Atalho: 6KPRL88
Gostou do artigo? Compartilhe!

As frutas que você mais come

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

As frutas têm grande valor nutritivo, além de certos efeitos sobre a fisiologia1 e até mesmo atuam beneficamente sobre determinadas enfermidades. Elas, contudo, não devem ser vistas como tratamento para nenhum quadro clínico, mas apenas como medidas coadjuvantes2, de efeitos limitados. Elas não substituem as medicações, quando necessárias, e seus efeitos só se referem aos sintomas3, não às causas das doenças. As propriedades aqui apontadas só valem para o consumo regular e prolongado da fruta e não para o uso esporádico delas.

Laranja: a laranja é uma fruta híbrida4, pouco calórica, criada a partir do cruzamento do pomelo e da tangerina. Pode ser descascada e comida ao natural, espremida para obter suco ou usada para fazer doces, bolos ou geleias. O sabor da laranja varia do doce ao levemente ácido. Os pequenos caroços duros, habitualmente não comidos, podem ser usados em algumas receitas. Igualmente, a casca pode ser usada em diversos pratos, seja como ornamentação, seja para acrescentar sabor a eles. A camada branca entre a casca e os gomos, raramente é utilizada. A laranja é muito conhecida como importante fonte de vitamina5 C, mas também contém outros nutrientes, como proteínas6, gorduras, outras vitaminas (A, B1, B2, B3) e sais minerais (cálcio, potássio, fósforo, sódio, enxofre, magnésio, cloro, silício e ferro).

Banana: embora pareça uma fruta banal, devido à sua abundância, a banana é essencial à boa alimentação e ao combate de uma série de condições fisiológicas7 alteradas (câimbras8, hipertensão arterial9, diarreias, anemias, enjoos, entre outras). As bananas geralmente são comidas ao natural, mas podem ser fritadas, cozidas em água, assadas ou usadas sob as formas de doces, bolos, tortas, sorvetes, etc. As espécies de bananas mais comuns no Brasil são a nanica, a prata, a banana-terra e a banana maçã. Embora em 70% seja composta de água, a banana contém três açúcares naturais (sacarose, frutose10 e glicose11) e é rica em fibras, potássio, vitaminas A e C. A banana também é muito rica em outros minerais (cálcio, ferro, magnésio) e outras vitaminas (B6, B12), sendo indicada para crianças anêmicas, mulheres grávidas e pessoas alérgicas. A banana é ótima para combater a diarreia12 infantil e deve ser dada à criança nesta ocasião.

Maçã: há diversas espécies de maçãs. Dependendo da espécie, a maçã pode ter casca verde, amarela ou vermelha e seu sabor pode variar de adocicado até o levemente ácido. No Brasil, as modalidades mais consumidas são a fuji, a gala, a red, a verde e a melrose. A maçã pode ser consumida em sua forma natural ou ser utilizada na fabricação de sucos, doces, tortas e bebidas (bebida alcoólica). Da sua casca seca pode-se fazer um chá que tem propriedades diuréticas. O melhor, no entanto, é consumi-la ao natural e com casca, pois aí se concentram seus principais nutrientes. Frutifica melhor em locais de clima frio. A maçã é um fruto com tantas propriedades salutares que um ditado inglês diz: “An apple a day keeps the doctor away” (uma maçã por dia mantém o médico afastado). A maçã é um fruto cuja casca contém pectina (que ajuda a reduzir o colesterol13) e, além disso, é rica em vitaminas B1, B2, niacina, ferro, fósforo, sódio e magnésio. Ajuda, entre outras coisas, no controle do colesterol13, da diarreia12, da hipertensão arterial9, da anemia14, além de contribuir na prevenção do câncer15 do cólon16, próstata17 e pulmão18. Cada 100 gramas de maçã tem, em média, 55 calorias19 e 1,5 grama20 de fibras.

