Gostou do artigo? Compartilhe!

Você sabe o que é rutina?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é rutina?

A rutina, também conhecida como vitamina1 P, constitui um grupo de compostos vegetais chamados flavonoides. Quando, na década de 1930, foram extraídos pela primeira vez de uma laranja, pensava-se que eram um novo tipo de vitamina1 e chamaram-no de vitamina1 P. Logo depois, percebeu-se que não preenchiam todos os requisitos para uma vitamina1 e, desde então, a denominação de vitamina1 P não é mais usada.

Existem vários tipos de flavonoides encontrados em frutas, vegetais, chá, cacau e vinho. São eles que dão cor às plantas de que derivam, fornecem proteção a elas contra os raios ultravioleta do sol, contra infecções2 e podem oferecer algum benefício à saúde3 humana. No entanto, esses compostos não são essenciais à vida, como são as vitaminas, sem as quais não se consegue viver. A equivocadamente denominada vitamina1 P foi descoberta em 1936 pelo bioquímico húngaro Albert Szent-Gyorgyi.

Os flavonoides, também conhecidos como bioflavonoides, são uma família de compostos vegetais com seis subclasses. Eles existem nas plantas para ajudar a prevenir infecções2, proteger contra o sol e estresses ambientais e atrair insetos para polinização. Eles também são responsáveis ​​pela cor de muitas frutas e vegetais de cores marcantes, como frutas vermelhas, cerejas e tomates. Atualmente, são conhecidos mais de 6.000 flavonoides, distribuídos em seis classes:

  1. Flavonóis, encontrados na alface, tomate, cebola, couve, maçã, uva, chás e vinho tinto, ligados a muitos benefícios diferentes para a saúde3, incluindo um menor risco de doenças cardíacas.
  2. Flavonas, algumas vezes usadas também em produtos de beleza; são encontradas em tomates, peras, morangos e trigo.
  3. Flavanóis, encontrados em frutas como banana, amoras, pêssegos, maçãs e peras.
  4. Flavanonas, encontradas em todas as frutas cítricas, como laranjas, limões e toranjas; ajudam a tornar as infecções2 mais brandas, atuam como antioxidantes, reduzem o colesterol4 e favorecem níveis mais baixos de gordura5 no sangue6.
  5. Isoflavonas, encontradas principalmente em leguminosas e soja e, menos comumente, em outras plantas. Algumas são consideradas fitoestrogênios, uma forma de estrogênio que pode ser obtido dos alimentos.
  6. Antocianidinas, presentes numa grande variedade de frutas e vegetais, como uvas vermelhas, framboesas, morangos, amoras, mirtilos e amora silvestre. A cor dessas frutas vermelhas, roxas e azuis vem das antocianinas.
Leia sobre "Micronutriente ou oligoelemento", "Macronutrientes7" e "Dicas para melhorar a sua alimentação".

Usos terapêuticos da rutina

Os flavonoides não são considerados nutrientes essenciais. Isso significa que o corpo não precisa deles para crescer ou se desenvolver, mas comer alimentos ricos em flavonoides pode ajudar a diminuir o risco de certas doenças crônicas.

Ainda não se conhece todos os benefícios que os flavonoides podem proporcionar à saúde3, mas já se sabe que alguns benefícios potenciais incluem efeitos antioxidantes. O corpo produz radicais livres, moléculas instáveis ​​que podem danificar as células8. Esse dano pode levar à inflamação9 e contribuir para outros problemas como câncer10 e doenças cardíacas.

A inflamação9 tem sido implicada como uma possível origem de inúmeras doenças locais e sistêmicas como câncer10, distúrbios cardiovasculares, diabetes mellitus11 e doença celíaca. Os flavonoides demonstraram ter efeitos antioxidantes, que ajudam a neutralizar os radicais livres, podendo ser úteis na prevenção de doenças crônicas, embora o corpo não os absorva tão bem quanto outros antioxidantes como a vitamina1 C, por exemplo. Eles também podem agir na prevenção de doenças cardíacas, diminuindo o risco delas.

