Gostou do artigo? Compartilhe!

Lipedema - características, diagnóstico e o que fazer

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é lipedema?

O lipedema, ou lipoedema, é uma doença crônica caracterizada por um acúmulo excessivo, bilateral e simétrico de tecido gorduroso1 na camada subcutânea2 da parte inferior do corpo, principalmente nas pernas e tornozelos, combinado com uma tendência de inchaço3 que piora ao ficar de pé. A condição foi primeiramente descrita por Allen e Hines em 1940.

Quais são as causas do lipedema?

A causa exata do lipedema continua desconhecida, mas suspeita-se que os hormônios femininos e a genética possam estar envolvidos. Essas suspeitas se justificam porque a condição predomina abundantemente em mulheres e aparece ou se agrava por ocasião da puberdade, menopausa4 ou gravidez5, e porque é comum ver-se o mesmo problema em vários indivíduos de uma mesma família.

Veja também sobre "Linfedema", "Pernas inchadas" e "Drenagem6 linfática".

Qual é o substrato fisiológico7 do lipedema?

O lipedema é o acúmulo de proteínas8 no interstício9 (entre as células10), além de uma alteração histológica11 que ocorre de forma gradativa. O hormônio12 feminino estrogênio é responsável pelo controle da lipogênese (produção de gordura13) e da lipólise (degradação de gordura13) pelo organismo. Alterações em seus receptores podem levar à diminuição da lipólise corporal.

Por sua vez, a proliferação dos adipócitos14 que ocorre nas pacientes com lipedema pode levar à compressão dos capilares15 sanguíneos, causando hipóxia16. Consequentemente há a infiltração de macrófagos17 e produção de citocinas18 e mediadores inflamatórios, causando disfunções endoteliais e aumento da permeabilidade19 dos vasos, levando ao edema20 e favorecendo a formação de hematomas21.

As alterações linfáticas formam um círculo vicioso com essas alterações venosas. O aumento do edema20 leva à compressão dos vasos linfáticos, o que acaba por criar também um certo grau de linfedema. O fluido linfático22 acumulado estimula o crescimento dos adipócitos14, causando hipóxia16 e consequentemente edema20, iniciando novamente o círculo.

Quais são as características clínicas do lipedema?

O lipedema ocorre na maioria das vezes em mulheres e leva ao aumento exagerado da circunferência do quadril e das pernas, até os tornozelos, bilateralmente. Os braços raramente são afetados e os pés e as mãos23 nunca o são. Costuma aparecer após a puberdade ou gravidez5. Algumas pacientes com lipedema são obesas, porém a maioria possui peso ideal e apresenta desproporcionalidade ao comparar suas pernas com o resto do corpo.

No estágio inicial do lipedema, a pessoa sente as pernas pesadas, mas ainda tem cintura estreita e parte superior do corpo proporcionalmente muito menor. Ela pode ter um bumbum, coxas24 e pernas grandes, mas seus pés geralmente não serão afetados. Às vezes, o lipedema pode afetar os braços também, mas as mãos23 geralmente não são afetadas.

A pele25 afetada fica macia, maleável e fria e pode apresentar covinhas com uma textura de "casca de laranja". O lipedema também pode causar dor nos joelhos, pés chatos e problemas nas articulações26, o que pode dificultar a marcha.

Como o médico diagnostica o lipedema?

O diagnóstico27 é feito com base nos sintomas28 e no exame clínico e deve seguir os seguintes critérios:

  • ocorrência quase exclusivamente em mulheres;
  • apresentação bilateral e simétrica com envolvimento mínimo dos pés ou mãos23;
  • quase não ocorre a fóvea (depressão) cutânea29 quando a pele25 é pressionada;
  • hipersensibilidade;
  • dor;
  • produção fácil de hematoma30.
Estudos de imagem, como ultrassonografia31, ressonância magnética32, linfangiograma e/ou linfocintilografia podem ser úteis no diagnóstico27 ou ajudam a diferenciá-lo do aumento do volume das pernas de outras etiologias.

Como tratar o lipedema?

Não existe um tratamento eficaz. Os tratamentos disponíveis se concentram no controle dos sintomas28. O manejo para aliviar os sintomas28 e prevenir a progressão do lipedema envolve exercícios, dieta e cuidados com a nutrição33, suporte emocional e controle de problemas de saúde34 coexistentes que podem causar inchaço3 nas pernas.

