Gostou do artigo? Compartilhe!

O que devemos conhecer sobre as picadas dos pernilongos?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são pernilongos?

Pernilongos são insetos de patas longas, principalmente da família Culicidae, conhecidos pelos nomes mosquito-prego, muriçoca, carapanã, fincão, fincudo, melga, sovela, bicuda, entre outros. Há várias espécies desses insetos, dentre as quais o pernilongo doméstico, chamado Culex quinquefaciatus ou simplesmente Culex, é o mais conhecido por incomodar o sono das pessoas nas noites de verão e também por transmitir algumas doenças. Voam à noite porque seus olhos1 são extremamente sensíveis à luz, possibilitando voos no escuro. Outro tipo muito comum de pernilongo é o Aedes Aegypti, causador da dengue2.

Por que os pernilongos picam?

Os pernilongos domésticos são como vampiros hematófagos3: saem à noite, à procura de sangue4. Os machos se alimentam do açúcar5 presente no néctar das frutas, mas as fêmeas precisam picar pessoas ou animais (mamíferos e aves) para extrair o sangue4 com o qual alimentam seus ovos.

Qual é a “fisiopatologia” das picadas de pernilongos?

Ao entardecer, com a chegada do crepúsculo, os Culex quinquefaciatus entram nas casas e se escondem nos cantos, atrás de cortinas, embaixo das mesas, estantes ou outros lugares onde haja ainda menos claridade, esperando que a luz se apague para atacar as pessoas no escuro. As fêmeas do Culex são atraídas pelo gás carbônico que as pessoas e os animais eliminam durante a respiração, que elas detectam através de suas antenas e que lhes indica onde há sangue4. Escolhem para picar os locais de pele6 mais tenra, como a face7, os lobos8 das orelhas9, a face7 interior dos braços e a pele6 dos bebês10. Assim que é fecundada, a fêmea busca por sangue4 para irrigar os ovários11, produzindo até 200 ovos por ninhada. Para incubar as crias, a barriga suporta três vezes o peso do inseto. Elas picam por meio do probóscide, uma agulha retrátil que usam para perfurar a pele6 e sugar o sangue4 de mamíferos e pássaros, injetando ao mesmo tempo substâncias anestésicas e anticoagulantes12, as quais são a causa da irritação e da coceira na pele6.

Quais são os principais sinais13 e sintomas14 das picadas de pernilongos?

Além de uma tênue sensação despertada pela ferroada, geralmente sentida como uma coceira, os pernilongos produzem um zumbido incômodo causado pelas mais de 300 batidas de asas por segundo, capaz de perturbar ou impedir o sono. Geralmente as picadas são percebidas no dia seguinte a uma noite mal dormida e podem ser reconhecidas por inúmeras bolinhas vermelhas na pele6, espalhadas pelo corpo e predominantes nas áreas preferenciais, as quais coçam muito e podem ser infectadas com bactérias da pele6. Algumas pessoas, crianças principalmente, têm alergia15 às picadas de pernilongos, que se manifestam por uma lesão16 conhecida como estrófulo, caracterizada pelo aparecimento de várias bolinhas vermelhas pelo corpo, semelhantes às da picada.

Como tratar as picadas de pernilongos?

As pequeninas lesões17 causadas pelas picadas de pernilongos normalmente desaparecem espontaneamente dentro de algumas horas ou, no máximo, em dois ou três dias. Se o prurido18 delas incomodar demais, pode-se usar um antialérgico tópico19. Se ocorrer infecção20, pode-se usar uma pomada local de antibiótico.

Como evitar as picadas de pernilongos?

As picadas de pernilongos podem ser evitadas através de mosquiteiros que envolvam o berço ou a cama de crianças e adultos, porque o Culex ataca quando a pessoa está dormindo. As telas de proteção, colocadas em janelas, evitam que os pernilongos entrem em casa. Pode-se usar também repelentes em forma de aerossol, gel ou tomada. O uso de ventiladores impede o voo dos pernilongos nas áreas cobertas por eles.

ABCMED, 2015. O que devemos conhecer sobre as picadas dos pernilongos?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/751427/o-que-devemos-conhecer-sobre-as-picadas-dos-pernilongos.htm>. Acesso em: 21 mar. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Olhos:
2 Dengue: Infecção viral aguda transmitida para o ser humano através da picada do mosquito Aedes aegypti, freqüente em regiões de clima quente. Caracteriza-se por apresentar febre, cefaléia, dores musculares e articulares e uma erupção cutânea característica. Existe uma variedade de dengue que é potencialmente fatal, chamada dengue hemorrágica.
3 Hematófagos: Hematófagos Que ou o que se alimenta de sangue (diz-se de animal).
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
6 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
7 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
8 Lobos: Lobo Frontal Lobo Parietal Lobo Temporal Lobo Occipital
9 Orelhas: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
10 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
11 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
12 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
13 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
16 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
17 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
18 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
19 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
20 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Infectologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.