Atalho: 5XETGKQ
Gostou do artigo? Compartilhe!

Herpes Simples. O que é?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é o herpes simples?

É uma virose de distribuição universal, recorrente, geralmente benigna, altamente transmissível inclusive pelo contato sexual orogenital. Ela pode ser transmitida pelo contato direto com as lesões1 ou por objetos contaminados.

Acredita-se que a maioria dos casos de transmissão ocorre a partir de pessoas que não sabem que estão infectadas ou são assintomáticas.

De 50 a 90% dos adultos tem anticorpos2 circulantes contra o herpes vírus3 humano tipo-1 (HSV-1) e 20 a 30% contra o herpes vírus3 humano tipo-2 (HSV-2).

A doença traz incômodo aos indivíduos portadores, não tem cura, mas seus sintomas4 podem ser controlados com medicações.

O que sente uma pessoa com herpes simples?

A pessoa sente uma ardência, prurido5 ou dor em locais onde se formam lesões1 tipo vesículas6 que, em poucos dias, transformam-se em pequenas úlceras7. As lesões1 geralmente aparecem em membranas mucosas8 ou na pele9, ao redor da cavidade oral10 (herpes orolabial) e da genitália11 (herpes anogenital). Determina quadros benignos ou graves, com manifestações clínicas distintas e relacionadas ao estado imunológico do hospedeiro.

As vesículas6 contêm um líquido rico em vírus3. Após a sua ruptura, elas desaparecem e reaparecem sem deixar marcas ou cicatrizes12.

 O que causa o herpes simples?

A doença é causada pelo herpes vírus3 humano tipo 1 (HSV-1), responsável por infecções13 na face14 e no tronco, e tipo 2 (HSV-2), relacionado às infecções13 na genitália11, este com transmissão geralmente sexual.

É um vírus3 DNA da mesma família do Citomegalovírus15 (CMV), do Varicela16 Zoster17 Vírus3 (VZV), do Epstein-Barr Vírus3 (EBV), do Herpesvírus humano 6 (HHV-6) e do Herpesvírus humano 8 (HHV 8).

Como a infecção18 acontece?

A primeira infecção18 pelo vírus3 do herpes simples é, em geral, subclínica e passa despercebida. O indivíduo torna-se portador do vírus3 sem apresentar sintomas4. Em pequena porcentagem de indivíduos, a infecção18 é grave e prolongada. Após a infecção18 primária, o vírus3 pode ficar em estado de latência19 em gânglios20 de nervos cranianos ou da medula21. Quando reativado por várias causas, migra através do nervo periférico, retorna a pele9 ou mucosa22 e produz a erupção23 do herpes simples recidivante24.

As crianças podem ter herpes?

Podem sim.  A gengivoestomatite herpética primária é mais comum em crianças. O quadro clínico pode ser leve, com algumas lesões1 vesicoerosivas e estado subfebril, ou grave, com lesões1 vesiculosas, febre25 alta, adenopatias26 e comprometimento do estado geral. Quando as vesículas6 se rompem, formam-se exulcerações, a gengiva incha e a alimentação torna-se difícil.

Posso ter herpes simples mais de uma vez?

Após a infecção18 genital primária por HSV-2 ou HSV-1, respectivamente, 90 e 60% dos pacientes desenvolvem novos episódios nos primeiros 12 meses, por reativação dos vírus3. A recorrência27 das lesões1 pode estar associada à febre25, exposição à radiação ultravioleta, traumatismos, menstruação28, estresse físico ou emocional, antibioticoterapia prolongada e imunodeficiência29. O quadro clínico das recorrências30 é menos intenso que o observado na primoinfecção, precedido de pródromos31 característicos: aumento de sensibilidade, prurido5, “queimação”, mialgias32 e “fisgadas” nas pernas, quadris e região anogenital.

O que é herpes genital?

O vírus3 é transmitido, mais frequentemente, por contato direto com lesões1 ou objetos contaminados. É necessário que haja solução de continuidade, pois não há penetração do vírus3 em pele9 ou mucosas8 íntegras. Pode não produzir sintomatologia ou pródromos31.

No homem, localiza-se, geralmente, na glande e prepúcio33; na mulher, nos pequenos lábios, clitóris, grandes lábios, fúrcula e colo do útero34. As lesões1 são, inicialmente, pápulas35 eritematosas36 de 2 a 3 mm, seguindo-se por vesículas6 agrupadas com conteúdo citrino, que se rompem dando origem a ulcerações37. A adenopatia38 inguinal dolorosa bilateral pode estar presente em 50% dos casos. As lesões1 cervicais (cervicite39 herpética), frequentes na primoinfecção, podem estar associadas a corrimento genital aquoso. No homem, não raramente, pode haver secreção uretral40 hialina, acompanhada de ardência miccional. Podem ocorrer sintomas4 gerais, como febre25 e mal-estar. Com ou sem sintomatologia, após a infecção18 primária, o HSV ascende pelos nervos periféricos sensoriais, penetra nos núcleos das células41 ganglionares e entra em latência19.

