Gostou do artigo? Compartilhe!

Anemia hemolítica induzida por drogas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é hemólise1?

A hemólise1 é o processo de destruição ou ruptura das células2 vermelhas do sangue3, também conhecidas como hemácias4 ou eritrócitos5. Essas células2 contêm hemoglobina6, uma proteína que transporta oxigênio dos pulmões7 para os tecidos do corpo e ajuda a eliminar dióxido de carbono. Quando as células2 vermelhas do sangue3 se rompem, a hemoglobina6 é liberada na corrente sanguínea.

Existem diferentes causas de hemólise1 e ela pode ocorrer dentro dos vasos sanguíneos8 (hemólise1 intravascular9) ou fora deles (hemólise1 extravascular10). Algumas das causas mais comuns de hemólise1 incluem infecções11, algumas doenças autoimunes12, anomalias genéticas, diversos tipos de toxinas13 e reações a drogas e medicamentos. O presente texto se dedicará a essa última causa.

O que é anemia hemolítica14 causada por drogas?

Em condições normais, as hemácias4 têm uma vida útil média de cerca de 120 dias antes de serem naturalmente retiradas da circulação15 pelo sistema reticuloendotelial, principalmente pelo baço16. A anemia hemolítica14 é caracterizada pela destruição acelerada das células2 vermelhas do sangue3 (hemácias4), num ritmo mais rápido do que o corpo consegue substituí-las, levando a uma redução na contagem de hemácias4 (anemia17).

A anemia hemolítica14 causada por drogas é uma condição médica na qual esse processo é ocasionado por um efeito secundário ao uso de certas drogas ou medicamentos.

Veja sobre "Anemia falciforme18", "Anemia ferropriva19" e "Anemia17 na gravidez20".

Quais são a causas da anemia hemolítica14 induzida por drogas?

Existem vários medicamentos que podem desencadear a anemia hemolítica14 como efeito colateral21. Eles podem agir de várias maneiras:

  1. alguns podem desencadear uma resposta do sistema imunológico22 que ataca e destrói os eritrócitos5 (anemia hemolítica14 imunomediada);
  2. certas drogas podem danificar as membranas das células2 vermelhas do sangue3, fazendo com que elas se rompam prematuramente;
  3. alguns medicamentos inibem a produção normal de células sanguíneas23 na medula óssea24, o que pode levar a uma diminuição na produção de eritrócitos5.

No entanto, nem todas as pessoas que usam medicamentos associados à anemia hemolítica14 desenvolverão essa condição e os riscos e benefícios do uso de um medicamento específico25 devem ser discutidos com o médico.

Quais são os principais medicamentos capazes de causar anemia hemolítica14?

Alguns medicamentos têm a possibilidade de desencadear uma reação adversa que resulta na destruição prematura das células2 vermelhas do sangue3. No entanto, é importante observar que a anemia hemolítica14 induzida por medicamentos é relativamente rara e geralmente é uma reação idiossincrática, o que significa que não ocorre em todas as pessoas que tomam o medicamento.

Alguns dos medicamentos que foram associados à anemia hemolítica14 incluem:

  • alguns antibióticos, como a penicilina e a cefalosporina;
  • o uso prolongado de anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno;
  • algumas drogas quimioterápicas, como a ciclofosfamida e o metotrexato;
  • medicamentos como a procainamida e a quinidina;
  • a isoniazida, que às vezes é usada como antidepressivo;
  • e medicamentos usados na artrite reumatoide26, como o auranofin.

Quais são as características clínicas da anemia hemolítica14 induzida por drogas?

Os sintomas27 podem variar em gravidade e podem incluir:

  • fraqueza geral e fadiga28, devido à diminuição da capacidade do sangue3 de transportar oxigênio para os tecidos do corpo;
  • palidez da pele29 e das mucosas30, devido à redução no número de eritrócitos5;
  • icterícia31, devido à destruição dos eritrócitos5 e liberação de bilirrubina32;
  • urina33 escura, em virtude da bilirrubina32 liberada que se elimina pela urina33;
  • aumento do baço16 (esplenomegalia34), como resultado da sua tentativa de filtrar os eritrócitos5 danificados;
  • palpitações35, falta de ar, tontura36 e vertigem37, devido à diminuição do fluxo sanguíneo e da oxigenação do cérebro38.

Como o médico diagnostica a anemia hemolítica14 induzida por drogas?

Os sintomas27 não diferem essencialmente das outras formas de anemia hemolítica14 e podem, pois, serem diagnosticados pelos mesmos critérios que elas:

  • história clínica, incluindo informações sobre quais drogas o paciente está tomando;
  • exame físico para avaliar os sintomas27 e sinais39 clínicos da anemia17;
  • e exames laboratoriais para confirmar o diagnóstico40 de anemia hemolítica14 (hemograma completo, contagem de reticulócitos, níveis de bilirrubina32, etc.)

