Atalho: 65244Q8
Gostou do artigo? Compartilhe!

Aneurisma de aorta abdominal: conheça para evitar as complicações

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é aneurisma1?

O aneurisma1 é uma dilatação localizada e permanente da parede de um grande vaso sanguíneo, causado na maioria das vezes por enfraquecimento da parede do vaso, pela pressão do fluxo sanguíneo ou por uma inflamação2.

O que é aneurisma1 de aorta abdominal3?

O aneurisma1 pode ocorrer em qualquer vaso de maior calibre, sendo mais frequente na aorta abdominal3. Fala-se em aneurisma1 de aorta abdominal3 quando esta dilatação ocorre na parte abdominal da artéria4 aorta5. Esta condição é potencialmente grave, podendo resultar em hemorragia6 interna severa, estado de choque7 ou morte. No entanto, esta é uma doença facilmente detectável e que apresenta excelentes resultados quando tratada corretamente e em tempo.

Estima-se que 2 a 5% da população masculina acima de 60 anos seja portadora desta condição, embora a maioria não conheça o seu diagnóstico8.

Quais são os fatores de risco?

A causa exata é desconhecida, mas existem fatores de risco para o desenvolvimento de um aneurisma1 da aorta5. São eles:

  • Tabagismo.
  • Hipertensão arterial9 (pressão alta).
  • Dislipidemias (colesterol10 alto).
  • Sexo masculino.
  • Enfisema11.
  • Fatores genéticos (história familiar de aneurismas).
  • Obesidade12.
  • Aterosclerose13.
  • Idade acima de 60 anos.

Quais são os sintomas14?

Os aneurismas desenvolvem-se lentamente, ao longo de muitos anos e muitas vezes não apresentam sintomas14. Algumas vezes, os portadores relatam a percepção de uma pulsação abdominal, dor lombar ou sensação de peso abaixo das costelas15.

Uma condição comum associada ao desenvolvimento de aneurisma1 é a hipertensão arterial9.

Quando um aneurisma1 se expande rapidamente, está prestes a romper ou apresenta ruptura, os sintomas14 podem aparecer de maneira brusca.

Os sintomas14 de ruptura incluem:

  • Dor no abdome16 ou nas costas17 - é uma dor forte, súbita e persistente. A dor pode irradiar para a virilha, as nádegas18 ou as pernas.
  • Pele19 úmida.
  • Náuseas20 e vômitos21.
  • Frequência cardíaca acelerada.
  • Queda na pressão sanguínea.
  • Choque7.

Em casos de ruptura de aneurisma1, uma condição grave e potencialmente fatal, a média de sobrevivência22 após a ruptura é de cerca de oito horas. Ou seja, é uma ocorrência em que o tratamento cirúrgico imediato é essencial.

Como é feito o diagnóstico8?

Muitas vezes o aneurisma1 é encontrado inesperadamente durante o exame clínico ou na realização de exames complementares para diagnosticar outras doenças, ou seja, é um achado diagnóstico8.

Além do exame clínico, com ênfase para o exame do abdome16 e dos pulsos do paciente, o médico pode diagnosticar um aneurisma1 de aorta abdominal3 utilizando exames complementares como a radiografia simples de abdome16, a ultrassonografia23 abdominal e a tomografia computadorizada24. A angiotomografia computadorizada é o exame de escolha para fazer as medidas do aneurisma1.

Quando um aneurisma1 é diagnosticado, o médico encaminha o paciente para fazer um exame cardiovascular completo.

Como é o tratamento?

Nos casos de hemorragia6 interna em decorrência da ruptura de um aneurisma1 da aorta5, o reparo cirúrgico deve ser imediato.

Aqueles aneurismas em processo de ruptura ou em crescimento rápido têm indicação cirúrgica. No entanto, se o aneurisma1 é pequeno e não há sintomas14, você e seu médico devem decidir se o risco de fazer uma cirurgia é menor do que o risco de sangramento do aneurisma1.

O seu médico pode recomendar o acompanhamento do aneurisma1 com ultrassonografia23 a cada seis meses, para verificar se o aneurisma1 está crescendo.

Quanto maior o aneurisma1, maior o risco de ruptura.

