Gostou do artigo? Compartilhe!

Como é a tuberculose miliar?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é tuberculose1 miliar?

A tuberculose1 é uma doença infecciosa causada pela bactéria2 Mycobacterium tuberculosis, que se propaga pelo ar e pode atingir qualquer órgão ou tecido3 do organismo, mas, mais frequentemente, atinge os pulmões4 (84% dos casos). A tuberculose1 miliar é um tipo de tuberculose1 que acontece quando grande número de bactérias se desloca pela corrente linfática ou sanguínea e se dissemina pelo corpo, atingindo vários órgãos.

Ela recebe esse nome por causa das incontáveis lesões5 minúsculas que se formam nos pulmões4, do tamanho de sementinhas de alpiste, e do padrão visto em uma radiografia de tórax6, com muitos pontos minúsculos distribuídos pelos campos pulmonares.

A tuberculose1 miliar pode infectar simultaneamente vários órgãos, incluindo pulmões4, fígado7 e baço8. Ela está presente em cerca de 2% de todos os casos de tuberculose1 e é responsável por até 20% de todos os casos de tuberculose1 extrapulmonar.

Quais são as causas da tuberculose1 miliar?

A tuberculose1 miliar é uma infecção9 pelo Mycobacterium tuberculosis, como a tuberculose1 clássica, que viaja para locais extrapulmonares. Sabe-se que as bactérias se espalham dos pulmões4 pelo sistema linfático10 e, eventualmente, pela corrente sanguínea, mas o mecanismo pelo qual isso ocorre não é bem conhecido.

Os fatores de risco para contrair tuberculose1 são: contato direto com uma pessoa que possui a tuberculose1, viver em condições insalubres e má nutrição11. Outros fatores de risco para contrair a doença incluem falta de moradia e HIV12/AIDS.

Leia sobre "Tuberculose1 pulmonar", "Pneumonia13 em adultos", "Tosse seca persistente", "Tratamento da tuberculose1".

Quais são as principais características clínicas da tuberculose1 miliar?

A tuberculose1 miliar pode afetar a um só tempo um ou vários órgãos do corpo, como pulmões4, fígado7, medula óssea14, etc., e pode também afetar os tecidos que recobrem o cérebro15 e a medula espinhal16 (meninges17), além da membrana ao redor do coração18 (pericárdio19). A doença implica em risco potencial à vida e ocorre mais frequentemente em crianças com menos de 4 anos de idade e pessoas idosas ou que possuem um sistema imunológico20 debilitado.

A tuberculose1 miliar pode ser difícil de identificar, porque os pacientes apresentam sintomas21 inespecíficos e vagos como perda de peso, febre22, arrepios, fraqueza, mal-estar geral e dificuldade em respirar. Casos mais evoluídos e mais bem definidos podem apresentar aumento do fígado7 e do baço8, inflamação23 do pâncreas24, insuficiência25 adrenal e pneumotórax26 uni ou bilateral (raramente).

Outros sintomas21 incluem febre22, hipercalcemia, tubérculos coroides (lesões5 pálidas no nervo óptico) e lesões5 cutâneas27. A infecção9 da medula óssea14 pode causar anemia28 grave e outras anomalias do sangue29, sugerindo leucemia30.

Como o médico diagnostica a tuberculose1 miliar?

O diagnóstico31 de tuberculose1 miliar é muito semelhante ao diagnóstico31 de tuberculose1 pulmonar: exame e cultura de uma amostra da área infectada, teste cutâneo32 de tuberculina (alto número de falsos negativos), exames de sangue29 para detectar tuberculose1 e radiografia do tórax6.

As amostras de líquidos infectados (sangue29, líquido cefalorraquidiano33, urina34, líquido intrapleural, intrapericárdico e intra-articular) podem ser examinadas ao microscópio e/ou enviadas a um laboratório para serem cultivadas. A radiografia do tórax6 pode mostrar as inumeráveis pequeninas manchas típicas da tuberculose1 miliar.

Outros exames de diagnóstico31 por imagem podem ser realizados, dependendo das áreas do corpo que forem afetadas. Eles podem incluir tomografia computadorizada35, ultrassonografia36 e ressonância magnética37.

Como o médico trata a tuberculose1 miliar?

O tratamento de tuberculose1 miliar é semelhante ao tratamento de tuberculose1 pulmonar. O tratamento padrão recomendado pela OMS deve ser feito com isoniazida e rifampicina por seis a nove meses. Se houver evidência de meningite38, o tratamento será estendido para doze meses. Os corticosteroides podem ajudar, se o pericárdio19 ou as meninges17 forem afetados.

