Gostou do artigo? Compartilhe!

Fenda Palatina

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é fenda palatina?

A fenda palatina, também chamada de palato1 (céu da boca2) fendido, é uma malformação3 caracterizada por uma abertura ou rachadura no palato1. Frequentemente, ela está associada com uma fenda labial. A fenda palatina acontece quando estruturas faciais não fecham completamente durante o desenvolvimento do feto4, seja como evento isolado, seja associada à fenda labial ou como parte de doenças ou síndromes genéticas hereditárias. Ela está entre os defeitos congênitos5 mais comuns.

Quais são as causas da fenda palatina?

As causas da fenda palatina advêm de uma interação entre fatores genéticos e ambientais como, por exemplo, infecções6 durante a gravidez7. A mãe ou o pai podem transmitir genes que favorecem a fissura8 palatina e, em seguida, um gatilho ambiental faz com que a fenda ocorra. Apesar desses conhecimentos, em muitos bebês9 não se consegue descobrir uma causa definida.

Alguns fatores de risco que podem aumentar a probabilidade de um bebê desenvolver uma fissura8 palatina, são eles: história familiar, exposição a certas substâncias durante a gravidez7 como cigarros, álcool ou alguns medicamentos, diabetes gestacional10 e obesidade11 durante a gravidez7, por exemplo.

Conheça sobre malformações12: "Malformações12 fetais", "Espinha bífida13", "Gastrosquise", "Onfalocele" e "Cardiopatias congênitas14".

Quais são os mecanismos fisiológicos da fenda palatina?

Normalmente, os tecidos que compõem os lábios e o palato1 se fundem no segundo e terceiro meses de gestação. A fenda palatina e a fenda labial, que geralmente ocorrem juntas, acontecem quando esses tecidos não se fundem adequadamente. A fenda palatina é uma divisão do céu da boca2 que não afeta a aparência do rosto.

Algumas vezes é uma fissura8 que ocorre apenas nos músculos15 do palato1 mole, na porção mais posterior da boca2 (fenda palatina submucosa) e que, por isso, pode passar despercebida no momento do nascimento e pode não ser diagnosticada até mais tarde na vida, quando os sinais16 se desenvolverem.

Quais são as principais características clínicas da fenda palatina?

A fenda palatina pode atingir todo o céu da boca2 e base do nariz17, estabelecendo uma comunicação direta entre um e outro, criando alguns problemas sérios de funcionamento. As fissuras18 palatinas sem fissuras18 labiais são mais comuns em mulheres, enquanto os homens são mais propensos a ter uma fenda palatina acompanhada de fenda labial. Os sinais16 e sintomas19 da fenda palatina e da fenda palatina submucosa podem incluir dificuldade para sugar e/ou engolir, voz anasalada e infecções6 crônicas do ouvido.

Como o médico diagnostica a fenda palatina?

A fenda palatina, principalmente quando associada à fenda labial, é visível desde o momento do nascimento, mas cada vez mais ela pode ser detectada por uma ultrassonografia20 pré-natal. Menos comumente, a fissura8 ocorre apenas no palato1 mole, localizado na parte de trás da boca2, e pode passar despercebida no momento do nascimento e só ser reconhecida mais tarde, quando os sinais16 e sintomas19 se desenvolvem.

Antes do nascimento, a fenda labial pode ser detectada com mais facilidade pelo ultrassom, mas a fenda palatina que ocorre sozinha é mais difícil de ser visualizada. Se a ultrassonografia20 pré-natal mostrar uma fissura8, o médico provavelmente sugerirá fazer uma amniocentese21 (exame do líquido amniótico22) para indicar se o feto4 herdou alguma síndrome23 genética que possa causar outros defeitos congênitos5.

Como o médico trata a fenda palatina?

A fenda palatina pode ser corrigida. Na maioria dos bebês9, uma cirurgia pode restaurar a fenda a uma estrutura e função normais. O objetivo do tratamento para fenda palatina é melhorar a capacidade da criança de comer, falar e ouvir normalmente. A cirurgia da fenda palatina deve ocorrer num hospital, sob anestesia24 geral. Nas crianças, pode ser preciso colocar tubos artificiais comunicando o ouvido à laringe25, para reduzir o risco de uma interrupção crônica do tubo auditivo natural, o que pode levar à perda de audição.

