Gostou do artigo? Compartilhe!

Quantas vezes você urina por dia? Conheça os principais transtornos do volume e da frequência da micção

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

A micção1 normal

Uma pessoa adulta saudável que tenha uma dieta comum produz entre 1000 e 2000 ml de urina2 por dia. Um volume diário de urina2 superior a 2,5 L foge ao padrão normalmente encontrado, a menos que o indivíduo beba líquidos em excesso ou sofra de alguma doença. O volume mínimo de urina2 necessário para remover do organismo os produtos residuais é de cerca de 0,5 L em um homem de 70 kg. Um volume de menos de 0,4 L indica desidratação3 grave ou insuficiência renal4 aguda.

Uma grande ingestão de líquidos aumenta a quantidade de urina2 produzida; uma grande privação ou perda de líquido através da transpiração5, vômitos6 ou diarreia7 conduz a uma produção diminuída de urina2. Em geral, nos humanos saudáveis, o volume de urina2 eliminado durante o dia é o dobro do produzido na noite. Em desordens patológicas esta proporção pode ser alterada passando o indivíduo a eliminar igual volume nos dois períodos ou mais urina2 durante a noite.

Em média, uma pessoa urina2 de quatro a sete vezes durante o dia, com intervalo de cerca de duas horas entre elas. À noite, a frequência do ato de urinar varia desde pessoas que não sentem vontade de urinar durante toda a noite até outras que têm de interromper o sono uma ou duas vezes para urinar.

Quais são os transtornos de volume e de frequência da micção1?

Os transtornos do volume e frequência urinária são: (1) anúria8, (2) oligúria9, (3) poliúria10 e (4) polaciúria. Outros termos relacionados com esses problemas são (5) nictúria11, (6) disúria12, (7) urgência13 urinária, (8) incontinência urinária14 e (9) retenção urinária15.

1 - Anúria8

A anúria8 é a diminuição drástica ou supressão total da excreção urinária. Fala-se que há anúria8 quando a drenagem16 de urina2 é inferior a 100 mililitros por dia. A anúria8 pode ser de causa (A) pré-renal17, decorrente, por exemplo, de choque18 com diminuição da irrigação sanguínea; (B) renal17, devido a doenças dos rins19, como glomerulonefrite20 aguda, necrose21 tubular, infarto22 renal17, etc. ou (C) pós-renal17, por obstrução dos canais ou vias excretoras urinárias. As condições mais comumente associadas à anúria8 são infeções do sistema urinário23, problemas da próstata24, fibrose25 retroperitonial e doenças renais.

Saiba mais sobre "Desidratação3", "Insuficiência renal4 aguda", "Infecção26 urinária" e "Obstrução das vias urinárias".

2 - Oligúria9

A oligúria9 é uma redução importante do volume urinário normal. Como a anúria8, a oligúria9 também pode ser pré-renal17, renal17 ou pós-renal17. A causa mais frequente de oligúria9 é a desidratação3 que, por seu turno, pode ser causada por diarreias ou febres, sobretudo em lactentes27 e crianças pequenas. A oligúria9 pode, ainda, ser devida a obstruções parciais das vias urinárias, próstata24 aumentada, queda grave da pressão arterial28, graves hemorragias29, queimaduras e insuficiência renal4. Se não tratada adequadamente, a oligúria9 pode levar à insuficiência renal4.

3 - Poliúria10

A poliúria10 consiste na eliminação de uma quantidade excessiva de urina2, geralmente acima de 2,5 litros de urina2 por dia. A poliúria10 e a polidipsia30 (sede excessiva) se retroalimentam reciprocamente. A poliúria10 também não é uma doença, mas um sintoma31 comum a várias condições fisiológicas32 ou patológicas. As causas mais comuns da poliúria10 são o diabetes mellitus33, a polidipsia30 primária ou potomania34 e o diabetes35 insípidus. A poliúria10 pode também ser desencadeada por várias substâncias químicas com efeitos diuréticos36, como medicamentos, cafeína e álcool, por exemplo, por fibrilação auricular, parto e remoção de uma obstrução no trato urinário37.

Leia sobre "Polidipsia30 e potomania34", "Diabetes35" e "Diabetes35 insípidus".

4 - Polaciúria

Polaciúria ou polaquiúria é um sintoma31 urinário caracterizado por aumento do número de micções38 com diminuição do volume da urina2, ou seja, urinar pouca quantidade muitas vezes ao dia. Pode vir associada à disúria12 (dor ou queimação ao urinar), dor na parte inferior do abdômen e urgência13 para urinar. A polaciúria é diferente da poliúria10 pois esta significa urinar muito, em grande volume. Entre crianças, urinar 5 a 12 vezes por dia é normal, e mais de 12 vezes por dia é excessivo. Entre adolescentes e adultos até 6 vezes é normal, mais que 6 vezes em pequeno volume caracteriza polaciúria.

5 - Nictúria11

Chama-se nictúria11 ao fato da pessoa urinar uma ou várias vezes durante a noite, interrompendo o sono, de maneira que o volume de secreção urinária noturno pode ser maior do que o diurno. A nictúria11 pode ser de causa cardíaca (insuficiência cardíaca39 congestiva), hepática40 (insuficiência hepática41), autoimune42 ou renal17 (insuficiência renal4 crônica).

Veja mais sobre "Insuficiência cardíaca39", "Insuficiência renal4 crônica" e "Insuficiência hepática41".

