Gostou do artigo? Compartilhe!

Estou com muita sede. Será que estou doente? É polidipsia? É potomania? O que será?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é polidipsia1?

Polidipsia1 consiste em apresentar sede em demasia e, como consequência, uma tendência incontrolável de ingerir líquidos, geralmente água. A polidipsia1 não é uma doença, mas uma condição sintomatológica que pode acontecer em diversas doenças, embora haja uma polidipsia1 primária, chamada potomania2.

Quais são as causas da polidipsia1?

Muitas vezes o aumento da sede é apenas episódico, como reação à perda de líquidos durante um exercício ou devido ao consumo de alimentos salgados, por exemplo. Entretanto, em alguns casos a polidipsia1 é causada por uma perda anormal de água por parte do organismo, principalmente através da urina3. Esta perda, por sua vez, pode dever-se, entre outras, a diversas causas, como um mau funcionamento dos rins4 ou à presença de grandes quantidades de eletrólitos5 no sangue6, nomeadamente o sódio. Outras causas comuns de poliúria7 (aumento da produção e excreção de urina3) e, consequentemente, de polidipsia1, são os diversos tipos de diabetes8: diabetes mellitus9 (principalmente), diabetes8 renal10, diabetes8 hipofisária e outros tipos menos comuns. Existe uma polidipsia1 psicogênica11 (potomania2), na qual os pacientes têm um desejo compulsivo de beber quantidades excessivas de água. A potomania2 resulta sempre de alguma desordem mental, tais como esquizofrenia12, transtorno bipolar ou depressão. A razão pela qual esses pacientes desenvolvem uma sede insaciável ainda não é bem conhecida, mas parece resultar de desequilíbrios neuroquímicos associados a essas doenças.

Quais são os outros sinais13 e sintomas14 que acompanham a polidipsia1?

Este sintoma15 em si já exige cuidados e atenções médicas porque pode ser causado por enfermidades importantes e que precisam de tratamento, apesar de não ser indicadora de nenhuma doença extremamente grave e fatal. Normalmente a polidipsia1 não é um sintoma15 que aparece isoladamente, mas que se faz acompanhar de outros sintomas14, como a poliúria7 e a polifagia16 (aumento da necessidade de comer). Além desses, ocorrem também os sinais13 e sintomas14 próprios às enfermidades subjacentes.

Os sinais13 e sintomas14 da polidipsia1 psicogênica11 incluem aumento da sede, aumento da frequência urinária, náuseas17, vômitos18, confusão mental e, eventualmente, convulsões. Os pacientes com essa condição podem chegar a beber dez litros de líquido por dia e podem desenvolver hiponatremia19 (deficiência orgânica de sódio), em que a concentração de sódio no sangue6 fica muito baixa.

Como o médico diagnostica a polidipsia1?

O diagnóstico20 da polidipsia1 depende de uma história clínica bem feita, que procure determinar também as causas do sintoma15. Além de um exame físico detalhado o médico pode solicitar exames de sangue6 e de urina3 para ajudar no diagnóstico20 da polidipsia1 e de suas causas.

Como o médico trata a polidipsia1?

O tratamento da polidipsia1 consiste em tratar as suas causas. A polidipsia1 psicogênica11 requer a participação de um psiquiatra ou de um psicólogo, além de uma abordagem psicoterápica para o tratamento adequado.

Quais são as complicações possíveis da polidipsia1?

Devido à grande quantidade de água que bebem, as pessoas com polidipsia1 podem vir a sofrer enfermidades por um desequilíbrio das soluções salinas do corpo.

ABCMED, 2015. Estou com muita sede. Será que estou doente? É polidipsia? É potomania? O que será?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/757917/estou-com-muita-sede-sera-que-estou-doente-e-polidipsia-e-potomania-o-que-sera.htm>. Acesso em: 5 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Polidipsia: Sede intensa, pode ser um sinal de diabetes.
2 Potomania: Hábito ou mania de ingerir líquidos com frequência e em quantidade exagerada.
3 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
4 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
5 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
6 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
7 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
8 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
9 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
10 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
11 Psicogênica: 1. Relativo à psicogenia ou psicogênese, ou seja, relativo à origem e desenvolvimento do psiquismo. 2. Relativo a ou próprio de fenômenos somáticos com origem psíquica.
12 Esquizofrenia: Doença mental do grupo das Psicoses, caracterizada por alterações emocionais, de conduta e intelectuais, caracterizadas por uma relação pobre com o meio social, desorganização do pensamento, alucinações auditivas, etc.
13 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Polifagia: Fome excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
17 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
18 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
19 Hiponatremia: Concentração de sódio sérico abaixo do limite inferior da normalidade; na maioria dos laboratórios, isto significa [Na+] < 135 meq/L, mas o ponto de corte [Na+] < 136 meq/L também é muito utilizado.
20 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Endocrinologia E Metabologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.