A correção da fenda palatina não deixa sequelas26, mas recomenda-se que seja corrigida o mais rapidamente possível. Alguns procedimentos podem começar já nas primeiras horas de vida, como a colocação de placa27 moldada no céu da boca2 do bebê com o objetivo de que ele respire com mais facilidade e consiga mamar no seio28 ou na mamadeira.

O tratamento para fenda labial e/ou palatina só é finalizado aos 18 anos de idade, com a consolidação definitiva dos ossos da face29.

Como prevenir a fenda palatina?

Um aconselhamento genético pode ajudar a determinar o risco de ter filhos com fenda palatina. Se a mulher estiver planejando engravidar, deve perguntar ao médico quais vitaminas pré-natais devem ser tomadas e não usar tabaco ou álcool, que aumentam o risco de ter um bebê com um defeito de nascença.

Quais são as complicações possíveis da fenda palatina?

Dependendo do tipo e da gravidade da fissura8, as crianças com fenda palatina podem apresentar as seguintes complicações: dificuldade em se alimentar, infecções6 de ouvido e perda auditiva, problemas dentários e dificuldades de fala. As crianças com fissuras18 podem enfrentar problemas sociais, emocionais e comportamentais devido às suas diferenças em relação a outras crianças.

Leia sobre "Lábio leporino30", "Fonoaudiologia", "Aconselhamento genético" e "Dentes separados".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas em parte do site da Mayo Clinic e, em parte, do site do Hospital Sírio Libanês.

ABCMED, 2019. Fenda Palatina. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1343313/fenda+palatina.htm>. Acesso em: 18 ago. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Palato: Estrutura que forma o teto da boca. Consiste em palato duro anterior (PALATO DURO) e de palato mole posterior (PALATO MOLE).
2 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
3 Malformação: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
4 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
5 Defeitos congênitos: Problemas ou condições que estão presentes ao nascimento.
6 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
8 Fissura: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
9 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
10 Diabetes gestacional: Tipo de diabetes melito que se desenvolve durante a gravidez e habitualmente desaparece após o parto, mas aumenta o risco da mãe desenvolver diabetes no futuro. O diabetes gestacional é controlado com planejamento das refeições, atividade física e, em alguns casos, com o uso de insulina.
11 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
12 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
13 Espinha bífida: Também conhecida como mielomeningocele, a espinha bífida trata-se de um problema congênito. Ela é caracterizada pela má formação no tubo neural do feto, a qual ocorre nas três primeiras semanas de gravidez, quando a mulher ainda não sabe que está grávida. Esta malformação pode comprometer as funções de locomoção, controle urinário e intestinal, dentre outras.
14 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
15 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
16 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
17 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
18 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
19 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
20 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
21 Amniocentese: Consiste na obtenção do líquido amniótico que banha o feto através da punção da cavidade amniótica. Realizada entre 15 a 18 semanas de gravidez, para avaliar problemas genéticos do bebê.
22 Líquido amniótico: Fluido viscoso, incolor ou levemente esbranquiçado, que preenche a bolsa amniótica e envolve o embrião durante toda a gestação, protegendo-o contra infecções e choques mecânicos e térmicos.
23 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
24 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
25 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
26 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
27 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
28 Seio: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
29 Ossos da Face: Esqueleto facial, constituído pelos ossos situados entre a base do crânio e a região mandibular. Alguns consideram que dos ossos faciais devem fazer parte os ossos hióide (OSSO HIÓIDE), palatino (PALATO DURO) zigomático (ZIGOMA), a MANDÍBULA e a MAXILA. Embora excluindo o hióide, outros incluem os ossos nasais e lacrimais, a concha nasal inferior e o vômer. (Tradução livre de
30 Lábio leporino: Alteração congênita na qual existe uma solução de continuidade no palato (céu da boca), que comunica a cavidade oral à nasal. Pode ser total (quando o palato duro, que é ósseo, está envolvido) ou parcial (quando apenas as partes moles, como lábios, gengiva, mucosas estão envolvidas).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cirurgia Pediátrica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.