Manga: a manga é uma fruta típica de regiões quentes (tropicais), rica em vitaminas A, B e C e em elementos como cálcio, fósforo, ferro, potássio e carboidratos. A manga contém elementos que fazem parte das enzimas digestivas e da absorção dos nutrientes e que são auxiliares dos movimentos peristálticos21 intestinais. A manga possui, ainda, boa quantidade de potássio (embora menor do que o abacate, a banana, a laranja e o mamão), fósforo, magnésio e ferro. Esses últimos elementos contidos nessa fruta, entram na composição dos músculos22, do sangue23, dos ossos, dos dentes e dos hormônios. A manga “limpa” os radicais livres do organismo, além de ser um excelente antioxidante. Seu uso é recomendado em casos de bronquite e escorbuto24 e como depurativa do sangue23. Ela pode ser consumida ao natural, espremida como suco, utilizada em doces, sorvetes, etc. Cada 100 gramas de manga fornecem, em média, 64,3 calorias19.

Abacaxi: o abacaxi, fruta própria de regiões e épocas quentes, é rico em vitaminas A, B e C, fosfatos, ferro e magnésio. Cerca de 86% de sua composição é de água, mas ele também possui bromelina, uma enzima25 capaz de degradar certas proteínas6, sendo útil para favorecer a expectoração26 e a eliminação de germes que se agarram à luz intestinal por meio de mucos. O abacaxi parece contribuir com a destruição das células27 cancerosas, além de evitar enjoos e vômitos28 (inclusive os causados pela cinetose29), a prisão de ventre e a má digestão30. Pode ser consumido em sua forma natural, espremido como suco, levado ao forno ou usado sob a forma de doces, de bebidas, sorvetes ou picolés. Soluções feitas a partir do abacaxi, quando aplicadas ao couro cabeludo, ajudam a evitar a caspa (dermatite seborreica31). As propriedades do abacaxi desaparecem quando a fruta é submetida a temperaturas muito altas, como as que são necessárias para o cozimento e, por isso, é melhor que ele seja consumido cru.

Mamão: o mamão é originário da América Tropical. Existem muitas modalidades de mamão. As variedades de mamão mais conhecidas e usadas no Brasil são o mamão papaia, o mamão formosa, o mamão-da-baía, o mamão-macho e o mamão-da-índia. Quando maduro, o mamão apresenta um sabor doce e suave e é rico em vitaminas A, C e E, carboidratos, cálcio, ferro e potássio. Funciona como laxante32, calmante, diurético33 e digestivo e ajuda no combate às inflamações34 e na coagulação35 do sangue23. O mamão contém fibrina36, uma substância raramente encontrada fora do corpo, especialmente valiosa na coagulação35 do sangue23. Na dermatologia, tem efeito cicatrizante. Pode ser consumido maduro, em sua forma natural ou como suco, ou verde, sob a forma de doce. Da espécie papaia aproveita-se quase tudo: da parte interna do tronco pode-se retirar e comer a polpa, que depois de ralada e seca, assemelha-se ao coco; das raízes cozidas extrai-se um tônico para os nervos; das folhas prepara-se um chá digestivo; do suco extraído das folhas faz-se um vermífugo, usado também como digestivo e para tratar eczemas37, verrugas e úlceras38; das flores prepara-se um xarope que combate a rouquidão, tosse, bronquite e gripe39. Além disso, a casca pode ser esfregada sobre a pele40 para tirar manchas, suavizar a cútis áspera e eliminar rugas. As sementes frescas, quando mastigadas, eliminam vermes intestinais e são eficazes contra câncer15 e tuberculose41. Cada 100 gramas de mamão tem, em média, 50 calorias19.

Abacate: o principal produtor mundial de abacate é o México. O abacate é uma fruta rica em vitamina5 E (embora contenha também vitaminas A, B e C), gordura42 monoinsaturada, sais minerais (fósforo, cálcio, ferro, potássio, magnésio) e glutationa (um poderoso antioxidante). Além disso, contém açúcar43, lecitina, tanino, fitosterol, ácidos oleico, linoleico e palmítico e mais proteína que qualquer outra fruta. A gordura42 do abacate, a mesma do óleo de oliva, por ser de origem vegetal, não aumenta o colesterol13 LDL44 (“mau” colesterol13), mas aumenta o colesterol13 HDL45 (colesterol13 “bom”). Pode ser consumido em sua forma natural (a polpa), em saladas, espremido sob a forma de suco ou de maionese e creme para aplicação sobre a pele40 (amaciante, hidratante) ou o couro cabeludo (para eliminar a caspa ou para amaciar os cabelos). Tem efeitos benéficos, entre outras condições, na osteoporose46, eliminação de gases, reumatismo47 e gota48. Contribui para o bom estado das artérias49, dilata os vasos sanguíneos50, abaixa a pressão arterial51 e tem ação anti-inflamatória.

