AbcMed  -  Câncer
Atalho: 6CFIHI3
Gostou do artigo? Compartilhe!

Leucemias: o que são? Quais os tipos? Como é diagnosticada e tratada?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são leucemias?

A leucemia1 é um câncer2 que afeta a medula óssea3, produtora de glóbulos sanguíneos4, afetando as células brancas do sangue5. As células6 anormais jovens passam a ser produzidas em tal profusão e com tal velocidade que podem suprimir a produção de células6 normais.

Quais são os tipos de leucemias?

Há dois tipos clínicos de leucemias, classificados de acordo com as linhagens de glóbulos brancos afetados - as linfoides7 e as mieloides.

As leucemias linfoides7 afetam as células da medula óssea8 que originam linfócitos. São chamadas de leucemia1 linfoide9, linfocítica ou linfoblástica.

As leucemias mieloides afetam as células6 que dão origem às plaquetas10, eritrócitos11 e outros elementos encontrados do sangue12. São chamadas mieloide ou mieloblástica.

Qualquer uma das duas pode ser aguda, caracterizada pela rápida proliferação de células6 imaturas do sangue12 e com quadro clínico que se agrava rapidamente; ou crônica, na qual os sintomas13 são brandos e vão se agravando gradualmente.

A leucemia1 linfocítica aguda é mais comum nas crianças e a leucemia1 linfocítica crônica ocorre mais depois dos 55 anos. Já a leucemia1 mieloide crônica é mais comum em adulto e a mieloide aguda pode acometer tanto adultos quanto crianças.

Quais são as causas das leucemias?

A causa das leucemias ainda não é inteiramente conhecida e talvez cada tipo da doença possua sua própria causa. Na verdade, sabe-se de alguns fatores que parecem estar ligados ao surgimento ou ao desencadeamento delas, dentre os quais estão a herança genética, a contaminação por certos tipos de vírus14, a radiação, a poluição, o tratamento quimioterápico, dentre outros.

Quais são os sintomas13 das leucemias?

Os sintomas13 das leucemias são extremamente variáveis. Suas manifestações dependem da infiltração de células sanguíneas15 imaturas nos tecidos do organismo (como amígdalas16, linfonodos17, pele18, baço19, rins20, sistema nervoso21 etc) e a ocupação da medula óssea3 com essas células sanguíneas15 imaturas, o que pode causar:

  • Uma síndrome22 anêmica (por diminuição das hemácias23).
  • Uma síndrome22 hemorrágica24 (em virtude de uma trombocitopenia25).
  • Uma síndrome22 leucopênica (diminuição de leucócitos26 normais).

Os sintomas13 experimentados pelo indivíduo serão, portanto, em graus e associações variáveis, próprios de cada uma dessas síndromes.

Como o médico diagnostica as leucemias?

O médico (clínico geral, pediatra, hematologista, geriatra) fará uma história clínica e o exame físico que podem ser sugestivos de uma primeira suspeita. O hemograma pode reforçar essa suspeita.

O mielograma27, um exame das células da medula óssea8, extraídas preferencialmente do osso ilíaco28 ou do esterno29, é muito importante para determinar a forma das células6 e proceder ao exame citoquímico delas.

Uma punção lombar pode ser feita tanto para análise do líquor30 quanto para introdução de quimioterapia31. Pode-se proceder também à pesquisa de alguns marcadores de superfície das células6 imaturas. Alguns exames de imagem (como radiografia e tomografia computadorizada32) também podem ajudar no diagnóstico33.

Como se trata as leucemias?

O tratamento das leucemias tem o objetivo de destruir as células6 neoplásicas34, para que a medula óssea3 volte a produzir células6 normais. Isso é feito através de medicamentos quimioterápicos e, eventualmente, radioterapia35.

Deve ser feito o controle das complicações infecciosas e hemorrágicas36 e a prevenção ou combate à afetação do sistema nervoso central37. Durante o tratamento o paciente recebe frequentes transfusões de hemácias23 e plaquetas10. Mesmo depois de normalizada a contagem de células6, o tratamento deve continuar por um ou dois anos para destruir completamente as células6 anormais residuais. Em alguns casos, um transplante de medula38 é necessário.

