Gostou do artigo? Compartilhe!

Edema ou inchaço - causas, sintomas e tratamento

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é edema1?

Edema1 é o termo médico usado para referir-se à retenção de fluidos no corpo, isto é, acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo2, tornando-os inchados. Esse inchaço3 pode ocorrer em uma parte determinada do corpo, como resultado de uma lesão4, por exemplo, ou pode ser mais geral, como ocorre em certas condições de saúde5, tais como falência cardíaca ou insuficiência renal6.

O edema1 pode ocorrer em qualquer lugar do corpo, mas é mais comum nos pés e tornozelos, o que é conhecido como edema1 periférico. Outros tipos de edema1 são edema1 cerebral, edema pulmonar7 e edema macular8, que afeta a mácula9 dos olhos10. Fala-se de edema1 idiopático11 nos casos em que uma causa não pode ser encontrada.

Quais são as causas do edema1?

O edema1 muitas vezes é uma reação fisiológica12 e outras vezes é um sintoma13 de uma doença subjacente. É normal que se tenha algum inchaço3 nas pernas ao final do dia, especialmente se a pessoa fica sentada ou em pé por longos períodos, durante a gravidez14, em que o crescimento do volume abdominal dificulta o retorno venoso15 das pernas e nos períodos pré-menstruais, em que as variações hormonais causam maiores retenções hídricas.

Outras condições médicas e doenças que podem causar edema1 são comer comida muito salgada, o uso da pílula contraceptiva, um coágulo16 de sangue17 que obstrua a circulação18 venosa, varizes19 graves, lesão4 ou cirurgia nas pernas, queimaduras, medicamentos, doença renal20, insuficiência cardíaca21, doença pulmonar crônica, doenças da tireoide22, doenças hepáticas23 e subnutrição.

Qual é a fisiopatologia24 do edema1?

Muitas vezes o edema1 ocorre quando os pequenos vasos sanguíneos25 do corpo extravasam líquido e o fluido acumula-se nos tecidos circundantes, conduzindo ao inchamento. Outras vezes o edema1 se deve a uma obstrução mecânica da circulação18 venosa e/ou linfática.

Quais são as principais características clínicas do edema1?

Além do inchaço3, o edema1 também pode causar descoloração da pele26, deixar temporariamente a marca de um dedo quando pressionado, deixar a área afetada dolorida, causar rigidez articular, aumento ou perda de peso, aumento da pressão arterial27 e da pulsação. Um tipo especial de inchaço3 nas pernas é o edema1 linfático28 (linfedema), causado por um bloqueio no sistema circulatório29 linfático28 ou por uma condição hereditária de anormalidade dos vasos linfáticos.

Edema ou inchaço

Como o médico diagnostica o edema1?

Em geral, o edema1 pode ser reconhecido pela simples observação, mas para entender o que pode estar causando esta condição o médico tem de realizar um exame físico, apurar o histórico médico do paciente e solicitar alguns exames, como radiografias, ultrassonografias, tomografia computadorizada30, ressonância magnética31 e exames de sangue17 e urina32.

Como o médico trata o edema1?

Muitas vezes os edemas33 fisiológicos desaparecem por si sós. No entanto, algumas medidas ajudam a reduzir a retenção de líquidos, tais como perda de peso, fazer exercícios regularmente, levantar as pernas de três a quatro vezes por dia para melhorar a circulação18 venosa, evitar estar de pé por longos períodos de tempo, etc. No entanto, se houver uma condição mórbida subjacente que esteja causando o desequilíbrio de fluidos, o edema1 só desaparecerá depois que ela for diagnosticada e tratada.

Sintomaticamente, os edemas33 podem ser tratados com medicamentos diuréticos34. Se o edema1 tiver como causa o uso de medicamentos, o paciente e o médico devem considerar a possibilidade de ajustar suas doses, substituí-los ou suspendê-los.

Como evolui o edema1?

Ao contrário do edema1, que pode ser transitório, o linfedema é uma condição duradoura que causa desconforto, dor e perda de mobilidade. O linfedema não pode ser curado, mas pode ser controlado utilizando uma série de tratamentos, incluindo meias de compressão, cuidados da pele26, drenagem35 linfática e elevação. O edema1 consequente a uma doença tende a ter uma evolução paralela a ela.

Quais são as complicações possíveis do edema1?

Se não for adequadamente tratado, o edema1 pode causar um inchaço3 cada vez mais doloroso, rigidez muscular ou articular, estiramento da pele26, que pode tornar-se pruriginosa e desconfortável, aumento do risco de infecção36 na área inchada, diminuição da circulação18 sanguínea e da elasticidade37 das artérias38, veias39, músculos40 e articulações41 e aumento do risco de úlceras42 de pele26.

 

ABCMED, 2016. Edema ou inchaço - causas, sintomas e tratamento. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1266008/edema-ou-inchaco-causas-sintomas-e-tratamento.htm>. Acesso em: 16 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
2 Tecido conjuntivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
3 Inchaço: Inchação, edema.
4 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
7 Edema pulmonar: Acúmulo anormal de líquidos nos pulmões. Pode levar a dificuldades nas trocas gasosas e dificuldade respiratória.
8 Edema macular: Inchaço na mácula.
9 Mácula: Mácula ou mancha é uma lesão plana, não palpável, constituída por uma alteração circunscrita da cor da pele.
10 Olhos:
11 Idiopático: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
12 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
13 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
15 Retorno venoso: Quantidade de sangue que chega ao coração por minuto. Somos capazes de manter o débito cardíaco se, proporcionalmente, tivermos retorno venoso adequado. Ele só é possível devido à contração dos músculos esqueléticos que ajudam a comprimir as veias impulsionando o sangue e devido às válvulas existentes nas paredes das veias que impedem o refluxo do sangue. Outro mecanismo que favorece o retorno venoso é a respiração. Durante a inspiração, pela contração da musculatura inspiratória, faz-se um “vácuo” dentro da cavidade torácica, favorecendo o retorno venoso.
16 Coágulo: 1. Em fisiologia, é uma massa semissólida de sangue ou de linfa. 2. Substância ou produto que promove a coagulação do leite.
17 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
18 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
19 Varizes: Dilatação anormal de uma veia. Podem ser dolorosas ou causar problemas estéticos quando são superficiais como nas pernas. Podem também ser sede de trombose, devido à estase sangüínea.
20 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
21 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
22 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
23 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
24 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
25 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
26 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
27 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
28 Linfático: 1. Na histologia, é relativo à linfa, que contém ou que conduz linfa. 2. No sentido figurado, por extensão de sentido, a que falta vida, vigor, energia (diz-se de indivíduo); apático. 3. Na história da medicina, na classificação hipocrática dos quatro temperamentos de acordo com o humor dominante, que ou aquele que, pela lividez das carnes, flacidez dos músculos, apatia e debilidade demonstradas no comportamento, atesta a predominância de linfa.
29 Sistema circulatório: O sistema circulatório ou cardiovascular é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
30 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
31 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
32 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
33 Edemas: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
34 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
35 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
36 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
37 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
38 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
39 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
40 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
41 Articulações:
42 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.