Gostou do artigo? Compartilhe!

Urgências e emergências médicas mais comuns

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é urgência1 e emergência2 em Medicina?

O que a emergência2 e a urgência1 têm em comum é que ambas requerem um atendimento ágil, mas, em essência, elas são diferentes, embora ambos os termos sejam frequentemente usados (erroneamente) como sinônimos.

A emergência2 implica uma condição mais grave que a urgência1. Ela consiste num sofrimento intenso com risco iminente de morte. A urgência1 é uma ocorrência imprevista, geralmente envolvendo também grande sofrimento, com ou sem risco potencial à vida. Uma urgência1 significa que algo precisa ser resolvido o mais prontamente possível; uma emergência2 precisa ser tratada imediatamente.

São exemplos de emergências, as fraturas expostas, paradas cardiorrespiratórias e hemorragias3 graves e, de urgências, as fraturas não expostas, cólicas4 renais, aumento de pressão arterial5, etc. Em resumo, uma emergência2 é tudo aquilo que implica em risco imediato à vida do paciente e deve ter uma solução imediata; a urgência1 não representa um risco imediato à vida, porém deve ser atendida tão prontamente quanto possível.

Leia sobre "Hemorragias3 ", "Hemorragias3 grave", "Medicina preventiva" "Parada cardiorrespiratória", e "Por que fazer um check-up médico".

Quais são as urgências e emergências médicas mais comuns?

As emergências mais comuns nos serviços de pronto-socorro são:

  • cortes profundos
  • acidente de origem elétrica
  • picada ou mordida de animais peçonhentos
  • queimaduras
  • afogamentos
  • forte hemorragia6
  • infarto do miocárdio7
  • dificuldade respiratória
  • derrames
  • perda de função e/ou dormência8 nos braços e pernas
  • inconsciência9/desmaio
  • intoxicação por alimento ou medicamento
  • sangue10 no vômito11, urina12, fezes ou tosse
  • grave reação alérgica13
  • febre14 alta persistente
  • convulsões
  • dores intensas no peito15, abdômen, cabeça16 e outros
  • agressões físicas
  • acidentes de carro, moto ou atropelamento
  • quedas

As situações que podem necessitar de um atendimento de urgência1 incluem:

  • fraturas
  • luxações
  • torções
  • crises de asma17 brônquica
  • cortes sem grandes hemorragias3
  • transtornos psiquiátricos
  • dor abdominal de moderada intensidade
  • retenção urinária18 em pacientes idosos
  • febre14 maior que 38° C há pelo menos 48 horas
  • mais de um episódio de vômito11 em até 12 horas

Como proceder em casos de urgências e emergências que ocorram em casa?

Trata-se, em geral, de situações aflitivas, mas o mais importante é não perder a calma. Uma pessoa transtornada pelos acontecimentos cometerá muitos erros, mesmo que ela saiba como agir corretamente. As situações podem vir a necessitar de intervenção profissional, mas mesmo nesses casos as primeiras providências serão tomadas pelas pessoas que cercam o paciente.

Em algumas situações é difícil diferenciar um problema corriqueiro de uma verdadeira emergência2 ou urgência1. Em algumas ocasiões, o que começa como uma situação simples pode se tornar uma situação de gravidade ou vice-versa. Por isso, listamos abaixo algumas dessas situações e como proceder em cada uma delas.