ABCMED, 2012. Leucemias: o que são? Quais os tipos? Como é diagnosticada e tratada?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/cancer/262410/leucemias-o-que-sao-quais-os-tipos-como-e-diagnosticada-e-tratada.htm>. Acesso em: 21 jul. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
4 Glóbulos Sanguíneos: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
5 Células Brancas do Sangue: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS).
6 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
7 Linfoides: 1. Relativos a ou que constituem o tecido característico dos nodos linfáticos. 2. Relativos ou semelhantes à linfa.
8 Células da Medula Óssea: Células contidas na medula óssea, incluindo células adiposas (ver ADIPÓCITOS), CÉLULAS ESTROMAIS, MEGACARIÓCITOS e os precurssores imediatos da maioria das células sangüíneas.
9 Linfoide: 1. Relativo a ou que constitui o tecido característico dos nodos linfáticos. 2. Relativo ou semelhante à linfa.
10 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
11 Eritrócitos: Células vermelhas do sangue. Os eritrócitos maduros são anucleados, têm forma de disco bicôncavo e contêm HEMOGLOBINA, cuja função é transportar OXIGÊNIO. Sinônimos: Corpúsculos Sanguíneos Vermelhos; Corpúsculos Vermelhos Sanguíneos; Corpúsculos Vermelhos do Sangue; Glóbulos Vermelhos; Hemácias
12 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
15 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
16 Amígdalas: Designação comum a vários agregados de tecido linfoide, especialmente o que se situa à entrada da garganta; tonsila.
17 Linfonodos: Gânglios ou nodos linfáticos.
18 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
19 Baço:
20 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
21 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
22 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
23 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
24 Hemorrágica: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
25 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
26 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
27 Mielograma: Exame para avaliação da medula óssea.
28 Ilíaco:
29 Esterno: Osso longo e achatado, situado na parte vertebral do tórax dos vertebrados (com exceção dos peixes), e que no homem se articula com as primeiras sete costelas e com a clavícula. Ele é composto de três partes: corpo, manúbrio e apêndice xifoide. Nos artrópodes, é uma placa quitinosa ventral do tórax.
30 Líquor: Líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como líquor ou fluido cérebro espinhal, é definido como um fluido corporal estéril, incolor, encontrado no espaço subaracnoideo no cérebro e na medula espinhal (entre as meninges aracnoide e pia-máter). Caracteriza-se por ser uma solução salina pura, com baixo teor de proteínas e células, atuando como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal. Possui também a função de fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos do mesmo. É sintetizado pelos plexos coroidais, epitélio ventricular e espaço subaracnoideo em uma taxa de aproximadamente 20 mL/hora. Em recém-nascidos, este líquido é encontrado em um volume que varia entre 10 a 60 mL, enquanto que no adulto fica entre 100 a 150 mL.
31 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
32 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
33 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
34 Neoplásicas: Que apresentam neoplasias, ou seja, que apresentam processo patológico que resulta no desenvolvimento de neoplasma ou tumor. Um neoplasma é uma neoformação de crescimento anormal, incontrolado e progressivo de tecido, mediante proliferação celular.
35 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
36 Hemorrágicas: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
37 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
38 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cancerologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

12/06/2013 - Comentário feito por Bernardo
Re: Leucemias: o que são? Quais os tipos? Como é diagnosticada e tratada?
Sou portador de leucemia ha 3 anos , sofro muito com essa doenca . Perco a Deus que me cure logo!
Adorei o blog , tudo bem explicado . abracos ;)

02/03/2012 - Comentário feito por marcia
Re: Leucemias: o que são? Quais os tipos? Como é diagnosticada e tratada?
Bem esclarecedro.
Em agosto de 2011 descobri que tinha LLC, fiz sessoes de QT, agora so monitorando. Ate hoje estrou preaticamente que normal

abraços

  • Entrar
  • Assinar