Existem outros tipos de infecções13 causadas pelo mesmo vírus3?

O mesmo vírus3 pode causar outras infecções13, tais como:

  • Ceratoconjuntivite Herpética: acomete a conjuntiva42 e a córnea43. Após a regressão, as recidivas44 podem determinar ulcerações37 profundas, eventualmente causando cegueira.
  • Herpes Simples Neonatal: ocorre quando a parturiente apresenta herpes genital com contaminação do neonato45 no canal do parto. É um quadro grave e, muitas vezes, fatal. Dos sobreviventes, 50% apresentam sequelas46 neurológicas ou oculares.
  • Panarício Herpético: infecção18 recidivante24, atingindo os dedos das mãos47 e pés.

O Herpes Simples pode causar Doença Neurológica, uma vez que é um vírus3 neurotrópico. As complicações do sistema nervoso central48 são meningite49, encefalite50, radiculopatia, mielite51.

Como é feito o diagnóstico52?

O diagnóstico52 é eminentemente53 clínico. O diagnóstico52 citológico de Tzanck pode ser utilizado, a coloração pelo Papanicolau54 tem baixa sensibilidade. O isolamento do vírus3 em cultura de tecido55 é a técnica mais específica para diagnóstico52 da infecção18 herpética, mas não é um método disponível na prática diária; sua sensibilidade é maior nas lesões1 vesiculosas e, progressivamente, menor nas fases de pústulas56, úlcera57 e crostas. O PCR58 é altamente sensível, embora seja pouco acessível, disponível em alguns laboratórios de referência, para pesquisa. A sorologia só tem seu papel na identificação da soroprevalência ou confirmação de soroconversão, porém não se aplica na rotina diagnóstica.

Como é feito o tratamento?

Somente o médico pode indicar o melhor tratamento para cada caso. Existem medicamentos a serem usados como o aciclovir59, o valaciclovir ou o fanciclovir tanto para tratar a infecção18 aguda quanto para evitar as recorrências30. O tratamento deve ser iniciado o mais precocemente possível, de preferência, ao aparecimento dos primeiros pródromos31 (aumento de sensibilidade, ardor60, dor, prurido5).

Os casos recidivantes61 podem se beneficiar com terapias supressivas. Procure orientação de um médico para evitar novas infecções13 pelo herpesvírus.

 

Fonte: Doenças Infecciosas e Parasitárias – Guia de Bolso - Ministério da Saúde62