Sua atividade antioxidante, além de atuar contra a inflamação9, ajuda a diminuir a pressão arterial12. Os flavonoides também reduzem o risco de diabetes tipo 213, melhorando a forma como o corpo digere os carboidratos e usa a glicose14.

Quanto ao cérebro15, os flavonoides agem diminuindo a inflamação9 e protegendo o sistema vascular16 que o irriga. Uma revisão recente sugeriu que a ingestão dietética de flavonoides está associada a um risco reduzido de diferentes tipos de câncer10, incluindo câncer10 gástrico, de mama17, de próstata18 e colorretal. Estudos observacionais e ensaios clínicos19 sobre os cânceres hormônio20-dependentes (mama17 e próstata18) mostraram benefícios dos flavonoides.

Embora nenhuma associação significativa tenha sido encontrada entre a ingestão de flavonoides e a mortalidade21 por doença cardiovascular, os ensaios clínicos19 mostraram melhora da função endotelial e redução da pressão arterial12.

Enfim, a pesquisa sobre flavonoides é promissora, mas ainda é cedo para determinar todos os seus valores em relação à saúde3. Embora eles não sejam essenciais para a saúde3 como as vitaminas, podem ser encontrados em muitas frutas e vegetais bons para o corpo. É sabido que uma boa alimentação desempenha um papel importante na saúde3 do coração22 e no risco geral de doenças.

Como ingerir flavonoides: dieta ou suplementos?

Ainda que a pessoa possua uma dieta rica em frutas e vegetais, não há necessariamente uma riqueza de flavonoides em seu organismo. O preparar e armazenar os alimentos faz com que eles percam alguns flavonoides. As frutas e legumes que precisam ser descascadas ou cozidas para serem comidas resultam em perda de flavonoides, assim como as cebolas guardadas fora da geladeira. Também fatores ambientais, como qualidade do solo e amadurecimento, devem ser levados em consideração.

Para aquelas pessoas que não têm muita ingestão de frutas e vegetais, existem inúmeros suplementos de flavonoides no mercado. A boa notícia é que não há efeitos adversos associados à alta ingestão deles e a má notícia é que tomar suplementos de flavonoides não é o mesmo que obtê-los naturalmente de frutas e vegetais, já que os alimentos possuem outras vitaminas e nutrientes que ajudam na absorção de flavonoides.

Ao optar por suplementos de flavonoides, é importante escolher ofertas de alta qualidade que tenham sido testados quanto à pureza. Mesmo monitorados pela vigilância sanitária dos países que os preparam, eles não são tão estritamente regulamentados quanto os produtos farmacêuticos, o que significa que nem sempre são absolutamente seguros e eficazes.

Outra má notícia é que a relativa falta de risco é devido à sua baixa biodisponibilidade. Isso pode explicar porque os flavonoides são antioxidantes incríveis em tubos de ensaio e muito menos no corpo humano23. Além disso, alguns estudos lançam dúvidas sobre se os suplementos de flavonoides são realmente inofensivos.

Veja também sobre "Hipovitaminoses", "Suplementos alimentares" e "O que é uma alimentação saudável".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Revista Médica de Minas Gerais e da Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde.

ABCMED, 2022. Você sabe o que é rutina?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1411445/voce+sabe+o+que+e+rutina.htm>. Acesso em: 26 jun. 2022.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
5 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
6 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
7 Macronutrientes: Os macronutrientes fornecem as calorias aos alimentos. São eles: carboidratos, proteínas e lipídeos.
8 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
9 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
10 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
11 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
12 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
13 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
14 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
15 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
16 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
17 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
18 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
19 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
20 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
21 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
22 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
23 Corpo humano: O corpo humano é a substância física ou estrutura total e material de cada homem. Ele divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros. A anatomia humana estuda as grandes estruturas e sistemas do corpo humano.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.