Gostou do artigo? Compartilhe!

As doenças transmitidas por carrapatos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Sobre os carrapatos

Carrapatos são ectoparasitas que se alimentam do sangue1 de mamíferos (cavalos, bovinos, roedores, cães, gatos e, inclusive, humanos), aves e répteis, e podem transmitir, por meio de picadas, diversos germes causadores de doenças.

Os carrapatos existem na natureza em três fases: larvas, ninfas e adultos. Eles são de diferentes tamanhos, desde o tamanho de uma semente de papoula até aproximadamente o tamanho de uma semente de melancia. Eles não voam, saltam ou caem de árvores ou arbustos altos, mas todos eles se fixam em animais ou pessoas que entram em contato direto com eles e podem levá-los a adoecer.

Costumam ser encontrados em áreas de arbustos, árvores ou gramíneas. O carrapato não permanece no corpo do animal durante toda a sua vida, ele vai ao solo para colocar seus ovos. Dos ovos surgem as larvas, que sobem na grama2 e arbustos à procura de um novo hospedeiro.

Veja sobre "Os animais que mais matam no mundo".

Quais são as doenças transmitidas por carrapatos?

Os carrapatos podem transmitir, entre outras, as seguintes doenças:

1. Doença de Lyme

A Doença de Lyme é uma doença infecciosa causada pela bactéria3 Borrelia burgdorferi, transmitida a pessoas e animais através da picada por carrapatos minúsculos. Quando são transmitidas, as bactérias entram na pele4 através da picada e invadem a corrente sanguínea, espalhando-se pelo corpo. Normalmente, a doença causa sintomas5 na dependência da fase de infecção6, os quais incluem febre7, erupção8 cutânea9, paralisia10 facial e artrite11. Esses sintomas5 são também comuns a outras condições de saúde12 e por isso o diagnóstico13 pode ser difícil, devendo sempre serem levados em conta os dados epidemiológicos.

Os doentes tratados com antibióticos apropriados nas fases iniciais da doença normalmente se recuperam rápida e completamente. A melhor maneira de se prevenir contra a doença de Lyme é reduzir ou evitar a exposição a carrapatos. Os carrapatos já aderidos à pele4 devem ser removidos rapidamente, mas de forma correta, para não injetarem uma quantidade ainda maior de bactérias no organismo. A doença recebeu esse nome por conta dos diversos casos que ocorreram em 1997, na cidade de Lyme, em Connecticut (EUA).

2. Febre7 Maculosa

A Febre7 Maculosa, tifo exantemático ou febre7 do carrapato é uma infecção6 rara causada pela bactéria3 Rickettsia rickettsii, de gravidade variável, que geralmente se apresenta com febre7 alta, dor de cabeça14 severa e fadiga15, sintomas5 que surgem entre 2 e 14 dias após ter sido picado por um carrapato de cão infectado. Com a evolução da doença podem surgir petéquias16, dores abdominais, dores articulares e diarreia17. Ao picarem uma pessoa para se alimentarem, os carrapatos hematófagos18 regurgitam saliva contaminada que eles trazem em suas glândulas salivares19. A febre7 maculosa é transmitida principalmente pelos carrapatos de cães e de cavalos. Esses carrapatos atacam o homem em todas as suas fases (larvas, ninfas e adultos). As capivaras são o maior reservatório natural dos carrapatos, mas eles podem ser encontrados também em animais de grande porte como bois e cavalos e em cães, aves, roedores e cobras. Não há contágio20 de pessoa para pessoa.

As máculas21 eritematosas22 (origem do nome da doença) na pele4 se localizam nos punhos, tornozelos, tronco, face23, mãos24 e pés, e podem aparecer logo nos primeiros dias. Na área em que houve a picada do carrapato, pode aparecer uma úlcera25 necrótica e nos casos mais graves pode haver necrose26 nos dedos, orelhas27, palato28 mole e genitais. Como a bactéria3 infecta as células29 que revestem internamente os vasos sanguíneos30, causa vasculites e as manifestações severas desta doença podem envolver o sistema respiratório31, o sistema nervoso central32 (SNC33), o sistema gastrointestinal e o sistema renal34. Se não diagnosticada e tratada rapidamente, a doença pode levar a complicações como miocardite35, insuficiência respiratória36, insuficiência renal37 e septicemia38 e pode, inclusive, ser fatal (em cerca de 20% dos casos).

Saiba mais sobre "Doença de Lyme" e "Febre7 maculosa".

3. Babesiose

A Babesiose é causada pelo protozoário39 Babesia canis, capaz de causar a infecção6 nas células29 vermelhas do sangue1, destruindo-as e levando a uma anemia40 grave. Ela é transmitida por várias espécies de carrapatos. A maioria das pessoas infectadas não mostra sinais41 de doença, pelo menos inicialmente. Quando ocorrem os sintomas5, eles começam gradualmente em cerca de 1 a 6 semanas após a picada por um carrapato infectado e podem incluir febre7, calafrios42, dor de cabeça14, dores articulares e musculares, fadiga15, náuseas43, vômitos44, dor abdominal e urina45 escura. Idosos e pessoas sem baço46 ou sem um sistema imunológico47 saudável são mais propensos a desenvolver sintomas5 graves.

4. Anaplasmose

A Anaplasmose ou Erliquiose granulocítica humana é causada por bactérias que afetam determinados glóbulos brancos, levando à destruição deles. É uma doença de difícil diagnóstico13 e tratamento. Os sintomas5 aparecem em 7 a 14 dias depois da picada do carrapato infectado e podem incluir febre7, dor de cabeça14, dores musculares, calafrios42, sudorese48, náuseas43 e vômitos44. Uma vez que os sintomas5 podem vir a oferecer risco de vida, o tratamento imediato é necessário. Os idosos e imunodeprimidos são mais propensos a desenvolver sintomas5 graves.

