Gostou do artigo? Compartilhe!

Cálculo do IMC ou Índice de Massa Corporal: como está o seu peso?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que o IMC1 significa?

IMC1 significa Índice de Massa Corporal2. Ele é usado para indicar se você está abaixo do peso, com excesso de peso ou no peso ideal para a sua altura. É uma medida importante de se conhecer, pois se o seu peso varia acima ou abaixo da faixa ideal, seus riscos para algumas doenças podem aumentar.

Como faço para calcular o meu IMC1?

O IMC1 é calculado dividindo o peso corporal (em quilogramas) pelo quadrado da altura (em metros). A partir do resultado, basta olhar a tabela de referência e saber a zona de risco em que você se encontra.

Use a calculadora abaixo para calcular o seu IMC1 e verificar como está o seu peso. Coloque o seu peso corporal em quilogramas e a sua altura em metros. Ou seja, se você pesa 58.400 gramas e mede 1 metro e 75 centímetros, coloque na calculadora 58.4 para o peso e 1.75 para a altura. Clique em calcular e veja o resultado.

Tabela de referência
IMC1 (Kg/m²) Definição Risco de comorbidade3
< 18.5 Baixo peso  
18.5 a 24.9 Normal  
25 a 29.9 Pré-obeso Aumentado
30 a 34.9 Obesidade4 classe I Moderado
35 a 39.9 Obesidade4 classe II Grave
> 40 Obesidade4 classe III Muito grave

Legenda recomendada pela Organização Mundial de Saúde5

Baixo peso (IMC1 inferior a 18.5)

Você está abaixo do peso para a sua altura. É importante procurar manter-se dentro de sua faixa de peso saudável. Estar na faixa de peso saudável vai melhorar a capacidade do seu organismo de combater as infecções6 ou outras doenças.

Se você está preocupado com seu peso ou se você está perdendo peso sem esforço, converse com seu médico e nutricionista7 para se certificar de que não existem quaisquer outros problemas que causam isso.

Normal ou Peso saudável (IMC1 de 18.5 a 24.9)

Você está com o peso saudável para a sua altura. Recomendamos que você também verifique a sua relação cintura-quadril.

Procure manter-se dentro da faixa de peso ideal através de uma dieta saudável, bem equilibrada e faça exercícios regularmente. A maioria dos adultos deve fazer exercícios físicos regulares durante 30 minutos na maioria dos dias da semana.

Um estudo com idosos australianos mostrou que o estado geral de saúde5 pode ser mais importante do que estar levemente acima do peso. Alguns pesquisadores sugeriram que a faixa de IMC1 entre 22 e 26 kg/m² é aceitável para idosos australianos.

Pré-obeso ou Sobrepeso8 (IMC1 de 25 a 29.9)

Estar acima do peso aumenta o risco de desenvolver doenças coronarianas e outras condições de saúde5, como diabetes mellitus9. Manter um peso saudável vai ajudá-lo a controlar a sua pressão arterial10 e os seus níveis de colesterol11. Você perde peso quando a quantidade de energia que entra no seu corpo é menor do que o que está sendo usado por seu organismo. Isso geralmente acontece com pessoas que se dedicam a se exercitar mais e a comer uma dieta equilibrada e saudável. Para obter um aconselhamento médico e dietético individualizado, consulte o seu médico e um nutricionista7.

Obesidade4 (IMC1 superior a 30)

Com o aumento do IMC1, o risco de desenvolver doenças coronarianas, diabetes mellitus9 ou alguns tipos de câncer12 aumenta. É importante que você tome medidas para reduzir o seu peso corporal. A boa notícia é que mesmo perder pequenas quantidades de peso pode beneficiar a sua saúde5. Você perde peso quando a quantidade de energia que entra no seu corpo é menor do que o que está sendo usado por seu organismo. Isso geralmente acontece com pessoas que se dedicam a se exercitar mais e a comer uma dieta equilibrada e saudável.

A obesidade4 está associada a alguns riscos à saúde5, tais como apneia13 do sono, osteoartrite14, pressão arterial10 elevada (hipertensão arterial15), resistência insulínica (diabetes tipo 216), colesterol11 elevado, doenças coronarianas, acidentes vasculares17 cerebrais (AVC ou derrame18), muitos tipos de câncer12, depressão, morte prematura, dentre outros.

Para obter um aconselhamento médico e dietético individualizado consulte o seu médico e um nutricionista7. Se o seu IMC1 está acima de 35, o seu médico poderá aconselhá-lo sobre algumas opções adicionais disponíveis para ajudá-lo na perda de peso.

Mais informações:

Qual é a precisão do IMC1?

O IMC1 é uma medida útil para a maioria das pessoas com mais de 18 anos. No entanto, existem algumas limitações no seu uso, pois ele pode ser influenciado pela idade, sexo e etnia.

Por exemplo, pessoas brevilíneas19 e/ou musculosas podem ser consideradas obesas sem o serem de fato. Para idosos e crianças, é necessário seguir tabelas especiais de IMC1. Já os indianos, paquistaneses e bengaleses que estão com o índice de massa corpórea (IMC1) acima de 28 devem ser considerados obesos por serem mais suscetíveis ao diabetes mellitus9 e a doenças cardíacas.

A partir do IMC1 também não é possível diferenciar os componentes "gordo" e "magro" da massa corporal.

Fale com o seu médico, um nutricionista7 ou um profissional especializado sobre o seu peso e sua saúde5 física.

Se você estiver grávida, o IMC1 não se aplica. Você deve procurar o seu obstetra e conversar com ele sobre o que representa um peso saudável durante a gestação.

ABCMED, 2013. Cálculo do IMC ou Índice de Massa Corporal: como está o seu peso?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/obesidade/372460/calculo-do-imc-ou-indice-de-massa-corporal-como-esta-o-seu-peso.htm>. Acesso em: 10 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
2 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
3 Comorbidade: Coexistência de transtornos ou doenças.
4 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
8 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
9 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
10 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
11 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
12 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
13 Apnéia: É uma parada respiratória provocada pelo colabamento total das paredes da faringe que ocorre principalmente enquanto a pessoa está dormindo e roncando. No adulto, considera-se apnéia após 10 segundos de parada respiratória. Como a criança tem uma reserva menor, às vezes, depois de dois ou três segundos, o sangue já se empobrece de oxigênio.
14 Osteoartrite: Termo geral que se emprega para referir-se ao processo degenerativo da cartilagem articular, manifestado por dor ao movimento, derrame articular, etc. Também denominado artrose.
15 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
16 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
17 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
18 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
19 Brevilíneas: De linhas ou dimensões curtas. Em anatomia geral; indivíduo que apresenta tronco e membros mais curtos que a média da espécie.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Endocrinologia e Metabologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.