Gostou do artigo? Compartilhe!

10 sinais precoces da doença de Parkinson

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Pode ser difícil dizer se você ou um ente querido tem doença de Parkinson1 (DP). Por isso, separamos 10 sinais2 que podem indicar um diagnóstico3 precoce da doença de Parkinson1, descrevendo também situações normais em que esses mesmo sintomas4 podem ocorrer, sem siginificar o surgimento de Parkinson.

Nenhum desses sinais2 isolados significa que você precisa se preocupar, mas se você apresentar mais de um deles, deve considerar a possibilidade de marcar uma consulta com um médico neurologista5.

Leia sobre "Mal de Parkinson", "Envelhecimento saudável", "Perda de memória" e "Como as funções do corpo se comunicam".

1. Tremor

Você notou um leve tremor nos dedos, polegar, mão6 ou queixo? Um tremor em repouso é um sinal7 inicial comum da doença de Parkinson1.

O que é normal?

Tremer pode ser normal após muito exercício, se você estiver estressado ou se você se machucou. O tremor também pode ser causado por algum medicamento que você toma.

2. Caligrafia pequena

A sua caligrafia ficou muito menor do que no passado? Você pode notar que a maneira como você escreve palavras em uma página mudou? Por exemplo o tamanho das letras está menor e as palavras estão agrupadas? Uma mudança na caligrafia pode ser um sinal7 da doença de Parkinson1, chamada micrografia8.

O que é normal?

Às vezes, a escrita pode mudar conforme você envelhece, se você tiver as mãos9 ou dedos rígidos ou a visão10 deficiente.

3. Perda de cheiro

Você notou que não sente mais o cheiro de certos alimentos? Se você parece ter mais problemas para cheirar alimentos como banana, picles ou alcaçuz, pergunte ao seu médico sobre o mal de Parkinson.

O que é normal?

Seu olfato pode ser alterado por um resfriado, gripe11 ou nariz12 entupido, mas deve voltar quando você estiver melhor.

4. Sono perturbado

Você se debate na cama ou reage de acordo com os sonhos quando está profundamente adormecido? Às vezes, seu cônjuge perceberá ou desejará mudar-se para outra cama. Movimentos repentinos durante o sono podem ser um sinal7 da doença de Parkinson1.

O que é normal?

É normal que todos tenham uma noite em que 'se mexem' em vez de dormir. Da mesma forma, sacudidelas rápidas do corpo durante o sono de iniciação ou durante um sono mais leve são comuns e geralmente normais.

5. Problemas para se mover ou andar

Você sente rigidez no corpo, nos braços ou nas pernas? Outras pessoas notaram que seus braços não balançam como costumavam fazer quando você caminha? Às vezes, a rigidez desaparece conforme você se move. Caso contrário, pode ser um sinal7 da doença de Parkinson1. Um sinal7 precoce pode ser rigidez ou dor nos ombros ou quadris. As pessoas às vezes dizem que seus pés parecem "presos ao chão".

O que é normal?

Se você machucou o braço ou o ombro, talvez não consiga usá-lo até que esteja curado. Alguma outra doença, como a artrite13, também pode causar o mesmo sintoma14.

6. Constipação15

Você tem dificuldade para evacuar sem se forçar todos os dias? Esforçar-se para evacuar pode ser um sinal7 precoce da doença de Parkinson1 e você deve conversar com seu médico.

O que é normal?

Se você não coloca água ou fibras suficientes em sua dieta, isso pode causar problemas no intestino. Além disso, alguns medicamentos, especialmente aqueles usados para a dor, podem causar constipação15. Se não houver outro motivo, como dieta ou medicamento, que possa dificultar a evacuação, você deve falar com seu médico.

7. Uma voz suave ou baixa

Outras pessoas já lhe disseram que sua voz é muito suave ou que parece rouca? Se houver mudança em sua voz, você deve consultar seu médico para saber se pode ser doença de Parkinson1. Às vezes, você pode pensar que outras pessoas estão perdendo a audição, quando na verdade você está falando mais suavemente.

O que é normal?

Um resfriado no peito16 ou algum vírus17 pode fazer com que sua voz soe diferente, mas você deve voltar a falar da mesma forma que anteriormente quando superar a tosse ou resfriado.