5. Tularemia49

A Tularemia49 é causada por bactérias que podem ser transmitidas para as pessoas de diversas maneiras, incluindo por meio da picada de carrapato de cão infectado. Os sintomas5 variam, dependendo da forma como os germes são transmitidos, e começam geralmente entre 3 e 5 dias após uma exposição, embora possam demorar até 14 dias. As pessoas infectadas por uma picada de carrapato têm uma ferida na pele4 (úlcera25) de cicatrização lenta e gânglios linfáticos50 inchados.

Como prevenir as doenças transmitidas por carrapatos?

O controle dos carrapatos envolve o ambiente onde eles vivem, com poda da vegetação51 local, retirada do lixo ambiental e uso de carrapaticidas ambientais e de uso tópico52.

Leia também sobre "Picadas dos pernilongos", "Febre7 por mordida de rato", "Hantavirose53" e "Leptospirose".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas dos sites do Boston Public Health Commission e do Hospital Veterinário Santa Inês.

ABCMED, 2019. As doenças transmitidas por carrapatos. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1351373/as-doencas-transmitidas-por-carrapatos.htm>. Acesso em: 22 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
2 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
3 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
8 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
9 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
10 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
11 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
12 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
13 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
14 Cabeça:
15 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
16 Petéquias: Pequenas lesões da pele ou das mucosas, de cor vermelha ou azulada, características da púrpura. São lesões hemorrágicas, que não desaparecem à pressão, cujo tamanho não ultrapassa alguns milímetros.
17 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
18 Hematófagos: Hematófagos Que ou o que se alimenta de sangue (diz-se de animal).
19 Glândulas salivares: As glândulas salivares localizam-se no interior e em torno da cavidade bucal tendo como objetivo principal a produção e a secreção da saliva. São elas: parótidas, submandibulares, sublinguais e várias glândulas salivares menores.
20 Contágio: 1. Em infectologia, é a transmissão de doença de uma pessoa a outra, por contato direto ou indireto. 2. Na história da medicina, aplica-se a qualquer doença contagiosa. 3. No sentido figurado, é a transmissão de características negativas, de vícios, etc. ou então a reprodução involuntária de reação alheia.
21 Máculas: Máculas ou manchas são lesões planas, não palpáveis, constituídas por uma alteração circunscrita da cor da pele.
22 Eritematosas: Relativas a ou próprias de eritema. Que apresentam eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
23 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
24 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
25 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
26 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
27 Orelhas: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
28 Palato: Estrutura que forma o teto da boca. Consiste em palato duro anterior (PALATO DURO) e de palato mole posterior (PALATO MOLE).
29 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
30 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
31 Sistema Respiratório: Órgãos e estruturas tubulares e cavernosas, por meio das quais a ventilação pulmonar e as trocas gasosas entre o ar externo e o sangue são realizadas.
32 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
33 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
34 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
35 Miocardite: 1. Inflamação das paredes musculares do coração. 2. Infecção do miocárdio causada por bactéria, vírus ou outros microrganismos.
36 Insuficiência respiratória: Condição clínica na qual o sistema respiratório não consegue manter os valores da pressão arterial de oxigênio (PaO2) e/ou da pressão arterial de gás carbônico (PaCO2) dentro dos limites da normalidade, para determinada demanda metabólica. Como a definição está relacionada à incapacidade do sistema respiratório em manter níveis adequados de oxigenação e gás carbônico, foram estabelecidos, para sua caracterização, pontos de corte na gasometria arterial: PaO2 50 mmHg.
37 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
38 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
39 Protozoário: Filo do reino animal, de classificação suplantada, que reunia uma grande parcela dos seres unicelulares que possuem organelas celulares envolvidas por membrana. Atualmente, este grupo consiste em muitos e diferentes filos unicelulares incorporados pelo reino protista.
40 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
41 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
42 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
43 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
44 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
45 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
46 Baço:
47 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
48 Sudorese: Suor excessivo
49 Tularemia: Doença dos roedores, transmissível ao homem. Causada por Francisella tularensis e caracterizada por febre, calafrios, cefaléia, dores nas costas e fraqueza.
50 Gânglios linfáticos: Estrutura pertencente ao sistema linfático, localizada amplamente em diferentes regiões superficiais e profundas do organismo, cuja função consiste na filtração da linfa, maturação e ativação dos linfócitos, que são elementos importantes da defesa imunológica do organismo.
51 Vegetação: 1. Ato ou efeito de vegetar. 2. No sentido figurado, é o estado daquele que vive inerte, sem entusiasmo. 3. Na botânica, é o conjunto de plantas de uma determinada área ou região cuja composição e fisionomia são determinadas pelos diversos fatores ambientes, especialmente o clima e o solo. 4. Em cardiologia, representa um coágulo, constituído de plaquetas, fibrina e bactérias, aderido a uma valva cardíaca doente. 5. Em patologia, é o crescimento anormal ou excrescência de qualquer tipo, localizada na pele, em mucosa ou órgão.
52 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
53 Hantavirose: Hantaviroseoença causada pelos vírus do gênero Hantavírus, da família Bunyaviridae, causadores de febre ou pneumonia hemorrágica epidêmica, acompanhada de insuficiência renal. O vírus é contraído por contato direto ou indireto com as fezes de roedores infectados.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Infectologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.