Gostou do artigo? Compartilhe!

Infecções oportunistas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são infecções1 oportunistas?

Infecções1 oportunistas são infecções1 causadas por microrganismos que comumente estão presentes no corpo sem causar problemas, mas que se aproveitam da debilidade ocasional das defesas do organismo para causar dano.

Quais são as causas das infecções1 oportunistas?

As infecções1 oportunistas ocorrem principalmente em pessoas com sistemas imunológicos comprometidos, permitindo que microrganismos que vivem normalmente no corpo sem causar doenças causem uma infecção2 generalizada.

O sistema imunológico3 de uma pessoa pode estar debilitado por várias razões. As duas principais e mais incisivas são a contaminação pelo HIV4 e pessoas recebendo quimioterapia5. Outras razões podem ser um estado de debilidade física, ansiedade, depressão e uso de certos medicamentos.

Veja sobre "Infecção2 pelo HIV4", "AIDS", "Quimioterapia5", "Ansiedade" e "Depressão".

Qual é o mecanismo fisiológico6 das infecções1 oportunistas?

Normalmente todas as pessoas carregam no corpo muitas bactérias, protozoários7, fungos e vírus8 patógenos, mas que não causam doenças porque esses germes são controlados pelo sistema imunológico3. No entanto, se a infecção2 for muito massiva ou o sistema imune9 estiver enfraquecido pelo HIV4 ou por outra condição qualquer, esses germes podem ficar fora de controle e causar doenças, chamadas de infecções1 oportunistas. Essas infecções1 costumam ser muito graves e de difícil tratamento, e podem mesmo ser letais.

Quais são as principais características clínicas das infecções1 oportunistas?

As principais infecções1 oportunistas são:

  • Infecções1 causadas por vírus8 Herpes simplex: uma infecção2 viral que pode causar lesões10 nos lábios, boca11, face12 e órgãos genitais. Em pessoas saudáveis, essas infecções1 são bastante comuns e sem gravidade, mas se a pessoa estiver contaminada pelo HIV4, podem ser muito mais frequentes e graves.
  • Infecções1 causadas por Salmonella: infecção2 bacteriana que afeta os intestinos13 e causa, entre outros sintomas14, diarreia15 grave.
  • Infecções1 por Cândida albicans (candidíase16): pode atingir a boca11, a garganta17, esôfago18 e órgãos genitais.
  • Infecções1 pelo Toxoplasma gondii (toxoplasmose19): infecção2 protozoária que, no paciente imunodeprimido, pode ocorrer principalmente no cérebro20 e, menos frequentemente, na retina21, miocárdio22 e pulmões23. As lesões10 podem ser fatais.
  • Infecções1 pelo Citomegalovírus24 (CMV): infecção2 viral que causa doença ocular e pode levar à cegueira.
  • Infecção2 pelo Plasmodium (malária): sem complicações já é uma infecção2 grave, mas torna-se muito mais comum e mais grave em pessoas com infecção2 pelo HIV4.
  • Infecções1 pelo Mycobacterium avium: infecção2 bacteriana que pode causar febres recorrentes, problemas intestinais, problemas com a digestão25 e grave perda de peso.
  • Infecção2 pelo Pneumocystis (pneumonia26): é uma infecção2 fúngica27 que pode causar uma pneumonia26 fatal.
  • Infecção2 pelo Mycobacterium tuberculosis (tuberculose28): infecção2 bacteriana que ataca os pulmões23 e pode causar meningite29.
Leia sobre "Herpes simples", "Salmonelose", "Candidíase16", "Toxoplasmose19", "Citomegalovírus24", "Malária", "Pneumocistose" e "Tuberculose28".

O HIV4 (AIDS) e as infecções1 oportunistas

Pela sua frequência e gravidade, as infecções1 oportunistas nos portadores do HIV4 têm uma importância especial. Quando uma pessoa é infectada pelo HIV4, o vírus8 começa a se multiplicar e a danificar o sistema imunológico3. Se a pessoa portadora de HIV4 não for adequadamente tratada (medicamentos anti-HIV4), a infecção2 pode gradualmente destruir o sistema imunológico3 e avançar para a AIDS.

Antes de termos disponíveis os medicamentos para manter sob controle a infecção2 pelo HIV4, as infecções1 oportunistas eram a principal causa de morte em pessoas com HIV4. Atualmente, os medicamentos conseguem reduzir o risco de infecções1 oportunistas.

Como o médico trata as infecções1 oportunistas?

Para pessoas com HIV4, a melhor proteção contra as infecções1 oportunistas é tomar regularmente, da maneira indicada, os remédios contra a reprodução30 do HIV4. Esses medicamentos também impedem que o HIV4 danifique o sistema imunológico3. Como os medicamentos contra o HIV4 são hoje amplamente usados, menos pessoas com este vírus8 têm infecções1 oportunistas. Caso a infecção2 oportunista ocorra, o tratamento dependerá de sua natureza.

Saiba também sobre "Bactérias", "Fungos", "Vírus8" e "Toxoplasmose19 ocular".

 

ABCMED, 2018. Infecções oportunistas. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1321418/infeccoes+oportunistas.htm>. Acesso em: 23 jul. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
4 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
5 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
6 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
7 Protozoários: Filo do reino animal, de classificação suplantada, que reunia uma grande parcela dos seres unicelulares que possuem organelas celulares envolvidas por membrana. Atualmente, este grupo consiste em muitos e diferentes filos unicelulares incorporados pelo reino protista.
8 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
9 Sistema imune: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
10 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
12 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
13 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
16 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
17 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
18 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
19 Toxoplasmose: Infecção produzida por um parasita unicelular denominado Toxoplasma gondii. Este parasita cumpre um primeiro ciclo no interior do tubo digestivo de certos animais domésticos como o gato. A infecção é produzida ao ingerir alimentos contaminados e pode ocasionar graves transtornos durante a gestação e em pessoas imunossuprimidas.
20 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
21 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
22 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
23 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
24 Citomegalovírus: Citomegalovírus (CMV) é um vírus pertence à família do herpesvírus, a mesma dos vírus da catapora, herpes simples, herpes genital e do herpes zóster.
25 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
26 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
27 Fúngica: Relativa à ou produzida por fungo.
28 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
29 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
30 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Infectologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.