8. Rosto mascarado

Alguém já te disse que você está com uma expressão séria, deprimida ou zangada, mesmo quando não está de mau humor? Isso geralmente é chamado de mascaramento facial. Em caso afirmativo, você deve perguntar ao seu médico sobre a doença de Parkinson1.

O que é normal?

Alguns medicamentos podem fazer com que você tenha o mesmo tipo de aparência séria ou encarada/carrancuda, mas a interrupção da medicação faz com que você volte à mesma fisionomia que tinha antes do uso da medicação.

9. Tontura18 ou desmaio

Você percebe que costuma sentir tonturas19 ao se levantar da cadeira? Sentir tonturas19 ou desmaiar pode ser um sinal7 de pressão arterial20 baixa e pode estar relacionado à doença de Parkinson1.

O que é normal?

Todo mundo já passou por um momento em que se levantou e sentiu tonturas19, mas se isso acontece regularmente, você deve consultar o seu médico.

10. Inclinando-se ou curvando-se

Você não está tão ereto21 como antes? Se você, sua família ou amigos perceberem que você parece estar curvado, inclinado ou relaxando a postura de forma desleixada ao se levantar, isso pode ser um sinal7 de doença de Parkinson1.

O que é normal?

Se você sentir dor devido a uma lesão22 ou se estiver doente, isso pode fazer com que você fique torto enquanto está de pé. Além disso, um problema nos ossos pode fazer você se curvar.

» O que você pode fazer se receber o diagnóstico3 de Doença de Parkinson1?

Trabalhe com seu clínico geral para criar um plano para se manter saudável. Isso pode incluir o seguinte:

  • Encaminhamento para um neurologista5, um médico especialista em patologias cerebrais.
  • Realizar acompanhamento com um terapeuta ocupacional23, fisioterapeuta ou fonoaudiólogo.
  • Agendamento de um horário com uma assistente social para falar sobre como o mal de Parkinson afetará a sua vida e o que você pode fazer para manter a sua qualidade de vida.
  • Início de um programa de exercícios físicos regulares para retardar os sintomas4 adicionais da doença.
  • Conversa com a família e os amigos sobre a sua nova condição de saúde24 e como eles poderão ajudá-lo.
Veja também sobre "Doenças degenerativas25", "Mal de Alzheimer26", "Distúrbio neurocognitivo" e "Demência27".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo Clinic e da Parkinson’s Foundation.

ABCMED, 2020. 10 sinais precoces da doença de Parkinson. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1377458/10-sinais-precoces-da-doenca-de-parkinson.htm>. Acesso em: 29 nov. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Doença de Parkinson: Doença degenerativa que afeta uma região específica do cérebro (gânglios da base), e caracteriza-se por tremores em repouso, rigidez ao realizar movimentos, falta de expressão facial e, em casos avançados, demência. Os sintomas podem ser aliviados por medicamentos adequados, mas ainda não se conhece, até o momento, uma cura definitiva.
2 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
3 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Neurologista: Médico especializado em problemas do sistema nervoso.
6 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
7 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
8 Micrografia: A escrita tende a ser com letras em tamanho pequeno, redução do tamanho da letra.
9 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
10 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
11 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
12 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
13 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
14 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
16 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
17 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
18 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
19 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
20 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
21 Ereto: 1. Que se mantém erguido, levantado; erecto. 2. Que se encontra em equilíbrio ou aprumado. 3. Que endureceu, que se tornou túrgido.
22 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
23 Terapeuta ocupacional: É o profissional que trabalha com a Terapia Ocupacional. A terapia ocupacional trabalha com a reabilitação das pessoas para as atividades que elas deixaram de fazer devido a algum problema físico (derrame, amputação, tetraplegia), psiquiátrico (esquizofrenia, depressão), mental (Síndrome de Down, autismo), geriátrico (Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson) ou social (ex-presidiários, moradores de rua), objetivando melhorar a qualidade de vida dessas pessoas. Além disso, ela faz a organização e as adaptações do domicílio para facilitar o trânsito dessa pessoa e as medidas preventivas para impedir o aparecimento de deformidades nos braços fazendo exercícios e confeccionando órteses (aparelhos confeccionados sob medida para posicionar partes do corpo).
24 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
25 Degenerativas: Relativas a ou que provocam degeneração.
26 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
27 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Neurologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.