  1. Crises de asma17 podem ser simples ou representarem risco de vida. Por isso, devem ser avaliados por um médico o quanto antes.
  2. A maioria dos casos de dor nas costas19 é causada por pequenas lesões20 ou distensão de músculos21 e/ou ligamentos22 nas costas19, na maioria das vezes melhorando em alguns dias. Dores que durem mais do que duas semanas ou que sejam acompanhadas de fraqueza nos membros inferiores, dormências ou perda de controle do intestino ou bexiga23 devem ser avaliadas imediatamente pelo médico.
  3. As mordidas de animais infeccionam com frequência e podem transmitir uma variedade de doenças, como a raiva24, por exemplo. A primeira medida a ser tomada é lavar o local com água corrente e sabão de coco. Está indicada vacinação contra o tétano25 nas pessoas com mais de 5 anos da dose de reforço e naquelas que não se recordam de quando tomaram a última dose.
  4. Nas vítimas de picada de inseto deve-se raspar o local da picada com uma lâmina e não utilizar pinças ou as unhas26 para tentar retirar ferrões porque isso injeta ainda mais veneno. O inchaço27 e a coceira local podem ser tratados com compressas geladas e remédios receitados pelo seu médico.
  5. Uma fratura28 pode ocorrer sem inchaços ou deformidade. Em caso de dúvida se houve ou não fratura28, procure assistência médica o mais rápido possível.
  6. Queimaduras pequenas devem ser tratadas com compressas de água fria (e não gelo). Queimaduras solares acompanhadas de náuseas29, vômitos30, fraqueza e calafrios31 são sérias e devem ser avaliadas por um médico. Evite romper as bolhas, se houver.
  7. Resfriados e gripes, de preferência, não devem ser levados a serviços de pronto-atendimento, preferindo-se consultas em consultórios ou postos de saúde32, exceto casos com duração superior a uma semana e aqueles com febre14 muito elevada ou tosse com expectoração33 amarelada.
  8. Em relação a cortes, a primeira medida deve ser lavar o corte com água corrente e sabão de coco e não aplicar qualquer substância sobre o ferimento. No caso de sangramento intenso, comprima o local por 10 minutos, na tentativa de que o sangue10 coagule. Cortes muito profundos ou com bordas muito separadas devem ser avaliados pelo médico. Feridas puntiformes devem ser avaliadas pelo médico devido ao risco de infecção34 no local. Em todos os casos, deve ser considerada a vacinação contra tétano25.
  9. A maioria das doenças que se apresentam com febre14 possuem uma evolução limitada e podem ser tratadas com medicações sintomáticas, não necessitando de avaliação médica de urgência1, podendo ser acompanhadas em nível ambulatorial ou em consultório. A exceção é feita nos casos de crianças com menos de 6 semanas de vida: estas devem ser levadas ao médico ao menor sinal35 de aumento da temperatura corporal.
  10. No caso de dores de cabeça16, antes de procurar auxílio médico, aplique compressas geladas e massagens suaves, procurando relaxar. Caso a dor esteja se tornando muito frequente, prolongada e intensa, procure auxílio médico. Dores de cabeça16 acompanhadas de febre14 alta, confusão mental, rigidez da nuca e vômitos30 sugerem a possibilidade de meningite36, e devem ser imediatamente avaliadas por um médico.
  11. No caso de traumatismos na cabeça16, procure auxílio médico se houver perda da consciência, vômitos30, sonolência, turvamento da visão37, dificuldade em acordar a pessoa após o acidente, alterações do estado mental ou dor de cabeça16 que não cede ao uso dos medicamentos habituais.
  12. Os principais sintomas38 de um ataque cardíaco incluem sensação de pressão e dor intensa no centro do tórax39 durando dois minutos ou mais. A dor se espalha para os ombros, braços, pescoço40 e, algumas vezes, queixo. Deve-se buscar atendimento médico imediatamente.
  13. No caso de sangramentos pelo nariz41, pressione as asas do nariz41 com o indicador e o polegar em pinça. Não repouse a cabeça16 para trás. Mantenha o corpo ligeiramente inclinado para frente, procurando não deglutir42 o sangue10. Se após um período de compressão de 10 minutos o sangramento ainda persistir, procure auxílio médico.
  14. Crises convulsivas são comuns e normalmente duram de 2 a 3 minutos. Se uma pessoa está tendo uma crise convulsiva, afaste dela quaisquer objetos que possam oferecer algum risco. Não deixe a pessoa sozinha. Se a pessoa está tendo convulsão43 e vomitando, simplesmente deite-a sobre o braço esquerdo, mantendo-a de lado. Certifique-se de que a pessoa esteja respirando adequadamente e procure auxílio médico.
  15. A maioria dos casos de garganta44 inflamada dura apenas alguns poucos dias e pode ser aliviada com o uso de analgésicos45 e antitérmicos46. (Não se recomenda o uso de aspirina em crianças). Gargarejos com água morna e salgada podem aliviar, mas é sempre aconselhável consultar um médico para determinar a necessidade de antibióticos. Nunca faça uso de antibióticos por recomendação de leigos, parentes, vizinhos ou amigos.
  16. Dentes permanentes que tenham sido arrancados devido a traumatismos devem ser lavados delicadamente e colocados em um copo de leite. Procure imediatamente um dentista. Após duas horas da queda, o dente47 não pode ser recolocado ou salvo.
  17. Vômitos30 e diarreia48 comumente são causados por vírus49 ou toxinas50 liberadas por bactérias em diversos alimentos. Os casos com duração superior a 24 horas (em crianças, esse limite cai para 12 horas) devem ser avaliados por um médico, devido ao risco de desidratação51.
Veja também sobre "Atendimento de urgência1", "Urgências em Psiquiatria", "Crises hipertensivas", "Infarto do miocárdio7" e "Parada cardíaca".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo Clinic e da Cleveland Clinic.

