Atalho: 590ZFPJ
Gostou do artigo? Compartilhe!

Cólica menstrual ou dismenorreia. Como lidar com ela?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são cólicas1 menstruais ou dismenorreia2?


São contrações uterinas dolorosas durante a menstruação3. Estas contrações são às vezes incapacitantes. Cerca de 50% das mulheres que menstruam apresentam cólicas1. Esta condição é tão comum que muitas mulheres não relatam este distúrbio em suas consultas com um ginecologista, o que atrapalha no diagnóstico4 e no tratamento adequados.

 

Existe algum sintoma5 além da dor abdominal?


A dor no abdome6 pode ser um desconforto ou uma sensação de peso no baixo ventre ou nas costas7. Algumas vezes, pode ser uma dor de moderada a muito forte, inclusive acompanhada de náuseas8, vômitos9, diarréia10 e dor de cabeça11.

 

Como a dismenorreia2 é classificada?


Ela pode ser classificada de acordo com as suas causas em:

  • Dismenorreia2 primária: é a cólica menstrual que não está relacionada a problemas específicos no útero12 ou em outros órgãos pélvicos13. Geralmente ocorre após as primeiras menstruações, diminuindo de intensidade por volta dos 20 anos de idade ou com a gravidez14.
  • Dismenorreia2 secundária: é a dor menstrual que está relacionada a alguma alteração nos órgãos do aparelho reprodutivo feminino, como miomas uterinos, infecções15 pélvicas16, malformações17 uterinas ou da vagina18, endometriose19, varizes20 uterinas e uso de DIU (dispositivo intra-uterino). O mais comum é começar após cerca de dois anos do início da primeira menstruação3 (menarca21).

 

O que eu posso fazer para reduzir as cólicas1 menstruais?

  • Faça exercícios leves como caminhadas, alongamentos, alguns exercícios de yoga pois eles ajudam a aliviar a dor.
  • Beba uma xícara de chá de camomila ou de erva-doce morno.
  • Deite de costas7, coloque as pernas um pouco elevadas e tente relaxar.
  • Use compressas mornas na região lombar22 (nas costas7) e no abdome6.
  • Tome um banho morno, preferencialmente em uma banheira.
  • Evite a exposição a situações estressantes durante as menstruações.
  • O uso de anticoncepcional pode ajudar no alívio das cólicas1. Eles devem ser prescritos por um ginecologista e somente usados com indicação médica.
  • Reduza a ingestão de gordura23 animal, derivados do leite e ovos. Aumente o consumo de frutas, vegetais, grãos e nozes.

 

Como é o tratamento?

 

O tratamento da dismenorreia2 primária inclui o uso de medicações como os anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) dias antes da menstruação3 e durante todo o período menstrual, para diminuir a produção de prostaglandinas24, as quais aumentam a contração uterina.

Podem ser prescritos anticoncepcionais em uso contínuo (sem intervalos) para que os ciclos sejam anovulatórios, reduzindo as cólicas1.

Os diuréticos25 e antiespasmódicos ajudam em alguns casos, além da psicoterapia.


O tratamento da dismenorréia2 secundária é indicado de acordo com a causa e deve ser avaliado individualmente por um especialista.

ABCMED, 2010. Cólica menstrual ou dismenorreia. Como lidar com ela?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/54150/colica-menstrual-ou-dismenorreia-como-lidar-com-ela.htm>. Acesso em: 11 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
2 Dismenorréia: Dor associada à menstruação. Em uma porcentagem importante de mulheres é um sintoma normal. Em alguns casos está associada a doenças ginecológicas (endometriose, etc.).
3 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
4 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
5 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
7 Costas:
8 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
9 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
10 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
11 Cabeça:
12 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
13 Pélvicos: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
14 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
15 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
16 Pélvicas: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
17 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
18 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
19 Endometriose: Doença que acomete as mulheres em idade reprodutiva e consiste na presença de endométrio em locais fora do útero. Endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação. Os locais mais comuns da endometriose são: Fundo de Saco de Douglas (atrás do útero), septo reto-vaginal (tecido entre a vagina e o reto ), trompas, ovários, superfície do reto, ligamentos do útero, bexiga e parede da pélvis.
20 Varizes: Dilatação anormal de uma veia. Podem ser dolorosas ou causar problemas estéticos quando são superficiais como nas pernas. Podem também ser sede de trombose, devido à estase sangüínea.
21 Menarca: Refere-se à ocorrência da primeira menstruação.
22 Região Lombar:
23 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
24 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
25 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia e Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

10/11/2011 - Comentário feito por priscila
Re: Cólica menstrual ou dismenorreia. Como lidar com ela?
sinto muitas dores de cólicas é horrível ainda mais quem tem filhos para cuidar, mas devemos seguir a risca o que o medico diz, higiene é muito importante e evita muitos problemas.

  • Entrar
  • Assinar