6 - Disúria12

Etimologicamente, disúria12 seria qualquer dificuldade para urinar, mas o termo é mais usado quando há uma sensação de dor, ardor43 ou desconforto ao urinar. Ocorre mais comumente em mulheres, na maioria das vezes causada por uma infecção26 urinária, embora possa acontecer também em homens e tenha uma grande variedade de causas.

7 - Urgência13 urinária

Em alguns casos, a urgência13 em urinar é uma vontade tão súbita e forte que não dá tempo de chegar ao banheiro. Normalmente, a partir de um certo momento, a pessoa não consegue controlar voluntariamente a emissão de urina2 e as primeiras porções dela acabam sendo vertidas na roupa. Depois que a pessoa começa a perder urina2, não mais consegue interromper o fluxo.

8 - Incontinência urinária14

Na Incontinência urinária14 a pessoa perde urina2 involuntariamente, de forma contínua ou intermitente44, espontânea ou por um esforço físico como rir, tossir, espirrar, etc. Ela pode dever-se a doenças que afetem o sistema urinário23, mas sua probabilidade aumenta com o envelhecimento e é pelo menos duas vezes mais comum em mulheres que em homens. Também a obesidade45, doenças neurológicas ou diabetes35 podem aumentar o risco de incontinência46.

9 - Retenção urinária15

Retenção urinária15 é o acúmulo de urina2 na bexiga47 resultante da incapacidade real de eliminá-la. Pode dever-se a um aumento exagerado da próstata24, devido à hiperplasia48 prostática benigna ou ao câncer49 da próstata24, infecções50, medicações anestésicas, pedras na bexiga47, cistocele51 (queda da bexiga47), estreitamento uretral52, etc. Em alguns casos, sobretudo nos crescimentos prostáticos, resta alguma porção de urina2 na bexiga47 (urina2 residual), após uma micção1 voluntária considerada completa.

Leia também sobre "Incontinência urinária14", "Hiperplasia48 prostática benigna", "Cistocele51" e "Perda involuntária53 de urina2 em mulheres".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas em parte dos sites da The British Association of Urological Surgeons (BAUS), da European Association of Urology e da Urology Care Foundation da American Urological Association.

ABCMED, 2019. Quantas vezes você urina por dia? Conheça os principais transtornos do volume e da frequência da micção. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1334113/quantas-vezes-voce-urina-por-dia-conheca-os-principais-transtornos-do-volume-e-da-frequencia-da-miccao.htm>. Acesso em: 5 jul. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Micção: Emissão natural de urina por esvaziamento da bexiga.
2 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
3 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
4 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
5 Transpiração: 1. Ato ou efeito de transpirar. 2. Em fisiologia, é a eliminação do suor pelas glândulas sudoríparas da pele; sudação. Ou o fluido segregado pelas glândulas sudoríparas; suor. 3. Em botânica, é a perda de água por evaporação que ocorre na superfície de uma planta, principalmente através dos estômatos, mas também pelas lenticelas e, diretamente, pelas células epidérmicas.
6 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
7 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
8 Anúria: Clinicamente, a anúria é o débito urinário menor de 400 ml/24 horas.
9 Oligúria: Clinicamente, a oligúria é o débito urinário menor de 400 ml/24 horas ou menor de 30 ml/hora.
10 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
11 Nictúria: Aumento da eliminação de urina durante a noite. Pode ser um sinal de insuficiência cardíaca, doença renal ou distúrbios edematosos.
12 Disúria: Dificuldade para urinar. Pode produzir ardor, dor, micção intermitente, etc. Em geral corresponde a uma infecção urinária.
13 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
14 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
15 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
16 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
17 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
18 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
19 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
20 Glomerulonefrite: Inflamação do glomérulo renal, produzida por diferentes mecanismos imunológicos. Pode produzir uma lesão irreversível do funcionamento renal, causando insuficiência renal crônica.
21 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
22 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
23 Sistema urinário: O sistema urinário é constituído pelos rins, pelos ureteres e pela bexiga. Ele remove os resíduos do sangue, mantêm o equilíbrio de água e eletrólitos, armazena e transporta a urina.
24 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
25 Fibrose: 1. Aumento das fibras de um tecido. 2. Formação ou desenvolvimento de tecido conjuntivo em determinado órgão ou tecido como parte de um processo de cicatrização ou de degenerescência fibroide.
26 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
27 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
28 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
29 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
30 Polidipsia: Sede intensa, pode ser um sinal de diabetes.
31 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
32 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
33 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
34 Potomania: Hábito ou mania de ingerir líquidos com frequência e em quantidade exagerada.
35 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
36 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
37 Trato Urinário:
38 Micções: Emissão natural de urina por esvaziamento da bexiga.
39 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
40 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
41 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
42 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
43 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
44 Intermitente: Nos quais ou em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo. Em medicina, diz-se de episódios de febre alta que se alternam com intervalos de temperatura normal ou cujas pulsações têm intervalos desiguais entre si.
45 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
46 Incontinência: Perda do controle da bexiga ou do intestino, perda acidental de urina ou fezes.
47 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
48 Hiperplasia: Aumento do número de células de um tecido. Pode ser conseqüência de um estímulo hormonal fisiológico ou não, anomalias genéticas no tecido de origem, etc.
49 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
50 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
51 Cistocele: Hérnia da bexiga.
52 Uretral: Relativo ou pertencente à uretra.
53 Involuntária: 1.    Que se realiza sem intervenção da vontade ou que foge ao controle desta, automática, inconsciente, espontânea. 2.    Que se encontra em uma dada situação sem o desejar, forçada, obrigada.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.