Gostou do artigo? Compartilhe!

O papel orgânico das vitaminas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são vitaminas?

As vitaminas são nutrientes essenciais de que o corpo precisa em pequenas quantidades para funcionar corretamente. Elas não fornecem energia diretamente, mas são necessárias para diversas funções do organismo, incluindo o metabolismo1, a produção de energia a partir dos alimentos, a formação de células sanguíneas2 e a manutenção da saúde3 do sistema imunológico4, entre outras funções.

A palavra vitamina5 foi proposta pelo químico Casimir Funk, em 1912, pois ele acreditava que as vitaminas eram vitais para os seres vivos e que todas elas eram aminas. Atualmente, sabe-se que nem todas as vitaminas são aminas.

Existem 13 vitaminas diferentes, cada uma com uma função específica no corpo. Elas podem ser agrupadas em duas categorias diferentes: vitaminas lipossolúveis (solúveis em gordura6) e vitaminas hidrossolúveis (solúveis em água). São lipossolúveis as vitaminas A, D, E e K e hidrossolúveis as vitaminas do complexo B e a vitamina5 C.

Quais são as fontes de vitaminas?

As vitaminas podem ser encontradas em alimentos, como frutas, verduras, carnes, laticínios e grãos, e algumas delas também podem ser sintetizadas pelo organismo em pequenas quantidades, como a vitamina5 D, que pode ser produzida pela exposição ao sol. Essa é uma das razões da importância de se consumir uma dieta equilibrada.

Algumas fontes comuns de vitaminas incluem:

  • Vitamina5 A: cenoura, batata-doce, abóbora, espinafre, brócolis, fígado7, ovos e leite integral.
  • Vitaminas do complexo B (B1, B2, B3, B5, B6, B7, B9 e B12): carne, aves, peixe, leite, ovos, leguminosas, nozes e sementes, grãos integrais e folhas verdes.
  • Vitamina5 C: frutas cítricas, kiwi, morangos, pimentão, tomate e brócolis.
  • Vitamina5 D: luz solar, óleo de fígado7 de bacalhau, salmão, atum, gema de ovo8 e alimentos fortificados com vitamina5 D, como leite, cereais e sucos.
  • Vitamina5 E: óleos vegetais, nozes, sementes, espinafre, brócolis e abacate.
  • Vitamina5 K: vegetais verdes folhosos, como couve, espinafre e brócolis.

Em alguns casos, as vitaminas podem ser suplementadas através de medicamentos, sempre com a orientação de um profissional de saúde3 (médico ou nutricionista9).

Leia sobre "Macronutrientes10", "Micronutrientes11" e "Nutrientes".

Qual é o papel orgânico de cada vitamina5?

  • Vitamina5 A (retinol): apresenta importante papel na visão12 e atua na manutenção de tecidos epiteliais e na imunidade13. Dessa forma, a deficiência de vitamina5 A pode causar problemas de visão12 e alterações na pele14 e na imunidade13.
  • Vitamina5 B1 (tiamina): atua como coenzima usada na remoção de gás carbônico dos compostos orgânicos. É importante na manutenção do funcionamento dos sistemas nervoso e circulatório. O déficit prolongado de vitamina5 B1 pode ocasionar beribéri (fraqueza, formigamento, dor nos membros, falta de ar e inchaço15 dos membros).
  • Vitamina5 B2 (riboflavina): faz parte das coenzimas FAD e FMN. Está relacionada com a manutenção da pele14. A falta de vitamina5 B2 pode levar a lesões16 na pele14.
  • Vitamina5 B3 (niacina): é um componente das coenzimas NAD+ e NADP+. Ajuda no funcionamento dos sistemas nervoso e imunológico. A deficiência de vitamina5 B3 pode causar lesões16 no aparelho gastrointestinal, na pele14 e confusão mental.
  • Vitamina5 B5 (ácido pantotênico): componente da coenzima A. Relaciona-se com a formação de hemácias17 e previne a degeneração18 de cartilagens19. A hipovitaminose B5 pode produzir formigamentos, dormência20 e fadiga21.
  • Vitamina5 B6 (piridoxina): é uma coenzima utilizada no metabolismo1 de aminoácidos. A vitamina5 B6 ajuda na manutenção do sistema nervoso central22 e do sistema imunológico4. A falta dela se expressa por irritabilidade, anemia23 e espasmos24 musculares.
  • Vitamina5 B7 (biotina): atua como coenzima na síntese de gordura6, aminoácidos e glicogênio25. Auxilia na produção de ácidos graxos e na redução dos níveis de glicose26 no sangue27. A falta de vitamina5 B7 costuma levar a descamações na pele14 e a problemas neuromusculares.
  • Vitamina5 B9 (ácido fólico): atua como coenzima no metabolismo1 de ácidos nucleicos e aminoácidos. Atua na manutenção dos sistemas imunológico, nervoso e circulatório. Sua falta causa anemia23 e problemas congênitos28, sendo, por isso, tão importante para gestantes.
  • Vitamina5 B12 (cobalamina): participa da produção dos ácidos nucleicos e das hemácias17. Age também sobre as células nervosas29 e no equilíbrio hormonal. A baixa anormal de vitamina5 B12 pode ocasionar dormências, alterações neurológicas, anemia23 e perda de equilíbrio.
  • Vitamina5 C (ácido ascórbico): importante na síntese de colágeno30, na manutenção e integridade das paredes capilares31 e atua como antioxidante. Pode causar escorbuto32, doença que causa sangramentos nas gengivas, fraqueza, irritação na pele14 e dificuldade de regeneração de feridas.
  • Vitamina5 D (calciferol): participa da absorção e utilização de dois sais importantes - o cálcio e o fósforo. A hipovitaminose D pode causar raquitismo33 (problema de saúde3 que desencadeia amolecimento e fragilidade de ossos e, em crianças, causa deformações ósseas) e osteoporose34.
  • Vitamina5 E (tocoferol): atua como antioxidante. A deficiência de vitamina5 E pode causar problemas no sistema nervoso35.
  • Vitamina5 K (filoquinona): possui importante papel na coagulação36 sanguínea. A falta de vitamina5 K ocasiona alterações na coagulação36 sanguínea e facilita as hemorragias37.

