Gostou do artigo? Compartilhe!

Espasmos musculares - O que são? Por que acontecem? O que deve ser feito?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são espasmos1 musculares?

Espasmos1 musculares são contrações involuntárias súbitas e muitas vezes dolorosas das fibras musculares2, acompanhadas de enrijecimento prolongado do músculo (espasmo3 tônico) ou de uma série de contrações alternando com relaxamento (espasmo3 clônico). Existem também diferentes graus de intensidade de espasmos1 musculares, que vão desde uma contração muscular dolorosa como as câimbras4 até as pequenas “mioquimias palpebrais” (contrações benignas e indolores de uma das pálpebras5).

Os espasmos1 musculares podem afetar também a musculatura lisa visceral, ocasionando dores sustentadas ou cólicas6, sobre as quais abordamos em outro texto (Cólicas6 Viscerais).

Quais são as causas dos espasmos1 musculares?

Os espasmos1 musculares são uma resposta à lesão7 ou à inflamação8 dos músculos9. Eles podem ocorrer por mal funcionamento da circulação10, baixa reserva dos íons11 nos músculos9, desidratação12, deficiência de nutrientes essenciais, mal funcionamento dos nervos ou ação de medicamentos. Espasmos1 musculares nas costas13 também podem ser causados por lesões14 ou danos às vértebras, aos discos intervertebrais e/ou a ligamentos15 que conectam as vértebras.

As cãibras, que acontecem na panturrilha16, quase sempre são uma reação do corpo ao estresse e ao esforço físico. Mas os espasmos1 podem ainda ocorrer por outras razões: um trauma súbito ou extensão excessiva da coluna vertebral17 ou dos músculos9 e tecidos que a sustentam, tal como ocorre em uma entorse18, ou algum outro tipo de distúrbio mecânico que possa provocar a compressão ou irritação de um nervo espinhal.

Outras causas podem ser bem mais complexas, como os espasmos1 causados por doenças como o tétano19, a esclerose20, a cólera21, lesões14 medulares, etc.

Qual é o substrato fisiológico22 dos espasmos1 musculares?

Quando um nervo é estimulado ou danificado, isso pode fazer com que as fibras musculares2 a que ele se dirige sofram uma contração. Os espasmos1 musculares podem também ser resultado de desequilíbrio hidroeletrolítico23 no corpo ou de sobrecarga muscular. Eles funcionam como uma espécie de autoproteção do corpo, uma vez que sinalizam que algo não corre bem com os músculos9 e colaborando para que não surjam lesões14 ainda mais graves. Quando relacionados ao cansaço e ao estresse muscular, surgem devido ao acúmulo de lactato24, à circulação10 ruim ou à falta de alongamento.

Leia sobre "Contraturas musculares", "Entorses25", "Sedentarismo26" e "Benefícios do alongamento para o corpo".

Quais são as características clínicas dos espasmos1 musculares?

Mais frequentemente, os espasmos1 acontecem nos grandes músculos9 do dorso27, coxa28 e panturrilha16, mas podem ocorrer também em músculos9 menores. Embora sejam incômodos, eles podem ser assintomáticos ou inclusive prazerosos, como os espasmos1 fisiológicos das zonas genitais, ligados ao sexo. Em geral, produzem dor local a alguns e chegam a ser visíveis sob a pele29, como uma massa muscular endurecida.

Como o médico diagnostica os espasmos1 musculares?

Os espasmos1 de curta duração não chegam a ser vistos pelo médico e dependem dos relatos do paciente. Os espasmos1 de mais longas durações podem ser detectados pelo médico, seja visualmente, seja por meio de palpações. Em termos clínicos, mais importante que constatar os espasmos1 é determinar a causa deles, para o quê o médico lançará mão30 de vários exames de laboratório e de imagens.

Como tratar os espasmos1 musculares?

O tratamento dos espasmos1 musculares depende da causa e pode incluir compressas frias ou quentes, medicamentos, massagens, fisioterapia31 e/ou acupuntura, entre outras terapias. Alguns espasmos1 musculares desaparecem por si mesmos em pouco tempo. Se forem mais persistentes, a pessoa deve consultar o médico sobre a conveniência de tomar um analgésico32, um anti-inflamatório e/ou um relaxante muscular e recorrer a um fisioterapeuta.

Se a pessoa estiver tendo um espasmo3 muscular tipo cãibra, durante o mesmo deve procurar distender suavemente o músculo em causa, fazendo um movimento contrário ao espasmo3. Contudo, não deve fazer esforços exagerados para opor-se ao músculo espasmosado nem praticar alongamentos durante o espasmo3, pois eles podem lesionar o músculo. Depois que o espasmo3 muscular cessar, deve aplicar uma compressa quente no local durante 20 minutos para relaxar a musculatura e, a seguir, fazer massagem na musculatura afetada com movimentos circulares durante alguns minutos.

Espasmos1 frequentes devem ser avaliados pelo médico, pois podem indicar algum problema subjacente de saúde33 que precisa ser tratado.

Como prevenir os espasmos1 musculares?

Um dos meios de prevenir o incômodo dos espasmos1 musculares devidos ao exercício físico é fazer um bom alongamento antes de iniciá-los. A falta de condicionamento físico é outro fator determinante para o aparecimento dessas contrações. Assim, é recomendado começar com exercícios leves e ir aumentando aos poucos a intensidade deles, e nunca ultrapassar os limites do próprio corpo. Também uma correta hidratação e reposição de sais minerais ajudam a preveni-los.

