Gostou do artigo? Compartilhe!

Potomania - obsessão por beber água!

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é potomania1?

A potomania1 (do grego: potos = bebida + do latim: mania = demência2 ou loucura) é um problema psicológico caracterizado pela necessidade permanente e incontrolável (obsessiva) de beber água. As pessoas afetadas por esse distúrbio podem beber até 10 litros de água por dia, enquanto a média é de 1,5 litros.

Apesar de ser recomendável beber água regularmente, uma superhidratação nesse nível pode ter efeitos negativos no organismo, como um edema3 no cérebro4, por exemplo, que pode levar a transtornos neurológicos graves e mesmo à morte.

Quais são as causas da potomania1?

O hipotálamo5 é a região do cérebro4 responsável pelo equilíbrio da água no organismo. Uma alteração no mecanismo de controle do hipotálamo5 pode causar uma potomania1 neurológica, mas os especialistas concordam que ela pode também estar associada com um distúrbio psiquiátrico. Os fatores de risco que podem influenciar o aparecimento desta doença são certas doenças mentais, como transtornos da personalidade, sintomas6 delirantes e histeria.

Leia mais sobre "Transtorno obsessivo compulsivo", "Edema3 cerebral" e "Estrutura da personalidade".

Qual é o mecanismo fisiológico7 da potomania1?

O rim8 humano normal, através da supressão do hormônio9 antidiurético, normalmente é capaz de excretar vastas quantidades de urina10 diluída. Assim, um adulto normal pode beber grandes quantidades de água por dia, sem se tornar hiponatrêmico. No entanto, a ingestão de solutos (gradiente eletrolítico) também é necessária para excretar água livre. Na falta de ingestão adequada de soluto, a quantidade de excreção de água livre pode ser severamente limitada, porque é o soluto que puxa a água para a urina10.

O consumo excessivo de água causa hiponatremia11, ou seja, os níveis de sal no sangue12 ficam abaixo da faixa normal. Qualquer queda repentina nos níveis de sal no sangue12, por beber mais água do que o corpo pode excretar, pode fazer com que todas as células13 do corpo se inchem. O inchaço14 cerebral causado pela hiponatremia11 pode causar dores de cabeça15 e vômitos16, enquanto o inchaço14 das células musculares17 pode desencadear câimbras18 musculares em todo o corpo

O mais sério, porém, é que esses sintomas6 imitam os da desidratação19 e são frequentemente tratados com mais líquidos, agravando ainda mais a situação.

Quais são as principais características clínicas da potomania1?

Os sintomas6 da hiperidratação, resultante de beber água em excesso, parecem muito com os sintomas6 da desidratação19. Quando a pessoa bebe muita água, seus rins20 ficam impossibilitados de se livrar do excesso de líquido e a água começa a se acumular no corpo. Isso pode causar vários sintomas6 desagradáveis, incluindo náuseas21, vômitos16 e diarreia22.

Para a maioria das pessoas, oito a dez copos de água por dia são considerados uma quantidade normal. Se a pessoa bebe uma quantidade razoável de água, a urina10 é de cor palha a amarelo transparente. Ter urina10 sem nenhuma pigmentação, ou seja, muito clara, pode ser um sinal23 de que a pessoa está bebendo água em excesso.

Além disso, ocorrem outros fatos notórios: o paciente urina10 frequentemente, inclusive durante a noite, sente náuseas21 e pode apresentar vômitos16, ter diarreias, ter dores de cabeça15 latejantes ao longo do dia, perceber inchaço14 ou descoloração nas mãos24, lábios e pés e sentir fraqueza muscular e câimbras18.

Leia sobre "Desidratação19", "Diarreia22", "Câimbras18", "Dores de cabeça15" e "Náuseas21 e vômitos16".

Como o médico diagnostica a potomania1?

O diagnóstico25 da potomania1 deve partir dos relatos do paciente ou das pessoas relacionadas com ele. As dosagens de eletrólitos26 no sangue12 dão uma importante ajuda para confirmar a hiperhidratação.

Como o médico trata a potomania1?