Uva: existem várias espécies de uva. As mais conhecidas no Brasil são a uva itália, a niágara, a branca e a rosada. De acordo com a espécie, a uva pode ser de cor preta, rosada ou verde. A uva é uma fruta rica em sais minerais (cálcio, ferro, fósforo, magnésio, sódio e potássio), vitaminas C e do complexo B e tem, entre outros, efeitos calmantes, diuréticos52, laxativos53, antirreumáticos e antibronquíticos. As modalidades vermelhas têm efeitos antioxidantes e anticancerígenos, além de evitar o envelhecimento precoce e as uvas verdes têm efeitos antivirais e antibacterianos. Quanto mais escuras, mais as uvas contêm flavonoides e resveratrol (um poderoso antioxidante). Para se usufruir de todos os benefícios que elas podem dar, as uvas devem ser integralmente consumidas, incluindo cascas e sementes. As cascas das uvas contribuem para aumentar o HDL45 (colesterol13 “bom”) e diminuem o LDL44 (“mau” colesterol13). As uvas protegem contra doenças cardíacas e cânceres. Podem ser consumidas ao natural ou como doces, saladas, geleias, farinhas, espremidas como sucos e como componentes de vinhos.

Pera: há diversos tipos de pera. No Brasil as variedades mais conhecidas são a pera willians, a pera-d'água, a pera de pé curto e a pera red (casca vermelha). Dependendo da espécie, ela pode ser de cor amarela, verde ou vermelha. A polpa varia, podendo ser macia, dura ou granulosa. A pera é uma fruta própria de climas temperados, que contém muita água, sendo, portanto, ideal para pessoas que estejam fazendo dieta. É rica em sais minerais (potássio, sódio, ferro, magnésio e cálcio) e em vitaminas A, C, E e do complexo B, com efeito laxativo54 e diurético33, que atua reduzindo a pressão arterial51. Em virtude de não conter sal, proteínas6 e gorduras, pode ser usada nos tratamentos da obesidade55. É uma fruta rica em fibras, ajudando a regularizar o funcionamento intestinal. Pode ser consumida ao natural ou usada na fabricação de geleias, compotas, sorvetes e outros doces.

Kiwi: o kiwi é uma fruta originária do sudeste da China. No Brasil, os maiores produtores são os estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná e Minas Gerais. O país importa do Chile grande parte das suas necessidades. No hemisfério Sul a safra maior é concentrada nos meses de abril, maio e junho. A introdução do kiwi na dieta brasileira é recente, mas a fruta vem ganhando cada vez mais espaço. Em razão da grande quantidade de clorofila, mantém a coloração verde, mesmo quando maduro. O kiwi contém vitamina5 C, E, B6, niacina, potássio, magnésio, cobre, fosfato e fibras dietéticas. A vitamina5 C é encontrada no kiwi em quantidades maiores que nas laranjas, o grande depositário dela. Não contém colesterol13. É uma fruta com muitas fibras, ajudando a regularizar o funcionamento intestinal e evitar o câncer15 de cólon16. Combate o estresse e a depressão, corrige as disfunções digestivas e fortalece o sistema imunológico56, além de possuir propriedades antianêmicas e estimular o apetite. Das sementes, é feito o óleo de kiwi, o qual contém o ácido linoleico, essencial para o aporte de ômega-3 ao organismo. Ele é consumido cru, em sua forma natural, sendo de muito baixa caloria57, ou com sanduíches, saladas (tanto hortícolas58, como de frutas), sobremesas finas, purês e bebidas. Em resumo, cada 100 gramas de kiwi contém, em média: calorias19: 66; hidrato de carbono: 13 g; fibra dietética: 3,3 g; açúcares: 12 g; proteínas6: 1,3 g; vitamina5 C: 107 mg; vitamina5 E: 4 mg; cálcio: 36 mg.

