Gostou do artigo? Compartilhe!

Os chás caseiros e suas propriedades

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Os chás caseiros são bebidas preparadas através da infusão de folhas, flores, raízes, tubérculos e caules de diversas plantas, geralmente preparadas com água quente. Cada variedade de planta adquire um sabor definido de acordo com o processamento utilizado, que pode incluir oxidação, fermentação e o contato com outras ervas, especiarias e frutos, e têm ações benéficas sobre a saúde1 geral das pessoas.

Eles quase sempre correspondem a uma “receita da vovó” e pertencem a uma época em que a farmacologia2 sintética era menos desenvolvida e as pessoas recorriam mais ao poder medicinal das plantas e ervas. Embora suplantados em eficácia pelos medicamentos modernos, eles conservam suas propriedades medicinais e podem atuar como coadjuvantes3 importantes e até mesmo indispensáveis dos tratamentos atuais.

Eles são recursos que ajudam a melhorar o desempenho geral das pessoas, como é, por exemplo, o caso do consumo do chimarrão pela população do sul do Brasil. A bebida, legada a séculos pela cultura indígena, tem um efeito estimulante que certamente contribuiu para sua manutenção até os dias atuais.

Entre a população geral é muito difundida a ideia de que “o chá de ..... é bom para .....”. Ou seja, os chás estão muito próximos da ideia de que são “bons para tudo”. São dezenas ou centenas de chás caseiros aos quais são atribuídos efeitos benéficos e terapêuticos. Tudo isso, embora tenha uma base no acúmulo da sabedoria popular ao longo do tempo e, pois, contenha alguma ponta de verdade, não conta ainda com o apoio de pesquisas científicas inconteste.

Na maior parte dos casos, esses chás não ocasionam nenhum inconveniente ostensivo às pessoas que fazem uso deles, embora um estudo mais minucioso possivelmente revelaria alguns efeitos colaterais4 nocivos em alguns deles. De qualquer maneira, eles se mostram úteis como coadjuvantes3 de tratamentos oficiais, mas nunca devem ser usados em substituição a eles.

Por exemplo, existem chás aconselhados para diminuir a taxa de açúcar5 no sangue6, mas não devem ser usados em substituição ao tratamento do diabetes7; existem chás dos quais se diz terem um efeito de emagrecer, mas não devem ocupar o lugar das diretrizes do nutricionista8; existem chás tidos como capazes de reduzir o colesterol9, mas não devem dispensar as receitas do cardiologista10; etc. 

Leia sobre "Homeopatia", "Massoterapia" e "Cromoterapia".

Quais são os principais chás caseiros e para que servem? 

Há mais de três centenas de chás caseiros ditos medicinais, os quais possuem reais ou supostos princípios ativos que ajudam no tratamento de determinados problemas de saúde1. Alguns deles são utilizados há centenas de anos e, além de contribuírem com a saúde1 e o bem-estar, são saborosos (outros nem tanto) e podem ser bons companheiros nos dias mais frios.

Esse texto aborda apenas alguns deles, possivelmente os mais comuns:

  1. O chá-verde é um tipo de chá feito a partir da infusão da planta Camellia sinensis. É chamado de verde porque as folhas da erva sofrem pouca oxidação durante o processamento, conservando sua cor verde, o que não acontece com as folhas do chá-preto. A crença popular é que ele melhora a função cerebral, ajuda a emagrecer, ajuda no desempenho físico, diminui o risco de câncer11, afasta as doenças neurodegenerativas, combate infecções12, diminui o risco de diabetes7, diminui os riscos de doenças cardíacas, melhora o humor, aumenta a expectativa de vida13 e faz bem para a digestão14.
  2. O chá preto é um dos quatro tipos de chá mais usados no mundo. É o tipo de chá mais comum no Ocidente, tanto em saquinhos como em folhas. Na China, é chamado de chá vermelho. Grande parte do chá preto consumido internacionalmente é produzido na Índia. É dito ser bom para prevenir o envelhecimento precoce, facilitar a digestão14, tratar a diarreia15, diminuir o apetite, emagrecer, ajudar a controlar o diabetes7, ajudar a limpar a pele16, diminuir o colesterol9, prevenir a aterosclerose17 e o infarto18, manter o cérebro19 em alerta e ajudar na prevenção do câncer11.
  3. O chá de hortelã é feito com as folhas da planta. As folhas frescas dão a este chá de menta um aroma e sabor muito agradáveis. Como ele não contém cafeína, a pessoa pode desfrutar de uma xícara de chá antes de dormir sem se preocupar se isso vai atrapalhar seu sono. A hortelã é considerada uma planta medicinal com propriedades analgésicas, digestivas, antigripais. Além disso, ela beneficia o sistema respiratório20, é calmante e anti-inflamatória, auxilia na digestão14, é rica em vitaminas e antioxidantes, trata o colesterol9 alto e tem ação termogênica.
  4. O chá de camomila é feito de planta medicinal da espécie Matricaria recutita, rica em compostos fenólicos, glicosídeos e óleos essenciais que lhe conferem propriedades calmantes, antiespasmódicas, anti-inflamatórias, cicatrizantes e antimicrobianas, sendo, por isso, popularmente muito utilizada como remédio caseiro para ansiedade, insônia, má digestão14, cólica menstrual ou cicatrização de feridas. No Brasil, é um hábito comum tomar um pouco de chá de camomila antes de dormir para ajudar no sono ao longo da noite. A camomila também tem efeito protetor contra câncer11, ajuda a controlar o açúcar5 no sangue6, faz bem para o coração21 e alivia a dor de cabeça22.
  5. O chá de hibisco, especialmente o que é feito com as flores do Hibiscus sabdariffa, conhecido no Brasil como vinagreira, possui aroma muito agradável. Na África ocidental, é vendido como refresco nas ruas. Para preparar o chá de hibisco, a infusão é feita a partir do botão da planta. Os benefícios do chá de hibisco são muitos: diminui a pressão arterial23, ajuda a perder peso, controla o colesterol9, evita a retenção de líquidos e melhora a saúde1 do fígado24.
  6. O gengibre é uma raiz comestível. O chá de gengibre pode trazer vários benefícios para a saúde1, desde combater a dor de garganta25 e resfriados, ajudar a emagrecer, até tratar má digestão14, azia26, enjoo, gastrite27, resfriados, colesterol9 alto, pressão alta, tosse e problemas de circulação28 sanguínea, por exemplo. Além disso, por ser um potente antioxidante e anti-inflamatório, o chá de gengibre também ajuda na prevenção de algumas doenças como câncer11, diabetes7 e obesidade29.
  7. O chá de erva-cidreira é feito com planta da espécie Melissa officialis, da família do boldo e da hortelã, também conhecida como capim-limão. A planta, de gosto limonado e aroma cítrico, é usada desde a Idade Média na Europa, norte da África e oeste da Ásia devido às propriedades medicinais que apresenta. Tem propriedades calmantes, analgésicas, antiespasmódicas, antioxidantes e anti-inflamatórias e é aliada contra a ansiedade e a depressão.
  8. O chá de sabugueiro é feito a partir da planta medicinal Sambucus nigra (sabugueiro) que pode ser comprada em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e em algumas feiras livres. Tem ação expectorante e anti-inflamatória, é rico em substâncias antioxidantes e cicatrizantes, tem alto teor de vitamina30 C e fibras e ajuda a manter a saúde1 do coração21 e dos vasos sanguíneos31. Os efeitos colaterais4 do sabugueiro podem incluir reações alérgicas variadas. Além disso, os frutos do sabugueiro se consumidos em excesso podem ter um efeito laxativo32.
  9. chá de valeriana é feito a partir das raízes e caules subterrâneos da planta valeriana. Dentre os possíveis benefícios do chá estão a melhoria na qualidade do sono, diminuição do estresse, alívio dos sintomas33 menstruais e até mesmo uma redução dos sintomas33 da menopausa34.
  10. O chá de manjericão é feito da planta manjericão-de-folha-larga, originária da Ásia e África, que mede aproximadamente 60 centímetros de altura. É facilmente identificada pelos seus galhos com muitas ramificações, com suas folhas de formato oval, e pela sua cor verde clara com flores brancas e um pouco rosadas. É uma erva aromática, rica em óleos essenciais e tem ótimas quantidades de taninos, saponinas e flavonoides, com propriedades antiespasmódica, digestiva, diurética, sedativa e antioxidante que ajudam a prevenir e combater problemas de saúde1, como gripes, pressão alta, infarto18 ou insônia.
  11. O chá de carqueja é feito da planta medicinal da espécie Baccharis trimera, muito utilizada como remédio caseiro para regular a pressão arterial23 e os níveis de açúcar5 no sangue6, combater a retenção de líquidos, melhorar o funcionamento do fígado24, diminuir o colesterol9 ruim, ajudar no combate a inflamações35, auxiliar no tratamento da gastrite27, combater vermes intestinais e, além disso, ajudar no fortalecimento do sistema imunológico36 e no emagrecimento.
  12. O chá de erva-doce é feito da planta Pimpinella anisum. É consumida popularmente como chá depois das refeições, porque realmente apresenta benefícios comprovados para promover melhor digestão14 e aliviar problemas gastrointestinais. Além disso, o chá contém uma grande quantidade de vitamina30 C e antioxidantes, pode ser um ótimo chá para cólica menstrual e possui efeito calmante.
  13. O chá de canela é feito a partir de uma especiaria chamada canela obtida a partir da casca interna de várias espécies de árvores do gênero Cinnamomum. O termo "canela" também se refere à cor acastanhada da especiaria depois de moída. O chá de canela ajuda no controle do diabetes7, promove o emagrecimento, previne cáries37 e mau hálito, melhora a saúde1 mental, sexual e o humor, previne as doenças cardiovasculares38, melhora a digestão14, previne o câncer11 e reforça o sistema imunológico36.
  14. O chá de limão com mel é um dos chás mais conhecidos e populares, aconselhado no tratamento das gripes e resfriados. Quando a ele se acrescenta o alho, fica ainda mais completo. O mel atua como anti-inflamatório e fluidificante das secreções, o limão é rico em vitamina30 C e o alho contém elementos antivirais. Ele ajuda na congestão nasal e na dor de cabeça22, além de facilitar a digestão14 e contar com os efeitos cicatrizantes e antibactericidas do mel.
  15. O chá de alho é preparado através da infusão da planta Allium sativum, o popular alho, muito conhecido como tempero. O alho é rico em antioxidantes, indicado para coadjuvar o tratamento de várias condições. Como vasodilatador, previne doenças cardiovasculares38, é rico em vitamina30 C, auxilia na produção de glóbulos brancos, ajuda a reduzir os níveis de colesterol9, retarda o envelhecimento da pele16, elimina a tosse e auxilia na perda de peso.
Veja também: "[EBOOK] Mulher - Vida Longa e Saudável" e "Medicina Preventiva - como evitar doenças".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente do site da Universidade Federal da Paraíba.