As bactérias da tuberculose1 podem facilmente desenvolver resistência aos antibióticos, principalmente quando as pessoas não tomam os medicamentos regularmente ou pelo tempo necessário. Às vezes é necessária cirurgia para tratar algumas complicações da tuberculose1 miliar.

Como evolui em geral a tuberculose1 miliar?

Se não for tratada, a tuberculose1 miliar é quase sempre fatal. Embora tratável, a taxa de mortalidade39 entre crianças com a doença permanece em 15 a 20% e em adultos em 25 a 30%. Uma das principais causas para essas altas taxas de mortalidade39 inclui a detecção tardia da doença, causada pelo fato de os sintomas21 serem inespecíficos. O diagnóstico31 incorreto de meningite38 por tuberculose1 também é uma causa comum de morte.

Veja também sobre "Pneumotórax26", "Vacina40 BCG41", "Líquor42 - o que pode revelar sua análise" e "Meningites43".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas dos sites do Jornal Brasileiro de Pneumologia e da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

ABCMED, 2020. Como é a tuberculose miliar?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1359958/como-e-a-tuberculose-miliar.htm>. Acesso em: 7 abr. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
2 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
3 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
4 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
5 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
6 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
7 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
8 Baço:
9 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Sistema Linfático: Um sistema de órgãos e tecidos que processa e transporta células imunes e LINFA.
11 Má nutrição: Qualquer transtorno da alimentação tanto por excesso quanto por falta da mesma.A qualidade dos alimentos deve ser balanceada de acordo com as necessidades fisiológicas de cada um.
12 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
13 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
14 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
15 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
16 Medula Espinhal:
17 Meninges: Conjunto de membranas que envolvem o sistema nervoso central. Cumprem funções de proteção, isolamento e nutrição. São três e denominam-se dura-máter, pia-máter e aracnóide.
18 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
19 Pericárdio: Saco fibroseroso cônico envolvendo o CORAÇÃO e as raízes dos grandes vasos (AORTA, VEIA CAVA, ARTÉRIA PULMONAR). O pericárdio consiste em dois sacos, o pericárdio fibroso externo e o pericárdio seroso externo. O pericárdio seroso consiste em uma camada parietal externa e uma visceral interna próxima ao coração (epicárdio), com uma cavidade pericárdica no meio. Sinônimos: Epicárdio
20 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
21 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
22 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
23 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
24 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
25 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
26 Pneumotórax: Presença de ar na cavidade pleural. Como o pulmão mantém sua forma em virtude da pressão negativa existente entre a parede torácica e a pleura, a presença de pneumotórax produz o colapso pulmonar, podendo levar à insuficiência respiratória aguda. Suas causas são traumáticas (ferida perfurante no tórax, aumento brusco da pressão nas vias aéreas), pós-operatórias ou, em certas ocasiões, pode ser espontâneo.
27 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
28 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
29 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
30 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
31 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
32 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
33 Líquido cefalorraquidiano: Líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como líquor ou fluido cérebro espinhal, é definido como um fluido corporal estéril, incolor, encontrado no espaço subaracnoideo no cérebro e na medula espinhal (entre as meninges aracnoide e pia-máter). Caracteriza-se por ser uma solução salina pura, com baixo teor de proteínas e células, atuando como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal. Possui também a função de fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos do mesmo. É sintetizado pelos plexos coroidais, epitélio ventricular e espaço subaracnoideo em uma taxa de aproximadamente 20 mL/hora. Em recém-nascidos, este líquido é encontrado em um volume que varia entre 10 a 60 mL, enquanto que no adulto fica entre 100 a 150 mL.
34 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
35 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
36 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
37 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
38 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
39 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
40 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
41 BCG: Vacina utilizada para prevenir a tuberculose. Esta é composta por bacilos vivos e atenuados, que não produzem doença em pessoas com imunidade normal.
42 Líquor: Líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como líquor ou fluido cérebro espinhal, é definido como um fluido corporal estéril, incolor, encontrado no espaço subaracnoideo no cérebro e na medula espinhal (entre as meninges aracnoide e pia-máter). Caracteriza-se por ser uma solução salina pura, com baixo teor de proteínas e células, atuando como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal. Possui também a função de fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos do mesmo. É sintetizado pelos plexos coroidais, epitélio ventricular e espaço subaracnoideo em uma taxa de aproximadamente 20 mL/hora. Em recém-nascidos, este líquido é encontrado em um volume que varia entre 10 a 60 mL, enquanto que no adulto fica entre 100 a 150 mL.
43 Meningites: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pneumologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.