O quadro clínico de deficiência de vitaminas chama-se avitaminose ou hipovitaminose. Embora possa haver concomitantemente deficiência de várias delas, os sintomas38 são específicos para cada uma. Essas deficiências podem afetar quaisquer pessoas em qualquer idade, e frequentemente são acompanhadas também por deficiências de sais minerais, mas são mais comuns em pessoas ou situações que mais precisam delas, como gestantes, crianças, pessoas desnutridas ou em recuperação de alguma enfermidade ou que tenham alguma dificuldade específica de absorção.

De um modo geral, a deficiência de vitamina5 pode ser causada por má alimentação, consumo exclusivo de alimentos conservados ou cozidos em altas temperaturas, absorção intestinal deficiente, aumento das necessidades de vitaminas em situações fisiológicas39 especiais e dieta desequilibrada.

Veja também sobre "Osteopenia", "Osteoporose34" e "Osteomalácia40".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo Clinic e da Cleveland Clinic.

ABCMED, 2023. O papel orgânico das vitaminas. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1437075/o-papel-organico-das-vitaminas.htm>. Acesso em: 24 fev. 2024.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
2 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
5 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
6 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
7 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
8 Ovo: 1. Célula germinativa feminina (haploide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO. 2. Em alguns animais, como aves, répteis e peixes, é a estrutura expelida do corpo da mãe, que consiste no óvulo fecundado, com as reservas alimentares e os envoltórios protetores.
9 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
10 Macronutrientes: Os macronutrientes fornecem as calorias aos alimentos. São eles: carboidratos, proteínas e lipídeos.
11 Micronutrientes: No grupo dos micronutrientes estão as vitaminas e os minerais. Esses nutrientes estão presentes nos alimentos em pequenas quantidades e são indispensáveis para o funcionamento adequado do nosso organismo. Exemplos: cálcio, ferro, sódio, etc.
12 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
13 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
14 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
15 Inchaço: Inchação, edema.
16 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
17 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
18 Degeneração: 1. Ato ou efeito de degenerar (-se). 2. Perda ou alteração (no ser vivo) das qualidades de sua espécie; abastardamento. 3. Mudança para um estado pior; decaimento, declínio. 4. No sentido figurado, é o estado de depravação. 5. Degenerescência.
19 Cartilagens: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
20 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
21 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
22 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
23 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
24 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
25 Glicogênio: Polissacarídeo formado a partir de moléculas de glicose, utilizado como reserva energética e abundante nas células hepáticas e musculares.
26 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
27 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
28 Congênitos: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
29 Células Nervosas: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO.
30 Colágeno: Principal proteína fibrilar, de função estrutural, presente no tecido conjuntivo de animais.
31 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
32 Escorbuto: Doença aguda ou crônica causada pela carência de vitamina C, caracterizada por hemorragias, alteração das gengivas e queda da resistência às infecções.
33 Raquitismo: Doença decorrente da mineralização inadequada do osso em crescimento, ou seja, da placa epifisária. Está entre as doenças mais comuns da infância em países em desenvolvimento. A causa predominante é a deficiência de vitamina D, seja por exposição insuficiente à luz solar ou baixa ingestão através da dieta; mas a deficiência de cálcio na dieta também pode gerar um quadro de raquitismo. A osteomalácia é o termo usado para descrever uma condição semelhante que ocorre em adultos, geralmente devido à falta de vitamina D.
34 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
35 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
36 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
37 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
38 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
39 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
40 Osteomalácia: Enfraquecimento e desmineralização dos ossos nos adultos devido a uma deficiência em vitamina D (na criança esta situação denomina-se raquitismo). O crescimento do osso normal requer um aporte adequado de cálcio e fósforo através da alimentação, mas o organismo não consegue absorver estes minerais sem que haja uma quantidade suficiente de vitamina D. O organismo obtém esta vitamina de certos alimentos e da ação da luz solar sobre a pele; a sua carência resulta em amolecimento e enfraquecimento dos ossos, que se tornam vulneráveis a fraturas.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.