Gostou do artigo? Compartilhe!

Rompimento de um vaso sanguíneo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que acontece quando um vaso sanguíneo se rompe?

O sangue1 de uma pessoa normalmente fica contido dentro do sistema vascular2. Quando um vaso se rompe ou é seccionado, num corte, por exemplo, o sangue1 extravasa para fora desse continente e ocorre uma hemorragia3.

As características clínicas e as repercussões dessa hemorragia3 dependem de vários fatores: se o vaso danificado foi uma artéria4 ou uma veia; do local em que ocorre; se foi um vaso de grande, médio ou pequeno calibre ou um capilar5; se o sangue1 flui para o exterior do corpo (hemorragia3 externa) ou para órgãos ou cavidades no interior do corpo (hemorragia3 interna).

Algumas hemorragias6 são simples e autorresolutivas e outras são graves e devem ser objeto de atenção médica urgente, podendo mesmo levar à morte. O nível baixo da coagulabilidade do sangue1 (hemofilia7, plaquetopenia8, uso de anticoagulantes9, etc.) adiciona outras variáveis à hemorragia3.

É comum adjetivar-se a hemorragia3 de acordo com o local em que ocorre: hemorragia3 nasal, hemorragia3 gástrica, hemorragia3 cerebral, etc. Embora não haja uma correspondência absoluta entre a localização e o volume da hemorragia3, ela sugere uma correlação aproximada entre as duas coisas.

Saiba mais sobre "Plaquetas10 baixas - o que fazer", "Hemorragia digestiva alta11" e "Hemorragia3 pós-parto".

Quais são as causas e consequências do rompimento de um vaso sanguíneo?

São muitas as razões pelas quais um vaso sanguíneo pode se romper: traumatismos violentos, ruptura de aneurismas arteriais ou de varizes12 dos membros inferiores ou do esôfago13, secção acidental ou criminosa de vasos sanguíneos14, tosse violenta, espirros poderosos, fragilidade constitucional dos vasos, etc. Em alguns casos, a pressão elevada dentro do sistema circulatório15 arterial (pressão arterial16) é um importante fator contribuinte para a formação de aneurismas e a ruptura de um vaso arterial.

As consequências do rompimento de um vaso sanguíneo dependem em grande parte do calibre e localização dele. O sangramento resultante pode variar desde hemorragias6 subcutâneas mínimas que aparecem apenas como pontilhados escuros na pele17 (petéquias18) até volumosos sangramentos como os que ocorrem, por exemplo, nas seções da artéria4 femoral.

Enquanto as primeiras são, em si mesmas, irrelevantes e só adquirem sua importância como sinal19 de alguma doença subjacente, a outra pode levar à morte.

Algumas formas mais comuns de hemorragias6 são os extravasamentos subcutâneos de maior volume que as petéquias18, chamadas púrpuras20, e as manchas roxas na pele17, chamadas também hematomas21 ou equimoses22, em geral devido a traumatismos.

Quais são as características clínicas do rompimento de um vaso sanguíneo?

Mais comumente, o rompimento de uma veia é representado pelo rompimento de varizes12, mas pode ser também devido a um trauma ou corte. A consequência imediata é a perda de grande quantidade de sangue1 que em casos graves pode levar à morte. Portanto, trata-se em geral de uma urgência23 médica. Também não é infrequente que haja o rompimento de uma veia no cérebro24, causando um acidente vascular cerebral25.

Já os rompimentos arteriais em geral são devidos a uma pressão arterial16 muito elevada. As consequências desse rompimento dependem do calibre do vaso rompido e do local onde ele se deu. O rompimento de uma pequena artéria4 do coração26 ou do cérebro24 pode levar a consequências graves ou à morte e esse rompimento com idênticas consequências pode ser ocasionado pelo rompimento de um aneurisma27 da aorta28 ou um rompimento acidental da artéria4 femoral.

Tão logo ocorra um sangramento, como decorrência da ruptura de um vaso sanguíneo, se inicia naturalmente o processo de hemostasia29. O processo da hemostasia29 é mobilizado pela lesão30 vascular2 que ocasiona a hemorragia3. A primeira coisa que ocorre é uma vasoconstrição31, que reduz o fluxo sanguíneo no vaso lesado. Em seguida, as plaquetas10 e os fatores de coagulação32 formam um tampão, que perdura até que o tecido33 vascular2 lesado se regenere, por ação dos fibroblastos34 e, em seguida, o sistema fibrinolítico35, pela lise36 progressiva do coágulo37 dissolve o trombo38, enquanto o vaso se regenera. A eficiência deste sistema de eventos depende de uma ação localizada, da não extensão e da rapidez do processo.

Se a lesão30 ocasionada ao vaso é de pequena monta, esse processo dá conta de estancar o sangramento. Mas, se é de maiores proporções, uma intervenção médica frequentemente urgente se faz necessária.

