Gostou do artigo? Compartilhe!

Dor nas juntas - minhas articulações estão doendo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é poliartrite?

Chama-se poliartrite qualquer tipo de artrite1 que envolva cinco ou mais articulações2.

Quais são as causas da poliartrite?

A poliartrite geralmente é geneticamente causada por uma doença autoimune3, entre elas, artrite reumatoide4, febre reumática5, lúpus6 eritematoso7, artrite1 psoriática, osteoartrites, espodilopatias (termo genérico para indicar patologia8 das vértebras) e amiloidose9. Algumas vezes, a poliartrite pode ser causada por bactérias ou vírus10.

Qual a fisiopatologia11 da poliartrite?

Quando causada por fatores genéticos autoimunes12, o próprio organismo produz anticorpos13 que atacam e danificam as articulações2 e o corpo se defende desses ataques, danificando ainda mais as articulações2. Os vasos sanguíneos14 se dilatam para permitir a passagem de mais plasma15, que vai levar as células16 de defesa à região da lesão17. Essa concentração de plasma15 causa inchaço18 nas articulações2 e aumenta a dor na região. Quando a causa é infecciosa, por vírus10 ou bactérias, o corpo se defende da mesma maneira: há a dilatação dos vasos e as células16 se direcionam para o local do ataque, resultando em dor e inchaço18.

Quais são as principais características clínicas da poliartrite?

O mais característico da poliartrite é a presença de cinco ou mais articulações2 inflamadas ao mesmo tempo. Os locais mais comuns dessas inflamações19 incluem pescoço20, ombros, cotovelos, mãos21, quadris, joelhos e pés. A inflamação22 se caracteriza por inchaço18, calor, rubor e dor, especialmente quando a articulação23 é movimentada, podendo inclusive ser definitiva ou temporariamente incapacitante para a rotina diária da pessoa.

Dor nas juntas

Como o médico diagnostica a poliartrite?

O diagnóstico24 deve basear-se nos sintomas25 típicos, embora outras doenças também envolvam múltiplas inflamações19 de articulações2 e, assim, dificultam o reconhecimento da poliartrite. Entre elas, doença de Lyme, tuberculose26, infecções27 fúngicas28 e bacterianas, leptospirose, doença de Whipple, gota29, anquilose30, doenças vasculares31 sistêmicas, doenças endócrinas e fibromialgias.

É importante ressaltar que antes de fazer um diagnóstico24 definitivo da doença, outras patologias devem ser descartadas por meio de uma série de exames. O diagnóstico24 dessa e de diversas outras doenças exigirão, em cada caso, exames complementares específicos.

Para mais informações sobre outros tipos de artrites, leia também nossos artigos sobre "Artrite1", "Artrite reumatoide4", "Artrite1 séptica", "Artralgia32" e "Osteoartrite33".

Como o médico trata a poliartrite?

O tratamento não medicamentoso envolve repouso, combinado a exercícios para manter a boa função articular. É especialmente importante perder peso, em casos em que o sobrepeso34 esteja agravando os sintomas25. Bolsa quente ou gelada, dependendo do caso, pode proporcionar alívio em articulações2 afetadas por artrite1 não-inflamatória.

No que se refere a remédios, os analgésicos35 simples podem ser eficazes no controle da dor. As pomadas devem ter preferência por terem menos efeitos colaterais36 gastrointestinais e cardiovasculares. Quando a dor não for adequadamente controlada, analgésicos35 mais fortes podem ser utilizados. Os esteroides intra-articulares não são rotineiramente recomendados, mas podem ser eficazes para surtos agudos da artrite1. Comprimidos de esteroides também podem ser utilizados no tratamento da poliartrite inflamatória.

Os imunossupressores podem ser úteis em caso de doenças autoimunes12. Uma fisioterapia37 deve ser utilizada para manter os músculos38 fortalecidos e alongados e diminuir possíveis deformações. A cirurgia é uma alternativa extrema para tratar a poliartrite. Há casos em que a cirurgia consistirá na troca da articulação23 afetada por uma prótese39. Todos esses tratamentos, no entanto, são meramente sintomáticos. Se for reconhecida, a doença de base deve ser tratada pelos meios apropriados.

ABCMED, 2016. Dor nas juntas - minhas articulações estão doendo. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1268553/dor-nas-juntas-minhas-articulacoes-estao-doendo.htm>. Acesso em: 24 mar. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
2 Articulações:
3 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
4 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
5 Febre reumática: Doença inflamatória produzida como efeito inflamatório anormal secundário a infecções repetidas por uma bactéria chamada estreptococo beta-hemolítico do grupo A. Caracteriza-se por inflamação das articulações, febre, inflamação de uma ou mais de uma estrutura cardíaca, alterações neurológicas, eritema cutâneo. Com o tratamento mais intensivo da faringite estreptocócica, a freqüência desta doença foi consideravelmente reduzida.
6 Lúpus: 1. É uma inflamação crônica da pele, caracterizada por ulcerações ou manchas, conforme o tipo específico. 2. Doença autoimune rara, mais frequente nas mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. Nesta patologia, a defesa imunológica do indivíduo se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Essas múltiplas formas de manifestação clínica, às vezes, podem confundir e retardar o diagnóstico. Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especializados no assunto.
7 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
8 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
9 Amiloidose: Amiloidose constitui um grupo de doenças nas quais certas proteínas, que normalmente seriam solúveis, se depositam extracelularmente nos tecidos na forma de fibrilas insolúveis.
10 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
11 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
12 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
13 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
14 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
15 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
16 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
17 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
18 Inchaço: Inchação, edema.
19 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
20 Pescoço:
21 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
22 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
23 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
24 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
25 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
26 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
27 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
28 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
29 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
30 Anquilose: Anquilose ou ancilose é a imobilidade e a consolidação de uma articulação.
31 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
32 Artralgia: Dor em uma articulação.
33 Osteoartrite: Termo geral que se emprega para referir-se ao processo degenerativo da cartilagem articular, manifestado por dor ao movimento, derrame articular, etc. Também denominado artrose.
34 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
35 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
36 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
37 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
38 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
39 Prótese: Elemento artificial implantado para substituir a função de um órgão alterado. Existem próteses de quadril, de rótula, próteses dentárias, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Reumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.