Gostou do artigo? Compartilhe!

Taurina - Como ela age no organismo?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a taurina?

A taurina é um aminoácido não essencial, isto é, produzido pelo corpo humano1 na sua fase adulta e não dependente de fontes externas. É o apelido comum do ácido 2-aminoetanossulfônico, encontrado em abundância em alimentos normalmente consumidos pelas pessoas, como peixes, frutos do mar, carne de frango, de aves, bovina e suína, beterraba, feijão, nozes, castanhas e bebidas energéticas.

A taurina é sintetizada no fígado2 e no cérebro3 a partir da metionina e cisteína, em parceria com a vitamina4 B6.

Quais são as funções da taurina no organismo?

A taurina é um aminoácido com múltiplas funções biológicas no organismo. Ela tem sido utilizada em uma ampla variedade de suplementos dietéticos e bebidas energéticas como estimulante, e vários efeitos benéficos são atribuídos a ela, como um papel importante no funcionamento do cérebro3, dos músculos5, do sistema cardiovascular6 e do sistema nervoso central7.

Ela melhora o desempenho físico e cognitivo8, aumenta a resistência ao exercício, promove a hidratação celular e tem propriedades antioxidantes. Ela está também envolvida na regulação do equilíbrio de eletrólitos9 no corpo, ajudando a manter a estabilidade das células10 e a função dos nervos. A taurina ainda participa na formação da bile11, que é importante para a digestão12 de gorduras, e desempenha um papel antioxidante, ajudando a proteger as células10 contra danos causados por radicais livres.

Ela pode ajudar a aumentar o fluxo sanguíneo para o músculo esquelético13 e acelerar a sua recuperação, reduzindo o cansaço dos demais músculos5. Também melhora o funcionamento do metabolismo14 de glicose15 e aminoácidos, ajuda a prevenir o diabetes16, estabiliza os níveis de colesterol17 no sangue18, tem grande importância na absorção dos lipídios pelo intestino delgado19 e marcante efeito diurético20, ajudando as pessoas que precisam desse tipo de ação. É ainda benéfica para o sistema imunológico21, isso porque as pesquisas demonstraram que a taurina modula a ação de células10 T e reduz a presença de neutrófilos22 no processo inflamatório.

No entanto, as evidências científicas sobre os efeitos benéficos da taurina são confusas e alguns dos resultados obtidos nos estudos são contraditórios.

Leia sobre "Maca peruana", "Whey protein", "Creatina" e "Tiamina".

Formas de apresentação da taurina

Existem várias formas de apresentação da taurina, incluindo:

  • suplementos em cápsulas ou comprimidos;
  • na forma de pó solúvel em água, sucos ou outros líquidos;
  • como ingrediente comum em muitas bebidas energéticas disponíveis no comércio.

Essas bebidas contêm uma combinação de taurina, cafeína e outros estimulantes, destinados a fornecer energia. Com o objetivo de evitar a perda de massa muscular, diminuindo o metabolismo14 proteico, o ideal é tomar 500 miligramas de suplemento três vezes ao dia. A taurina em líquido é mais indicada para manter a hidratação e melhorar o condicionamento físico.

É importante observar que ela é considerada segura quando consumida nas doses recomendadas, no entanto, as doses podem variar de acordo com o objetivo e, como acontece com qualquer suplemento ou substância, é sempre aconselhável seguir as orientações de dosagem fornecidas por um profissional de saúde23 antes de iniciar qualquer regime de suplementação24 com taurina, porque já foram levantadas preocupações sobre o consumo excessivo desse aminoácido. Altas doses podem ter efeitos colaterais25 negativos em algumas pessoas, especialmente naquelas com problemas preexistentes de saúde23.

Quais são os riscos e as contraindicações do uso da taurina?

Apesar de algumas controvérsias, a taurina é considerada segura quando consumida em quantidades moderadas, dentro dos limites diários recomendados, não devendo-se ultrapassar a dose de 1500 mg/dia. É importante notar que o consumo excessivo de bebidas energéticas que contêm taurina pode ter efeitos adversos devido à combinação de taurina com outros ingredientes, como cafeína e açúcar26, em altas quantidades. É sempre recomendado moderar o consumo de bebidas energéticas e evitar a superdosagem, pois o excesso pode gerar uma sobrecarga renal27.

As pessoas hipertensas, as gestantes ou mulheres que estejam amamentando, as portadoras de doença hepáticas28 e renais e com problemas cardíacos, bem como crianças de 0 a 16 anos e idosos em idade avançada devem evitar altas concentrações presentes em suplementos e bebidas energéticas.

Leia também sobre "Composição corporal", "Probióticos29 e Prebióticos" , "Suplementos alimentares" e "Benefícios do ômega 3 para a saúde23".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Columbia University Irving Medical Center e da University of Rochester Medical Center.

ABCMED, 2023. Taurina - Como ela age no organismo?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1440105/taurina-como-ela-age-no-organismo.htm>. Acesso em: 21 mai. 2024.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
2 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
3 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
4 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
5 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
6 Sistema cardiovascular: O sistema cardiovascular ou sistema circulatório sanguíneo é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
7 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
8 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
9 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
10 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
11 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
12 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
13 Músculo Esquelético: Subtipo de músculo estriado fixado por TENDÕES ao ESQUELETO. Os músculos esqueléticos são inervados e seu movimento pode ser conscientemente controlado. Também são chamados de músculos voluntários.
14 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
15 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
16 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
17 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
18 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
19 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
20 Diurético: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
21 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
22 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
23 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
24 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
25 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
26 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
27 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
28 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
29 Probióticos: Suplemento alimentar, rico em micro-organismos vivos, que afeta de forma benéfica seu consumidor, através da melhoria do balanço microbiano intestinal.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.