Atalho: 6KTCF0D
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pé chato ou pé plano: será que o meu é assim?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é pé chato?

O pé é uma estrutura complexa destinada a suportar o peso do corpo. Em condições normais, a planta do pé é curva, tendo a forma de uma hemicúpula1 aberta internamente, de modo a permitir a repartição do peso do corpo pelos vários pontos de apoio. Assim, a sola do pé não se apoia integralmente no solo.

A ortopedia2 usa o termo pé chato (ou pé plano) para designar uma deformidade oriunda do achatamento3 de um ou mais arcos do pé. Este achatamento3 faz com que quase toda a sola dos pés entre em contato com o chão. O arco do pé desaparece quando o pé apoia no chão e reaparece quando a criança levanta os artelhos4 ou fica na ponta dos pés. É uma condição que normalmente acomete a maioria das crianças até os 3 ou 4 anos de idade, quando começa a ocorrer o desenvolvimento normal do arco do pé, mas que geralmente não ocasiona sintomas5.

Muitos adultos com pé chato desde a infância nunca se deram conta disso.

Quais são as causas do pé chato?

O pé da criança não é apenas uma miniatura do pé do adulto, mas é diferente dele, tanto estrutural como funcionalmente. Os recém-nascidos geralmente têm a sola do pé plana, resultante do acúmulo de gordura6 nesta região. Seus joelhos normalmente são arqueados para fora e, posteriormente, para dentro, sob a forma de X. Com a idade, o pé vai sofrendo modificações que o tornam semelhante ao pé adulto, tendo nisso uma forte influência genética. As crianças das quais se diz terem pés chatos demoram mais a fazer essas modificações ou nem chegam a fazê-las.

Quais são os sinais7 e sintomas5 do pé chato?

Na maioria das vezes o pé chato não gera sintomas5 e, portanto, a criança não apresenta queixas. Quando ocorre dor, ela não tem uma localização específica. Como o arco plantar é o primeiro a absorver o impacto do pé com o solo, sua deformidade prejudica essa função e transmite vibrações anormais aos joelhos, quadris e coluna vertebral8, podendo gerar sintomas5 nessas estruturas. Podem aparecer dores nos pés após longas caminhadas.

Outras manifestações clínicas mais sutis do pé plano podem ser: atraso para começar a engatinhar e a andar; quedas frequentes; deformidades ostensivas; claudicações9; cansaço físico; dores lombares; etc.

Como o médico diagnostica o pé chato?

O diagnóstico10 é feito através da observação direta e de sinais7 clínicos específicos, durante certas manobras. Um ortopedista deve ser consultado em caso de dúvidas.

Como o médico trata o pé chato?

Antigamente achava-se que a correção devia ser feita precocemente por meio de palmilhas e botas ortopédicas. Atualmente sabe-se que a maioria dos casos de pés chatos corrige-se espontaneamente, com o tempo, e não exige tratamento, embora três situações mereçam atenção especial:

  • Quando a criança se queixa de dores importantes.
  • Quando a deformidade é muito acentuada.
  • Quando uma deformidade leve começa a se acentuar aos 8 ou 9 anos de idade.

A conduta atual consiste em um monitoramento constante da evolução do problema. Deve-se estimular a criança a caminhar descalça na areia ou na grama11 para assim desenvolver a musculatura do pé e a formação normal do arco. Nos pés planos graves, dolorosos ou de início tardio, a necessidade de cirurgia deve ser considerada.

Como prevenir o pé chato?

  • Estimular que a criança ande descalço, principalmente em solos diferentes como areia, terra, grama11, tapetes de texturas variadas, etc.
  • Estimular a criança a andar nas pontas dos pés.
  • Natação e outras atividades físicas podem prevenir ou aliviar as dores.
  • Usar calçado de sola macia e flexível.

Como evolui o pé chato?

Os pés chatos levam a uma estática e a um caminhar instável, o que resulta em movimentos excessivos e anormais das articulações12 que podem causar fadiga13, tensão e mesmo dores. Ao longo da vida, as consequências dos pés chatos podem ser: artrites, joanetes, joelhos valgos14, esporões de calcâneo15 e deformidades da coluna vertebral8.

ABCMED, 2012. Pé chato ou pé plano: será que o meu é assim?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/ortopedia-e-saude/312845/pe-chato-ou-pe-plano-sera-que-o-meu-e-assim.htm>. Acesso em: 13 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Hemicúpula: Metade ou meio de uma cúpula. Cúpula é definida como: 1. Parte hemisférica, interna e côncava que cobre um espaço circular ou poligonal. 2. Parte externa e superior da cúpula dos monumentos. 3. Céu, abóbada, teto. 4. Reunião de pequenas brácteas que envolvem, como num corpo, a flor e o fruto de certos vegetais. 5. Conjunto de pessoas que representam as autoridades máximas de uma instituição, um organismo, um país, etc. 6. Cimeira.
2 Ortopedia: Especialidade médica que se dedica ao estudo e tratamento do sistema locomotor e da coluna vertebral (ossos, articulações, ligamentos, tendões e músculos).
3 Achatamento: 1. Ato ou efeito de achatar (-se); achatadura, depressão, rebaixamento. 2. Na astronomia, trata-se de um parâmetro geralmente muito pequeno, que caracteriza a não esfericidade de um astro em rotação, igual à variação relativa de uma grandeza quando se passa do equador ao polo. 3. Que tem ou tomou forma chata, plana.
4 Artelhos: Cada um dos dez dedos dos pés. Mesmo que pododáctilo.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
7 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
8 Coluna vertebral:
9 Claudicações: Dor que aparece e desaparece nos músculos da perna. Esta dor resulta de uma falta de suprimento sanguíneo nas pernas e geralmente acontece quando a pessoa está caminhando ou se exercitando.
10 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
11 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
12 Articulações:
13 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
14 Joelhos valgos: Joelho valgo ou genovalgo é a projeção dos joelhos para dentro da linha média do corpo, causada geralmente pela hipertrofia da musculatura lateral da coxa e/ou hipotonia da musculatura medial da coxa. Há uma rotação lateral do fêmur e da tíbia, hiperextensão dos joelhos e supinação dos pés.
15 Calcâneo: O maior OSSO DO TARSO que está situado na parte posterior e inferior do PÉ, formando o CALCANHAR.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cirurgia Geral?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.