Goiaba: a goiaba é uma fruta nativa da América Tropical (principalmente Brasil), de aroma e sabor inconfundíveis. Há vários tipos de goiaba. Conforme o tipo, a casca apresenta-se verde ou amarela, segundo o estado de maturação da fruta a polpa pode ser branca, rosada ou vermelha. Pode ser encontrada em qualquer época do ano, mas sua produção maior se dá entre janeiro e maio. A goiaba pode ser consumida em sua forma natural ou como suco, compota, doce e geleia. A goiabada é um dos doces mais populares do Brasil. A goiaba é rica em vitaminas A, B e C, carboidratos e alguns sais minerais (fósforo, ferro e cálcio). Além de não conter muito açúcar43, gordura42 ou calorias19, a goiaba ajuda na redução do colesterol13 e nas dietas de emagrecimento. Auxilia no combate a infecções59 e hemorragias60, melhora a cicatrização, retarda o envelhecimento e confere maior resistência física.

Pêssego: o pêssego é uma fruta de origem Chinesa, introduzida no Brasil logo após o descobrimento. Trata-se de fruta médio-calórica, que contém muitas fibras (cerca de 1,5 grama20 para cada 100g da fruta), vitaminas A, C, K e E e do complexo B e oligoelementos como potássio, ferro, fósforo, magnésio, zinco e cálcio. Cerca de 90% da sua massa é constituída de água. Como em quase todas as frutas, a maior concentração dos nutrientes do pêssego está em sua casca. O pêssego pode ser consumido em sua forma natural, espremido como suco ou sob a forma de geleia, bolos, doces e compotas. O caroço, depois de triturado e deixado de molho em água pode ser usado para ajudar a regularizar o fluxo menstrual; as folhas bem amassadas têm efeito sedativo; a infusão das flores funciona como um laxativo54 infantil. O pêssego (polpa) ajuda a manter o bom funcionamento do intestino, combate o reumatismo47 e contribui para evitar problemas da pele40 e do sistema nervoso61, além de ajudar a diminuir o colesterol13. O pêssego pode ser consumido in natura ou como preparações em caldas, conservas, doces, geleias, sucos, licores ou sorvetes. Cada 100 g de pêssego contém, em média, 36 kcal; 0,8 g de proteínas6; traços de lipídios; 9,3 g de carboidratos, 1,4 g de fibras alimentares.

Maracujá: o maracujá cresce e frutifica melhor em climas tropical e subtropical. O Brasil é o maior produtor mundial de maracujás. Existem várias espécies, das quais as mais comuns são: maracujá mirim, maracujá melão, maracujá guaçu e maracujá do iguapó. O maracujá é fonte de vitaminas A, C e do complexo B e apresenta boa quantidade de sais minerais (ferro, sódio, cálcio e fósforo). Cada 100 gramas de maracujá corresponde, aproximadamente, a 70 calorias19. O maracujá pode ser consumido na sua forma natural, mas também é muito utilizado em sucos, musses, pavês, xaropes, óleos, farinha e sorvetes e funciona como calmante natural no organismo humano. No geral, o maracujá tem efeitos sedativos sobre o sistema nervoso central62. Tradicionalmente, tem efeitos benéficos sobre a ansiedade, epilepsia63, dores de cabeça64, insônia, irritação, taquicardia65. Hoje em dia existem várias medicações à base de maracujá, de efeitos sedativos. A casca, transformada em farinha, diminui o açúcar43 no sangue23 e impede a absorção de gordura42. O óleo é rico em ácidos graxos, que auxilia na restauração da pele40, conferindo emoliência66 a ela e deixando-a macia. Os extratos de folhas e raízes têm efeitos parecidos aos da polpa da fruta.