Quais são as complicações possíveis com os espasmos1 musculares?

Em casos muito graves, o espasmo3 pode induzir a contrações musculares persistentes e fortes o suficiente para causar ruptura de tendões34 e/ou ligamentos15.

Saiba mais sobre "Exercícios aeróbicos", "Benefícios do pilates", "Rompimento de tendões34 do ombro" e "Rompimento do tendão de Aquiles35".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Cleveland Clinic e da Mayo Clinic.

ABCMED, 2020. Espasmos musculares - O que são? Por que acontecem? O que deve ser feito?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1379423/espasmos-musculares-o-que-sao-por-que-acontecem-o-que-deve-ser-feito.htm>. Acesso em: 26 set. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
2 Fibras Musculares: Células grandes, multinucleadas e individuais (cilídricas ou prismáticas) que formam a unidade básica do tecido muscular esquelético. Constituídas por uma substância mole contrátil, revestida por uma bainha tubular. Derivam da união de MIOBLASTOS ESQUELÉTICOS com o sincício, seguida de diferenciação.
3 Espasmo: 1. Contração involuntária, não ritmada, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosa ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
4 Câimbras: Contrações involuntárias, espasmódicas e dolorosas de um ou mais músculos.
5 Pálpebras:
6 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
7 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
8 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
9 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
10 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
11 Íons: Átomos ou grupos atômicos eletricamente carregados.
12 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
13 Costas:
14 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
15 Ligamentos: 1. Ato ou efeito de ligar(-se). Tudo o que serve para ligar ou unir. 2. Junção ou relação entre coisas ou pessoas; ligação, conexão, união, vínculo. 3. Na anatomia geral, é um feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições. É uma expansão fibrosa ou aponeurótica de aparência ligamentosa. Ou também uma prega de peritônio que serve de apoio a qualquer das vísceras abdominais. 4. Vestígio de artéria fetal ou outra estrutura que perdeu sua luz original.
16 Panturrilha: 1. Proeminência muscular, situada na face posterossuperior da perna, formada especialmente pelos músculos gastrocnêmio e sóleo; sura, barriga da perna. 2. Por extensão de sentido, enchimento usado por baixo das meias, para melhorar a aparência das pernas.
17 Coluna vertebral:
18 Entorse: Distensão traumática de um ligamento que produz ruptura do mesmo, acompanhada de dor, hematoma e dificuldade para movimentar a articulação comprometida.
19 Tétano: Toxinfecção produzida por uma bactéria chamada Clostridium tetani. Esta, ao infectar uma ferida cutânea, produz uma toxina (tetanospasmina) altamente nociva para o sistema nervoso que produz espasmos e paralisia dos nervos afetados. Pode ser fatal. Existe vacina contra o tétano (antitetânica) que deve ser tomada sempre que acontecer um traumatismo em que se suspeita da contaminação por esta bactéria. Se a contaminação for confirmada, ou se a pessoa nunca recebeu uma dose da vacina anteriormente, pode ser necessário administrar anticorpos exógenos (de soro de cavalo) contra esta toxina.
20 Esclerose: 1. Em geriatria e reumatologia, é o aumento patológico de tecido conjuntivo em um órgão, que ocorre em várias estruturas como nervos, pulmões etc., devido à inflamação crônica ou por razões desconhecidas. 2. Em anatomia botânica, é o enrijecimento das paredes celulares das plantas, por espessamento e/ou pela deposição de lignina. 3. Em fitopatologia, é o endurecimento anormal de um tecido vegetal, especialemnte da polpa dos frutos.
21 Cólera: Doença aguda ocasionada por infecção bacteriana pelo vibrião colérico, caracterizada por diarréia aquosa muito freqüente e abundante, que pode levar o paciente ao choque por desidratação. É transmitida por ingestão da bactéria através de água e alimentos contaminados.
22 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
23 Hidroeletrolítico: Aproximadamente 60% do peso de um adulto são representados por líquido (água e eletrólitos). O líquido corporal localiza-se em dois compartimentos, o espaço intracelular (dentro das células) e o espaço extracelular (fora das células). Os eletrólitos nos líquidos corporais são substâncias químicas ativas. Eles são cátions, que carregam cargas positivas, e ânions, que transportam cargas negativas. Os principais cátions são os íons sódio, potássio, cálcio, magnésio e hidrogênio. Os principais ânions são os íons cloreto, bicarbonato, fosfato e sulfato.
24 Lactato: Sal ou éster do ácido láctico ou ânion dele derivado.
25 Entorses: É a torção de uma articulação, com lesão dos ligamentos (estrutura que sustenta as articulações).
26 Sedentarismo: Qualidade de quem ou do que é sedentário, ou de quem tem vida e/ou hábitos sedentários. Sedentário é aquele que se exercita pouco, que não se movimenta muito.
27 Dorso: Face superior ou posterior de qualquer parte do corpo. Na anatomia geral, é a região posterior do tronco correspondente às vértebras; costas.
28 Coxa: É a região situada abaixo da virilha e acima do joelho, onde está localizado o maior osso do corpo humano, o fêmur.
29 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
30 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
31 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
32 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
33 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
34 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
35 Tendão de Aquiles:
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.