Gostou do artigo? Compartilhe!

Hemostasia: o que é isso?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é hemostasia1?

De um modo simplificado, usa-se o termo hemostasia1 para a interrupção fisiológica2 de uma hemorragia3 ou para os procedimentos que têm por finalidade conter sangramentos. Hemostasia1 é, pois, o conjunto de mecanismos que faz cessar uma hemorragia3, mantendo o sangue4 dentro do vaso, sem coagular5 nem extravasar, e em que se previnem processos hemorrágicos6 espontâneos e se contêm sangramentos traumáticos. Esse processo depende da resistência e contratilidade dos vasos, da constituição e elasticidade7 dos tecidos periféricos, da atividade normal das plaquetas8, de um sistema adequado de coagulação9 e da estabilidade do coágulo10 que se forma.

Reconhecem-se três etapas da hemostasia1:

  1. Hemostasia1 primária.
  2. Coagulação9.
  3. Fibrinólise11.

Ela envolve os vasos sanguíneos12, os elementos celulares sanguíneos, as proteínas13 do plasma14, o sistema fibrinolítico15 e as proteínas13 anticoagulantes16.

Hemostasia

Como se dá o processo da hemostasia1?

O processo da hemostasia1 é mobilizado pela lesão17 vascular18 que ocasiona a hemorragia3. A primeira coisa que ocorre é uma vasoconstrição19, que reduz o fluxo sanguíneo no vaso lesado. Em seguida, as plaquetas8 e os fatores da coagulação9 formam um tampão, que perdura até que o tecido20 vascular18 lesado se regenere, por ação dos fibroblastos21 e, em seguida, o sistema fibrinolítico15, pela lise22 do coágulo10 dissolve o trombo23. A eficiência deste sistema de eventos depende de uma ação localizada, da não extensão e da rapidez do processo.

Quando ocorre falha ou excesso dos mecanismos homeostáticos têm-se as síndromes hemorrágicas24, as tromboses25 ou a coagulação9 intravascular26 disseminada.

Quais são as principais consequências dos distúrbios da hemostasia1?

Distúrbios adquiridos ou hereditários desse processo ocasionam doenças hemorrágicas24 ou trombóticas27. Alguns distúrbios envolvem alterações no fluxo, na composição do sangue4 ou na parede vascular18. Muitos apresentam defeito das plaquetas8 e alterações congênitas28 ou adquiridas das proteínas13 da coagulação9; outros são basicamente atribuídos ao meio ou apresentam quadro de hipercoagulabilidade29 adquirida. Chama-se trombofilia30 à predisposição à trombose31

ABCMED, 2014. Hemostasia: o que é isso?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/522744/hemostasia+o+que+e+isso.htm>. Acesso em: 10 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Hemostasia: Ação ou efeito de estancar uma hemorragia; mesmo que hemóstase.
2 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
3 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Coagular: Promover a coagulação ou solidificação; perder a fluidez, transformar-se em massa ou sólido.
6 Hemorrágicos: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
7 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
8 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
9 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
10 Coágulo: 1. Em fisiologia, é uma massa semissólida de sangue ou de linfa. 2. Substância ou produto que promove a coagulação do leite.
11 Fibrinólise: Processo de dissolução progressiva da fibrina e assim do coágulo, que posteriormente à sua formação deve ser dissolvido.
12 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
13 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
14 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
15 Sistema fibrinolítico: Ele está relacionado à formação e ação da plasmina, e é uma das diferentes vias proteolíticas que estão envolvidas no processo de ativação da coagulação sanguínea e no dos sistemas complemento e calicreína/cinina. Além de remover a fibrina da parede vascular, desempenha papel importante n a reconstituição do tecido, na transformação neoplásica, na função macrofágica, na ovulação, na implantação do embrião etc. Ainda existem sistemas fibrinolíticos alternativos como, por exemplo, a ação da elastase, uma enzima proteolítica contida em granulócitos que é capaz de quebrar uma variedade de substratos, incluindo o fibrinogênio e os fatores da coagulação.
16 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
17 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
18 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
19 Vasoconstrição: Diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos.
20 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
21 Fibroblastos: Células do tecido conjuntivo que secretam uma matriz extracelular rica em colágeno e outras macromoléculas.
22 Lise: 1. Em medicina, é o declínio gradual dos sintomas de uma moléstia, especialmente de doenças agudas. Por exemplo, queda gradual de febre. 2. Afrouxamento, deslocamento, destruição de aderências de um órgão. 3. Em biologia, desintegração ou dissolução de elementos orgânicos (tecidos, células, bactérias, microrganismos) por agentes físicos, químicos ou enzimáticos.
23 Trombo: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
24 Hemorrágicas: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
25 Tromboses: Formações de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Podem ser venosas ou arteriais e produzem diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
26 Intravascular: Relativo ao interior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
27 Trombóticas: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
28 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
29 Hipercoagulabilidade: Aumento da velocidade de coagulação do sangue.
30 Trombofilia: Tendência aumentada a apresentar fenômenos tromboembólicos, seja esta hereditária ou adquirida.
31 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Hematologia e Hemoterapia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.