Coco: o coco é originário do arquipélago malaio e entre nós é conhecido como coco da Bahia, por ter melhor se adaptado ao clima daquele estado, que é hoje o principal produtor brasileiro. É uma planta típica de regiões tropicais. O solo ideal para o coco é alcalino e úmido; o clima deve ser quente; o coco não gosta de temperaturas frias (abaixo de 17º). Os solos mais propícios para ele são os de textura arenosa e arenoargilosa. O coco é excelente substituto da carne, do queijo, do ovo67 e do leite. Como nutriente, o coco verde é equivalente ao leite materno. No Havaí algumas mães costumam amamentar os recém-nascidos com leite de coco. É rico em proteínas6, gorduras, calorias19, sais, hidratos de carbono e vitaminas A, B1, B2, B5 e C e tem um bom teor de sais minerais (potássio, sódio, fósforo e cloro) e de fibras, importantes para regularizar a atividade intestinal. Em virtude de conter sais de potássio e sódio, torna-se um alimento adequado contra a aterosclerose68, além de ser um bom alimento para diabéticos. Pode ser consumido in natura ou em doces, bolos, bebidas, sorvetes, picolés, óleos, gorduras, margarina, “leite” e como condimento na culinária. É um alimento muito calórico. Cem gramas de coco maduro têm 290 kcal e 100 miligramas de água de coco têm 22 kcal.69 A água de coco tem uma composição parecida com a do soro70 fisiológico71 e é muito saborosa, geralmente tomada gelada como refresco. Tem várias aplicações na terapêutica72 caseira e, juntamente com o leite de coco, é indicada nos casos de rugas da pele40. Pode ser empregada como diurético33 e em casos de diarreias, vômitos28 ou desidratação73. Também usada em casos de câimbras8, astenia74 e dores de cabeça64. Contribui no combate ao colesterol13. O coco maduro, por sua vez, é contraindicado para pessoas com altas taxas de colesterol13. Da fruta, no seu total, se faz também sabão, fluidos para avião, cordas, cumbucas, chapéus, ornamentos, etc.

Limão: o limão é uma fruta da família dos citrinos, originário do sudeste da Ásia, cujo sumo é pleno de perfume e sabor. Há mais de 70 variedades de limão, das quais as mais conhecidas no Brasil são o limão-galego, limão-cravo, limão-siciliano e limão-tahiti. Sua cor pode variar entre o verde e o amarelo. É reconhecido como um ativador do sistema imunológico56. O limão pode ser consumido sob a forma de doces, suco, sorvetes, picolés, temperos e até remédios, além se ser respingado sobre determinados alimentos e bebidas para ativar o sabor deles. O limão contém uma boa dose de minerais, como potássio, magnésio, cálcio, fósforo e vitamina5 C. Como acontece com a maioria das frutas, a maior concentração desses elementos situa-se na casca e não na polpa da fruta. Atua como estimulante do apetite, diurético33, combate a febre75 e o reumatismo47 e diversos males inflamatórios da boca76, garganta77 e intestinos78. Combate também o vômito79 e a acidez estomacal. O ácido cítrico contido no limão confere a ele seus poderes emagrecedores. Além disso, dissolve gordura42 e toxinas80, ajudando na digestão30. Seu sabor azedo transmite a ideia de aumentar a acidez no organismo, mas isso não é o que acontece: o limão é alcanilizante, tendo efeito benéfico sobre o metabolismo81 orgânico como um todo, fazendo baixar o pH do sangue23 e de outros líquidos corporais. Por ter ação antisséptica combate os microrganismos que provocam fermentação gastrointestinal, evitando a formação de gases.

Morango: o morango é originário da Europa. No Brasil tem mostrado melhor adaptação desde o sul de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, onde as temperaturas são menos elevadas. Sua melhor safra está compreendida entre junho e outubro. O morango é um fruto suculento, saboroso, bastante versátil e pouco calórico. Pode ser consumido em sua forma natural ou como geleia, bolos, tortas, musses, cremes, bombons, sorvetes, picolés, etc. Cada 100 gramas de morango contém, em média, 30 kcal; 7,0 g de hidrato de carbono; 1 g de proteína; 1,7 g de fibras; 56,3 mg de vitamina5 C; 2,86 mg de vitamina5 A; 14 mg de cálcio; 18,9 mg de fósforo e 165,7 mg de potássio, além de vitaminas do complexo B. O morango ajuda nas dietas de emagrecimento, na prevenção do câncer15 e de algumas doenças cardíacas e contribui para reduzir o colesterol13. Por conter potássio, auxilia no equilíbrio do sódio no organismo. Colabora ainda no tratamento da gota48 e dos reumatismos; aumenta a resistência a infecções59 e tem ação anti-inflamatória e anticancerígena; possui muitas fibras, o que ajuda a regularizar o funcionamento intestinal.

