Gostou do artigo? Compartilhe!

Idade metabólica versus idade cronológica

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é idade metabólica?

A idade biológica (metabólica) de uma pessoa pode ser diferente da que consta na sua certidão de nascimento (idade cronológica). A idade metabólica representa o estado de saúde1 que o corpo na verdade tem (a idade do corpo). Às vezes, uma pessoa parece mais velha do que é; às vezes, mais jovem. Isso se deve à idade metabólica, quando comparada à idade cronológica.

A idade metabólica de uma pessoa é como a sua taxa metabólica basal (ou quantas calorias2 seu corpo queima em repouso) se compara à taxa metabólica basal média das pessoas da sua idade cronológica na população em geral. "Idade metabólica" é um termo e um conceito que a indústria fitness vem usando muito nos últimos anos e, menos, um conceito médico.

O que é taxa metabólica basal?

O metabolismo3 de uma pessoa é mais acelerado na infância e na adolescência e diminui gradualmente nos anos seguintes. No entanto, existem pessoas jovens com metabolismo3 lento e pessoas mais velhas com metabolismo3 acelerado. A cada dia, o corpo deve respirar, piscar, circular sangue4, controlar a temperatura corporal, cultivar novas células5, apoiar a atividade cerebral e nervosa e contrair músculos6 e, para isso, requer uma quantidade significativa de energia (ou seja, calorias2). A quantidade de energia (calorias2) que o corpo precisa para funcionar em repouso em cada 24 horas é conhecida como taxa metabólica basal.

Esse número de calorias2 reflete a quantidade de energia que seu corpo necessita para apoiar as funções vitais, sem nenhum exercício. Ou seja, é o gasto de energia apenas suficiente para apoiar o funcionamento normal dos órgãos vitais, coração7, pulmões8, sistema nervoso9, rins10, fígado11, intestino, órgãos sexuais, músculos6 e pele12. A taxa metabólica basal representa cerca de 60 a 75% da energia total queimada pelo corpo a cada dia.

As fórmulas para estimar a taxa metabólica basal levam em consideração idade, peso, altura, nível de atividade, massa gorda13 corporal e massa corporal magra. Indivíduos mais pesados e mais altos têm uma taxa metabólica basal mais alta, porque quanto mais massa tiver, mais combustível precisará para sustentar órgãos maiores. Além disso, a taxa metabólica basal diminui com a idade, porque a massa muscular diminui de 5 a 10% a cada década, após os 30 anos.

Pesquisas mostram que as mulheres têm uma taxa metabólica basal de 5 a 10% menor que os homens. Uma pessoa não deve usar a taxa metabólica basal como uma única medida do seu estado de saúde1 ou de condição física, mas ela pode fornecer informações sobre seu estado de saúde1

Leia sobre "Calorias2", "Atividade física", "Como ganhar massa muscular", "Cálculo14 do IMC15" e "Como perder peso e manter o peso alcançado".

Como calcular a idade metabólica?

Para obter a idade metabólica de uma pessoa, ela precisará de dados de outras pessoas da mesma idade. Se a pessoa estiver interessada em determinar sua idade metabólica, ela deve conversar com seu médico, nutricionista16 ou outro especialista em fitness.

Quais são as relações entre a idade metabólica e a idade cronológica?

A idade metabólica é um número resultante da comparação da sua taxa metabólica basal com a média da taxa metabólica basal de outros indivíduos da mesma idade cronológica. A idade cronológica é a idade da pessoa em anos civis. Então, se a idade metabólica for igual à idade cronológica, a pessoa é semelhante ao resto da população de pessoas saudáveis de sua idade. Se for menor que a idade cronológica, isso provavelmente é um bom sinal17. Se for mais alto, convém dar uma olhada nos hábitos alimentares e na rotina de exercícios físicos da pessoa.

A idade metabólica pode ser calculada pelo aparelho de bioimpedância, fazendo a comparação da taxa metabólica basal da pessoa, no momento, com a taxa metabólica basal média de sua faixa etária cronológica. Se a idade metabólica dela for superior à sua idade cronológica, é um sinal17 de que ela precisa melhorar sua taxa metabólica, ganhando músculos6 e reduzindo o percentual de gordura18. Em geral, a idade biológica tem se mostrado um melhor preditor de mortalidade19 por todas as causas de doença do que a idade cronológica. A idade metabólica pode fornecer algumas informações sobre o nível geral de saúde1 e bem-estar de uma pessoa.

Os diversos componentes do corpo requerem diferentes níveis de energia para serem mantidos. A gordura18 corporal requer muito menos energia que o músculo, pois o músculo sem gordura18 é metabolicamente muito mais ativo e, portanto, requer mais gasto de energia. Por isso, ao comparar dois indivíduos com o mesmo peso, mas com percentagens diferentes de massa muscular magra e gordura18, aquele com mais massa muscular magra terá uma taxa metabólica basal mais alta e, portanto, uma idade metabólica mais baixa em comparação àqueles com a mesma idade cronológica.

Então, resumindo, se é possível aconselhar, diríamos: “aumente seus exercícios físicos e controle sua ingestão de calorias2 para ganhar mais tecido20 muscular, o que, por sua vez, melhorará sua idade metabólica”. Para melhorar sua idade metabólica, uma pessoa pode diminuir a ingesta de carboidratos e dar preferência aos carboidratos integrais em vez de carboidratos refinados; escolher formas de proteínas21 magras; substituir bebidas açucaradas por água; reduzir o tamanho das porções que ingere; trabalhar em associação com um nutricionista16 e aumentar sua atividade física.

Para aumentar sua atividade física, a pessoa pode, por exemplo: começar o dia com uma série de alongamentos; reduzir o tempo que passa sentada; escolher escadas ao invés de escadas rolantes e elevadores; dar uma volta no quarteirão depois do jantar todas as noites; fazer uma caminhada rápida de uns três quilômetros ou andar de bicicleta várias vezes por semana e participar de uma aula de ginástica ou dança.

Embora a dieta e os exercícios físicos sejam fatores-chave, também é importante ter uma noite perfeita de sono, porque o sono desempenha um papel importante no metabolismo3 energético e porque o sono insuficiente pode levar ao ganho de peso.

Veja também sobre "Higiene do sono", "Alimentação saudável""Envelhecimento cerebral", "Como exercitar o cérebro22", "Vantagens dos alimentos orgânicos" e "Envelhecimento saudável".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas dos sites da Mayo Clinic e da Cleveland Clinic.

ABCMED, 2019. Idade metabólica versus idade cronológica. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1352303/idade-metabolica-versus-idade-cronologica.htm>. Acesso em: 3 jun. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
3 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
6 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
7 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
8 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
9 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
10 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
11 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
12 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
13 Massa gorda: É a porção de massa do organismo constituída de gordura armazenada (encontrada no tecido subcutâneo) e gordura essencial (encontrada nas vísceras, responsável pelo funcionamento fisiológico normal). A massa gorda é o resultado em quilos do percentual de gordura existente no organismo. Por exemplo, um indivíduo de 100 quilos e com percentual de gordura de 38%, pode ter o valor da massa gorda calculado em 38 quilos.
14 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
15 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
16 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
17 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
18 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
19 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
20 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
21 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
22 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Nutrologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.