Gostou do artigo? Compartilhe!

Citomegalovírus: o que sente uma pessoa infectada pelo citomegalovírus? Tem como evitar?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é o citomegalovírus1?

O citomegalovírus1 (CMV) é um vírus2 comum que pode infectar qualquer pessoa e que permanece latente no corpo por toda a vida, só causando sintomas3 em situações em que o sistema imunológico4 encontra-se debilitado. Nesse sentido, comporta-se como o vírus2 da herpes.

Além do homem, o vírus2 pode infectar o macaco e roedores, levando à aparição de células gigantes5 que apresentam inclusões intranucleares. O citomegalovírus1 pertence à família do herpesvírus, a mesma dos vírus2 da catapora6, herpes simples, herpes genital e herpes zóster.

Saiba mais sobre "Virose", "Catapora6 ou varicela7", "Herpes Simples", "Herpes genital" e "Herpes zóster".

Como se contrai o citomegalovírus1?

O CMV passa de uma pessoa para outra através de fluidos corporais, como sangue8, saliva, urina9, sêmen10 e leite materno. Assim, ele pode ser transmitido por tocar nos olhos11, nariz12 ou boca13 depois de entrar em contato com os fluidos corporais de uma pessoa infectada; por contato sexual com uma pessoa infectada; leite materno de uma mãe infectada; transplante de órgãos; transfusões de sangue8 e por ocasião do parto (durante o nascimento). O contato casual não transmite o CMV.

Quais são as principais características clínicas da infecção14 por citomegalovírus1?

O CMV experimenta períodos em que permanece adormecido e outros em que se reativa. Se a pessoa estiver saudável, o vírus2 permanece latente. Durante a ativação, a pessoa contaminada pode passar o vírus2 a outras pessoas. A maioria dos pacientes infectados apresenta poucos sinais15 e sintomas3.

Pessoas com maior risco de infecção14 sintomática16 de CMV incluem recém-nascidos infectados antes do nascimento, bebês17 que se tornam infectados durante o nascimento, bebês17 infectados pelo leite materno e pessoas com sistema imunológico4 enfraquecido. Alguns bebês17 com citomegalovirose congênita18 que parecem saudáveis ao nascer podem desenvolver sinais15 ao longo do tempo (meses ou anos após o nascimento).

Os sinais15 mais comuns são perda de audição e atraso no desenvolvimento, além de problemas de visão19 como a coriorretinite. Também pode ocorrer nascimento prematuro, baixo peso ao nascer, icterícia20 (pele21 e olhos11 amarelados), fígado22 aumentado e mal funcionante, manchas roxas na pele21, erupção23 cutânea24, microcefalia25 (cabeça26 anormalmente pequena), baço27 aumentado, pneumonia28, convulsões e imunidade29 enfraquecida.

Quando a infecção14 se dá em adultos, eles podem ter sintomas3 semelhantes aos da mononucleose infecciosa30.

Leia sobre "Coriorretinite", "Parto prematuro", "Microcefalia25", "Pneumonia28", "Convulsões" e "Mononucleose31".

Como o médico diagnostica a presença do citomegalovírus1?

O vírus2 pode ser detectado por exame de sangue8 e de outros fluidos corporais ou exames de amostras de tecido32. O exame específico é a pesquisa de anticorpos33 contra o CMV. Um exame pré-natal (amniocentese34) pode determinar se o feto35 adquiriu ou não a infecção14. Na amniocentese34 será examinada uma amostra de líquido amniótico36.

Se o bebê tiver CMV, o médico provavelmente irá recomendar testes adicionais para verificar a saúde37 dos órgãos do bebê, como fígado22 e rins38. O teste de CMV também pode ser importante se o paciente tiver um sistema imunológico4 enfraquecido.

Veja mais sobre "Pré-Natal", "Amniocentese34" e "Líquido amniótico36".

Como o médico trata a infecção14 pelo citomegalovírus1?

Não há cura para o citomegalovírus1. No entanto, alguns medicamentos podem ajudar a tratar recém-nascidos e pessoas com sistema imunológico4 fraco. Adultos saudáveis que desenvolvem CMV na maioria dos casos se recuperam sem medicação. Mas recém-nascidos e pessoas com sistema imunológico4 comprometido precisam de tratamento quando estão tendo sinais15 e sintomas3 da infecção14 por CMV.

O tipo de tratamento depende da clínica apresenta pelo paciente e da gravidade dos sintomas3. O tratamento mais comum é feito em casos graves, com os medicamentos antivirais, os quais podem diminuir a reprodução39 do vírus2, mas não podem eliminá-lo.

Como evolui a infecção14 pelo citomegalovírus1?

Raramente o citomegalovírus1 causa problemas em pessoas saudáveis. No entanto, em mulheres grávidas e em pessoas com sistema imunológico4 enfraquecido ele é motivo de preocupação. Uma mulher grávida pode passar o vírus2 para o bebê, que pode ter sinais15 e sintomas3. Em pessoas com imunidade29 comprometida, a infecção14 por CMV pode inclusive ser fatal.

