Gostou do artigo? Compartilhe!

Dor articular: como agem as infiltrações articulares?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são infiltrações articulares?

As infiltrações articulares são procedimentos realizados em reumatologia ou em ortopedia1 para diagnóstico2 e/ou tratamento de artropatias inflamatórias, com a retirada de líquido intra-articular e a aplicação de substâncias terapêuticas, tais como corticoides e ácido hialurônico, por exemplo. Os radioisótopos3 são pouco utilizados. As infiltrações articulares são utilizadas desde 1951, mas ainda hoje muitas pessoas têm dúvidas quanto à utilização delas.

Veja nosso artigo sobre "Corticoides".

Como se realizam as infiltrações articulares?

Diversas são as técnicas utilizadas para cada local de infiltração, além de variações nos medicamentos utilizados. A técnica usualmente utilizada consiste na adequada limpeza e antissepsia da pele4 e na aplicação de uma anestesia5 local. Em seguida, faz-se a introdução na articulação6 da substância com ação anti-inflamatória e analgésica pela mesma agulha da anestesia5.

O paciente deve permanecer em repouso por 24 a 48 horas para prolongar ao máximo a difusão do fármaco7 injetado e potencializar a sua eficácia. Com uma agulha, podem ser retirados e analisados líquidos intra-articulares e remédios podem ser colocados diretamente no local, com uma ação mais rápida e efetiva do que teriam por via oral.

Como atuam as infiltrações articulares?

As medicações injetadas através das infiltrações articulares ajudam na destruição parcial ou total da membrana inflamada e proliferada, responsável pela invasão das demais estruturas articulares, diminuindo com isso a inflamação8, a dor e o edema9 locais, colaborando para a melhora funcional da articulação6 infiltrada. Essas aplicações, contudo, não devem ser frequentes, nem regulares, sob risco de produzirem consequências graves.

Infiltrações articulares

Em quais articulações10 se podem fazer infiltrações articulares?

As infiltrações articulares podem ser realizadas nas articulações10 periféricas, como ombros, joelhos, punhos e tornozelos, entre outras, ou axiais, como as sacroilíacas e interapofisárias de coluna, por exemplo. Em articulações10 periféricas, a intervenção pode ser feita em ambulatório, podendo ser realizada às cegas ou guiadas por métodos de imagem como a ultrassonografia11.

Algumas estruturas e articulações10 periféricas de mais difícil acesso devem necessariamente ser guiadas por imagens, como a articulação do ombro12, coxofemoral e algumas articulações do pé13. Nas infiltrações axiais é sempre necessário o auxílio de radioscopia para guiar o acesso, pois se tratam de articulações10 mais profundas e de mais difícil acesso.

Em quais condições clínicas se devem fazer infiltrações articulares?

As infiltrações intrarticulares são utilizadas para o tratamento de casos de artrites, sinovites, bursites, derrames articulares, gota14 e dor articular inflamatória refratária às medicações convencionais. As infiltrações também são usadas em casos de osteoartrite15, com uso do ácido hialurônico intrarticular. O ácido hialurônico para tratamento da osteoartrite15 melhora a viscosidade16 do líquido das articulações10 e tem também efeito anti-inflamatório, melhorando a dor e a função articular.

A duração dos efeitos benéficos de uma infiltração articular é variável de noventa dias a mais de um ano, na dependência da doença, da articulação6 infiltrada, da medicação utilizada e do repouso articular após o procedimento. As infiltrações articulares podem ser utilizadas, ainda, em pacientes com contraindicações a algumas medicações orais.

Saiba mais nos artigos sobre "Artrites", "Sinovites", "Bursites", "Gota14" e "Osteoartrite15".

Quais são as complicações possíveis das infiltrações articulares?

Se bem indicadas e aplicadas com a técnica correta, as infiltrações são um procedimento seguro. Infelizmente, por vezes são mal utilizadas no meio esportivo, em que se deseja resultados imediatos em lesões17 traumáticas agudas, o que pode causar danos articulares irreparáveis. Os atletas podem não sentir dores, mas muitas vezes a lesão18 piora ainda mais. Em alguns casos, o uso excessivo da técnica pode até romper o tecido19 lesionado, além de gerar efeitos colaterais20 perigosos.

Além disso, a indicação inadequada da infiltração articular pode ser responsável por resultados terapêuticos insatisfatórios.

Veja também: Água no joelho”: você tem ou já teve? O que fazer para evitar?, Meu ombro está doendo - será bursite21 do ombro ou síndrome22 do impacto do ombro? e Como ocorre uma luxação23 de ombro? O que devemos fazer quando ela acontece?
ABCMED, 2016. Dor articular: como agem as infiltrações articulares?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1272328/dor-articular-como-agem-as-infiltracoes-articulares.htm>. Acesso em: 5 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Ortopedia: Especialidade médica que se dedica ao estudo e tratamento do sistema locomotor e da coluna vertebral (ossos, articulações, ligamentos, tendões e músculos).
2 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
3 Radioisótopos: Os radioisótopos são formados por isótopos, que são átomos com o mesmo número atômico e diferente número de massa. A Medicina Nuclear é a área da medicina onde mais são utilizados os radioisótopos, tanto em diagnósticos como em terapias. Os fármacos que conduzem os radioisótopos até os órgãos e sistemas do corpo são chamados radiofármacos.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
6 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
7 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
8 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
9 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
10 Articulações:
11 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
12 Articulação do ombro: Articulação entre a cabeça do ÚMERO e a cavidade glenóide da ESCÁPULA. Sinônimos: Articulação Glenoumeral
13 Articulações do Pé: Articulações que se estendem distalmente do TORNOZELO aos DEDOS DO PÉ. Compreendem
14 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
15 Osteoartrite: Termo geral que se emprega para referir-se ao processo degenerativo da cartilagem articular, manifestado por dor ao movimento, derrame articular, etc. Também denominado artrose.
16 Viscosidade: 1. Atributo ou condição do que é viscoso; viscidez. 2. Resistência que um fluido oferece ao escoamento e que se deve ao movimento relativo entre suas partes; atrito interno de um fluido.
17 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
18 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
19 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
20 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
21 Bursite: Doença ortopédica caracterizada pela inflamação da bursa, uma bolsa cheia de líquido, existente no interior das articulações, cuja finalidade é amortecer o atrito entre ossos, tendões e músculos. A bursite pode acontecer em qualquer articulação (joelhos, cotovelos, quadris, etc.), mas é mais comum no ombro.
22 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
23 Luxação: É o deslocamento de um ou mais ossos para fora da sua posição normal na articulação.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.