ABCMED, 2011. Herpes Simples. O que é?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/181810/herpes+simples+o+que+e.htm>. Acesso em: 26 mai. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
2 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
3 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
6 Vesículas: Lesões papulares preenchidas com líquido claro.
7 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
8 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
9 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
10 Cavidade Oral: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
11 Genitália: Órgãos externos e internos relacionados com a reprodução. Sinônimos: Órgãos Sexuais Acessórios; Órgãos Genitais; Órgãos Acessórios Sexuais
12 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
13 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
14 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
15 Citomegalovírus: Citomegalovírus (CMV) é um vírus pertence à família do herpesvírus, a mesma dos vírus da catapora, herpes simples, herpes genital e do herpes zóster.
16 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
17 Zoster: Doença produzida pelo mesmo vírus que causa a varicela (Varicela-Zóster). Em pessoas que já tenham tido varicela, o vírus se encontra em forma latente e pode ser reativado produzindo as características manchas avermelhadas, vesículas e crostas no território de distribuição de um determinado nervo. Como seqüela pode deixar neurite, com dores importantes.
18 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
19 Latência: 1. Estado, caráter daquilo que se acha latente, oculto. 2. Por extensão de sentido, é o período durante o qual algo se elabora, antes de assumir existência efetiva. 3. Em medicina, é o intervalo entre o começo de um estímulo e o início de uma reação associada a este estímulo; tempo de reação. 4. Em psicanálise, é o período (dos quatro ou cinco anos até o início da adolescência) durante o qual o interesse sexual é sublimado; período de latência.
20 Gânglios: 1. Na anatomia geral, são corpos arredondados de tamanho e estrutura variáveis; nodos, nódulos. 2. Em patologia, são pequenos tumores císticos localizados em uma bainha tendinosa ou em uma cápsula articular, especialmente nas mãos, punhos e pés.
21 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
22 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
23 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
24 Recidivante: Característica da doença que recidiva, que acontece de forma recorrente ou repetitiva.
25 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
26 Adenopatias: Aumento anormal dos gânglios linfáticos. Pode ser acompanhado de dor, aumento da consistência, aderência a planos profundos, etc. É frequente em diversas situações, como infecções, inflamações, neoplasias, etc.
27 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
28 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
29 Imunodeficiência: Distúrbio do sistema imunológico que se caracteriza por um defeito congênito ou adquirido em um ou vários mecanismos que interferem na defesa normal de um indivíduo perante infecções ou doenças tumorais.
30 Recorrências: 1. Retornos, repetições. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
31 Pródromos: 1. Algo que antecede a; precursor, prenúncio, antecedente. 2. Espécie de prefácio; introdução, preâmbulo. 3. Na medicina: sinal ou sintoma inicial de doença; propatia.
32 Mialgias: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
33 Prepúcio: Prega cutânea que recobre a glande do pênis.
34 Colo do útero: Porção compreendendo o pescoço do ÚTERO (entre o ístmo inferior e a VAGINA), que forma o canal cervical.
35 Pápulas: Lesões firmes e elevadas, com bordas nítidas e diâmetro que varia de 1 a 5 milímetros (até 1 centímetro, segundo alguns autores).
36 Eritematosas: Relativas a ou próprias de eritema. Que apresentam eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
37 Ulcerações: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
38 Adenopatia: Aumento anormal dos gânglios linfáticos. Pode ser acompanhado de dor, aumento da consistência, aderência a planos profundos, etc. É frequente em diversas situações, como infecções, inflamações, neoplasias, etc.
39 Cervicite: Inflamação infecciosa do colo uterino.Pode não apresentar sintomas ou pode manifestar-se por dor no baixo ventre, secreção vaginal purulenta, dor ou “pontadas” associadas ao coito (dispareunia).
40 Uretral: Relativo ou pertencente à uretra.
41 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
42 Conjuntiva: Membrana mucosa que reveste a superfície posterior das pálpebras e a superfície pericorneal anterior do globo ocular.
43 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
44 Recidivas: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
45 Neonato: Refere-se a bebês nos seus primeiros 28 dias (mês) de vida. O termo “recentemente-nascido“ refere-se especificamente aos primeiros minutos ou horas que se seguem ao nascimento. Esse termo é utilizado para enfocar os conhecimentos e treinamento da ressuscitação imediatamente após o nascimento e durante as primeiras horas de vida.
46 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
47 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
48 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
49 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
50 Encefalite: Inflamação do tecido encefálico produzida por uma infecção viral, bacteriana ou micótica (fungos).
51 Mielite: Doença caracterizada pela inflamação infecciosa ou imunológica da medula espinhal, que se caracteriza pelo surgimento de déficits de força ou sensibilidade de diferentes territórios do corpo dependendo da região da medula que está comprometida.
52 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
53 Eminentemente: De modo eminente; em alto grau; acima de tudo.
54 Papanicolau: Método de coloração para amostras de tecido, particularmente difundido por sua utilização na detecção precoce do câncer de colo uterino.
55 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
56 Pústulas: Elevações da pele contendo pus, de até um centímetro de diâmetro.
57 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
58 PCR: Reação em cadeia da polimerase (em inglês Polymerase Chain Reaction - PCR) é um método de amplificação de DNA (ácido desoxirribonucleico).
59 Aciclovir: Substância análoga da Guanosina, que age como um antimetabólito, à qual os vírus são especialmente susceptíveis. É usado especialmente contra o herpes.
60 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
61 Recidivantes: Característica da doença que recidiva, que acontece de forma recorrente ou repetitiva.
62 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

22/12/2014 - Comentário feito por ademilson
tenho frequencia de sintomas de herpes na nadeg...
tenho frequencia de sintomas de herpes na nadega direita....ja fui a varios dermatos,cada hora me passam um medicamento q flui durante um tempo ,mas em menos de um mes volta novamente e deixam marcas horriveis...será q é herpes mesmo???

30/07/2013 - Comentário feito por carlos
Re: Herpes Simples. O que é?
Muito bom , vai servir para que eu repasse este assunto para outras pessoas.
Foi ótimo, obrigado.

11/05/2012 - Comentário feito por ANA
Re: Herpes Simples. O que é?
MUITOOOOOOOOOOOOOO BOM !

  • Entrar
  • Assinar