Gostou do artigo? Compartilhe!

Dengue, Zika, Chikungunya e Mayaro - diferenciando os sintomas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

As arboviroses são as doenças causadas pelos chamados arbovírus, os quais incluem o vírus1 da dengue2, Zika vírus1, vírus1 da chikungunya, da febre3 Mayaro e da febre amarela4. A classificação "arbovírus" engloba todos aqueles transmitidos por artrópodes, ou seja, insetos e aracnídeos (como aranhas e carrapatos).

Saiba mais sobre "Dengue2", "Zika vírus1", "Chikungunya", "Febre3 Mayaro" e "Febre amarela4".

As arboviroses têm sintomas5 bem parecidos, com alguns detalhes que podem diferenciar uma patologia6 da outra. O quadro abaixo tem o intuito de ajudar nesta diferenciação.

O Ministério da Saúde7 continua alertando sobre a importância da população brasileira ajudar na prevenção dessas doenças de forma permanente, combatendo o Aedes Aegypti. Cada cidadão deve se dedicar durante 10 minutos por dia a inspecionar sua própria residência, verificar se não há nenhum depósito com a água parada, depósitos expostos à chuva ou qualquer objeto que possa acumular água. Estas ações são fundamentais para o combate ao mosquito transmissor da dengue2, zika, chikungunya e febre amarela4, pois essas doenças podem gerar outras enfermidades, como microcefalia8 e Guillain-Barré.

O período do verão é o mais propício à proliferação do mosquito Aedes aegypti, por causa das chuvas, sendo a época de maior risco de infecção9 por essas doenças. No entanto, é bom não descuidar durante as outras estações da ano.

O vírus1 Mayaro é transmitido por diferentes mosquitos — principalmente o Haemogogus — e causa principalmente febre3 e dores nas articulações10, que podem persistir por meses. Ele já é considerado endêmico na região Amazônica, mas há indícios de que pode ter se espalhado para outros locais, como os estados do Rio de Janeiro e São Paulo.

Leia sobre "Como combater a dengue2", "Os animais que mais matam no mundo" e "Síndrome11 congênita12 do Zika".

 

ABCMED, 2019. Dengue, Zika, Chikungunya e Mayaro - diferenciando os sintomas. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1339283/dengue-zika-chikungunya-e-mayaro-diferenciando-os-sintomas.htm>. Acesso em: 19 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
2 Dengue: Infecção viral aguda transmitida para o ser humano através da picada do mosquito Aedes aegypti, freqüente em regiões de clima quente. Caracteriza-se por apresentar febre, cefaléia, dores musculares e articulares e uma erupção cutânea característica. Existe uma variedade de dengue que é potencialmente fatal, chamada dengue hemorrágica.
3 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
4 Febre Amarela: Doença infecciosa aguda, de curta duração (no máximo 10 dias), gravidade variável, causada pelo vírus da febre amarela, que ocorre na América do Sul e na África. Os sintomas são: febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo, icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos) e hemorragias (de gengivas, nariz, estômago, intestino e urina). A única forma de prevenção é a vacinação contra a doença.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
8 Microcefalia: Pequenez anormal da cabeça, geralmente associada à deficiência mental.
9 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Articulações:
11 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
12 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Infectologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.