A cirurgia é geralmente recomendada para pacientes25 que têm aneurismas maiores que o dobro do diâmetro do vaso não dilatado e para aneurismas que estão crescendo rapidamente. O objetivo é realizar uma cirurgia antes de desenvolver complicações ou sintomas14.

Como é a cirurgia?

Existem duas abordagens cirúrgicas:

  • Um reparo aberto (cirurgia convencional), no qual um grande corte é feito no abdome16. A porção dilatada do vaso é substituída por uma prótese26 de material sintético para restabelecer o fluxo sanguíneo.
  • A outra abordagem é chamada de técnica endovascular. Este procedimento coloca uma prótese26 internamente ao aneurisma1 e pode ser realizado com um corte menor no abdome16, o que proporciona uma recuperação mais rápida. Esta pode ser uma alternativa para tratar pessoas com outros problemas de saúde27, mas raramente é feita para casos em que houve sangramento do aneurisma1.

Cada caso deve ser avaliado pelo médico assistente.

Como é a resposta ao tratamento?

O resultado geralmente é bom se um cirurgião experiente repara o aneurisma1 antes dele se romper. No entanto, menos de 80% dos pacientes sobrevivem a uma ruptura de aneurisma1 abdominal.

Quais são as complicações possíveis de um aneurisma1 não tratado?

A complicação mais frequente é a rotura do aneurisma1 da aorta abdominal3 e constitui uma verdadeira emergência28 médica. Mas podem ocorrer outras complicações como:

  • Trombose29 ou embolia30 das artérias31 abaixo do aneurisma1.
  • Dissecção aórtica: é como uma rachadura na parede da aorta5 que faz com que o sangue32 circule entre as camadas da parede deste vaso. É uma emergência28 médica que pode levar à morte rapidamente.
  • Choque hipovolêmico33.
  • Insuficiência renal34.

O que fazer para evitar os aneurismas?

Para reduzir o risco de aneurismas devemos:

  • Ter uma dieta saudável.
  • Praticar exercícios físicos regularmente.
  • Parar de fumar (caso seja fumante).
  • Reduzir o estresse.
  • Reduzir o colesterol10.
  • Controlar a pressão arterial35 e a glicemia36.

Homens com mais de 65 anos, que já fumaram, devem fazer uma ultrassonografia23 abdominal pelo menos uma vez como um exame de triagem de aneurismas abdominais.

ABCMED, 2011. Aneurisma de aorta abdominal: conheça para evitar as complicações. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/242405/aneurisma-de-aorta-abdominal-conheca-para-evitar-as-complicacoes.htm>. Acesso em: 20 jul. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Aneurisma: Alargamento anormal da luz de um vaso sangüíneo. Pode ser produzida por uma alteração congênita na parede do mesmo ou por efeito de diferentes doenças (hipertensão, aterosclerose, traumatismo arterial, doença de Marfán, etc.).
2 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
3 Aorta Abdominal: Porção da aorta que tem início no DIAFRAGMA e termina na bifurcação em artérias ílicas comuns direita e esquerda.
4 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
5 Aorta: Principal artéria do organismo. Surge diretamente do ventrículo esquerdo e através de suas ramificações conduz o sangue a todos os órgãos do corpo.
6 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
7 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
8 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
9 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
10 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
11 Enfisema: Doença respiratória caracterizada por destruição das paredes que separam um alvéolo de outro, com conseqüente perda da retração pulmonar normal. É produzida pelo hábito de fumar e, em algumas pessoas, pela deficiência de uma proteína chamada Antitripsina.
12 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
13 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Costelas:
16 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
17 Costas:
18 Nádegas:
19 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
20 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
21 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
22 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
23 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
24 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
25 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
26 Prótese: Elemento artificial implantado para substituir a função de um órgão alterado. Existem próteses de quadril, de rótula, próteses dentárias, etc.
27 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
28 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
29 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
30 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
31 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
32 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
33 Choque hipovolêmico: Choque é um distúrbio caracterizado pelo insuficiente suprimento de sangue para os tecidos e células do corpo. O choque hipovolêmico tem como causa principal a perda de sangue, plasma ou líquidos extracelulares. É o tipo mais comum de choque e deve-se a uma redução absoluta e geralmente súbita do volume sanguíneo circulante em relação à capacidade do sistema vascular.
34 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
35 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
36 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Angiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.