Melão: o melão é uma fruta originária do Oriente Médio, onde inúmeras variedades são cultivadas em regiões semiáridas. As maiores produções no Brasil estão na região nordestina. Todas as variedades apresentam frutos mais ou menos esféricos, de casca espessa e polpa carnosa e suculenta e com muitas sementes no centro. A abundância de água que contém e o sabor suave tornam o melão uma fruta muito apreciada na forma de refrescos. Pode ser consumido ao natural ou como refresco e suco. É uma fruta pouco calórica e cada 100 g da fruta contém, em média, 31 kcal; 0,85 g de proteínas6; 0,15 g de gorduras; 2.800 UI de vitamina5 A, além de vitaminas C e do complexo B. O melão também contém cálcio, fósforo e ferro, que contribuem para a formação dos ossos, dentes e sangue23. O melão maduro atua como calmante, diurético33 e laxativo54. Sua polpa contém papaína, uma enzima25 que ajuda na decomposição de proteínas6. Além disso, o melão contém peptidase e protease, que também ajudam na digestão30 dos alimentos. Suas sementes, tostadas e salgadas, podem ser consumidas, porque elas contêm óleos como lisina e histidina (óleos graxos poli-insaturados). Sua casca contém potássio e pode ser usada como adubo.

Melancia: a melancia é uma fruta originária da Índia, que vive bem em áreas secas e solo arenoso. Existe uma modalidade de melancia, rara entre nós, de polpa amarela. A melancia é rica em fósforo e cálcio, vitaminas A, C e complexo B, ácido fólico, ácido pantotênico e biotina. As sementes são utilizadas em algumas regiões do país para fazer uma bebida diurética e vermífuga. A melancia é recomendada na obesidade55, acidez gástrica82, dispepsia83, pressão alta, além de ajudar na eliminação do ácido úrico. Da polpa e da casca trituradas faz-se uma pasta que tem bom efeito sobre a erisipela84 e das sementes (ricas em lipídios) pode extrair-se um suco com propriedades antivermífugas e levemente diuréticas. Tendo uma ação diurética e muito poucas calorias19, a melancia ajuda nas dietas para emagrecer. Pode ser consumida ao natural, principalmente no verão, devido à sua grande percentagem de água (cerca de 90%), como suco ou como compota, de sabor muito agradável. Da parte branca, entre a casca e a polpa, pode-se fazer um excelente doce, semelhante ao que é feito com o mamão verde.

Caqui: o caqui é originário da China. Existem diversas variedades de caqui, todas próprias de clima tropical e subtropical. As mais conhecidas no Brasil são o caqui-chocolate e o caqui rama forte. É um fruto alaranjado ou vermelho de consistência macia e sabor muito doce, mas o tanino (percebido sobretudo nos frutos mais verdes) pode dar aquela sensação de “travar” a língua85. Cerca de 70 a 80% do caqui é composto por água, mas também contém açúcares, amido, proteínas6, cálcio, ferro, licopeno, vitaminas E, A, B1 e B2. Cada 100 gramas de caqui (equivalente, mais o menos, a uma unidade) possui, em média, 75 calorias19. Em geral, o caqui é consumido como fruta, em sua forma natural. O caqui tem um alto poder antioxidante, mas o seu consumo deve ser bem controlado porque a fruta contém grande concentração de açúcares (cerca de 60% do seu peso). Possui propriedades calmantes, antieméticas e laxativas. Também combate a febre75. Seu consumo é indicado para os que sofrem de anemia14, descalcificação, transtornos intestinais e afecções86 do estômago87. Das folhas do caquizeiro pode-se fazer uma infusão utilizada em gastralgias88, gastrites89, náuseas90, vômitos28, insônia e irritabilidade.