O fisioterapeuta pode ter uma atuação direta na drenagem6 linfática manual, técnicas de compressão e mobilização física que podem diminuir o edema20, melhorar o aspecto da pele25 e diminuir a dor.

A lipoaspiração tem se mostrado uma opção segura para o lipedema, com vários benefícios para a pessoa afetada: diminuição da circunferência e melhora da aparência dos membros inferiores, melhora da dor, da movimentação e do edema20 e diminuição da fragilidade capilar35. A lipoaspiração, no entanto, não cura o lipedema e seu reaparecimento é possível. Portanto, a paciente não deve abandonar seu tratamento conservador, como drenagem6 linfática e uso de malhas compressivas.

A cirurgia para excisão da gordura13 pode ser considerada se as terapias conservadoras e de suporte não forem eficazes.

Saiba mais: "Dores articulares", "Lipoma36", "Perder peso e manter o peso alcançado por mais tempo" e "Como calcular seu IMC37".

 

Direitos da imagem: Lipedema.org

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites do GARD – Genetic and Rare Diseases Information Center e do NHS – National Health Service.

ABCMED, 2021. Lipedema - características, diagnóstico e o que fazer. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1390835/lipedema-caracteristicas-diagnostico-e-o-que-fazer.htm>. Acesso em: 17 jun. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Tecido Gorduroso: Tecido conjuntivo especializado composto por células gordurosas (ADIPÓCITOS). É o local de armazenamento de GORDURAS, geralmente na forma de TRIGLICERÍDEOS. Em mamíferos, existem dois tipos de tecido adiposo, a GORDURA BRANCA e a GORDURA MARROM. Suas distribuições relativas variam em diferentes espécies sendo que a maioria do tecido adiposo compreende o do tipo branco.
2 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
3 Inchaço: Inchação, edema.
4 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
7 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
8 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
9 Interstício: Interstício, em histologia, refere-se à pequena área ou espaço existente na estrutura de um órgão ou tecido orgânico. Embora possa ser usado como sinônimo de espaço extracelular (fora das células) é mais corretamente utilizado para referir-se ao espaço intercelular (entre as células) de um tecido.
10 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
11 Histológica: Relativo à histologia, ou seja, relativo à disciplina biomédica que estuda a estrutura microscópica, composição e função dos tecidos vivos.
12 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
13 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
14 Adipócitos: Células do corpo que geralmente armazenam GORDURAS na forma de TRIGLICERÍDEOS. Os ADIPÓCITOS BRANCOS são os tipos predominantes encontrados, na maioria das vezes, na cavidade abdominal e no tecido subcutâneo. Os ADIPÓCITOS MARRONS são células termogênicas que podem ser encontradas em recém-nascidos de algumas espécies e em mamíferos que hibernam.
15 Capilares: Minúsculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.
16 Hipóxia: Estado de baixo teor de oxigênio nos tecidos orgânicos que pode ocorrer por diversos fatores, tais como mudança repentina para um ambiente com ar rarefeito (locais de grande altitude) ou por uma alteração em qualquer mecanismo de transporte de oxigênio, desde as vias respiratórias superiores até os tecidos orgânicos.
17 Macrófagos: É uma célula grande, derivada do monócito do sangue. Ela tem a função de englobar e destruir, por fagocitose, corpos estranhos e volumosos.
18 Citocinas: Citoquina ou citocina é a designação genérica de certas substâncias segregadas por células do sistema imunitário que controlam as reações imunes do organismo.
19 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
20 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
21 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
22 Linfático: 1. Na histologia, é relativo à linfa, que contém ou que conduz linfa. 2. No sentido figurado, por extensão de sentido, a que falta vida, vigor, energia (diz-se de indivíduo); apático. 3. Na história da medicina, na classificação hipocrática dos quatro temperamentos de acordo com o humor dominante, que ou aquele que, pela lividez das carnes, flacidez dos músculos, apatia e debilidade demonstradas no comportamento, atesta a predominância de linfa.
23 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
24 Coxas: É a região situada abaixo da virilha e acima do joelho, onde está localizado o maior osso do corpo humano, o fêmur.
25 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
26 Articulações:
27 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
28 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
29 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
30 Hematoma: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
31 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
32 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
33 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
34 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
35 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
36 Lipoma: Tumor benigno derivado do tecido adiposo. São muito freqüentes e apresentam-se como tumorações moles debaixo da pele, que crescem lentamente ao longo de anos. Podem ser retirados por motivos estéticos.
37 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cirurgia Vascular?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.