A pele2 desidratada sente coceira e pode ter descamação12 ou mesmo rachaduras, especialmente em climas extremos.
  4. Pele2 seca, sensível e inflamada do pescoço13 e do “V” exposto do tórax14 também são indicativos de envelhecimento prematuro causado pela radiação ultravioleta, oxidação de radicais livres ou uma combinação de ambos. A pele2 parece irregular e descolorida. Pode também ter uma textura semelhante a couro.
  5. A perda de suporte no tecido15 subjacente da pele2 (pele2 flácida) faz com que as bochechas e a mandíbula16 caiam e rugas profundas apareçam.
  6. Rarefação ou desaparecimento de cabelos ou pelos.

Nas síndromes patológicas de envelhecimento prematuro, as mudanças na pele2 que indicam esse envelhecimento incluem atrofia17 (afinamento da pele2 e perda de elasticidade18), perda de gordura19 cutânea20, pele2 enrugada, cabelo21 grisalho, perda de cabelo21, distrofia22 ungueal23, pigmentação defeituosa e ulceração24. Estas mudanças ocorrem mesmo no envelhecimento normal da pele2, mas no envelhecimento precoce elas ocorrem mais cedo e em ritmo mais acelerado.

Leia sobre "Alimentação saudável", "Parar de fumar", "Protetor solar", "Melasma25" e "Queda de cabelo21".

Como prevenir o envelhecimento precoce?

Existem três fatores principais que influenciam a rapidez com que uma pessoa envelhece, os quais podem ser evitados:

  1. A radiação ultravioleta da luz solar é a principal causa do envelhecimento prematuro da pele2 e do aparecimento de rugas e manchas escuras.
  2. O álcool força os rins26 a trabalharem, isso elimina o excesso de água e deixa sua pele2 ressecada. Além disso, o álcool também retira vitamina27 A do corpo, um antioxidante crucial para a atividade e renovação das células28 saudáveis.
  3. O fumo causa envelhecimento prematuro, provocando o aparecimento de linhas finas em torno dos olhos10 e lábios, em parte devido à falta de vitamina27 C no sangue29, um ingrediente chave para a produção de colágeno30, responsável pela elasticidade18 da pele2 jovem e saudável.

Quais são as complicações possíveis do envelhecimento precoce?

Complicações do envelhecimento precoce, sobretudo em suas formas patológicas, estão relacionadas às doenças associadas ao envelhecimento. Além das alterações cutâneas31 caraterísticas, os pacientes desenvolvem precocemente catarata32, osteoporose33, diabetes mellitus34, doença cardiovascular, hiperatividade da glândula35 pituitária, hipogonadismo ou agonadismo, menopausa36 prematura, calcificação37 dos tecidos moles e câncer38.

Leia também sobre "Atividade física", "Prevenção do câncer38", "Osteoporose33" e "Sete passos para um coração39 saudável".

 

ABCMED, 2019. Envelhecimento precoce. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1332438/envelhecimento+precoce.htm>. Acesso em: 18 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
4 Sedentarismo: Qualidade de quem ou do que é sedentário, ou de quem tem vida e/ou hábitos sedentários. Sedentário é aquele que se exercita pouco, que não se movimenta muito.
5 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
6 Autossômico: 1. Referente a autossomo, ou seja, ao cromossomo que não participa da determinação do sexo; eucromossomo. 2. Cujo gene está localizado em um dos autossomos (diz-se da herança de características). As doenças gênicas podem ser classificadas segundo o seu padrão de herança genética em: autossômica dominante (só basta um alelo afetado para que se manifeste a afecção), autossômica recessiva (são necessários dois alelos com mutação para que se manifeste a afecção), ligada ao cromossomo sexual X e as de herança mitocondrial (necessariamente herdadas da mãe).
7 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
8 Autossômica: 1. Referente a autossomo, ou seja, ao cromossomo que não participa da determinação do sexo; eucromossomo. 2. Cujo gene está localizado em um dos autossomos (diz-se da herança de características). As doenças gênicas podem ser classificadas segundo o seu padrão de herança genética em: autossômica dominante (só basta um alelo afetado para que se manifeste a afecção), autossômica recessiva (são necessários dois alelos com mutação para que se manifeste a afecção), ligada ao cromossomo sexual X e as de herança mitocondrial (necessariamente herdadas da mãe).
9 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
10 Olhos:
11 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
12 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
13 Pescoço:
14 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
15 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
16 Mandíbula: O maior (e o mais forte) osso da FACE; constitui o maxilar inferior, que sustenta os dentes inferiores. Sinônimos: Forame Mandibular; Forame Mentoniano; Sulco Miloióideo; Maxilar Inferior
17 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
18 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
19 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
20 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
21 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
22 Distrofia: 1. Acúmulo de grande quantidade de matéria orgânica, mas poucos nutrientes, em corpos de água, como brejos e pântanos. 2. Na medicina, é qualquer problema de nutrição e o estado de saúde daí decorrente.
23 Ungueal: Relativo ou pertencente à unha, garra ou casco, ou que a eles se assemelha.
24 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
25 Melasma: Manchas escuras na face. O seu surgimento está relacionado à gravidez ou ao uso de anticoncepcionais hormonais (pílula) e tem como fator desencadeante a exposição da pele ao sol. Quando estas manchas ocorrem durante a gravidez, recebem a denominação de cloasma gravídico. Além dos fatores hormonais e da exposição solar, a tendência genética e características raciais também influenciam o surgimento do melasma.
26 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
27 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
28 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
29 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
30 Colágeno: Principal proteína fibrilar, de função estrutural, presente no tecido conjuntivo de animais.
31 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
32 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
33 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
34 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
35 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
36 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
37 Calcificação: 1. Ato, processo ou efeito de calcificar(-se). 2. Aplicação de materiais calcíferos básicos para diminuir o grau de acidez dos solos e favorecer seu aproveitamento na agricultura. 3. Depósito de cálcio nos tecidos, que pode ser normal ou patológico. 4. Acúmulo ou depósito de carbonato de cálcio ou de carbonato de magnésio em uma camada de profundidade próxima a do limite de percolação da água no solo, que resulta em certa mobilidade deste e alteração de suas propriedades químicas.
38 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
39 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.