Jaboticaba: a jaboticabeira, a árvore que produz a jaboticaba, é uma planta tipicamente brasileira, nativa da Mata Atlântica. Há diversas variedades: jabuticaba-açu-paulista; jabuticaba-ponhema; jabuticaba-precoco; jabuticaba-vermelha. Sua origem é desconhecida. É característica pela sua demora em crescer e frutificar (às vezes até 20 anos). A jaboticabeira floresce na primavera e no verão. A jaboticada é um fruto escuro (variando do vermelho-vinho ao preto) que contém uma polpa branca, líquido-pastosa e uma única semente em cada fruto. Devem ser consumidas principalmente in natura ou na forma de geleia, suco, licor, aguardente, vinho e vinagre. Na polpa da jabuticaba pode ser encontrado ferro, fósforo, vitamina5 C e vitamina5 B (niacina), que facilita a digestão30 e ajuda a eliminar toxinas80. Na casca existem teores de pectina, peonidina e antocianina. Tem uma potente ação antioxidante, o que ajuda a prevenir a incidência91 de tumores e problemas cardíacos e a estabilizar o nível de açúcar43 dos diabéticos.

ABCMED, 2012. As frutas que você mais come. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/312515/as+frutas+que+voce+mais+come.htm>. Acesso em: 24 abr. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
2 Coadjuvantes: Que ou o que coadjuva, auxilia ou concorre para um objetivo comum.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Híbrida: Em genética, diz-se do organismo formado pelo cruzamento de dois progenitores de raças, linhagens, variedades, espécies ou gêneros diferentes e que frequentemente é estéril. O hibridismo, natural ou manipulado, é comum entre as plantas, mas o exemplo mais conhecido é o burro ou mula, cruza entre o cavalo e a jumenta ou entre a égua e o jumento. Em linguística, diz-se da palavra formada por elementos tomados de línguas diferentes, como bicicleta: bi (latim), cicle (grego), eta (do italiano etta). Em sentido figurado, que ou o que é composto de elementos diferentes, heteróclitos, disparatados.
5 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
6 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
7 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
8 Câimbras: Contrações involuntárias, espasmódicas e dolorosas de um ou mais músculos.
9 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
10 Frutose: Açúcar encontrado naturalmente em frutas e mel. A frutose encontrada em alimentos processados é derivada do milho. Contém quatro calorias por grama.
11 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
12 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
13 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
14 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
15 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
16 Cólon:
17 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
18 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
19 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
20 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
21 Movimentos peristálticos: Conjunto das contrações musculares dos órgãos ocos, provocando o avanço de seu conteúdo; peristalse, peristaltismo.
22 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
23 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
24 Escorbuto: Doença aguda ou crônica causada pela carência de vitamina C, caracterizada por hemorragias, alteração das gengivas e queda da resistência às infecções.
25 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
26 Expectoração: Ato ou efeito de expectorar. Em patologia, é a expulsão, por meio da tosse, de secreções provenientes da traqueia, brônquios e pulmões; escarro.
27 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
28 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
29 Cinetose: Doença do movimento. Acomete pessoas que em determinadas condições de movimento apresentam manifestações neurovegetativas caracterizadas por tonturas, náuseas e vômitos.Está relacionada com a enxaqueca. Crianças e jovens com esse tipo de problema, geralmente, na idade adulta ou na puberdade, têm crises de enxaqueca. É causada por uma perturbação no reconhecimento do movimento feito pelo sistema vestibular, pois o corpo está parado, mas o ambiente está em movimento, gerando conflito de informações e perturbação do equilíbrio corporal.
30 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
31 Dermatite seborreica: Caracterizada por descamação da pele e do couro cabeludo. A forma que acomete couro cabeludo é a mais comum e conhecida popularmente por caspa. É uma doença inflamatória, não contagiosa, possui caráter crônico e recorrente. O fungo Pityrosporum ovale pode ser considerado um possível causador da dermatite seborreica. As manifestações clínicas mais comuns são descamação, vermelhidão e aspereza local. As escamas podem ser secas ou gordurosas, finas ou espessas, geralmente acinzentadas ou amareladas, quase sempre aderentes, podendo ser acompanhadas ou não de coceira.
32 Laxante: Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamento que trata da constipação intestinal; purgante, purgativo, solutivo.
33 Diurético: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
34 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
35 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
36 Fibrina: Proteína formada no plasma a partir da ação da trombina sobre o fibrinogênio. Ela é o principal componente dos coágulos sanguíneos.
