Gostou do artigo? Compartilhe!

Massoterapia: ela é diferente da massagem?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é massoterapia?

A massoterapia, popularmente mais conhecida como massagem, pode ser uma prática recreativa ou uma terapia de aplicação de pressão e deslizamento com as mãos1 ou de vibração sobre partes do corpo constituídas por tecidos macios, como músculos2, tendões3, ligamentos4 e tecidos conectivos.

A massoterapia existe há milhares de anos. Os chineses registram que a massagem era usada como método de cura desde o período 3000 a.C. e na cultura hindu ela existe desde 1500 a.C..Tem-se evidências de que a massagem era usada terapeuticamente na Grécia, Roma e Egito antigos, entre outras culturas. No Ocidente, ela era usada na Europa desde o Renascimento e nos Estados Unidos ganhou força a partir da década de 1850.

Leia sobre "Medicina alternativa", "Drenagem5 linfática" e "Quiropraxia".

Existem diferenças entre massoterapia e massagem?

Algumas pessoas consideram não haver diferença entre elas. De fato, do ponto de vista da prática são uma mesma coisa. A principal diferença entre a massagem e a massoterapia está na formação dos profissionais.

O massoterapeuta é um profissional com formação técnica para executar diferentes tipos de massagem. O curso técnico em Massoterapia tem, em média, dois anos e 1.200 horas de duração, e nele são adquiridos conhecimentos em anatomia e fisiologia6 que embasam a prática da massagem terapêutica7.

Já o massagista é um profissional que busca fazer um curso livre para especializar-se em uma técnica específica de massagem.

Enquanto o massoterapeuta está habilitado a praticar uma massagem com finalidades terapêuticas, o massagista geralmente a aplica de uma forma quase diletante e recreativa, em busca apenas de um maior bem-estar.

Por que fazer massagem/massoterapia?

O poder da massagem para produzir bem-estar é comprovadamente profundo e de longo alcance. Ela promove a redução do estresse, da tensão e da sensação de isolamento ou solidão. Mas, a massagem terapêutica7, ou massoterapia, vai muito além disso, pois pode aliviar determinadas dores corporais e/ou tensões psicológicas, promovendo um relaxamento muscular, liberando o organismo de toxinas8, aumentando a flexibilidade, estimulando a circulação9 sanguínea e linfática, a mobilidade e a elasticidade10.

A massoterapia hoje em dia é um elemento da medicina holística e alternativa que envolve o tratamento de certas condições no corpo por meio de técnicas de massagem. A massoterapia, contudo, tem também suas contraindicações e não deve ser aplicada sobre machucados ou escoriações11 na pele12, nem em qualquer tipo de tumor13 de natureza desconhecida.

Tipos de massoterapia

Existem centenas de técnicas de massagem, cada uma delas em geral inerente a um povo, um país ou uma região geográfica. Basicamente, as técnicas de massagem dividem-se em duas grandes categorias: (1) massagens energéticas e (2) massagens fisiológicas14.

As primeiras buscam a reorientação da energia vital e as segundas buscam a desintoxicação do organismo através da eliminação do ácido lático das fibras musculares15, além de auxiliar o retorno venoso16 e linfático17.

Cada uma delas se bifurca em centenas de correntes e estilos diferentes. Hoje em dia, existem massagens aplicadas para praticamente todos os fins e até mesmo as grandes empresas incorporam a massagem nos seus pacotes de incentivos.

Deve caber ao massoterapeuta avaliar as necessidades de cada um e escolher o melhor método para a aplicação. Ele deve ser treinado para compreender o corpo e as questões fisiológicas14 e emocionais para as quais seus clientes procuram assistência. Diferente da massagem comum, que utiliza a mesma técnica de aplicação para todos os pacientes, na massoterapia as pessoas são submetidas a uma série de técnicas diferentes, de acordo com sua necessidade.

A título de ilustração, nos referimos a dois tipos comuns de massoterapia. Um tipo é, por exemplo, a massagem de tecidos profundos; o outro é a massagem esportiva, usada em atletas antes de eventos esportivos para reduzir o risco de lesões18 e após as lidas esportivas, para ajudar a aliviar a inflamação19 e a tensão causadas por esforço muscular excessivo durante atividades de alta intensidade.

Existem várias outras formas de massagem terapêutica7, todas as quais podem ser usadas também para ajudar a tratar doenças e condições médicas. Embora alguns sugiram que os efeitos de cura da massoterapia são simplesmente uma resposta placebo20 à natureza reconfortante do toque humano, muitos estudos indicam que a massagem pode realmente beneficiar aqueles que buscam alívio da dor, da tensão ou de problemas funcionais no corpo.

Veja também sobre "Cromoterapia", "Fisioterapia21" e "Atenção Plena ou Mindfulness"

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo Clinic e da Cleveland Clinic.

ABCMED, 2021. Massoterapia: ela é diferente da massagem?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1401050/massoterapia-ela-e-diferente-da-massagem.htm>. Acesso em: 23 set. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
2 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
3 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
4 Ligamentos: 1. Ato ou efeito de ligar(-se). Tudo o que serve para ligar ou unir. 2. Junção ou relação entre coisas ou pessoas; ligação, conexão, união, vínculo. 3. Na anatomia geral, é um feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições. É uma expansão fibrosa ou aponeurótica de aparência ligamentosa. Ou também uma prega de peritônio que serve de apoio a qualquer das vísceras abdominais. 4. Vestígio de artéria fetal ou outra estrutura que perdeu sua luz original.
5 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
6 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
7 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
8 Toxinas: Substâncias tóxicas, especialmente uma proteína, produzidas durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capazes de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
9 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
10 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
11 Escoriações: Ato ou efeito de escoriar-se; esfolar-se, ferir-se.
12 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
13 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
14 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
15 Fibras Musculares: Células grandes, multinucleadas e individuais (cilídricas ou prismáticas) que formam a unidade básica do tecido muscular esquelético. Constituídas por uma substância mole contrátil, revestida por uma bainha tubular. Derivam da união de MIOBLASTOS ESQUELÉTICOS com o sincício, seguida de diferenciação.
16 Retorno venoso: Quantidade de sangue que chega ao coração por minuto. Somos capazes de manter o débito cardíaco se, proporcionalmente, tivermos retorno venoso adequado. Ele só é possível devido à contração dos músculos esqueléticos que ajudam a comprimir as veias impulsionando o sangue e devido às válvulas existentes nas paredes das veias que impedem o refluxo do sangue. Outro mecanismo que favorece o retorno venoso é a respiração. Durante a inspiração, pela contração da musculatura inspiratória, faz-se um “vácuo” dentro da cavidade torácica, favorecendo o retorno venoso.
17 Linfático: 1. Na histologia, é relativo à linfa, que contém ou que conduz linfa. 2. No sentido figurado, por extensão de sentido, a que falta vida, vigor, energia (diz-se de indivíduo); apático. 3. Na história da medicina, na classificação hipocrática dos quatro temperamentos de acordo com o humor dominante, que ou aquele que, pela lividez das carnes, flacidez dos músculos, apatia e debilidade demonstradas no comportamento, atesta a predominância de linfa.
18 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
19 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
20 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
21 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.