ABCMED, 2020. Urgências e emergências médicas mais comuns. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1382073/urgencias-e-emergencias-medicas-mais-comuns.htm>. Acesso em: 28 out. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
2 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
3 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
4 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
5 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
6 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
7 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
8 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
9 Inconsciência: Distúrbio no estado de alerta, no qual existe uma incapacidade de reconhecer e reagir perante estímulos externos. Pode apresentar-se em tumores, infecções e infartos do sistema nervoso central, assim como também em intoxicações por substâncias endógenas ou exógenas.
10 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
11 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
12 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
13 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
14 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
15 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
16 Cabeça:
17 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
18 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
19 Costas:
20 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
21 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
22 Ligamentos: 1. Ato ou efeito de ligar(-se). Tudo o que serve para ligar ou unir. 2. Junção ou relação entre coisas ou pessoas; ligação, conexão, união, vínculo. 3. Na anatomia geral, é um feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições. É uma expansão fibrosa ou aponeurótica de aparência ligamentosa. Ou também uma prega de peritônio que serve de apoio a qualquer das vísceras abdominais. 4. Vestígio de artéria fetal ou outra estrutura que perdeu sua luz original.
23 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
24 Raiva: 1. Doença infecciosa freqüentemente mortal, transmitida ao homem através da mordida de animais domésticos e selvagens infectados e que produz uma paralisia progressiva juntamente com um aumento de sensibilidade perante estímulos visuais ou sonoros mínimos. 2. Fúria, ódio.
25 Tétano: Toxinfecção produzida por uma bactéria chamada Clostridium tetani. Esta, ao infectar uma ferida cutânea, produz uma toxina (tetanospasmina) altamente nociva para o sistema nervoso que produz espasmos e paralisia dos nervos afetados. Pode ser fatal. Existe vacina contra o tétano (antitetânica) que deve ser tomada sempre que acontecer um traumatismo em que se suspeita da contaminação por esta bactéria. Se a contaminação for confirmada, ou se a pessoa nunca recebeu uma dose da vacina anteriormente, pode ser necessário administrar anticorpos exógenos (de soro de cavalo) contra esta toxina.
26 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
27 Inchaço: Inchação, edema.
28 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
29 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
30 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
31 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
32 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
33 Expectoração: Ato ou efeito de expectorar. Em patologia, é a expulsão, por meio da tosse, de secreções provenientes da traqueia, brônquios e pulmões; escarro.
34 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
35 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
36 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
37 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
38 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
39 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
40 Pescoço:
41 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
42 Deglutir: Passar (o bolo alimentar) da boca para o esôfago e, a seguir, para o estômago.
43 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
44 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
45 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
46 Antitérmicos: Medicamentos que combatem a febre. Também pode ser chamado de febrífugo, antifebril e antipirético.
47 Dente: Uma das estruturas cônicas duras situadas nos alvéolos da maxila e mandíbula, utilizadas na mastigação e que auxiliam a articulação. O dente é uma estrutura dérmica composta de dentina e revestida por cemento na raiz anatômica e por esmalte na coroa anatômica. Consiste numa raiz mergulhada no alvéolo, um colo recoberto pela gengiva e uma coroa, a parte exposta. No centro encontra-se a cavidade bulbar preenchida com retículo de tecido conjuntivo contendo uma substância gelatinosa (polpa do dente) e vasos sangüíneos e nervos que penetram através de uma abertura ou aberturas no ápice da raiz. Os 20 dentes decíduos ou dentes primários surgem entre o sexto e o nono e o vigésimo quarto mês de vida; sofrem esfoliação e são substituídos pelos 32 dentes permanentes, que aparecem entre o quinto e sétimo e entre o décimo sétimo e vigésimo terceiro anos. Existem quatro tipos de dentes
48 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
49 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
50 Toxinas: Substâncias tóxicas, especialmente uma proteína, produzidas durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capazes de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
51 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Medicina de Urgência?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.