37 Eczemas: Afecções alérgicas da pele, elas podem ser agudas ou crônicas, caracterizadas por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
38 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
39 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
40 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
41 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
42 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
43 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
44 LDL: Lipoproteína de baixa densidade, encarregada de transportar colesterol através do sangue. Devido à sua tendência em depositar o colesterol nas paredes arteriais e a produzir aterosclerose, tem sido denominada “mau colesterol“.
45 HDL: Abreviatura utilizada para denominar um tipo de proteína encarregada de transportar o colesterol sanguíneo, que se relaciona com menor risco cardiovascular. Também é conhecido como “Bom Colesterol”. Seus valores normais são de 35-50mg/dl.
46 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
47 Reumatismo: Termo que é utilizado em geral para se referir ao conjunto de doenças inflamatórias e degenerativas que afetam as articulações e estruturas vizinhas.
48 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
49 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
50 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
51 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
52 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
53 Laxativos: Mesmo que laxantes. Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamentos que tratam da constipação intestinal; purgantes, purgativos, solutivos.
54 Laxativo: Mesmo que laxante. Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamento que trata da constipação intestinal; purgante, purgativo, solutivo.
55 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
56 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
57 Caloria: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc. Carboidratos, proteínas, gorduras e álcool fornecem calorias na dieta. Carboidratos e proteínas têm 4 calorias em cada grama, gorduras têm 9 calorias por grama e álcool têm 7 calorias por grama.
58 Hortícolas: Relativo à horta; hortense. Que se refere à horticultura.
59 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
60 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
61 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
62 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
63 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
64 Cabeça:
65 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
66 Emoliência: Propriedade de amolecer, distender, abrandar.
67 Ovo: 1. Célula germinativa feminina (haploide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO. 2. Em alguns animais, como aves, répteis e peixes, é a estrutura expelida do corpo da mãe, que consiste no óvulo fecundado, com as reservas alimentares e os envoltórios protetores.
68 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
69 Kcal.: Quilocalorias. Equivale à energia contida nos alimentos.
70 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
71 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
72 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
73 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
74 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
75 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
76 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
77 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
78 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
79 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
80 Toxinas: Substâncias tóxicas, especialmente uma proteína, produzidas durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capazes de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
81 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
82 Acidez gástrica: Estado normal do conteúdo do estômago caracterizado por uma elevada quantidade de íons hidrogênio, quantidade esta que pode ser medida através de uma escala logarítmica denominada pH.
83 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
84 Erisipela: Infecção cutânea que afeta a derme e o tecido celular subcutâneo, produzida por uma bactéria denominada estreptococo e que se manifesta por febre, aumento da temperatura local, dor e espessamento da pele afetada.
85 Língua:
86 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
87 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
88 Gastralgias: Dor no estômago; cólica gástrica, gastrodinia.
89 Gastrites: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
90 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
91 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

08/07/2013 - Comentário feito por DAMIRASMO
Re: As frutas que você mais come
SHOW. MUITO BOM, TEM QUE SER LIDO E ENTENDIDO E DIVULGADO EM TODAS AS REDES DE COMUNICAÇÃO E VERDADEIRAMENTE BELO ESSE SITE. PARABENS POR DEVIDIR ESSES CONHECIMENTO COM TODOS NÓS. COM CERTEZA DIVULGAREI PARA TODOS.

12/08/2012 - Comentário feito por rosangela
Re: As frutas que você mais come mamão,banana,uva,coco ,suco caja,tamarindoe etc.
Muito bom esse site, eu estou sempre lendo e aprendendo com voces, toda informação sobre saúde é importante. Quando eu tenho dúvida sobre rémedios é bulas, entro nesse site. Mais uma vêz muito obrigadoooooooooooooooooo.

  • Entrar
  • Assinar