Como prevenir a infecção14 pelo citomegalovírus1?

A higiene cuidadosa é a melhor prevenção contra o CMV.

  • Lavar as mãos40 com frequência usando água e sabão por 15 a 20 segundos.
  • Evitar o contato com lágrimas e saliva quando beijar uma criança.
  • Evitar compartilhar utensílios com outras pessoas, tais como talheres, copos, instrumentos de sopro, xícaras, etc.
  • Ter cuidado ao descartar fraldas, tecidos e outros itens que foram contaminados.
  • Limpar brinquedos e superfícies que tenham entrado em contato com a urina9 ou a saliva das crianças.
  • Praticar sexo seguro usando preservativo para evitar a propagação do vírus2 através do sêmen10 e de fluidos vaginais.

Se o paciente tiver um sistema imunológico4 comprometido, pode se beneficiar de uma medicação antiviral preventiva. Vacinas estão sendo testadas, mas ainda não são de uso geral.

Quais são as complicações possíveis da infecção14 pelo citomegalovírus1?

Lesões41 ulcerosas e dolorosas podem comprometer o sistema digestivo42 de imunocomprometidos infectados pelo CMV. Nos aidéticos, pode haver coriorretinite levando à cegueira e também complicações no sistema digestivo42 e no sistema nervoso central43. Em casos de transmissão vertical (da mãe para o feto35 no útero44 ou ao recém-nascido durante o parto) é importante ter em mente que o CMV é a principal causa de retardo mental nas crianças.

Veja também sobre "Toxoplasmose45 congênita18", "AIDS" e "Retardo mental".

 

ABCMED, 2017. Citomegalovírus: o que sente uma pessoa infectada pelo citomegalovírus? Tem como evitar?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1299543/citomegalovirus-o-que-sente-uma-pessoa-infectada-pelo-citomegalovirus-tem-como-evitar.htm>. Acesso em: 6 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Citomegalovírus: Citomegalovírus (CMV) é um vírus pertence à família do herpesvírus, a mesma dos vírus da catapora, herpes simples, herpes genital e do herpes zóster.
2 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
5 Células Gigantes: Massas multinucleares produzidas pela fusão de muitas células; freqüentemente associadas com infecções virais. Na AIDS, há indução destas células quando o envelope glicoproteico do vírus HIV liga-se ao antígeno CD4 de células T4 vizinhas não infectadas. O sincício resultante leva à morte celular explicando então o efeito citopático do vírus.
6 Catapora: Doença infecciosa aguda, comum na infância, também chamada de varicela. Ela é provocada por vírus e caracterizada por febre e erupção maculopapular rápida, seguida de erupção de vesículas eritematosas muito pruriginosas.
7 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
8 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
9 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
10 Sêmen: Sêmen ou esperma. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O sêmen é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
11 Olhos:
12 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
13 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
14 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
16 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
17 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
18 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
19 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
20 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
21 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
22 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
23 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
24 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
25 Microcefalia: Pequenez anormal da cabeça, geralmente associada à deficiência mental.
26 Cabeça:
27 Baço:
28 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
29 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
30 Mononucleose infecciosa: Doença de progressão benigna, muito comum, causada pela infecção pelo vírus Epstein-Barr e transmitida pelo contato com saliva contaminada. Seus sintomas incluem: mal-estar, dor de cabeça, febre, dor de garganta, ínguas principalmente no pescoço, inflamação do fígado. Acomete mais freqüentemente adolescentes e adultos jovens.
31 Mononucleose: Doença de progressão benigna, muito comum, causada pela infecção pelo vírus Epstein-Barr e transmitida pelo contato com saliva contaminada. Seus sintomas incluem: mal-estar, dor de cabeça, febre, dor de garganta, ínguas principalmente no pescoço, inflamação do fígado. Acomete mais freqüentemente adolescentes e adultos jovens.
32 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
33 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
34 Amniocentese: Consiste na obtenção do líquido amniótico que banha o feto através da punção da cavidade amniótica. Realizada entre 15 a 18 semanas de gravidez, para avaliar problemas genéticos do bebê.
35 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
36 Líquido amniótico: Fluido viscoso, incolor ou levemente esbranquiçado, que preenche a bolsa amniótica e envolve o embrião durante toda a gestação, protegendo-o contra infecções e choques mecânicos e térmicos.
37 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
38 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
39 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
40 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
41 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
42 Sistema digestivo: O sistema digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
43 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
44 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
45 Toxoplasmose: Infecção produzida por um parasita unicelular denominado Toxoplasma gondii. Este parasita cumpre um primeiro ciclo no interior do tubo digestivo de certos animais domésticos como o gato. A infecção é produzida ao ingerir alimentos contaminados e pode ocasionar graves transtornos durante a gestação e em pessoas imunossuprimidas.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Infectologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.