Como o médico trata a anemia hemolítica14 induzida por drogas?

O tratamento da anemia hemolítica14 induzida por drogas envolve principalmente a identificação e a interrupção da droga responsável pelo distúrbio, bem como o tratamento de quaisquer complicações decorrentes da anemia17. O passo mais importante é identificar a droga responsável e interromper seu uso imediatamente, sempre que possível. Isso geralmente leva à resolução da anemia17 dentro de algumas semanas.

Além disso, deve ser mantido um tratamento de suporte. Em casos graves, o médico pode recomendar a administração de transfusões de sangue3 para elevar rapidamente os níveis de hemoglobina6 e aliviar os sintomas27 de anemia17, como fraqueza e fadiga28.

Um monitoramento de perto deve ser mantido para avaliar a recuperação da anemia17 e garantir que não haja recorrência41 da condição após a descontinuação da droga. O médico pode, ainda, prescrever medicamentos para aliviar sintomas27 como dor, icterícia31 ou prurido42, que podem estar associados à anemia hemolítica14 induzida por drogas.

Quais são as complicações possíveis com a anemia hemolítica14 induzida por drogas?

Em alguns casos, ela pode levar a complicações, como insuficiência renal43, trombose44 ou problemas no sistema imunológico22. Essas complicações podem requerer tratamentos específicos, como imunossupressores ou anticoagulantes45, conforme apropriado.

Leia sobre "Hemograma", "Teste de Coombs", "O fator Rh no sangue3", "Transfusão46 de sangue3" e "Transplante de medula47".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites do Centro Universitário de Brasília e da Mayo Clinic.

ABCMED, 2023. Anemia hemolítica induzida por drogas. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1460700/anemia-hemolitica-induzida-por-drogas.htm>. Acesso em: 13 jun. 2024.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Hemólise: Alteração fisiológica ou patológica, com dissolução ou destruição dos glóbulos vermelhos do sangue causando liberação de hemoglobina. É também conhecida por hematólise, eritrocitólise ou eritrólise. Pode ser produzida por algumas anemias congênitas ou adquiridas, como consequência de doenças imunológicas, etc.
2 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
5 Eritrócitos: Células vermelhas do sangue. Os eritrócitos maduros são anucleados, têm forma de disco bicôncavo e contêm HEMOGLOBINA, cuja função é transportar OXIGÊNIO. Sinônimos: Corpúsculos Sanguíneos Vermelhos; Corpúsculos Vermelhos Sanguíneos; Corpúsculos Vermelhos do Sangue; Glóbulos Vermelhos; Hemácias
6 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
7 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
8 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
9 Intravascular: Relativo ao interior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
10 Extravascular: Relativo ao exterior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
11 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
12 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
13 Toxinas: Substâncias tóxicas, especialmente uma proteína, produzidas durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capazes de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
14 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
15 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
16 Baço:
17 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
18 Anemia falciforme: Doença hereditária que causa a má formação das hemácias, que assumem forma semelhante a foices (de onde vem o nome da doença), com maior ou menor severidade de acordo com o caso, o que causa deficiência do transporte de gases nos indivíduos que possuem a doença. É comum na África, na Europa Mediterrânea, no Oriente Médio e em certas regiões da Índia.
19 Anemia Ferropriva: Anemia por deficiência de ferro. É o tipo mais comum de anemia. Há redução da quantidade total de ferro corporal até a exaustão das reservas de ferro. O fornecimento de ferro é insuficiente para atingir as necessidades de diferentes tecidos, incluindo as necessidades para a formação de hemoglobina e dos glóbulos vermelhos.
20 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
21 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
22 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
23 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
24 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
25 Medicamento específico: O termo aplica-se a produtos farmacêuticos, tecnicamente obtidos ou elaborados, com finalidade profilática, curativa ou paliativa não enquadrados nas categorias de medicamento novo, genérico, similar, biológico, fitoterápico ou notificado e cuja(s) substância(s) ativa(s), independente da natureza ou origem, não é(são) passível(is) de ensaio de bioequivalência, frente a um produto comparador.
26 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
27 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
28 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
29 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
30 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
31 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
32 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
33 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
34 Esplenomegalia: Aumento tamanho do baço acima dos limites normais
35 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
36 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
37 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
38 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
39 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
40 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
41 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
42 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
43 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
44 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
45 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
46 Transfusão: Introdução na corrente sangüínea de sangue ou algum de seus componentes. Podem ser transfundidos separadamente glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma, fatores de coagulação, etc.
47 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.