Como em todos os casos de hiponatremia11, deve-se tomar extremo cuidado para evitar as consequências fatais de corrigir rapidamente os eletrólitos26 (por exemplo, mielinólise pontina central e edema3). Como essa pode ser uma condição crônica, o baixo nível de sódio pode ser aquele a que o paciente está normalmente habituado. Portanto, é necessária uma correção especialmente cuidadosa.

Também é muito importante notar que, devido à função renal27 normal e à falta de outras causas intrínsecas ou tóxicas do distúrbio eletrolítico, a restauração dos solutos da dieta corrigirá os eletrólitos26 para níveis séricos normais.

Tratar a potomania1 pode ser complicado e requer uma abordagem delicada. Embora administrar sódio ao paciente possa parecer o tratamento óbvio, isso pode ser perigoso: a reversão rápida dos níveis de sódio pode levar a problemas neurológicos, incluindo a síndrome28 de desmielinização osmótica29, espasmos30, deficiência mental grave e coma31. A pessoa que tem potomania1 está em maior risco dessa síndrome28 do que pessoas com outros tipos de hiponatremia11. O risco da síndrome28 de desmielinização osmótica29 está diretamente relacionado à velocidade de reposição de sódio. Portanto, essa administração de sódio deve ser lenta e cuidadosa, ao longo de 48 horas.

Se o paciente não for sintomático32, o médico pode decidir não administrar fluidos intravenosos com sódio. Em vez disso, pode colocá-lo em uma dieta com restrição de líquidos por pelo menos 24 horas. Às vezes, isso é suficiente para o corpo expelir fluidos extras e aumentar a concentração de sódio.

Como prevenir a potomania1?

Os problemas eletrolíticos podem ser evitados substituindo alguns copos de água por dia por água de coco, que é rica em eletrólitos26 e é 100% natural.

Quais são as complicações possíveis da potomania1?

Não tratada, a potomania1 pode ser fatal. Quando muito fluido se acumula dentro das células13, elas começam a se expandir. Isso causa inchaço14 nos tecidos do corpo. Nos casos em que os níveis de sódio caem rapidamente a um nível muito baixo, o cérebro4 pode inchar em questão de horas e esse inchaço14 pode levar a convulsões, coma31 e morte.

Veja também sobre "Distúrbios hidroeletrolíticos", "Convulsões" e "Coma31".

 

ABCMED, 2019. Potomania - obsessão por beber água!. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1336103/potomania-obsessao-por-beber-agua.htm>. Acesso em: 15 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Potomania: Hábito ou mania de ingerir líquidos com frequência e em quantidade exagerada.
2 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
3 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
4 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
5 Hipotálamo: Parte ventral do diencéfalo extendendo-se da região do quiasma óptico à borda caudal dos corpos mamilares, formando as paredes lateral e inferior do terceiro ventrículo.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
8 Rim: Os rins são órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
9 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
10 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
11 Hiponatremia: Concentração de sódio sérico abaixo do limite inferior da normalidade; na maioria dos laboratórios, isto significa [Na+] < 135 meq/L, mas o ponto de corte [Na+] < 136 meq/L também é muito utilizado.
12 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
13 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
14 Inchaço: Inchação, edema.
15 Cabeça:
16 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
17 Células Musculares: Células contráteis maduras, geralmente conhecidas como miócitos, que formam um dos três tipos de músculo. Os três tipos de músculo são esquelético (FIBRAS MUSCULARES), cardíaco (MIÓCITOS CARDÍACOS) e liso (MIÓCITOS DE MÚSCULO LISO). Provêm de células musculares embrionárias (precursoras) denominadas MIOBLASTOS.
18 Câimbras: Contrações involuntárias, espasmódicas e dolorosas de um ou mais músculos.
19 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
20 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
21 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
22 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
23 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
24 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
25 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
26 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
27 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
28 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
29 Osmótica: Relativo à osmose, ou seja, ao fluxo do solvente de uma solução pouco concentrada, em direção a outra mais concentrada, que se dá através de uma membrana semipermeável.
30 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
31 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
32 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.