Leia sobre "Púrpura39", "Púrpura39 trombocitopênica imune", "Aneurisma27 de aorta abdominal40", "Aneurisma27 cerebral" e "Aneurisma27 da artéria4 coronária".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo Clinic Proceedings e da Mayo Clinic.

ABCMED, 2021. Rompimento de um vaso sanguíneo. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1400715/rompimento-de-um-vaso-sanguineo.htm>. Acesso em: 23 set. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
2 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
3 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
4 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
5 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
6 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
7 Hemofilia: Doença transmitida de forma hereditária na qual existe uma menor produção de fatores de coagulação. Como conseqüência são produzidos sangramentos por traumatismos mínimos, sobretudo em articulações (hemartrose). Sua gravidade depende da concentração de fatores de coagulação no sangue.
8 Plaquetopenia: Plaquetopenia ou trombocitopenia é a diminuição do número de plaquetas (trombócitos) que participam na coagulação. Habitualmente o sangue contém de 150.000 a 350.000 plaquetas por microlitro. Muitas doenças podem reduzir o número de plaquetas, as principais causas são uma produção insuficiente na medula óssea, o sequestro das plaquetas por um baço grande, o aumento do uso dos trombócitos, da sua destruição ou a sua diluição no sangue.
9 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
10 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
11 Hemorragia digestiva alta: É um termo que se refere a qualquer sangramento proveniente do gastrointestinal superior. O limite anatômico para o sangramento gastrointestinal superior é o ligamento de Treitz, que liga a quarta porção do duodeno ao diafragma, perto da flexura esplênica do cólon.
12 Varizes: Dilatação anormal de uma veia. Podem ser dolorosas ou causar problemas estéticos quando são superficiais como nas pernas. Podem também ser sede de trombose, devido à estase sangüínea.
13 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
14 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
15 Sistema circulatório: O sistema circulatório ou cardiovascular é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
16 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
17 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
18 Petéquias: Pequenas lesões da pele ou das mucosas, de cor vermelha ou azulada, características da púrpura. São lesões hemorrágicas, que não desaparecem à pressão, cujo tamanho não ultrapassa alguns milímetros.
19 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
20 Púrpuras: Lesões hemorrágicas de cor vinhosa, que não desaparecem à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
21 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
22 Equimoses: Manchas escuras ou azuladas devido à infiltração difusa de sangue no tecido subcutâneo. A maioria aparece após um traumatismo, mas pode surgir espontaneamente em pessoas que apresentam fragilidade capilar ou alguma coagulopatia. Após um período de tempo variável, as equimoses desaparecem passando por diferentes gradações: violácea, acastanhada, esverdeada e amarelada.
23 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
24 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
25 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
26 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
27 Aneurisma: Alargamento anormal da luz de um vaso sangüíneo. Pode ser produzida por uma alteração congênita na parede do mesmo ou por efeito de diferentes doenças (hipertensão, aterosclerose, traumatismo arterial, doença de Marfán, etc.).
28 Aorta: Principal artéria do organismo. Surge diretamente do ventrículo esquerdo e através de suas ramificações conduz o sangue a todos os órgãos do corpo.
29 Hemostasia: Ação ou efeito de estancar uma hemorragia; mesmo que hemóstase.
30 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
31 Vasoconstrição: Diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos.
32 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
33 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
34 Fibroblastos: Células do tecido conjuntivo que secretam uma matriz extracelular rica em colágeno e outras macromoléculas.
35 Sistema fibrinolítico: Ele está relacionado à formação e ação da plasmina, e é uma das diferentes vias proteolíticas que estão envolvidas no processo de ativação da coagulação sanguínea e no dos sistemas complemento e calicreína/cinina. Além de remover a fibrina da parede vascular, desempenha papel importante n a reconstituição do tecido, na transformação neoplásica, na função macrofágica, na ovulação, na implantação do embrião etc. Ainda existem sistemas fibrinolíticos alternativos como, por exemplo, a ação da elastase, uma enzima proteolítica contida em granulócitos que é capaz de quebrar uma variedade de substratos, incluindo o fibrinogênio e os fatores da coagulação.
36 Lise: 1. Em medicina, é o declínio gradual dos sintomas de uma moléstia, especialmente de doenças agudas. Por exemplo, queda gradual de febre. 2. Afrouxamento, deslocamento, destruição de aderências de um órgão. 3. Em biologia, desintegração ou dissolução de elementos orgânicos (tecidos, células, bactérias, microrganismos) por agentes físicos, químicos ou enzimáticos.
37 Coágulo: 1. Em fisiologia, é uma massa semissólida de sangue ou de linfa. 2. Substância ou produto que promove a coagulação do leite.
38 Trombo: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
39 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
40 Aorta Abdominal: Porção da aorta que tem início no DIAFRAGMA e termina na bifurcação em artérias ílicas comuns direita e esquerda.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Angiologia E Cirurgia Vascular?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.