ABCMED, 2022. Os chás caseiros e suas propriedades. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1419175/os+chas+caseiros+e+suas+propriedades.htm>. Acesso em: 9 dez. 2022.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Farmacologia: Ramo da medicina que estuda as propriedades químicas dos medicamentos e suas respectivas classificações.
3 Coadjuvantes: Que ou o que coadjuva, auxilia ou concorre para um objetivo comum.
4 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
5 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
6 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
7 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
8 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
9 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
10 Cardiologista: Médico especializado em tratar pessoas com problemas cardíacos.
11 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
12 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
13 Expectativa de vida: A expectativa de vida ao nascer é o número de anos que se calcula que um recém-nascido pode viver caso as taxas de mortalidade registradas da população residente, no ano de seu nascimento, permaneçam as mesmas ao longo de sua vida.
14 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
15 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
16 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
17 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
18 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
19 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
20 Sistema Respiratório: Órgãos e estruturas tubulares e cavernosas, por meio das quais a ventilação pulmonar e as trocas gasosas entre o ar externo e o sangue são realizadas.
21 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
22 Cabeça:
23 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
24 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
25 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
26 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
27 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
28 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
29 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
30 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
31 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
32 Laxativo: Mesmo que laxante. Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamento que trata da constipação intestinal; purgante, purgativo, solutivo.
33 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
34 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
35 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
36 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
37 Cáries: Destruição do esmalte dental produzida pela proliferação de bactérias na cavidade oral.
38 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.